Religião atrofia o cérebro?

Por , em 10.07.2012

Vários estudos ligando o cérebro e suas funções à religião, práticas religiosas como oração e meditação já foram feitos, mas são poucos os estudos que avaliam a longo prazo os efeitos de práticas religiosas sobre as estruturas do cérebro.

O artigo “Religious factors and hippocampal atrophy in late life”, de Amy Owen e colegas da Universidade Duke (EUA), representa um acréscimo na compreensão do relacionamento entre cérebro e religião. Neste estudo, o cérebro de 268 homens e mulheres com 58 anos foi medido usando imagem de ressonância magnética, e os participantes responderam a um questionário sobre sua religiosidade e prática religiosa.

O resultado surpreendeu os pesquisadores. Os participantes que relatavam ter tido uma experiência que mudou a vida deles apresentaram uma atrofia no hipocampo, uma região cerebral responsável pelo aprendizado espacial, contextual e episódico, e também pela formação da memória. Além disso, também foi encontrada uma hipertrofia maior entre os “renascidos” (isto é, que mudaram de religião) católicos, evangélicos, e sem afiliação religiosa, em comparação com protestantes que não relataram a experiência de “renascimento”.

Os autores do estudo acreditam que a causa da atrofia seja o estresse a que passam pessoas de minorias religiosas e as que estão tendo problemas com suas crenças. A angústia causada por participar de uma minoria ou de mudar sua vivência religiosa daquela em que cresceu seria causa de estresse, que por sua vez teria um impacto negativo no hipocampo.

Entretanto, os pesquisadores alertam que o estudo é bastante limitado, o tamanho da amostra é pequeno, e não elimina outras hipóteses, como a de que o estresse que tenha levado à experiência religiosa de renascimento, ou que pessoas com hipocampo menor sejam atraídas por certos tipos de vivências religiosas, hipóteses que invertem a causa e efeito neste caso.

De qualquer forma, é um estudo interessante, e mostra que ainda há muito a aprender na relação entre cérebro e religiosidade. Mais estudos vão trazer conhecimentos nas relações entre religião, espiritualidade, e o cérebro, as perguntas suscitadas neste campo são muito interessantes. [ScientificAmerican, PLoS One]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votos, média: 4,75 de 5)

72 comentários

  • Natalino Rosa:

    Na verdade religião não ajuda em nada O que vce tem que fazer é respeitar essa sua natureza que Deus criou e que é sua em vida

  • Marco337:

    Extra … Extra…
    Sociedade se mobiliza para saber porquê se retiraram as aulas de religião de algumas escolas e se mantiveram as aulas de ciências.
    Alguns pais afirmam que concordam que não se pode exigir que uma criança acredite em um Deus, mas que também não se pode exigir que acreditem na ” teoria da evolução” ou do “big-bang”.
    Alguns países, como o Brasil, parecem estar chegando a um consenso: ” existem escolas científicas e existem escolas religiosas , assim como escolas mistas que ensinam tanto religião quanto ciências”.
    O grande problema ocorrido é o fato da grande maioria estudar em colégios públicos, mas um grupo de intelectuais, dos quais eu faço parte, sugerem que tais escolas ofereçam apenas matérias tidas como básicas, a exemplo da matemática e língua portuguesa. Todas as demais matérias também estariam na grade curricular e apenas seriam abolidos do conteúdo programático as histórias de Adão e Eva, do Big Band e da Teoria da Evolução, sendo que tais conteúdos não poderiam constar em concursos de qualquer natureza, inclusive vestibulares.

    • Ronaldo:

      Oi Marco
      A questão é que vivemos num país que nunca priorizou a educação.
      Nossas escolas deveriam ensinar os alunos a pesquisar, a pensar sobre tudo, nas diversas grandes áreas.
      A questão da religião deve ser de foro íntimo das famílias.
      Ainda bem que vivemos num estado laico.
      Abraço
      Ronaldo

  • Reinaldo Setubal:

    O NEUROCIENTISTA AMERICANO ANDREW NEWBERG,QUE DEU ENTREVISTA PARA A REVISTA ÉPOCA E LANÇOU O LIVRO,COMO DEUS MUDA O CÉREBRO,DISCORDA E DIZ QUE A RELIGIÃO FAZ BEM A SAÚDE E ETC.
    RECOMENDO LEREM ESSAS PESQUISAS INTERESSANTES,SOBRE DEUS,CIÊNCIA,ORAÇÃO,CÉREBRO E EXPERIÊNCIAS ESPIRITUAIS. http://www.dignow.org/post/pesquisa-mostra-a-rela%C3%A7%C3%A3o-entre-o-c%C3%A9rebro-e-as-experi%C3%AAncias-espirituais-4786088-87313.html

  • Anne Tarantino:

    No meu posto de vista a Religião Atrofia o cérebro de fundamentalistas que querem controlar a vida de outros, que perseguem e impõe sua religião e dogmas a outrem. Diferente daqueles que cultivam a espiritualidade de fato e querem evoluir como pessoas através da fé.

