No futuro, todos parecerão brasileiros, diz cientista

Por , em 26.09.2012

Como será o ser humano do futuro? Esta pergunta já suscitou muitas respostas bizarras, como a de que o ser humano do ano 2000 seria mais baixo, teria pernas curtas, cabeça maior, olhos maiores, e um aspecto bizarro. Partindo de pesquisas recentes sobre o comportamento humano, veja uma previsão mais moderna sobre o assunto.

Pessoas azuis

No período curto de seis gerações de endogamia, uma população isolada nas montanhas do Kentucky, em Troublesome Creek (EUA), acabou por desenvolver uma pele azulada.

Todos os descendentes de um imigrante francês de nome Martin Fugate sofrem de uma doença sanguínea rara chamada metemoglobinemia, causada por um gene recessivo, que faz com que o sangue seja marrom, em vez de vermelho, o que faz com que a pele tenha um aspecto azulado.

Os geneticistas, tentando descobrir de onde veio o gene recessivo, montaram a árvore genealógica dos Fugate, que revelava uma história de casamentos entre primos, e entre tios/tias e sobrinhas/os. Dennis Stacy, cujo tataratataravô dos dois lados era a mesma pessoa, Henley Fugate, apresentou uma explicação simples para o fenômeno: os moradores da região casavam entre si porque não haviam estradas para eles saírem de lá.

A desculpa parece sórdida na pior das hipóteses, ou coisa de preguiçoso na melhor das hipóteses, mas a história dos Fugate é uma miniatura do que aconteceu com a humanidade: o isolamento das populações causou um compartilhamento de genes, resultando em grupos locais que acabaram dando origem a raças ou grupos étnicos.

Entra a bicicleta

Esta história começou a mudar com a invenção da bicicleta. Antes da mesma, a distância média entre os locais de nascimento de marido e mulher, na Inglagerra, era 1,6 quilômetros. A invenção da bicicleta permitiu que os homens buscassem esposas mais longe, e a distância passou a ser de 48 quilômetros, em média. E este fenômeno não ficou restrito à Inglaterra: outros países europeus apresentaram padrões semelhantes.

A bicicleta levou à pavimentação de estradas e preparou o caminho para a chegada do automóvel. A distância entre o local de nascimento de marido e mulher foi aumentando a ponto de hoje em dia facilmente se encontrar casais que nasceram ou têm ascendentes em continentes diferentes.

Olhos azuis

Um estudo de 2002 feito pelos epidemiologistas Mark Grant e Diane Lauderdale descobriu que só um em cada seis americanos brancos não hipânicos tem olhos azuis, um número que era de mais da metade da população branca não mais de 100 anos atrás.

A única explicação encontrada para isso, segundo Lauderdale, foi de que a tendência de casar com membros do mesmo grupo ancestral mudou, uma hipótese comprovada pelos dados do censo de 1980, com o aumento de pessoas que apontam terem mais de um grupo ancestral.

Com essa “mistura”, será que as características recessivas vão sumir? Ou seja, as dominantes podem dominar totalmente e acabar, por exemplo, com o olho azul? Não, segundo Lauderdale. Elas vão estabilizar a um nível que reflete a chance de casamento entre dois indivíduos possuindo genes recessivos. Outras características que são controladas por vários genes atuando juntos tenderão a um valor médio, com os valores extremos se tornando cada vez mais raros.

Este efeito vai ser visível nos EUA em todas as características recessivas de descendentes europeus, como cabelo ruivo ou loiro, e sardas, por causa da mistura com povos asiáticos, africanos e latinos. Outras características genéticas que tendem a diminuir incluem a anemia falciforme e a fibrose cística.

No futuro, todos serão morenos-jambo

Não dá para prever como esta mistura genética irá afetar a aparência física das pessoas, mas acredita-se que o norte-americano do futuro terá a pele e o cabelo um pouco mais escuros que atualmente, diminuindo cada vez mais o número de pessoas com pele e cabelo bem escuros ou bem claros.

Esta mistura genética também está acontecendo em diferentes graus em outras partes do mundo. Entretanto, em alguns lugares, onde os traços nativos ainda conferem vantagens no ambiente, ou onde a imigração é mais lenta, as mudanças acontecem de forma mais difícil.

A homogeneização total das características humanas provavelmente nunca acontecerá, embora a população humana se torne cada vez mais misturada.

Segundo os pesquisadores, uma população que serve de exemplo de mistura a longo prazo é a brasileira. Nosso povo mistura características de africanos, americanos nativos e europeus. Em alguns séculos, os americanos vão se parecer com os brasileiros. Ainda mais longe, todo o mundo deverá “ser brasileiro”. [Life’s Little Mysteries]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

26 comentários

  • Wilon Araujo:

    então o mundo no futuro vai ser uma merda, todo mundo parecido com os brasileiros f…. tudo.

