Crianças de oito anos publicam estudo científico sobre abelhas

Por , em 27.12.2010

Os pequenos provaram que para fazer ciência não há idade. O grupo de crianças do Reino Unido é o mais jovem a publicar um artigo científico. O trabalho deles, que aparece na revista Biology Letters, prova que as abelhas reconhecem as flores que oferecem pólen através das cores.

No relatório eles escrevem “descobrimos que as abelhas usam uma combinação de cores e de noções espaciais para decidir de quais flores se alimentar. Também descobrimos que a ciência é divertida, pois nós conseguimos fazer o que ninguém tinha feito antes”.

O artigo inclui tabelas e diagramas coloridos a lápis e preenchidos com as letras das crianças

O artigo inclui tabelas e diagramas coloridos a lápis e preenchidos com as letras das crianças

Se você entende inglês, vale a pena ler o trabalho original. Ele é completamente escrito com o discurso das crianças, incluindo vocalizações dos sons das abelhas.

Segundo as crianças, sua visão de ciência mudou completamente com a pesquisa. Como não foram confrontadas apenas com fatos e puderam realmente fazer parte do processo de construção do conhecimento, elas ficaram mais interessadas. [Wired]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

6 comentários

  • josé ricardo:

    As crianças deveriam ser induzidas as tais coisas no nosso país.

  • lucas:

    achei genial, pois com essa idade eu ainda estava aprendendo a modelar massinha na escola.

    queria ter tido a oportunidade deles, so eu nao, queria que todos tivessemos, talvez assim esqueceriamos as desavenças e aprendemos a trabalhar em equipe mais cedo.

  • ana paula camoesas:

    Era bom que alguém conseguisse convencer os senhores representantes dos países em que ,com quatro ou cinco anos,se vê as crianças de arma na mão,de que era melhor para todos eles aprenderem coisas como essa experiencia,por exemplo.

  • Evem:

    A maior prova da evolução ai Ó

  • Algures:

    Este é o melhor incentivo que uma criança pode receber. Quem dera que isso fosse incentivado em todas as escolas…

Deixe seu comentário!