    • Jean Carvalho:

      Sim, Anne, creio q. o seu ponto de vista não está equivocado. Seria, inclusive, um ponto de partida interessante p/ a análise do estudo publicado neste post, a diferenciação entre “ser religioso” e “ser espiritualizado”…

  • Dowglasz NRamachandra:

    É muito bom trazer informações tão importantes sobre temas tão pouco tratados mas é uma pena sermos obrigados a continuar sem evoluir porque grupos limitados e pavorosamente restritos são grandes o bastante para impedir diálogos sérios e inteligentes.

  • Flor de Lis:

    O interessante aqui é o seguinte: muito já foi cobrado em se tratando de respeito para com os seguidores da ciência; porém esse artigo para mim é inconcluso, tendencioso e provocador. O próprio Hype já chegou a publicar um aviso em relação a comentários criacionistas com o objetivo de evitar discussões do gênero religião x ciência. Pois bem, artigos como esse só suscitam a velha discussão. Muito contraditório, hein pessoal?!

    • Jean Carvalho:

      O problema, Flor, é q. o artigo, além de não muito bem escrito, foi também lido “às pressas”. Note que, em um determinado momento, é dito que “(…) também foi encontrada uma HIPERTROFIA maior entre os “renascidos” católicos, evangélicos, e sem afiliação religiosa (…)”
      Ora, hipertrofia é o contrário de hipotrofia (este termo sim denota o “encolhimento” de um músculo, orgão, etc..).
      Portanto, o artigo em momento algum permite concluir que TODA E QUALQUER RELIGIÃO atrofia o cérebro. O máximo q. poderíamos concluir, pelo q. está (mal) escrito lá, é que “uma determinada experiência religiosa/mística pode fazer c/ q. o hipocampo não apresente desenvolvimento (atrofia)”. Todo o resto foi conclusão de uma leitura mal feita…

    • Flor de Lis:

      Jean Carvalho,

      o post em questão me parece muito sensacionalista. Meu comentário se deve ao fato de que se é pra evitar as discussões ‘religião x ciência’, então que isso se cumpra. O site é de caráter científico, isso todos sabemos; então não vejo razões lógicas para suscitar discussões que já conhecemos e que, a meu ver, são inúteis.

    • Jean Carvalho:

      Ok, Flor, mas volto a repetir: a pesquisa do cara nada tem de “tendenciosa” ou “sensacionalista”. Tudo o q. ele quis fazer foi ver a relação entre crença religiosa e desenvolvimento do cérebro. Ele apenas demonstrou os resultados já observados, deixando claro q. “(…) o estudo é bastante limitado, o tamanho da amostra é pequeno, e não elimina outras hipóteses (..)”. E, sim, como assegurou o Cesar, a pesquisa pode ser interessante sim!
      De resto, em relação à toda discussão havida nest post, esta é fruto de uma leitura mal feita da notícia…

    • Flor de Lis:

      Ok, Jean Carvalho, entendi seu ponto de vista; porém mantenho o meu. A meu ver o fato de o post ter sido publicado aqui (após avisos do próprio site sobre comentários de cunho religioso ou criacionista virem a ser vetados pra evitar discussão), foi muito contraditório; pra mim isso apenas suscita uma discussão que é inútil. E dessa maneira perdemos muito tempo em conflitos que não vão nos levar a nada; quando poderíamos discutir outros assuntos que nos acrescentem algo.

    • Jean Carvalho:

      Sem problemas, Flor!
      Mas note q. o problema não está na notícia q. foi postada, não está na pesquisa do cara. O problema está na leitura leviana e apressada da maioria q. postou aqui, seja daqueles q. defenderam a idéia de q. “a religião atrofia o cérebro” (idéia q. NÃO PODE ser extraída dos dados da pesquisa), como daqueles q. atacaram a pesquisa, achando q. o objetivo da mesma é o de menosprezar os religiosos de modo geral (opnião do André Lucas), algo q. tbém não pode ser concluído pela notícia ou pelos dados da pesquisa.
      Não sei não, às vezes desconfio… será q. o César estava querendo “pregar uma peça”? Do tipo: “vamos ver se o pessoal está lendo as notícias c/ a devida atenção”? Não sei, em todo caso, seria bom se lêssemos as próximas notícias c/ + calma, e nesse sentido na verdade foi muito bom q. o Cesar tenha postado uma notícia algo confusa de uma pesquisa completamente inconclusiva – como podemos “defender” ou “atacar” um artigo ou pesquisa, se nem os estamos entendendo direito??
      Mas tem razão, este post já tá cansando um pouco… vamos lá aproveitar o domingão! ;p
      bom fds a todos!!

    • AEduardo:

      Infelizmente, Flor de Lis, matérias pobres de idéias continuam sendo veiculadas para poder causar uma certa animosidade e uma quantidade de debates sem mediação e sem construção de pensamentos, mas apenas asseverando as idéias já estabelecidas.
      Lamento pela matéria tendenciosa ao preconceito religioso, além de ser a-científica por considerar apenas um aspecto da vivência humana para poder se mensurar algo referente ao hipocampo.
      Noto, porém, um desejo exacerbado anti-religioso, e que menospreza a fé de grandes cientistas do presente e do passado como Arthur Eddington (astrônomo), Thomas Edison (Inventor, Físico), Erns Siemens (Engenheiro), Max Planck (pai da física quântica), Michio Kaku (físico), Allan Sandage (Astrônomo), entre outros!

