Homens velhos gostam de confidentes para tratar de assuntos sexuais

Por , em 7.05.2010

Quando o assunto é sexo, é comum a ideia de que a mulher busca conforto em confidenciar suas angústias com alguém, mas o homem prefere guardar os problemas para si. Porém um estudo da Universidade do Oregon (EUA) está descobrindo justamente o contrário. A partir de uma consulta a 861 pessoas de 57 a 85 anos, a surpresa foi concluir que os homens idosos preferem dividir suas dificuldades sexuais em conversas com amigos próximos, mas as mulheres não o fazem.

A situação é complexa pelo seguinte motivo: os homens, principalmente, são levados a procurar os doutores, em primeiro lugar, para solucionar algo relacionado a sexo. Até as campanhas publicitárias de “fale com o seu médico, nós podemos ajudar”, aconselham o homem a procurar uma consulta. E o resultado mostrou que o médico, às vezes, não faz o homem se sentir melhor quanto ao sexo, embora possa ajudar a resolver o problema com medicamentos.

E não estamos falando apenas de dificuldades de ereção, no caso masculino: há problemas recorrentes como dor física no ato sexual, incapacidade de chegar ao clímax, problemas de lubrificação, e até falta de interesse no sexo a partir de certa idade. Este último, aliás, é um dos maiores tabus. Não depende de remédios, e sim do bem-estar psicológico do homem. E esse bem-estar, como se viu, é conseguido nas amizades, e não no consultório.

Infelizmente, as mulheres não acham o mesmo conforto em conversas francas sobre o assunto. A pesquisa descobriu que o fato de dividir intimidades com amigas próximas não diminui a angústia delas quando há problemas. Um dos pesquisadores identifica isso como uma prova da complexidade do sexo feminino: “Uma mulher, em geral, não se sente bem em conversar abertamente com o cônjuge sobre esses problemas, prefere dissimulá-los. Isso gera insegurança para conversar com amigas”.

A pesquisa aponta duas dicas para ajudar os casais. A primeira é que as linhas de comunicação sejam tão abertas quanto possível, porque o diálogo promove segurança para falar dos assuntos e confiança no parceiro.

A outra regra para o sexo, como explica um pesquisador, é “use-o ou perca-o”. A forma mais eficaz, para se chegar a uma idade avançada com saúde sexual, é se manter sexualmente ativo ao longo da vida. [Science Daily]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

3 comentários

  • darlesson:

    bobeira

  • marie maier:

    concordo com o Ademilson. mas exerciciosao muito importante, pro equilibrio e pra estrutura muscular e necessario se exercitar.
    e claro que o casal com o tempo perde interesse em falar de certas coisas, e as primeiras e a respeito de sexo. um casal frustrado e um casamento acabado. fazer sexo tambem tem que ser com a pessoa que voce
    ama, e o casamento com o tempo se torna rotina e sem graca, entao o desanimo comeca. a atracao acaba, e vem outras na parada,rs. ai, o homem so se da conta de tudo que perdeu qnd fica com idade mais avancada e ai e tarde demais pra voltar atras.

  • Edemilson Lima:

    “Use-o ou perca-o”… Muita gente gasta tempo e dinheiro se matando nas academias para sustentarem suas vaidades, mas esquecem (ou não sabem) que o corpo possui mais duas partes fundamentais que precisam ser exercitadas: a mente e o aparelho reprodutor. A mente tem que ser exercitada com boa leitura, com desafios e novidades, para que a pessoa não chegue à velhice completamente caduca. Quanto ao aparelho reprodutor, não se trata de reproduzir, mas de colocar a máquina para funcionar todos os dias, pois o que não é usado é descartado. Se uma das funções principais da vida é reproduzir-se, então um corpo que não tem mais a função sexual em atividade tenderá logicamente a se decompor mais rápidamente. Manter o seu brinquedinho funcionando não é apenas prazeroso, mas é também uma fonte de juventude!

Deixe seu comentário!