Há 20 mil estrelas nascendo nesta foto

Por , em 25.04.2012

Sua primeira reação só pode ser “que foto maravilhosa!”. E é mesmo. Rende um bom protetor de tela, até para seu smartphone.

Essa bagunça de gás e luzes é a nebulosa Carina, que está a 7.500 anos-luz, formando cerca de 20 mil estrelas. Muitas delas são muito massivas, o que as deixa quentes, azuis e muito, muito luminosas.

Está vendo a estrela mais brilhante à esquerda? É a Eta Carina, uma das mais massivas da galáxia. Para você ter uma ideia de como ela é realmente grande, em 1843 ela causou uma supernova que liberou dois “pedaços” de matéria com quase a mesma massa do sol – mas ela continua ali. E esses pedacinhos estão viajando pelo espaço a 700 quilômetros por segundo.

Mais dados? Ela brilha quatro milhões de vezes mais do que o sol. Imaginem o espetáculo quando ela explodir de vez. Até lá, ela e as outras milhares de estrelas da nebulosa podem ficar na tela do seu computador. [DiscoverMagazine]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 3,00 de 5)

4 comentários

  • renarruda:

    A alguns anos atrás eu li numa revista científica sobre a Eta Carina, dizendo que brilho que viamos hoje seria o luz do passado, pois a mesma ja havia explodido!!3

  • Andre Luis:

    Creio que será um espetáculo quando ocorrer uma supernova ou hypernova. O Universo é um show a parte!

  • Jonatas:

    Eta, com 100 vezes a massa do Sol, é uma provável candidata não à supernova, mas hiper-nova, uma explosão inimaginavelmente intensa, que vai fazer o nosso quintal cósmico “tremer”. O que ela teve foram explosões de ejeção de massa superficial, que formaram uma densa nebulosa-casulo à sua volta, chamada homúnculo. Sem essa nuvem que ofusca a intensidade de seu brilho, no nosso céu noturno a mil vezes mais próxima Sírius teria uma rival de brilho. Esses grupos de aglomerados abertos formam o Complexo de Carina, e ali se aninham milhares de massas solares na forma de estrelas jovens, incluindo as do tipo O, azuis supermassivas e quentes, a categoria máxima no Diagrama de medição de estrelas. Um astrônomo brasileiro se destacou no estudo de Eta Carina, Augusto Damineli, descobridor do que parece tratar-se de um binário, uma companheira estelar da Hipergigante.

  • Emerson Costa:

    Belíssima imagem.

Deixe seu comentário!