Físico afirma ter descoberto como olhar dentro de um buraco negro

Por , em 26.06.2016

Os buracos negros são o tipo de ciência que é feita de trás para frente.

Normalmente, a ciência funciona a partir da observação de um fenômeno e parte para a construção de um modelo para explicar o fenômeno.

Com os buracos negros acontece foi o contrário – partindo da equação da gravidade e mais tarde da teoria da relatividade, os cientistas descobriram este objeto bizarro, e agora querem encontrar uma forma de observá-lo.

Até pouco tempo atrás, não havia nenhuma observação direta de um buraco negro. Fontes poderosas de raio-X, ou raio gama, e jatos relativísticos de matéria eram evidências indiretas da existência de buracos negros, o que só mudou recentemente com a descoberta das ondas gravitacionais.

Mas o mistério ainda persiste. Um dos problemas dos buracos negros é saber o que tem dentro deles. Como nada escapa de um buraco negro, nem mesmo a luz, não conseguimos “espiar” o que há no interior de um buraco negro.

Agora, um grupo de físicos da Universidade John Hopkins e da Universidade Towson, liderados pelo físico Kielan Wilcomb, afirma ter descoberto uma maneira de observar o interior de um buraco negro.

A ideia parte do princípio de que você tem certas coordenadas matemáticas que estão relacionadas ao buraco negro. Algumas destas coordenadas mudam drasticamente conforme a referência usada para estabelecê-las, mas outras são invariantes, ou seja, não mudam.

Segundo os cientistas, existem 17 quantidades ou coordenadas que estão relacionadas à curvatura do espaço-tempo que são invariantes, e como algumas estão relacionadas com outras, existem apenas 5 que são realmente independentes, além de invariantes.

Utilizando apenas estas 5 quantidades invariantes, o grupo alega que é possível caracterizar completamente a curvatura do espaço-tempo dentro de um certo tipo de buraco negro.

O trabalho, que foi apresentado no 228° encontro da American Astronomical Society e publicado no site arXiv.org, detalha quais são estas 5 quantidades para que outros físicos experimentem com elas para criar simulações de buracos negros.

Um buraco negro girante causa efeitos no espaço-tempo ao seu redor [J.P. Eekels & J.M. Overduin]


Um buraco negro girante causa efeitos no espaço-tempo ao seu redor [J.P. Eekels & J.M. Overduin]

O próprio grupo chegou a utilizar estas coordenadas para criar uma imagem fantástica. “Nós calculamos e desenhamos todas as curvaturas invariantes independentes de buracos negros carregados e girantes pela primeira vez, revelando um cenário que é muito mais belo e complexo do que pensávamos”, notam os pesquisadores.

Agora é esperar que outros físicos examinem o trabalho e façam suas próprias simulações, para saber se esta teoria é realmente válida. [ScienceAlert, arXiv.org]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (5 votos, média: 4,80 de 5)

1 comentário

  • oGui:

    Curioso com o que resultará das simulações. O que estará de verdade? Me faz pensar.

Deixe seu comentário!