    • Flor de Lis:

      AEduardo,

      infelizmente a “coisa” por aqui anda desse jeito…

    • Dowglasz NRamachandra:

      É sempre bom ler o texto antes de comentar. Principalmente se ele te ofende, leia até o final para saber dizer o que exatamente é ofensivo, onde está a ofensa, para que o erro seja corrigido ou, na pior das hipóteses, seja publicada uma retratação. Todo o resto você pode nos poupar e guardar para si mesma.

      Flor de Lis diz “esse artigo para mim é inconcluso” enquanto o artigo diz “os pesquisadores alertam que o estudo é bastante limitado, o tamanho da amostra é pequeno, e não elimina outras hipóteses” e ainda “Mais estudos vão trazer conhecimentos nas relações entre religião, espiritualidade, e o cérebro”.

      Melhor eu manter apenas os fatos, porque os meus comentários particulares, esses sim irão te ofender (e eu sou MUITO criativo nesse sentido).

    • Ronaldo:

      Flor de Lis tudo bem?
      Creio que restringir o que qualquer pessoa quer dizer é censura, o que deve ser evitado.
      Por que a velha discussão pode incomodar tanto?
      Na verdade devemos promover um debate esclarecedor calcado em pontos de vista sustentados por teorias racionais e não em histórias da carochinha.
      A questão da investigação sobre nossas origens é muito interessante e merece destaque.
      Devido a nossa milenar ignorância sobre o assunto, na tentativa de encontrarmos uma resposta para nossas dúvidas, surgiram diversas teorias, algumas criacionistas, outras ditas evolucionistas.
      No meu entender a resposta caminha para um hibridismo entre ciência e religião.
      Abraço
      Ronaldo

    • Navarro Borges:

      Religião é arte/educação e cultura aqui no Planeta Terra e só.
      Não exite deus religioso.
      E concordo contigo Flor de Lis, acho que devemos discutir algo de cunho racional e inteligente, todos sabemos que a religião já não tem voz e não se pode fazer nada, algo que ninguém leva a serio mais, não deve entrar em debate e inclusive relacionado ao cérebro, que sabemos, nunca será ligado a religião em si, no meu ponto de vista qualquer coisa ligado a religião faz mau, e muito mau, é só ler a…

  • Jorginho:

    Fala sério pessoal! Qual motivo de escrever um artigo tão pretensioso?
    Isso é generalizar… Puxar sardinha… Etc.
    Então, se for pelo lado de “lavagem cerebral”, vejo que há muitos por aqui! Veja um exemplo:
    Gastaram bilhões para descobrir que não descobriram nada conclusivo, por décadas de pesquisas… se tratando de matéria/energia…
    …Que, até hoje “macacos” se fecham nos seus estudos, tentando explicar de que é feito à adorável “banana”!

    Chego à conclusão que tanto um quanto outro têm mentes atrofiadas… Bastando somente o argumento do “macaco” do outro lado para suas respectivas ovelhinhas.
    Portanto, como tem seguidores dementes seguindo “religiosos”, há os que seguem cegamente a ciência!
    Isso é querer empurrar a “banana” dizendo que macaco só come banana… Senão, pode ter a certeza que não é macaco!

    Tentem ao menos ser imparcial… Ou é pedir demais?

    Aposto um milhão que foi um ateu que escreveu e outro traduzir.
    Saibam que Há malucos tanto de um lado quanto de outro e, vejo esse artigo como uma tentativa desesperada de fazer os “cegos de cérebro” engolir a “banana” com casca e tudo!
    Decepcionante e vergonhoso essa atitude!

    Se dissesse que o Universo expandiria infinitamente. Apostaria uma banana que nenhum seguidor de Darwin questionaria o que de fato é infinito!
    Apostaria um cacho de bananas, se dissesse que o “nada” é tudo… Se ao menos iriam questionar, acreditando que o “nada” tem massa e viaja na velocidade da luz! Mesmo que mais tarde a ciência dissesse ter cometido engano de “cálculo”! Portanto, meus nobres acreditem ou não, vcs estão tão perdidos quantos aqueles que acreditam em alguma coisa, mas que não tem certeza de nada! E, Nem por isso chamar-vos-ei de mentes atrofiadas.
    Desafio algum “macaco” apresentar do que é feito a matéria e ainda, de que é feito, de fato a Energia no sentido mais amplo da palavra!
    A lista é grande. Mas ficarei satisfeito se pintar algum ousado tentando responder essas simples questões.

    Sou parte daqueles que acreditam que há uma razão para tudo… Inclusive para o mundo que vivemos… E que há razão de estarmos aqui. Por fim, percebo que um lado e outro manipulam seus discipulados… Todavia, ninguém responde nada!

    Não sobestime o roxo, meus caros!

