Cientistas capturaram algo extraordinário no momento da fertilização

Por , em 3.05.2016

Publicado na Scientific Reports, braço online da revista “Nature” na última semana, um estudo mostrou que, no exato momento em que um espermatozoide penetra um óvulo, este último libera bilhões de átomos de zinco faiscantes em sua superfície. Usando a microscopia fluorescente, estas faíscas emitem uma luz, que pode então ser filmada, conforme explica o portal IFLS.

A descoberta de que as células de óvulos humanos passam por esse processo pode levar a novas maneiras para os médicos identificarem os óvulos viáveis para a fertilização in vitro (FIV).

“Foi notável”, contou Teresa Woodruff, uma das autoras sênior do estudo. “Nós descobrimos a centelha de zinco apenas cinco anos atrás, no [óvulo de] camundongo, e ver o zinco irradiar-se em uma explosão de cada óvulo humano era de tirar o fôlego. Toda a biologia começa no momento da fecundação, no entanto nós não sabemos quase nada sobre os eventos que ocorrem [na fertilização do] ser humano”.

Os cientistas conseguiram registrar imagens dos flashes de zinco nos óvulos humanos após injetá-los com uma enzima liberada pelo espermatozoide quando atinge o óvulo em circunstâncias normais. Eles não foram autorizados a usar esperma real devido à limitação da pesquisa com seres humanos sob a lei federal dos Estados Unidos, mas estudos anteriores usando óvulos de camundongos e espermatozoides mostraram que a mesma coisa acontece. A enzima do esperma faz com que o cálcio no óvulo aumente e causa a liberação de zinco.

Faíscas

Esta zinco, em seguida, se junta a pequenas moléculas que, por sua vez, emitem luz em experimentos de microscopia de fluorescência. Isto significa que, quando o esperma atinge os óvulos e libera bilhões de átomos de zinco, pode até mesmo haver um pequeno raio de luz. Esta é a primeira vez que os pesquisadores viram que este processo não acontece apenas em outros mamíferos, mas também durante a fertilização humana.

No desenvolvimento de um embrião, o nível de zinco contido dentro de um óvulo pode ter implicações importantes no modo como o embrião recém-fertilizado cresce. Com a descoberta de que as faíscas produzidas pelos óvulos são um marcador direto da quantidade de zinco existente no óvulo, os médicos que trabalham com fertilidade poderiam ter um novo método com o qual escolher os melhores óvulos com a mais alta probabilidade de sobrevivência para utilização na fertilização in vitro.

“Atualmente, não existem ferramentas disponíveis que nos digam se um óvulo é de boa qualidade”, explica Eve Feinberg, uma das coautoras do estudo. “Muitas vezes não sabemos se o óvulo ou embrião é realmente viável até que vejamos se a gravidez segue. Essa é a razão pela qual isso é tão transformador. Se nós temos a habilidade antecipada de ver qual é um bom óvulo e qual não é, nos ajuda saber quais embriões transferir [para o útero], evitando muita dor de cabeça e conseguindo a gravidez muito mais rapidamente”. [IFLS, Scientific Reports]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 3,00 de 5)

14 comentários

  • Ivanna Fabiani:

    Isso gera dividendos. A que se pauta como realidade e uma coisa, os filmes de Hollywood, trazem apenas uma outra realidade e por enquanto

  • Ivanna Fabiani:

    Nao foi o Chico foi seu sócio, que o colocou em confusão, não me lembro seu nome…algodoes saindo como ectoplasma, ridículo!

    • Cesar Grossmann:

      Tem umas fotos que saíram na revista “O Cruzeiro”, se não me falha a memória, tá lá o Chico segurando a mão da “Irmã Josefa”.

  • Ivanna Fabiani:

    Pena não poder postar comentários com + caracteres. essa polarização não deveria ocorrer.Pois alguns julgam e não ha opaco de replica.

  • Patinho:

    Deve fazer parte do processo que bloqueia a membrana do óvulo após a penetração do espermatozóide. Permitindo que apenas um o penetre

  • Piccareta Espertini:

    Bendito seja o zinco…..

  • Pedro Antonio:

    Isso só prova o quanto não sabemos sobre biologia

    • Cesar Grossmann:

      Apesar de sabermos muito.

  • Cesar Grossmann:

    Eu quase consigo ouvir os fanáticos “pró-vida” e religiosos se agitando e começando a falar bobagens…

    • Charles Willian:

      mente fechada..se os cientistas entendessem como funciona uma consciência e um espirito, teríamos uma evolução milhões de vezes mais rápida.

    • Cesar Grossmann:

      Menta fechada? Não, apenas olhos abertos e mente aberta, mas não tão aberta a ponto de cérebro cair no chão. A consciência está sendo estudada até hoje, mas espírito? Até o famoso Chico Xavier teve que apelar para a fraude podre e tosca nas supostas “materializações da Irmã Josefa”. E o Carmine? Ficou de pé em um banquinho com cara de pateta, e depois foi no laboratório fotográfico e apagou o banquinho, e pronto, uma foto de um médio levitando. E tem outras fraudes de espíritas famosos por aí…

    • Humberto Ferreira:

      Interessante notar que foi você quem ficou mais agitado por aqui…

    • Evandro Rigolão:

      Quem é materialista entende o que é material, e quem é espiritual entende o que há além da consciência, e ponto final.

    • Cesar Grossmann:

      Conversa fiada, Evandro.

Deixe seu comentário!