  • Rosa Pereira:

    Que assim seja…Amen

  • Toni Rocha:

    Todos serão como os brasileiros? Então o mundo estará ferrado…

  • P.Rhodan:

    Alguns tópicos para raciocinar:
    1. Toda raça humana (toda = japonez, chinez, negro, louro de olhos azuis (tadinho de Hitler),etc.) origina-se da Africa. Vejam Wikipédia;
    2. No livro (ou tratado) “On the Origin of Species by Means of Natural Selection, or the Preservation of Favoured Races in the Struggle for Life (Sobre a Origem das Espécies por Meio da Selecção Natural ou a Preservação de Raças Favorecidas na Luta pela Vida)”, o naturalista britânico Charles Darwin, apresentou a Teoria da Evolução, através da qual concluímos que o melhor de cada ser evolului e sobrevive (a mulher brasileira está entre as mais bonitas do mundo, mesmo o resultado do último concurso de miss universo tendo sido um roubo – a taça era nossa. O povo brasileiro é lindo e fico feliz em saber que faço parte do futuro da raça humana ( se bem que dentro em breve cada um poderá escolher no “menu” as qualidades de seu filho);
    3. Comportamento e organização é 99% função de educação recebida e, em educação e IDH, a administração brasileira, em nome da perpetuação individual, é nota zero;
    4. Última sugestão: amem-se, sejam felizes e torçam para que seus próximos sejam felizes independente de ser raça (única) humana ou não.

  • Victor Souza:

    Primeiro, o povo brasileiro é normal, e o que você chama de horrível provem de um conceito de beleza pessoal seu, aliado a pobreza que assola o Brasil. Nada tem haver com a beleza intrínseca do povo. Gostaria que você definisse o que é beleza.
    Segundo, nosso povo é sim criativo e muito. Mas não se investe nada em desenvolvimento e pesquisa, logo essa criatividade não serve para gerar desenvolvimento. E… Raça híbrida mutante? Não existe uma raça brasileira. Muito menos híbrida mutante. Somos uma grande salada de etnias humanas.
    Terceiro ponto não está de todo errado. O povo brasileiro não é um povo educado mesmo. Mas somos bastante simpáticos quando comparados a muitos povos. Já viu como tratam turistas em muitos lugares da Europa? E pacíficos não somos mesmo. Somos sub-imperialistas.
    Por fim, você está confundindo as coisas. Se criássemos um brasileiro em qualquer país desenvolvido ele se sairia muito melhor que no Brasil. E não por questões raciais, não existe mais raça em seres humanos. O brasileiro perde pela questão mais óbvia: Temos um dos piores sistemas educacionais do mundo. Compare a educação nesses países que se saem tão bem e você verá que desenvolvimento anda de mãos dadas com educação e investimento e não com conceitos pré-históricos de raça.

  • Miss Astor:

    Esta foi a pior notícia que recebi em toda a minha vida. O futuro do mundo é ser um Brasil 2.0. Nosssaaa! Imagina quanta gente “linda” e “talentosa” o mundo terá!!

    Sem mais, dá até desânimo comentar muito.

    • jab:

      Fica tranquila , ASTOR . Este processo levará centenas , talvez milhares de anos .Voce não viverá até lá. E o mundo estará livre de gente como você. Sem ofensa .

  • Glauco Ramalho:

    Libera meus comentários censor!

  • ley day:

    e os japoneses…

  • Oseias Ferreira:

    “resultando em grupos locais que acabaram dando origem a raças ou grupos étnicos”.
    O homem é uma espécie monotipica. Não há diferença genética suficiente para caraterizar diferenças de raças.
    Ou seja, existe apenas a raça humana.

    • Miss Astor:

      Se somos uma raça, a que espécie pertencemos??/

      Quem disse que não existem diferenças suficientes?? Tudo depende dos parâmetros estabelecidos. Já ouviu falar em Luigi Cavalli Sforza???

    • Oseias Ferreira:

      Espécie humana, obvio. Raça é o mesmo que subespécie
      Darwin já dizia. Pesquisas recentes com amostras de DNA só comprovam isto.
      Aparências não definem uma raça. Numa mesma ninhada de gatos podem sair vários indivíduos com aparências diferentes, descendentes da mesma mãe e mesmo pai.
      Para quem nunca leu nada sobre o assunto, pode começar pela wikipedia mesmo. http://pt.wikipedia.org/wiki/Ra%C3%A7a

    • Miss Astor:

      Passei um link errado sobre Darwin:

      http://www.mediamonitors.net/harunyahya44.html

    • Caio Fernando:

      Ainda que provar com wikipédia. Tsc tsc tsc.

