Crânio de macaco usado em esportes é encontrado em túmulo maia

Por , em 20.11.2011

Um crânio maia, feito de pedra calcária e na forma de uma cabeça de macaco, vai entrar em exibição em uma exposição no museu Royal Ontario Museum, em Toronto, Canadá.

Diferentemente dos crânios de cristal famosos, que são amplamente considerados como falsos, este deve ser real.

O crânio é pequeno, de um tamanho que dá para segurar nas mãos. Tem oito dentes incrustados brancos, feitos de conchas, com um dente preto feito de pirita de ferro no meio. A boca do crânio é aberta, e os olhos podem ter tido, originalmente, conchas neles.

Uma característica-chave que separa esse crânio dos seus homólogos falsos de cristal é que ele é feito de pedra calcária, um material comumente usado para a arte entre os antigos maias.

Muitos artefatos da cidade maia de Palenque foram fabricados dessa maneira. Também, macacos eram motivos comuns na arte maia, sendo que seus deuses, por vezes, eram desenhados na forma do animal.

Pesquisadores do museu acreditam que o crânio foi colocado em uma tumba em algum momento entre 250 e 600 d.C., época em que a civilização maia estava florescendo. O crânio pode ter sido uma representação simbólica de uma peça usada durante um jogo de bola popular entre os maias.

Os jogos de bola eram praticados em uma quadra estreita, usando uma bola de borracha dura. Duas equipes adversárias tinham que passar a bola usando seus quadris, cotovelos e joelhos (sem as mãos). Evidência da arte maia sugere que o time perdedor às vezes era sacrificado no final.

Para minimizar lesões, os maias usavam diferentes tipos de roupas para se proteger. O crânio de macaco pode representar um protetor de mão, algo usado em torno dos pulsos que tornaria possível para os jogadores deslizar sem se ferir.

As versões de pano não teriam sido tão artísticas quanto as versões de pedra colocadas nos túmulos, e podem não ter incluído uma representação do crânio de um macaco. As versões de pedra são colocadas no túmulo porque quando os maias morrem – vão para a vida após a morte – eles devem continuar a jogar o jogo.

A exposição que apresenta o crânio, juntamente com mais de 200 outros artefatos maias, começa no museu no sábado, 19 de novembro, e vai até abril.[LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

2 comentários

  • claudemir da silva:

    os maias são um civilização fascinante

  • Rafael:

    As caveiras feitas de cristal são amplamente falsas, mas não totalmente, acredito. Pode existir alguma similaridade com a característica de armazenar grande quantidade de informações e propriedades que a ciência ainda não permitiu nos esclarecer. Essa associação parece ser disseminada há décadas, talvez séculos. Sou novo por aqui nessa bela comunidade, mas espero me atentar de novidades sobre o assunto por aqui.

    Já a representação do crânio de macaco é curiosa novidade, como pode ser associada a esportes?

    São complexas curiosidades do mundo maia…

Deixe seu comentário!