Modismo em limpeza vaginal é desnecessário e prejudicial

Por , em 18.12.2017

Existem uma variedade de produtos de higiene feminina que dizem eliminar odor vaginal e secreção, que vão de desodorantes íntimos a calcinhas perfumadas, promovendo a visão de que as vaginas devem ser totalmente livres de qualquer descarga e não ter nenhum cheiro, a não ser o de pétalas de rosa ou de baunilha.

Como resultado, muitas mulheres entendem que a secreção vaginal não é natural, e sim indesejável, ao invés de ser fisiológica e normal.

Agora, tem aparecido ainda outro produto bizarro destinado a “limpar a vagina” no mercado: o banho de vapor vaginal.

Os especialistas estão cansados. As dras. Ellie Freedman, diretora médica de uma clínica feminina no Royal North Shore Hospital, em Sydney (Austrália), e Deborah Bateson, professora de obstetrícia, ginecologia e neonatologia na Universidade de Sydney (Austrália), dão o recado: a limpeza da vagina não é necessária, muito menos recomendada.

Por que não devemos “limpar a vagina”

A vagina se limpa sozinha. Secreções vaginais não somente são completamente normais, como desempenham um papel importante na manutenção do órgão sexual feminino.

Desde a puberdade, quando o estrogênio entra em ação, a vagina é colonizada com bactérias saudáveis do grupo Lactobacillus que produzem ácido lático. Este ecossistema vaginal finamente equilibrado se chama “microbioma vaginal”, e a acidez resultante proporciona proteção contra infecções sexualmente transmissíveis.

A descarga vaginal saudável é composta de líquido das paredes vaginais, muco do colo do útero, bem como lactobacilos. Como o ambiente vaginal é influenciado hormonalmente, é esperada uma variação na quantidade de secreção ao longo do mês.

Além de proteger a vagina, essa secreção proporciona lubrificação natural de um a quatro mililitros de fluido produzido a cada 24 horas.

Lá dentro…

A secreção vaginal saudável tem um cheiro característico – e em algumas mulheres pode se tornar mais forte por causa do grande número de glândulas sudoríparas na área púbica.

Assim, enquanto a lavagem dentro da vagina não é recomendada, é importante manter a pele externa limpa.

Porém, qualquer coisa colocada dentro do órgão pode potencialmente perturbar o ambiente vaginal e sua flora equilibrada, incluindo absorventes internos, pênis, preservativos, sêmen, dedos e brinquedos sexuais.

A interrupção nestes casos é quase sempre temporária e a vagina se restaura rapidamente. Mas pode não ser o caso com produtos de limpeza vaginal de uso repetido.

Banho de vapor vaginal: fuja dessa!

Esses produtos de limpeza vaginal geralmente contêm coisas como água, vinagre, antissépticos e fragrâncias que podem reduzir os lactobacilos e o efeito protetor da secreção.

A última moda – o banho de vapor vaginal – é pior ainda: enquanto a propaganda diz que limpa até seu útero e equilibra os níveis hormonais femininos, ele na verdade não ajuda em nada e pode inclusive te prejudicar.

Além do risco de queimadura, o vapor terá um efeito de secagem na vagina, provavelmente perturbando o microbioma vaginal e reduzindo a barreira natural do corpo contra infecções.

E, enquanto nenhum vapor pode realmente atingir o útero, certamente não haveria nenhum efeito desse tratamento pseudocientífico nos níveis hormonais femininos.

Quando é realmente preciso cuidar da vagina?

Falamos aqui que a secreção vaginal é normal. Contudo, se você tiver uma alteração significativa no volume, cor ou odor dessa secreção, deve procurar um médico.

Uma alteração na secreção vaginal pode ser um sinal de infecção, embora as doenças mais bacterianas, incluindo a clamídia e a gonorreia, geralmente não causem grandes alterações em corrimento.

Causas mais comuns são candidíase ou vaginose bacteriana, que ocorrem quando a flora vaginal se torna colonizada com levedura ou outras bactérias vaginais. Nestes casos, a vagina é incapaz de retornar ao seu estado normal e se torna mais alcalina.

Os lactobacilos são reduzidos e substituídos por outras bactérias vaginais que podem ser associadas a uma maior liberação esverdeada e a um odor desagradável.

Conclusão: deixe sua vagina ser quem ela é!

Como médicas que trabalham com saúde sexual, Ellie e Deborah são ansiosas para ajudar as mulheres a descobrir o que é normal e o que não é.

É crucial rejeitar práticas que se mostram como tratamentos clínicos, mas que não têm nenhum fundo científico. Na verdade, são baseadas em preconceitos bobos.

A secreção vaginal é saudável e desempenha um papel importante na defesa contra infecções. Tentar eliminá-la não faz sentido e é prejudicial. [ScienceAlert]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (19 votos, média: 4,74 de 5)

Deixe seu comentário!