    • Leandro Blanes:

      Este nem leu o texto e ganhou 34 curtir

  • Jean Carvalho:

    O q. percebi é q. não estamos lendo a notícia com a devida atenção, e na verdade a notícia tem uns pontos estranhos! Em nenhum momento a pesquisa permite concluir q. “a religião atrofia o cérebro”, o q. eles disseram é que “(…) Os participantes que relatavam ter tido uma experiência que mudou a vida deles apresentaram uma atrofia no hipocampo (…) Além disso, também foi encontrada uma HIPERTROFIA maior entre os “renascidos” católicos, evangélicos, e sem afiliação religiosa, em comparação com protestantes que não relataram a experiência de “renascimento”.

    Ou seja, pela notícia, o q. os resultados da pesquisa estão mostrando, é que, entre aqueles que disseram ter tido uma “experiência q. mudou suas vidas” (experiência mística, suponho ?), o volume do hipocampo apresentava-se MENOR do q. nos chamados religiosos “renascidos” (ué, mas “renascidos” não são aqueles q. se converteram devido à alguma “revelação”?)ou do q. entre aqueles sem nenhuma afiliação religiosa, e estes, por sua vez, apresentaram um hipocampo maior do q. o daqueles q. não relataram a experiência do “renascimento”
    Notaram como o significado da notícia ficou “truncado”? Ou fui eu q. não entendi algo aí??

  • André Luiz:

    Algumas religiões fazem uma lavagem cerebral incrível.
    Vejam alguns exemplos: O Aldo Bertoni criou uma seita para adorar a si mesmo. Milhares de pessoas acreditam piamente que ele seja um santo. Este senhor foi acusado por algumas mulheres de abuso sexual em troca de “cura”. Ele dizia que elas estavam doentes e seriam curadas ao fazerem sexo com ele(é só pesquisar no Google que vocês vão encontrar os vídeos).

    Mesmo com todas as denúncias, acredito que 99% dos seguidores não acreditaram nas mulheres abusadas, pois para os seguidores ele é um santo. As mulheres não tinhas nada, ele só queria sexo. Como uma pessoa pode ser tão ingênua a este ponto? A lavagem cerebral é impressionante.

    Vejam o Valdemiro Santiago. Ele tem fazendas no Mato Grosso que comprou com dinheiro do dízimo dos fiéis. Uma dessas fazendas foi comprada por R$ 30 milhões. Se a fazenda realmente fosse da igreja, e toda o gado fosse abatido para a carne ser distribuída aos fiéis, não seria errado. Mas não é o caso.

    O pior de tudo é que ele chorou dizendo que era tudo mentira, era o inimigo tentando destruir a obra. Acredito que mais de 90% dos fiéis acreditam nele.
    Ele também faz “milagres” ao vivo. É triste ver a ignorância de tantas pessoas. Mas só podemos lamentar, pois não adianta tentar, vão dizer que ele é o certo.

    Nem todos as igrejas são assim, nem todas os pastores são assim. Mas a grande maioria infelizmente é.

    Como eu disse no meu outro comentário, a intolerância é um grande agravante. Não adianta xingar, não vão mudar. Por mais absurdo que pareça ser, desde que não seja crime, temos que respeitar. Só que é crime os acontecimentos que eu citei a acima, mas as pessoas estão “cegas”. Cabe a justiça fazer alguma coisa, o que eu acho muito difícil.

    Vai demorar um bom tempo para a humanidade evoluir realmente.

    • Jonatas:

      Em cada época de fim de mundo, como essa de agora de 2012, as pessoas chegam a se matar achando que isso pode melhorar as coisas, então não surpreende em nada seguirem cegamente essas ceitas tolas que aparecem por aí.
      Num canal de documentário, um ilusionista indiano decidiu prestar um grande trabalho às comunidades isoladas por todo o território: torna-las mais céticas. Como isso? mostrando o ilusionismo, mostrando um “milagre” e depois demonstrando como foi feito, para eles verem como pode ser possível falsos shamãs e profetas charlatões abusarem e lucrarem da sua fé usando truques.

    • Flor de Lis:

      Jonatas,

      há como ver ao menos um vídeo desse ilusionista onde ele faça a revelação de algum “milagre”?

    • Jonatas:

      Não me lembro Flor, vi a pouco tempo no Natgeo e o documentário era sobre a Índia. Apesar de conhecermos esse povo por suas doutrinas espirituais bastante avançadas, dada a sua antiguidade, muitos povos ao longo do território vivem isolados demais, pouco conhecem (ou esqueceram) do verdadeiro Hinduísmo e do significado espiritual e ficam a mercer de muitos charlatões que se aproveitam deles por truques, o que é uma prática comum no país.

    • Flor de Lis:

      Ok, Jonatas… de qualquer maneira acho legal a iniciativa do tal ilusionista; isso desmascara os charlatões, o que pode vir a ajudar as pessoas a evitar a tal ‘fé cega’.

