Esperar para fazer sexo pode produzir relacionamentos melhores

Por , em 16.03.2011

Segundo uma nova pesquisa, adiar o sexo pode tornar um relacionamento mais satisfatório e estável, mais tarde.

O estudo mostra que casais que tiveram relações sexuais mais cedo, por exemplo, logo após o primeiro encontro ou no primeiro mês de namoro, teve os piores resultados quanto se trata da relação.

Os pesquisadores acreditam que, se os casais se tornam sexuais muito cedo, esta área muito gratificante do relacionamento supera a boa tomada de decisão e mantém os casais em um relacionamento que pode não ser o melhor para eles a longo prazo.

Pesquisas anteriores sobre o sexo e sua relação com a qualidade do relacionamento revelaram dois paradigmas diferentes. Um deles é que o sexo é considerado essencial para desenvolvimento do relacionamento, pois permite que os parceiros avaliem a sua compatibilidade sexual. Seguindo essa linha de pensamento, os casais que se casam antes de testar a sua química sexual correm o risco de problemas conjugais e outras falhas mais tarde.

A opinião contrária diz que os casais que retardam ou se abstém de intimidade sexual durante a primeira parte de seus relacionamentos permitem que a comunicação social e outros processos se tornem a base de sua atração mútua.

Essencialmente, o sexo precoce pode ser prejudicial para um relacionamento, desviando-o da comunicação, do compromisso e da capacidade de lidar com as adversidades.

Os pesquisadores reuniram 2.035 indivíduos heterossexuais que tinham uma idade média de 36 anos e estavam em seus primeiros casamentos. Os participantes relataram quando tiveram relações sexuais pela primeira vez com seu cônjuge atual, e responderam perguntas sobre a comunicação entre eles, que avaliou o quão bem eles podem expressar empatia e compreensão aos seus parceiros, se eles enviavam mensagens claras aos seus parceiros, e outras questões.

Outros itens do questionário focaram na satisfação do relacionamento e na estabilidade, sendo a última referente a três perguntas: quantas vezes os participantes achavam que sua relação estava em apuros, quantas vezes eles pensaram em terminar o relacionamento, e quantas vezes eles tinham se separado e voltado.

Os indivíduos foram categorizados como: casais de sexo precoce (antes de sequer namorar, ou menos de um mês após o início do namoro); casais de sexo tardio (entre um mês e dois anos de namoro) e casais que esperaram até o casamento.

Curiosamente, quase 40% dos casais fizeram sexo na primeira ou segunda vez que saíram. Os pesquisadores suspeitam que se você perguntasse a esses mesmos casais, na fase inicial de seu relacionamento, se eles confiam no parceiro para cuidar de seu animal de estimação durante um fim de semana, muitos não confiariam, o que significa que eles tem menos problema em confiar “seu corpo” do que um gato ou cão.

Os relacionamentos eram melhores quanto mais o casal esperou para ter relações sexuais, especialmente até o casamento. Os que fizeram sexo antes de um mês de namoro mostraram os piores resultados.

Comparado com os do grupo do sexo precoce, aqueles que esperaram até o casamento classificaram a estabilidade do relacionamento 22% maior; classificaram a satisfação com o relacionamento 20% maior; classificaram a qualidade sexual 15% melhor e classificaram a comunicação 12% melhor.

Os pesquisadores acreditam que os casais que esperam têm tempo para descobrir se o parceiro é confiável, se eles se comunicam bem, e se eles compartilham os mesmos valores na vida, antes da poderosa ligação sexual que destrói as habilidades de tomada de decisão.

Agora, a equipe pretende repetir o estudo em uma amostra maior, com um delineamento longitudinal, na qual os participantes são observados ao longo do tempo. O foco será nas pessoas que afirmam que querem esperar para ter relações sexuais, mas que não seguem completamente suas crenças. Esse pode ser um grupo único com resultados únicos. [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 3,67 de 5)

13 comentários

  • Nanda:

    Eu concordo em parte, mas esperar até o casamento é demais… porém conheço mais de um relacionamento que no primeiro encontro rolou sexo e eles se casaram e estão super felizes hoje em dia…

  • Prii:

    Sexo é instintivo e, por isso, não deve servir como base pra nenhuma relação. Comunicação é primordial em qualquer relação, pôr o sexo no lugar dela é ignorância. Uma pessoa pode sentir-se sexualmente atraída por mais de uma pessoa porém, afetivamente não. Sexo e afetividade são coisas bastante distintas, mas tem gente que ainda confunde um sexo incrível e atração com amor.

  • eloisa:

    eu concordo com a pesquisa,casais q se relacionam sexoalmente nos primeiros encontros tem poucas chances de durar!!!

  • Mario:

    por isso que só teria me casado com uma mulher virgem proporciona mais firmeza ao casamento.
    você compraria um carro todo amassado e chacoalhado com as rodas carecas e a dianteira e trazeira avaridas?

    • Marcelo da Silva:

      Boa metáfora.

  • DIEU MERCI DE ANGOLA:

    Geralmente no princio ha sempre o medo e a desconfiança, mas depois de um jantar ou uma praia, ate da vontade de brincar na areia…

  • Evandro:

    E quem não sabia disso? As evidências estão em toda a História.

    O dificil foi após as revoluções culturais e quebra de valores, inclusive religiosos, e a libertinagem sexual do último século. Resultado: Divórcio virou moda; e está cada vez mais dificil encontrar pessoas não dominadas por seus hormonios e instintos sexuais.

  • Surreal:

    É necessário ter-se também em atenção quanto tempo os casais que esperaram ter relações sexuais até ao casamento efectivamente aguardaram pela sua intimidade sexual.Haveria casais com longos anos de namoro que continuara à espera? Ou casaram-se num espaço inferior a um ano?

  • Sábio realista:

    Magda Patalógica escreveu: Prefiro ficar do lado de Einstein: Tudo é relativo.

    Ou não.

  • Sábio realista:

    Caros Sábios Montanheses:

    Vocês estão lendo demais livros de ficção.

    Passar bem.

  • Sábio da montanha vizinha:

    O fato é que isso nunca poderia acontecer, pois Deus já sabia que eles iriam comer o fruto proibido, porque foi para isso que ele os criou. O mesmo é onisciente, logo sabia de tudo que ia acontecer antes mesmo de criar os humanos.

    P.S: Mas não deixa de ser um lindo conto de fadas…

  • Magda Patalógica:

    Sei não.

    Prefiro ficar do lado de Einstein: Tudo é relativo.

    Para mim, pesquisas na área de comportamento envolvendo sexualidade, precisam ser avaliadas por sexólogos e psicólogos.
    Divulgação de coleta de dados, por mais metodológica que seja, carece de pós avaliação por profissionais competentes e mesmo assim ocorrerão entre eles, premissas discordantes.

    Cada pessoa pertence ao seu um mundo individual, distinto e um bom relacionamento conjugal, além do sexo, precisa de outros elementos complementares.

    Tá bom… o casal espera até o casamento para “provar a fruta”. E se ela não for tão doce como esperavam?
    No tempo da minha avó, se dizia:
    “Descascou o abacaxi, agora tem que comer”

    Sou mais a favor do “test drive”.
    Um navio sai do porto, fazendo várias manobras de adaptação, até se posicionar na rota certa.
    Acho que é por aí.

    Fui.

  • Sábio da montanha:

    O fato é que se Adão não tivesse transado com Eva eles seriam imortais até hoje. Logo, conclui-se que o sexo tem resultado ruim.

Deixe seu comentário!