Foto: o que encobre o ventre onde se formam estrelas

Por , em 7.02.2012

O que encobre um local de formação de estrelas? No caso da Nebulosa de Órion, poeira. Localizada a 1.600 anos-luz de distância da Terra, Órion é inundada com intrigantes e pitorescos filamentos de poeira. A poeira é opaca para a luz visível e é criada na atmosfera externa de estrelas frias e massivas, sendo expelida por um forte vento externo de partículas.

O Trapézio e outros aglomerados de formação de estrelas estão mergulhados na nebulosa. Os intrigantes filamentos de poeira ao redor da M42 e M43 aparecem em marrom na imagem acima, enquanto o gás brilhante central é destacado em vermelho.

Ao longo dos próximos milhões de anos, boa parte da poeira de Órion será lentamente destruída por estrelas que estão sendo formadas, ou será dispersa no interior da galáxia. [NASA]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

13 comentários

  • Reis Gonzaga:

    bela explanação; gostei.

  • Flor de Lis:

    Ventre divino!

  • Milton Diogo:

    Essa poeira que engloba a estrela absorve a radiação produzida, tornando-a invisível no óptico. Todavia, a poeira se aquece ao absorver a radiação e a reemite em comprimento de onda do infravermelho próximo.

    Após a poeira ser dissipada, a estrela já percorreu de 10 a 15% de sua vida, o que acaba deixando uma lacuna sobre a formação das estrelas (sobretudo as de alta massa).

    Esse é um dos obstáculos no estudo de formação estelar.

  • Jr:

    Ok Jonatas, obrigado pelos esclarecimentos!

  • Jr:

    Jonatas, obrigado pela resposta. Começo a compreender o que você quer dizer, mas permita mais um pedido de esclarecimento, e isso pq sou leigo no assunto, apesar de apaixonado pelo mesmo: entendo que luz é formada por fótons, sendo assim ( se for o caso ) fótons têm massa? E se têm, quanto isso representa na massa da galáxia ( ou universo conhecido ) ? Haveria relação entre essa possível massa fotônica e a famosa matéria escura? Agradeço pela paciência.

    • Jonatas:

      Fóton é uma partícula elementar (quantum) responsável por todos os fenômenos eletromagnéticos, e sua massa é paradoxal, e nula. Como partícula elementar, o fóton se comporta tanto como partícula quanto onda.
      Dado que o fóton tem energia e energia é equivalente a massa, o fóton tem massa.
      Essa questão sempre aparece quando se menciona que o fóton não possui massa, mas possui energia e a famosa equação

      E = mc²

      (certamente a equação mais popular de toda a física) informa a relação entre energia e massa.
      A boa e velha definição de MASSA, a “massa relativística”, atribui para as partículas uma massa proporcional à sua energia TOTAL, dando a cada objeto uma massa que depende de sua velocidade:

      m = E / c².

      Conclusão. Fóton não tem massa no sentido que conhecemos, mas passa a ter massa no sentido relativista, equivalente a sua energia, quando interage com a matéria.

      Fonte: Wiki/foton, em inglês.

    • Jonatas:

      Com a massa escura não há relação, já que o próprio fóton é a essência da massa luminosa. Mas o alter ego supersimétrico do Fóton, o pouco famoso Fotino, pode ser o principal astro da matéria escura.
      A Supersimetria é uma teoria matemática em busca de uma prova, que seria encontrar uma WIMP (partícula elementar de pouca interação com a matéria comum). Como o nome sugere, na supersimetria toda partícula elementar possui um reflexo quântico, uma partícula equivalente e simétrica, mas que não interage com a matéria que conhecemos, porque é só um reflexo da partícula que interage.
      Como os fótons são produzidos pelo Universo desde os seus primórdios, em tudo que é reação, e para cada fóton existe um Fotino supersimétrico que não vemos, ele pode sim ser um dos principais protagonistas da matéria escura.

  • Jonatas:

    Talvez a massa luminosa das galáxias seja bem maior do que o presumido nos cálculos que apontam para a Matéria Escura, dada tanta massa nebular opaca obscurecendo luzes de sóis distantes. Para se ter uma ideia, se não fosse a massa de nebulosas que ocultam nossa visão do centro da Via Láctea, o veríamos radiante no hemisfério sul.
    Já me perguntaram se o víssemos, poderia ser a olho nu. A resposta que encontrei é surpreendente: Não só o veríamos, mas ele seria tão ou mais brilhante do que a Lua Cheia. E se Eta Carinae não fosse obscurecida por sua própria nebulosa, ela brilharia mais que Sírius em nosso céu.

    • Jr:

      Jonatas, desculpe mas não entendi: “massa luminosa”… ??? Poderia me explicar, por favor?

    • Jonatas:

      Sim. O termo é generalizante e se refere a tudo que podemos ver e estudar no Universo através de sua luz, seja ela emitida ou refletida, pode ser planeta, estrela, cometa, nebulosa de emissão, nebulosa de reflexão, enxames estelares, galáxias. Mas o termo ainda engloba astros escuros que podemos “ver” não diretamente, mas por seus efeitos na matéria que vemos, como os buracos negros, por exemplo. A massa escura se refere ao que é realmente opaco, substâncias desconhecidas que não emitem nem refletem luz, porque pouco interage com a matéria comum. Em torna dela é que está um dos maiores mistérios da física moderna.

    • Jonatas:

      Detalhe, cometo um e.r.r.o ao dizer ver, me referindo apenas a luz visível. O termo também engloba aquilo que observamos no espectro do infravermelho, raios X, raios Gama, e outras formas de detecção conhecidas.

  • André Luis:

    Eu adoro a Nebulosa de Órion!!! É uma bela imagem! Devem existir muitos mistérios que nem imaginamos em torno desta nebulosa!

    • Jonatas:

      Sim, até onde sei já acharam várias Anãs Marrons, entre esses achados calcula-se haver muitos planetas errantes também, aqueles que vagam pela galáxia sem Sol. A formação é acúmulo de rochas e gases, mas como gases são substanciais nas Nebulosas Difusas de Emissão como Órion, esses errantes devem ser todos planetas do tipo jupiteriano.

Deixe seu comentário!