  • Rafael3:

    Gostei do resultado desta pesquisa.
    Veja só um bordão muito popular nas religiões:
    “Agindo Deus quem nos empedirá.”
    Sabemos que Deus pode em todas as coisas, porem isto não quer dizer que Ele tem que realizar todos os desejos das pessoas interferindo diretamente no livre arbítrio de cada um, não importando o que cabe a cada pessoa. Ele tem mas que realizar os meus desejos porque Ele pode. Apartir daí o indivíduo passa a pensar em mais nada a respeito a uma solução dos problemas e sim a orar muito aos estremos que abalam até os nervos com isto atrofiando a mente.

  • Cleme Hajia:

    Religião é diferente de religiosidade, a mim ambas sempre foram desestressantes, ao contrário sempre senti recuperar a memória (ligada ao hipocamnpo) e o bem estar.
    Afinal de contas, para que eu iria me ligar em algo que não me acrescenta?????

  • Herberti Pedroso:

    Se a coisa for assim mesmo, então vivemos em um Universo realmente absurdo pois os alicerces da Ciência moderna foram estabelecidos por cientistas teístas, muitos deles cristãos confessos. Aliás, muitas universidades foram fundadas como extensões ministeriais de igrejas. O primeiro laboratório Física da Europa, fundado na Universidade de Cambridge, tinha como lema escrito em sua porta de entrada o Salmo 111.

  • Maria Fatima:

    eustou aberta a novas experiencias e mim desponibilizo para augumas pesquisa de emagrecimento não quero atrofiar meu selebro achando vou ser gorda pra sempre sou ex atleta olhando para mim nem parese fiz varias modalidade de artes marcias ginastica danças de salão entre outro e nada parese que sou escrava dessas mulditas gorduras que odio

    • Jean Carvalho:

      Oi Maria Fátima, já experimentou tomar o kefir? Vc pode conseguir informações sobre ele nesta página aqui: http://www.kefir.50webs.org/

  • Andre Lucas:

    Por favor, perdoem minha sinceridade! Essa pesquisa é no mínimo ridícula!

    Qual o caráter de tal pesquisa? Que benefícios poderiam trazer tais descobertas bombásticas de que crentes supostamente tem um parte do cérebro atrofiada?

    Pra mim isso não passa de uma tentativa de Amy Owen e colegas da Universidade Duke (EUA) de menosprezar os religiosos de modo geral!

    Muito me admira uma das Universidades mais prestigiadas dos Estados Unidos desenvolver uma pesquisa fraca como esta!

  • EDSON_HYPE:

    É muita tolice achar que pessoas que crêem em Deus ou em uma Força Espiritual, tenham atrofia cerebral, sejam menos inteligentes. Isto é um verdadeiro absurdo. Assim como há médicos, juízes, analistas, desembargadores, cientistas que crêem em Deus, há também quase analfabetos que são ateus. Isto varia de pessoa para pessoa, não tem nada a ver com inteligência. Há crentes que escrevem muito bem num fórum como este e há aqueles mal sabem escrever e se acham inteligentes por serem ateus e vice-versa. Uma pesquisa como essa é tendenciosa. Eu sou cristão, tenho amigos ateus e nos damos muito bem. Comemos juntos, nos divertimos, damos boas risadas, trabalhamos com as mesmas tecnologias e cada um na sua. Deus deu inteligência ao homem para descobrir coisas e os que crêem devem apreciar a Inteligência Suprema e os que não crêem, então admirem o que querem admirar e pronto. Agora deixemos a questão de inteligência de lado, pois esse tipo de comparação é infeliz, e não leva a nada.

  • cesarjbn:

    Substituiria a pergunta por uma afirmativa: “Religião atrofia o cérebro.”

  • Solemar Junior:

    Eu só gostaria de ter aperecido por aqui quando este tópico recem fosse criado e que fosse eu o primeiro a comentar.

    Eu diria que é só para não deixar o site ficar parado e que por pura provocação convidasse a todos para discutirmos um assunto diferente do proposto, perdoem o meu atraso, mas vamos tentar.
    Deixe-me pensar num assunto polemico, poderia ser sexualidade, vida alienigena ou outros famosos, ah, sei um que não lembro de ser debatido até hoje, o que vocês acham de poderes da mente?
    Eu não tenho provas, mas pensem bem, milhões de pessoas falam disso desde a muito tempo, se não fosse verdade, o numero seria mais limitado não é?

  • rogerio727:

    Eu acho que atrofia sim, porque há uma lavagem cerebral nos fiéis feita pelos sacerdotes (ou pastores ou padres) com o intuito de obter os dízimos. Qualquer tipo de dogma aliás atrofia o cérebro. É bom lembrar que ateísmo fanático também atrofia.

    • cesarjbn:

      Estimado Rogério.

      Concordo e acrescento mais, as igrejas e religiões são empresas multinacionais altamente rentáveis pois não pagam impostos como nos outros; de forma que seus gerentes, os profissionais da fé, a semelhança de governos, banqueiros e bicheiros são apenas e tão somente cobradores de pedágios de inocenteis úteis a eles e inúteis a si próprios.

      DUAS ILUSÕES OPOSTAS ( RELIGIOSO X ATEU ).
      HÁ UMA TERCEIRA VIA PELA COMPREENSÃO DA ORDEM NATURAL. CHEGA-SE A SUBJETIVIDADE DESPERTA E DAÍ A CURA DA AMNÉSIA CÓSMICA – O PULO DO GATO!
      SDS/CÉSAR.

