CEO da Apple, Tim Cook diz que sente orgulho de ser gay

Por , em 30.10.2014

Tim Cook, o “todo poderoso” da gigante de tecnologias Apple, fez uma declaração pública escrita nessa quinta-feira (30), na revista Bloomberg Businessweek, onde revela sua homossexualidade e se diz orgulhoso de ser gay.

Cook disse que, embora nunca tenha negado sua sexualidade, também nunca a admitiu publicamente. Segundo o executivo, durante anos ele tem sido aberto com muitas pessoas sobre a sua orientação sexual, e vários de seus colegas da Apple já sabiam que ele era gay.

O CEO disse que tem tido a sorte de trabalhar em uma empresa que “ama a criatividade e a inovação, e sabe que só pode florescer quando abraçamos as diferenças das pessoas”.

Mesmo assim, para ele, não foi uma escolha fácil divulgar publicamente que é gay. Porém, Cook disse que sentiu que o reconhecimento poderia ajudar os outros.

“Eu percebi que o meu desejo de privacidade pessoal me impediu de fazer algo mais importante”, escreveu o CEO. “Eu considero ser gay um dos maiores dons que Deus me deu”.

O executivo disse que ser homossexual lhe “deu uma compreensão mais profunda do que significa estar em um grupo minoritário e uma janela para os desafios que as pessoas de outros grupos minoritários lidam todos os dias”.

Apple e a diversidade

Com 53 anos, Tim Cook sucedeu o fundador da Apple, Steve Jobs, como CEO em 2011. Desde então, a companhia tecnológica tem verdadeiramente abraçado a diversidade.

Suas companhas levam a frase “inclusão inspira a inovação” como grito de guerra.

Importância da declaração

O anúncio de Cook é muito importante e pode ter uma verdadeira influência sobre a comunidade. Ele é o primeiro CEO de negócios de alto perfil a se declarar gay.

“Tudo que os CEOs fazem ou falam é muito ampliado e afeta uma grande quantidade de pessoas. Ele tornou-se um modelo e terá uma influência positiva sobre muitos que gostariam de ficar confortáveis com o fato de serem gay no mundo dos negócios”, disse Richard Metheny, da empresa Witt/Kieffer.

Além disso, três dias atrás, Cook desafiou seu estado natal, Alabama, a garantir os direitos dos gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros.

Alabama é um dos estados que não reconhecem o casamento homossexual nos EUA, e também não oferece proteção legal com base na orientação sexual ou identidade de gênero. Cook é nativo de Robertsdale, e frequentou a Universidade de Auburn. [NYTimes]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

1 comentário

Deixe seu comentário!