Orgasmos, saúde sexual e atitudes sobre a genital feminina

Por , em 30.09.2009

OrgasmosDebby Herbenick é diretora do Centro de Saúde Sexual da Universidade de Indiana, EUA

Um estudo da Universidade de Indiana, nos Estados Unidos, descobriu que mulheres que se sentem confortáveis com a sua intimidade têm mais facilidade para ter orgasmos e têm comportamentos mais saudáveis, como ir regularmente ao ginecologista e se auto-examinar. A pesquisa foi realizada com 362 mulheres com idades entre 18 e 23 anos.

De acordo com Debby Herbenick, diretora do Centro de Saúde Sexual da Universidade, a pesquisa traz descobertas sobre a importância da auto-imagem para a saúde sexual feminina. “Nossa cultura costuma retratar os genitais femininos como algo que precisa de limpeza e cuidados especiais”, diz a especialista. “Algumas mulheres tiveram mais exposição a essas mensagens negativas e podem sofrer mais com o impacto disso”, completa Herbenick.

Orgasmos e bem-estar feminino

O estudo criou uma escala para medir a atitude de homens e mulheres sobre a genitália feminina. De acordo com Herbenick, esta escala pode ser utilizada em terapia sexual para casais, na educação sexual e até em consultas ginecológicas. O estudo também mostrou que homens têm uma atitude mais positiva em relação a isso do que as mulheres. “As mulheres são muito críticas em relação ao seu próprio corpo e o de outras mulheres, muito mais que os homens”, diz a pesquisadora.

Herbenick também chama a atenção para a educação sexual em casa: de acordo com ela, os pais devem fazer com que as filhas se sintam mais à vontade com a natureza do seu corpo, chamando as suas partes íntimas pelos nomes apropriados e permitindo a exploração do próprio corpo, explicando que isso apenas não deve ser feito em público, por exemplo. Outro exercício saudável, de acordo com a pesquisadora, seria a discussão sobre como propagandas e o marketing fazem com que as garotas se sintam sobre o próprio corpo.

“Nosso estudo mostra mais uma vez que a mente e o corpo são fortemente ligados em questões sexuais”, conclui Herbenick. [Science Daily]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

2 comentários

  • Giulia:

    Quanto mais leio o que os homens pensam, mais raiva sinto dos homens. Parece mesmo é que eles só gostam de si mesmos, não gostam de nós mulheres. Gostar no sentido de se importar, mais do que se importar, prestar atenção.

    A relação mais difícil de se manter hoje em dia é a relação heterossexual. Porque na maioria das vezes os homens não conseguem satisfazer as mulheres sexualmente de forma plena, eles não sabem como lidar com a gente, pra eles seria mais fácil se mulher fosse como um homem, mas com o físico como os das mulheres. A mentalidade feminina é muito diferente da masculina. Não me surpreende saber que as mulheres que são mais felizes nos seus relacionamentos, tem a mentalidade mais próxima à masculina.Afinal, homem só entende homem e nem se esforça pra entender mulher. Ele xinga a mulher, faz comentários ásperos, acaba com ela e quando chega do trabalho quer sexo? a vontade que tenho é de mandar esse tipo de homem pra pqp!!! E mesmo eu que me preocupo com o prazer do parceiro, que realmente me esforço em dar prazer a ele, dou mais que 100% de mim na hora do sexo, pesquiso, trago novidades, nunca deixo cair na rotina, não sou retribuída à altura. Por quê? Porque os homens são uns tremendos egoístas, pelo menos a maioria deles. E se um dia eu encontrar o homem que realmente me satisfaça sexualmente, sendo que eu não sou nenhuma ninfomaníaca, eu sou normal, então com certeza eu me caso com ele, porque pra mim sexo é MUITO importante. E quando o sexo é bom, a relação em todos os aspectos é boa.

  • claudio:

    Genitália?
    Que nome mais nojento e deselegante! Precisamos abolir essa aberração verbal!

Deixe seu comentário!