    • Oseias Ferreira:

      Tirar minhas conclusões, utilizando somente do senso comum, como você faz?
      O que você define como aparência? Cor da pele? Cor da pele é uma herança multifatorial poligênica. Análises de DNA de indivíduos de pele negra pode ter mais ascendência européia que em indivíduos de pelo “branca”.
      Portanto estas suas “próprias” conclusões, sem auxílio de especialista, não aguenta um apertãozinho da razão.
      PS: Não sei porque estou perdendo tempo com isto. Pessoas geralmente têm suas convicções inabaláveis, baseadas em suas crenças e preconceitos. É deplorável que em pleno século XXI existam pessoas defendendo a superioridade de “raças” humanas.

    • Miss Astor:

      Em que parte ele defendeu a superioridade de alguma raça???

      É mesmo, as pessoas tem convicções baseadas em crenças e preconceitos…

    • Danilo Moço:

      Astolfo,raça na espécie humana é um conceito social, não é conceito científico,até hoje não encontraram um isolamento genético entre as populações.O PROJETO GENOMA indica que o conceito de raça não deve ser considerado pois não exitem genes de raciais na espécie hunana.Na v.e.r.d.a.d.e ,o branco,o índio,o negro,o asiático, somos todos da mesma espécie(homo sapien sapien) porém possuímos características (fenótipo)diferentes de acordo com cada localidade do planeta,mas iso não indica raça.Subespécies humanas(raças) já existiu a muito tempo,o homo erctus,o homo habilis,o Homo neanderthalensis.

    • Miss Astor:

      Quem define se é conceito social ou científico é o próprio ser humano, queridinho, não uma entidade divina, portanto estes que dizem não existir são tão passíveis de erro quanto aqueles, que segundo vossa senhoria, declaram que existe.

      Suponho que não existam raças de cachorros,afinal, um poodle e um pittbull são ambos da mesma espécie, só diferem em algumas características… não é??

    • Danilo Moço:

      O caso das subespécies(raça) poodle e pitibull:sim são da mesma espécies porém há uma diferenciação genética nesse grupo da mesma éspécie,que não estão isolados reprodutivamente.Mas que nas espécie a qual nós pertencemos não tem diferenciação genética!!!

  • pedro:

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Que merda heim, no fim das contas todo mundo igual os brasileiros, kkkkkkkkkkk.
    Sério, sério, só não podem ficar ignorantes e acomodados igual nosso povo, infelizmente, é.

  • HFC:

    Essa notícia é péssima … Para os argentinos!!!!

  • digiomni:

    Eu sou descendente de Alemães com descendentes de Portugueses e Índios no fim pareço um Italiano com cabelo mais loirinho kkkk só acho que é complicado afirmar isso de que tudo vai se misturar tanto afinal como ja mostraram em varias matérias aqui boa parte das pessoas acha mais atraente pessoas fisicamente parecidas consigo mesmo mas olhos azuis vão ser bem mais raros do que já é hoje em compensação verdes se tornaram mais comuns eu por exemplo tenho os pais com olhos escuros, meu pai com um preto e minha mãe castanho escuro e ja nasci com olhos bem mais claros puxando muitos dias para o verde mesmo ninguém da família tendo olhos verdes se tivesse filhos com alguém de olhos claros então garanto que teria filhos de olhos verdes ou azuis lembrando também que a cor da pele e dos olhos são assim por conta da região que essas pessoas moram se negros africanos fossem morar em países no circulo ártico provavelmente em 3 ou 4 gerações teríamos morenos de olhos castalhos e em umas 10 gerações brancos

  • Danilo Moço:

    As pessoas falam muito em raça,raça na espécie humana é um conceito social, não é conceito científico.O PROJETO GENOMA indica que o conceito de raça não deve ser considerado pois não exitem genes de raciais na espécie hunana.Na verdade ,o branco,o índio,o negro,o asiático,todos somos todos da mesma espécie porém possuímos características (fenótipo)diferentes de acordo com cada localidade do planeta!!!

    • Miss Astor:

      As pessoas falam muito em raça?? Em que lugar você vive?? Porque eu e outros milhões de seres humanos não vemos ninguém hoje em dia falando em raças!!

      Quem disse que não existem genes exclusivos?? Só porque vc quer!!
      Tem gente que lê a Veja e a Superinteressante e acha que é erudito…

  • Glauco Ramalho:

    Interessante é que o Mestre Samael Aun Weor dizia isso na década de 50. É assim que vai se parecer a próxima raça humana: morenos jambo.

  • Jonatas:

    Sul Africanos também são um povo bem misturado.

Deixe seu comentário!