  • MÁRIO MIRANDA:

    “Acredito que a atrofia cerebral se dá pelo assossego das pessoas em esperar que tudo venha às suas mãos, sem sair de seu lugar”

    • Jean Carvalho:

      Talvez o caso seja que, quando estamos raciocinando sobre uma série de coisas, o hipocampo tenda a uma hipertrofia; por outro lado, qdo estamos + relaxados, e postergamos nossas preocupações, então é provável q. o hipocampo diminua de tamanho.
      A pessoa q. tem fé muitas vezes posterga suas preocupações, confiando numa “intervenção divina” p/ a solução destas. A princípio, isto pode parecer uma atitude negativa, mas, por outro lado, o relaxamento oferece uma possibilidade maior da pessoa ter um “insight”, q. é aquele momento em q. a pessoa encontra uma solução p/ o problema q. a estava afligindo. E não creio q. um hipocampo menor signifique necessariamente “menos inteligência” (se fosse assim, todo mundo passaria a ficar + burro depois dos 30 anos, idade à partir da qual o cérebro começa a perder peso e volume…
      um detalhe: eu sou ateu, mas não tenho nada contra por quem acredita em Deus (ou deuses, etc…)

  • Jonatas:

    Não eu acho que a religião está longe de ser uma coisa do passado. Assim como todas as histórias que estudamos na fascinante disciplina de História que vemos desde o ensino fundamental, o mundo e a cultura que temos hoje vivemos foi construído pelas passagens, acontecimentos e mitos do passado. Nossos nomes, os nomes das cidades, os temas de filmes e jogos, as arquiteturas, tudo o que somos hoje nada mais é que o reflexo do passado, por mais que não acreditemos no que nossos antepassados acreditaram, assim como não comemos o que nossos antepassados comiam, não usemos os estilos que nossos antepassados vestiam.
    A religiosidade é mais uma característica humana, perfaz a maior massa da humanidade e seria tolice taxar de burrice intelectos consideráveis que mantém-se na fé em divindades, é uma questão de escolha, na maior parte das vezes independe-se de evidências para escolher acreditar ou não.
    O que realmente tende a morrer é a religiosidade dogmática e totalitária do passado, assim como tudo, como a sociedade, o pensamento intelectual, o pensamento filosófico, o pensamento científico, o pensamento artístico, o pensamento conceituoso e o preconceituoso, também o pensamento religioso tenderá a mudanças e transformações, na verdade continuará o já constante processo de mudanças, é assim que as coisas acontecem.

  • marcelolima:

    Pois bem, mesmo não dando muito crédito ao artigo. Uso esse texto fora do seu contexto para expressar o que sinto “João 3:30 – É necessário que ele cresça e que eu diminua”

  • JLKLEIN:

    a religião deve de continuar existindo, por varios motivos, primeiro por q DEUS existe, depois por q ja imaginou c ñ ouvesse este freio, os bandidos tomariam conta do mundo, ñ teriam q preastar contas a ninguem, seria um oba oba, e a biblia dis q nos fins dos tempos apareceriam muito mais ateus, ñ tenho medo da morte pois sei q ela e enevitavel sou estudante da doutrina espirita e sou fã da ciencia, a BIBLIA ainda é um misterio mas ñ podemos negar q ela previu o q esta acontecendo [abraços fraternais a todos religiosos e ateus]

    • rogerio727:

      os freios são as leis humanas. Deus não existe, a prova disso são os cemitérios cheios de mortos e crianças cancerosas que gemem de dor. Deus pra mim é a maior fantasia do ser humano. A Bíblia é tão fantasiosa quanto o Senhor dos Anéis.

    • Marcus Vinicius Häendell:

      O número de evangélicos no brasil praticamente dobrou. Mas a criminalidade não diminui… Então sua afirmação não procede. Lembram do Iraque? Lá se cortava a mão direita de ladrões… Ao cair Saddam Hussein, houveram vários saques em toda parte. Porque? Porque não havia agentes da lei (se esconderam dos exércitos americanos) para garantir o que diz a religião….

    • cesarjbn:

      Estimado JLKEIN

      Entenda por que os seres humanos jamais abandonam suas crenças…

      “A alegria de ver e entender é o mais perfeito dom da natureza.”

      Religião atrofia o cérebro!

      Publicado por César JBN / Energia-Consciente em 28 de janeiro de 2012
      É essa parcela da população que representa a grande maioria ou a regra geral e que cairá nas malhas da reencarnação, pois não conseguem evoluir acima dos 10% de sua capacidade mental; a outra parte, ou seja aqueles outros exceção a regra atingirão a ressurreição, uma vez que seu desenvolvimento mental ultrapassa a faixa dos limitados.

      “Se você é daqueles que não abre mão de suas crenças por nada, fique sabendo que é mais culpa do seu cérebro do que da educação que você recebeu. Um novo estudo descobriu que algumas informações não abandonam nossa cabeça, nem por dinheiro.”

