Chocolate reduz gordura corporal em qualquer situação

Por , em 11.11.2013

Nem tudo que é rico em calorias ajuda a engordar. Um estudo conduzido pela Universidade de Granada, na Espanha, aplicado em quase 1,5 mil adolescentes, reforça essa tese elegendo o chocolate, um alimento que por vezes é tido como vilão, na luta pelo emagrecimento.

De acordo com os espanhois, o consumo do doce está relacionado a níveis mais baixos de gordura corporal, independente de idade, sexo, ingestão de outros alimentos, atividades físicas ou qualquer outra condição.

Os resultados foram apresentados na publicação Nutrition, e são parte de um projeto de pesquisa feito em nove países europeus, incluindo a Espanha, sobre hábitos alimentares para jovens.

Os 1.458 participantes deste estudo em específico, que têm entre 12 e 17 anos de idade, foram submetidos a um experimento focado nos efeitos do chocolate em particular. Os números mostram que ele auxilia tanto na redução na gordura total quanto da localizada na região abdominal.

O mito dos males das calorias

Os coordenadores da pesquisa explicam que não se pode julgar o valor nutricional de um alimento apenas por seu conteúdo calórico. O chocolate é rico em açúcar e gorduras saturadas, mas este e outros estudos já apontaram que seu consumo está ligado a menor chance de problemas cardíacos e metabólicos.

O chocolate é rico em catequina, uma substância do grupo dos flavonóides também encontrada em chás e frutas, que ajuda a prevenir hipertensão, inflamações e acúmulo de gordura nas veias. Um estudo americano concluído no ano passado já havia anunciado parte destes benefícios, especialmente para o chocolate amargo.

Os estudantes espanhois tiveram resultados positivos quanto à gordura corporal medida manualmente, nas dobras da pele, ou com eletrodos. Também apresentaram melhores Índices de Massa Corporal (IMC).

O consumo excessivo, no entanto, é desaconselhado pelos pesquisadores, e também é preciso levar em conta que existem tipos diferentes de chocolate. Na Europa, por exemplo, o alimento é produzido com menos açúcar e gorduras que o chocolate brasileiro, um dos mais doces do mundo. O chocolate branco, que nem chega a levar cacau puro em sua composição, é ainda menos recomendável. O bom senso, dessa forma, precisa andar lado a lado com o consumo em si. [Medical Xpress / WebMD]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

5 comentários

  • Erich Hengle Ferreira:

    Detalhe que deveria ter sido dito:
    O tipo de chocolate tido como saudável e responsável pela menor incidência de problemas cardíacos e emagrecimento (devido a alta taxa de flavonoides) é o chocolate amargo com 70 % de cacau.
    Chocolates com menos índice de cacau não chega a ter estes benefícios.
    E não é que o “chocolate” branco seja menos recomendado, ele não possuí recomendação alguma, já que nem chocolate é pois é feito puramente das sobras de gordura não utilizada pela industria alimentícia (o que antigamente ia para o lixo) com adição de açúcar (para ter algum gosto e tornar mais atrativo).

  • Daniel Araújo:

    tem que ver que tipo de chocolate é esse da pesquisa. Porque o chocolate brasileiro é muito diferente o europeu, por exemplo. Quase nada de cacau, e açúcar demais.

  • pmahrs:

    Eu emagreci comendo chocolate. Todo dia levantava as 5 e ia de bicicleta buscar na primeira padaria aberta a 3,5 Km de minha propriedade na zona rural.

  • leo2505:

    Se eu mostrar essa matéria pra minha namorada, aí sim que eu morro indigente… uahuahuahuahua

  • Rebeca Santana:

    Ê CHOCOLATE DILIÇA , PEGA EU KKKKKKKKKKKKKKKKK

Deixe seu comentário!