O novo brinquedo do Exército americano

Por , em 2.03.2011

O Pentágono, sede do Departamento de Defesa dos EUA, encomendou de uma empresa particular uma nova arma para o Exército. Trata-se de um lote de projéteis de eletro-choque de longo alcance para teste. O novo armamento está sendo chamado de “granada de Taser”, que será produzida para ser atirada por lançadores.

O Taser de Interrupção Elétrica Intramuscular (ou HEMI, na sigla em inglês) tem o formato de uma pistola que lança dois eletrodos ligados a dois fios de cobre que podem ter quatro, seis ou oito metros. Ele é considerado uma arma de eletro-choque não-letal, usada para defesa pessoas, mas existem registros de caso de morte. Ao atingir a vítima, a arma aplica uma descarga elétrica por cinco segundos que imobiliza o alvo. Se o gatilho for mantido pressionado, uma carga é disparada a cada 1,5 segundo. Após o disparo, os eletrodos são descartados e trocados para um novo disparo.

A granada de Taser não ficará limitada pelos fios e poderá alcançar uma distância de até 100 metros. O tempo de paralisação também será maior, podendo deixar o alvo incapacitado por até 30 segundos, que poderão se estender a alguns minutos. O Major General Richard Mills, da Marinha americana, declarou ao site Marine Corps Times que gostaria de ver mais armas não-letais como o Taser no campo de batalha. Ele disse que seu comando no Afeganistão considerou equipar todos os marines que entrarem em contato com civis afegãos com algum tipo de Taser. Se os testes com a granada obtiverem sucesso, a arma deverá ser enviada prontamente ao Afeganistão. [NewScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

16 comentários

  • dutty:

    poh me poupe o cara ta jogando batlefield no meio de uma area de conflito cm joystick de xbox 360.so queria sabe o q e aquilo no olho dele.

  • brunobreier:

    ele ta segurando um joyistick e conectou na bolas do lado jogando call of duty

  • bruninho-palmeira-pr:

    Olha o exercito americano nao quer guerra com esses ppaises tipo paquistao,mas ja q nao querem guerra porque enviar suas tropas para la?
    eles vao ficar brabos dai q acontece esses ataques terroristas
    se querem guerra entao q de o grito
    pode enviar o seu exercito a policia e ate mesmo o seal team six
    mas esse ditado vai tomar conta do recado
    vc pode ter vencido a batalha mas nao venceu a guerra

  • José Calasans:

    Não adianta espernear,o ser humano evoluiu apenas na área da ciência e da tecnologia,de resto,continua como antes com raras exceções:Mentiroso,enganador,aproveitador,manipulador,etc…,é só ver na história.

  • selenio:

    ha e eu dou um tiro desses num terrorista ele se levanta depois de 30 minutos e da um tiro na minha nuca, e muito boa esta ideia mesmo…… no brasil precisamos destas!!!!

  • selenio:

    quem se importa com armas não-letais o legal de dar uns “tecos” e ver miolos voando!!!!!!!!

  • joao victor:

    E impressão minha ou o cara ta segurando um joystick?

  • diego:

    pensei q fosse joystick na mão do soldado

  • josé ricardo:

    os militares brasileiros precisam dessa arma urgente para combater a violência no país, o problema é isso chegar a mãos de bandidos.

  • Deep:

    Para ilustrar melhor as coisas como o Paim as coloca deixo um link q pode ser de interesse!

    http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL642091-5602,00-NUMERO+DE+GUERRAS+NO+MUNDO+CAI+EM+ANOS.html

    Civilizado é regras as guerras, é disso q se trata os Direito Internacional Humanitário. Não é o caso de impedir ou proibir a guerra, mas sim evitá-la, tanto quanto possível, e ainda, discipliná-la quanto aos modos legais para sua condução.

    Armas não letais são sempre bem-vindas!

  • Rodrigo Paim:

    Guerras existem desde os primórdios, e quem tem o mínimo de conhecimento de história sabe que ainda bem, o número de conflitos vem diminuindo, e o número de mortes pelas guerras também vem diminuindo, pelo menos em percentual.

    Já que a guerra do Afeganistão é inevitável, que se utilizem tecnologias que evitem, sempre que possível, a morte de civis.

    E para quem não sabe, a Guerra do Afeganistão não é contra o Governo Afegão, o governo inclusive ajudam e apóiam os americanos, os americanos estão lá lutando contra o Taliban, e inclusive conta com o apoio de muitos muçulmanos, como a ISAF – Frente Islâmica Unida para a Salvação do Afeganistão.

    Os anti-americanos adoram fazer os americanos de vilões, ainda bem que a mentira tem pernas curtas.

  • Joni:

    Bah.. será q esse novo briquedinho é q nem as granadas de eletr-choque do Halo????

  • Genivaldo:

    Cada vez mais fico conhecendo um dos inimigos da humanidade os EUA, tua mostra a tua grandeza de interfirir na vida dos outros países passando-se como pacificador dos direitos humanos, com tu mentes hipocrita trono de HaSatã, que distroi os países em guerras, vendes armas de destruição em massa, desreipeita os direitos dos seus próprios patricios, solapa as riquisas dos outros, cria armas letais para a destruição dos humanos com armas químicas e biológicas, poluis o planeta, cria a queda dos regimis políticos deixando o país em um verdadeiro pademônio, com certeza grande Babilonia a tua queda é já vista, pobre dos inocentes americanos que são enganados pelos políticos corrutos filhos das trevas. Teu castigo vém.

  • Jéssica:

    Infelizmente a guerra faz parte da vida do ser humano. É bom que seja criadas novas formas de nos defender de quem precisa ser corrigido na sociedade. De qualquer forma a arma comum pode matar se um policial disparar para deter algum meliante, então não vai mudar muita coisa.

  • Joni:

    Hum… ta certo q poderiam investir em outras coisas mais uteis como Marte citou. Mas evitar mortes desnecessárias é viável.
    sei la né, dizem q no amor e na guerra vale tudo…

  • Marte:

    Se precisamos de armas, nós humanos, continuamos selvagens.
    O dinheiro disperdiçado nessa engenhoca poderia ser revertida para pesquisas mais nobres, como a cura de alguma doença, ou o remanejamento de água para quem precisa, para quem está morrendo de sede, em pleno século XX1.

Deixe seu comentário!