      “Por mais que as pessoas estejam preparadas para adaptar seus pensamentos aos de outras pessoas, existe um conjunto de valores que elas não abandonam jamais. Isso acontece porque aquilo que chamamos de crença – informações geralmente ligadas à religião e identidade – fica armazenado em uma parte separada do cérebro, usada para distinguir o certo e o errado. ”

      “Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores acompanharam imagens do cérebro de voluntários, enquanto estes eram persuadidos a mudarem crenças previamente declaradas.”

      “Assim, puderam notar que quando as pessoas aceitavam, por dinheiro, mudar declarações do tipo “Eu bebo chá”, o mesmo não acontecia quando o assunto era relacionado a ideias políticas e ideológicas, do tipo“sou a favor do casamento gay”.

      PARA PERCEBER DEUS NÃO HÁ NECESSIDADE DE RELIGIÃO!
      Pontos nos ” Is ” – Sumário dos Resumos (redundância):
      DUAS ILUSÕES OPOSTAS ( RELIGIOSO e/ou ESPÍRITA X ATEU ).
      HÁ UMA TERCEIRA VIA PELA COMPREENSÃO DA ORDEM NATURAL.
      CHEGA-SE A SUBJETIVIDADE DESPERTA E DAÍ A CURA DA AMNÉSIA CÓSMICA (pior doença da humanidade).
      ISSO É O PULO DO GATO, MOMENTO DA FUGA DO ENCANTO E ENGANO DO PENSAMENTO, A FÉ, PELA CERTEZA DA RAZÃO PURA, LIMPA E PERFEITA (não a confundir com a razão relativa que é o pensamento da cultura humana.
      Nada me afeta, nem o pro, menos ainda o contra.
      Até gosto de responder opiniões antagônicas, mas que buscam a verdade assim como você.
      Essa dialética da caça e caçador de si que pertence a todos.
      Não sou ateu, muito menos religioso!
      Tenho sangue nordestino combinado com gaúcho e não posso ser contra o reino dentro de mim (Deus Não Religioso).
      Agora, por oportuno, parece até soberba, coisa que abomino; desde criança já vim com a subjetividade desperta.
      Daí fluir uma Luz absoluta que não é das relativas estrelas do nosso cosmos, porquanto anterior ao nascimento delas, enfim energia de nossa origem primeira e última!
      GRATO A VOCÊ POR ME ATURAR!
      Sds/César.

  • MÁRIO MIRANDA:

    O cientístas donos desta pesquisa, devem estar equivocados quanto a este assunto.
    Na pesquisa relatada, focaram somente no perfil religioso, e esqueceram-se que as pessoas não participam somente de uma vida religiosa, há também, vida profissional, vida familiar, vida financeira.. e dentre muitas outras variáveis pelas quais tais pessoas devem fazer parte..
    Importante conseguir um método mais bem elaborado para pesquisa neste assunto.

  • Andre Luis:

    Religião não atrofia o cérebro, o problema é quando uma pessoa não vai atras do conhecimento, ficando inértil e aceitando tudo. Existem religiosos de pensamento amplo e céticos com ideologias fechadas e vice-versa. Depende de cada pessoa, “deixar ou não” atrofiar o cérebro. Pelo jeito o Hype quer Audiência!!!!!!!!

  • JHR:

    Isto é uma artigo ciêntifico?
    Não conclui nada e não esclarece coisa alguma. Mais parece um provocação inutil e pessoal com propósito exclusivo de atacar algumas pessoas que não compartilham exclusivamente do pensamento reducionista cartesiano.

    • Ravno:

      *pessoas com esse tipo de “perfil”

    • Campoi:

      Curti seu avatar ! xD

    • Jean Carvalho:

      Não, JHR, leia a notícia inteira…
      “…os pesquisadores alertam que o estudo é bastante limitado, o tamanho da amostra é pequeno, e não elimina outras hipóteses…”

  • André Luiz:

    O que atrofia o cérebro é a intolerância. Intolerância religiosa, ateísta, etc.

    • bengf:

      Sinceramente, não é possível afirmar tal coisa. Intolerância realmente pode ser maléfica quando aplicada em algumas atitudes, porém não sei se há estudos sobre o efeito dela no sistema nervoso, pelo menos sabemos que a crença religiosa em si atrofia o hipocampo.

    • Jonatas:

      A intolerância leva a uma ideia fixa focada em um único ponto de vista e coincide com a total desconsideração e ignorância a todos e quaisquer pontos de vista diferentes do seu.
      Por isso acho que sim, ela pode atrofiar o cérebro.

    • Solemar Junior:

      Não acho que a intolerancia fixa a pessoa em uma ideia…
      tudo o que ela faz e repelir a pessoa de um certo ato, elemento ou afins
      tirando a intolerancia é alguem perfeitamente normal com o resto das coisas.
      também não acho que seja cientifico dizer que atrofia o cerebro, mas concerteza faz a pessoa ser odiada.

    • André Luiz:

      Jonatas, você explicou o que eu queria dizer.
      Perfeito seu comentário. Parabéns!

    • Thyago Hills:

      Intolerância seguida de Bigotria (ver “bigotry) pode atrofiar setores da mente como qualquer devoção religiosa ou não, maníaca e incontrolável.

