Foto: Phobos, a lua condenada de Marte

Por , em 21.11.2012

Marte é um planeta muito popular. Ele faz as manchetes tantas vezes, que nós até nos esquecemos de outros elementos interessantes, como sua lua Phobos, por exemplo.

O planeta vermelho leva o nome do deus romano da guerra, e suas duas pequenas luas, Phobos e Deimos, têm nomes derivados do grego que significam “medo” e “pânico”, respectivamente. Um belo conjunto assustador.

Segundo estudos, as luas marcianas podem ser na verdade asteroides capturados pela atração do planeta, originários do cinturão de asteroides que fica entre Marte e Júpiter, ou talvez originários de locais ainda mais distantes do sistema solar.

Observações anteriores de Phobos em comprimentos de onda visível e em infravermelho sugeriram a possível presença de condritos carbonados. Os cientistas pensam que esse material rico em carbono, rochoso, que sobrou da formação do sistema solar, é o que origina os asteroides do chamado “cinturão principal” entre Marte e Júpiter.

Porém, outras teorias também levantam a possibilidade de que Phobos seja na verdade feita de pedras que partiram da
superfície marciana
durante um evento catastrófico. O material teria decolado da superfície de Marte por causa de uma colisão com uma rocha espacial, e se aglutinado para formar a lua.

Phobos, como se pode ver na foto acima, de fato se parece mais com um asteroide, tendo uma forma bastante irregular e aparência cheia de crateras.

Sua aparência ou origem, no entanto, não são os únicos, nem os principais, problemas de Phobos.

A lua orbita tão perto de Marte – cerca de 5.800 quilômetros acima da superfície do planeta, em comparação com 400.000
quilômetros entre nosso planeta e nossa lua – que as forças gravitacionais do planeta vermelho a arrastam para baixo.

Em 100 milhões de anos, Phobos provavelmente será terrivelmente abalada pelo estresse causado pelas forças gravitacionais implacáveis de Marte, e seus restos em decomposição formaram um anel ao redor do planeta.

A imagem do artigo foi feita pela sonda Mars Reconnaissance Orbiter, em uma resolução de cerca de sete metros por pixel.[NASA]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

5 comentários

  • Philip Andrew:

    E nem sabia que marte tinha luas .. :O

  • Elizeu Moreschi:

    “Em 100 milhões de anos, Phobos provavelmente será terrivelmente abalada pelo estresse causado pelas forças gravitacionais implacáveis de Marte, e seus restos em decomposição formaram um anel ao redor do planeta.”

    Eu presumo que há um erro no tempo do verbo “formar” desse parágrafo.
    Formaram ou formarão?

  • Andre Luis:

    Esta Lua de Marte parece muito mesmo com um asteróide!

  • Ricardo Carvalho:

    “e seus restos em decomposição formaram um anel ao redor do planeta” ou “e seus restos em decomposição formarão um anel ao redor do planeta”

  • Guilherme Euripedes:

    […]”e seus restos em decomposição formaram um anel ao redor do planeta.”

    – Formarão*****
    _________________________

    Entrei no topico esperando descobrir que ele se colidiria com Marte… Já estava imaginando um belo cenário pra mais uma de minhas histórias.

Deixe seu comentário!