Mulheres que sofreram violência e abuso têm mais chances de desenvolver problemas mentais

Por , em 3.08.2011

Segundo um novo estudo, as mulheres são drasticamente mais propensas a desenvolver distúrbios mentais em algum momento de suas vidas se tiverem sido vítimas de estupro, agressão sexual, perseguição, ou violência doméstica.

A conexão entre experiências angustiantes e saúde mental não é tão surpreendente, mas as descobertas destacam o quão fortemente os dois problemas estão interligados.

Ou seja, é importante que médicos e outros profissionais de saúde perguntem às mulheres sobre episódios passados de violência, mesmo que estes aconteceram anos atrás. Segundo os cientistas, quando os profissionais tratarem mulheres com depressão ou problemas de saúde mental, é melhor se ligar no fato de que a violência pode estar por trás disso.

Os pesquisadores analisaram dados de saúde de uma amostra nacionalmente representativa de mulheres australianas entre as idades de 16 e 85 anos. Episódios de agressão sexual, assédio, e outros tipos de “violência de gênero” eram muito comuns, com 27% do grupo relatando pelo menos um episódio de abuso.

57% das mulheres com um histórico de abuso também tinham um histórico de depressão, transtorno bipolar, estresse pós-traumático, abuso de substâncias, ou ansiedade (incluindo transtorno do pânico e transtorno obsessivo-compulsivo), contra 28% das mulheres que não tinham experimentado violência de gênero.

Entre as mulheres que haviam sido expostas a pelo menos três diferentes tipos de violência, a taxa de transtornos mentais ou abuso de substâncias subiu para 89%. Segundo os pesquisadores, a extensão e a força dessa associação é muito preocupante.

Os cientistas não podem dizer com certeza se os problemas de saúde mental foram provocados pela violência, ou se as mulheres com problemas de saúde mental pré-existentes eram mais propensas a sofrer violência.

No entanto, eles controlaram a pesquisa para uma série de potenciais fatores de mitigação, incluindo status socioeconômico e histórico familiar de problemas psiquiátricos. Há amplas evidências de que os eventos traumáticos – especialmente interpessoais, como abuso doméstico – podem desencadear problemas mentais.

Além disso, episódios de violência de gênero geralmente ocorrem muito cedo na vida, enquanto transtornos mentais muitas vezes não aparecem até anos mais tarde.

As descobertas indicam que a violência contra as mulheres é uma preocupação de saúde pública, e ressalta o impacto sobre a sociedade, que deve fazer mais do que apenas tratar as consequências imediatas, como atendimento a uma lesão violenta.

Os pesquisadores sugerem que especialistas em saúde mental e prestadores de serviços de saúde devam desenvolver uma abordagem unificada para detectar e tratar problemas de saúde mental mais efetivamente em mulheres que sofreram violência.

Os EUA já tomaram um passo promissor nesta direção. Na segunda-feira, o Departamento de Saúde e Serviços Humanos do país divulgou novas diretrizes para os cuidados preventivos de mulheres que, entre outras coisas, exigem planos de saúde sem custo para se tratar de violência doméstica, com início em agosto de 2012.[CNN]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

9 comentários

  • Krypthus:

    Vai ve que e por isso que as feministas e tudo doida!!!
    Feminista doida pensa assim: ” tenho que lutar pelo direito ao aborto(assasinato), pra quando eu for estuprada, nao ter um filho indesejado”
    Se vai condena alguem a morte, nao e bem melhor condenar o estuprador a morte, ao invez do bebe inocente? Se o estuprador morre, nao tem proxima vitima, e desencoraja qualquer 1 que pense em estuprar, seria a soluçao pro fim do estupro, mas como as feminista usa o estupro como propaganda marxista, elas nao querem o fim do estupro, senao que desculpa usariam pra ter direito ao aborto? E pra que elas querem o aborto? Pra abortar fetos masculinos, pq fariam isso? Pq as lideres sao lesbicas e sem homens seria uma maravilha pra elas!
    Isso nao e minha teoria da conspiraçao, isso e a ideologia doida das feministas, que na verdade sao comunista marxista.

    http://mulherescontraofeminismo.wordpress.com/

  • Giovanna Gonçalves:

    Se eu entendi bem,mulheres podem ser BIPOLARES?

    E a moça do depoimento,eu sinto muito.Nenhum SER HUMANO homem ou mulher devia passar por isso…!
    Quero ser psicologa para estar em posição de ajudar e se Deus me permitir até EVITAR esse tipo de MONSTRUOSIDADE!!!

  • luanaa76:

    Fui violentada aos 6 anos e com 14 aos 6 pelo meu pai aos 14 na saida da escola. nem por isso eu estava com roupa vulgar
    minha mae nao deixava ter amigas nem no portao poderia ir e ainda era espancada por ela… portanto estupro nao tem nada a ver com roupa e sim com a mente desses doentes .hj faço tratamento devido esses fatores. estou tentando levar uma vida normal é muito complicado nao por mim mais pelas pessoas que me apontam como doente

  • kleidiany:

    O problema não está na roupa de quem veste, mas nos olhos de quem olha.

  • Mario:

    problema mental? depende da mulher, agora tem a marcha das vadias, elas querem andar nuas sem serem atacadas(só não passem na minha rua)

    • Lolalola:

      Melhor você ir pros Emirados Árabes, lá você vai se sentir em casa…
      Se não fosse um criminoso, ver uma mulher nua não tornaria lógico estuprá-la…
      Não é a toa que antes, quando todos eram mais idiotas, as mulheres foram tão maltratadas, quanto mais pervertida sua mente, mais as mulheres são culpadas por suas características naturais, como se essas fossem erradas.
      Se você tem atração sexual por baixinhas, a culpa é das baixinhas, entende? vai fazer terapia!

      NADA te dá o direito de ser abusivo, com quem quer que seja. Se você não “agüenta” ver uma mulher semi nua e com atitudes sexuais, se isso te leva a pensar em estupro, então o único problema aqui é você!

    • luanaa76:

      vc falou td …gostei tb deixei meu depoimento
      depois leia luana

  • Anónimo:

    A mulher têm que saber escolher bem o parceiro e não logo namorar ou casar assim derepente. Primeiro Visualizar, Testar e Concluir e depois aceita ou não.

  • Anderson Xavier:

    http://www.insca.com.br e http://www.psicologiaaplicada.com.br

    Realmente as chances aumentam. Percebemos isso na prática clínica. Parabéns pela matéria!

Deixe seu comentário!