  • bengf:

    Hey, nada de mal, quando descobrimos um novo problema temos a oportunidade de resolvê-lo. É assim que funciona a ciência, quando descobrimos algo mau, podemos aprofundar e resolver, a.k.a. se religião atrofia o hipocampo, que acabem o rituais religiosos, é mais um motivo além dos malefícios geopolíticos.

  • Danilo Moço:

    Conheço pessoas religiosas praticantes que tem um amplo conhecimentos sobre vários assuntos,e aquelas mais fanáticas que não se interessa por outra coisa à não ser pelos seus dogmas,com isso as coisas ficam rígidas e cansativas acho que dá que vem um estresse maior!!!

  • KIRKIN FRANKLIN:

    FÁCIL, eua (black gospel baptist influency) influencia evangelica pentecostal( pensar menos sentir mais) ou tradicional presbiteriana influencia, ainda que se valorize a fe racional, mas o estudo repetitivo da biblia, e a linguagem monotona(um so tom), do pulpito, sou evangelico….., se eu aprendo coisas novas ainda que uma mistura inteligente ou analize imterpretativa de um texto sobre outro comparacoes inteligentes de pontos de vista.:__Só o nome já tem um efeito futuristico ou de entreterimento que parece cativar senso de criatividade.faz com que (o cerebro ao experimentar novos ambientes muda de forma e novos agrupamentos de neuronios dependendo da intenscidade do extimulo) se o homem natural naturalmente tem mais massa no hipocampo por causa de extimulos ………nem precizava abrir o cerebro dos irmãozinhos p descobrir! Alem do mais pra que revidar se este estudo foi feito mãos dos proprioos inimigos de DEUS! CABITCH!!!?…………….

    • bengf:

      Espero não ferir seus sentimentos e ingenuidades, entretanto não há fé racional.
      Raciocínio tem a ver com questionamento, análise, conclusão (lei) e explicação (teoria). A fé é justamente o oposto disso, pois constitui na idéia do “crer porque sim”, uma vez que dispensa qualquer embasamento lógico e sustenta-se apenas no delírio ou idéia de cada um, dispensando em todos os casos (ao menos) os processos de questionamento, já que tenta ser uma “verdade inquestionável” e de explicação, já que ignora a lógica do que observamos sempre que necessário para concretizar a falácia.
      Sem brigas, só que não dá pra falar, por exemplo, que existe “uma comida anti-higiênica higiênica”.

    • Solemar Junior:

      desculpe mas o seu comentario foi mal penssado, existe a religião racional sim, a teologia, os religiosos que pensam no porque de estarem fazendo aquilo, muitos dos cientistas mais importantes eram padres, freis ou ouros lideres religiosos.
      Há pessoas que ralmente não questionam, mas isso são só alguns porcentos, desculpe-me, mas foi ignorancia sua tratar o fanatismo como um todo.

    • Solemar Junior:

      outros* realmente* teclado com problemas, rs.

    • bengf:

      De fato, religião não estraga a razão, porém a fé especificamente é sim concorrente à razão.
      Note que os trabalhos científicos de todo e qualquer indivíduo tiveram um pretexto de descoberta por empirismo e não fé.

    • bengf:

      Discordo, a parte mais básica da ciência vem das hipóteses, que são idéias com fundamento lógico.
      Nunca a ciência recorre ao crer sem explicação para qualquer fundamento, pois, se o fizesse, poderíamos criar leis e teorias sobre o que imaginássemos (deuses, unicórnios, fadas, monstros, magia etc)

    • cesarjbn:

      À ciência palavras como fé, deus, etc, etc…são meras forças de expressão e não sentimentos religiosos.

      O Budismo é uma doutrina sem deus e algumas religiões, semelhantemete, usam o conhecer a si a única forma de integração e interação com o Universo uma vez que somos unidades desse consolidado.

    • bengf:

      Por sinal, o fato do estudo ter sido realizado por pessoas com massa encefálica em uso não torna o mesmo inválido.

  • Brigoviros Toudārterios:

    “Entretanto, os pesquisadores alertam que o estudo é bastante limitado, o tamanho da amostra é pequeno, e não elimina outras hipóteses, como a de que o estresse que tenha levado à experiência religiosa de renascimento, ou que pessoas com hipocampo menor sejam atraídas por certos tipos de vivências religiosas, hipóteses que invertem a causa e efeito neste caso.” Mais algo é necessário para demonstrar a tamanha má fé e sensasionalismo barato da manchete? Desonestidade dete tipo é triste ver aqui…

    • bengf:

      Ainda assim leva a uma conclusão interessante, pois sendo verdade o caso apresentado ou a alternativa, conclui-se que há uma diferença no hipocampo de um grupo específico de pessoas.

    • Jean Carvalho:

      “Má fé” por quê? e onde está o “sensacionalismo barato”??

  • Jonatas:

    Essa é daquelas… vai fervilhar de comentários… 😀

  • Glauco Ramalho:

    Então foi uma pesquisa que não concluiu nada e apresentou novos problemas… q mals…

Deixe seu comentário!