Por que o Brasil está sendo desmatado?

Por , em 18.04.2013

Soja e criação de gado continuam sendo os vilões principais da devastação na Amazônia. É o que revela um estudo do Centro de Pesquisas Ambientais e Climáticas Internacionais de Oslo (CICERO, na sigla em inglês), da Noruega. Os cientistas explicam, no entanto, que a culpa está longe de caber exclusivamente ao Brasil. Todos os países com elevados níveis de consumo e emissões de gases têm responsabilidade sobre o problema.

Grande parte da guinada que o Brasil teve em sua economia, na última década, se deve à soja e à carne. A ampla janela de exportações (em boa parcela para países também emergentes, como a Rússia e China) ocasionou um aumento brutal do número de latifúndios e pastos, o que deu margem a níveis alarmantes de desmatamento.

braz_defor_88-05-600

Como se não bastasse a devastação da fauna, tais atividades econômicas impulsionam a emissão de CO2. Nos últimos dez anos, o Brasil emitiu 2,7 bilhões de toneladas de gás carbônico. Deste valor, 29% estão associadas ao plantio da soja e 71% à criação de gado.

Nem só de russos e chineses, no entanto, se faz o consumo acelerado destes produtos. O próprio mercado interno brasileiro absorve ampla porcentagem da produção. Estas discussões estiveram em alta durante a tramitação do Novo Código Florestal Brasileiro, aprovado no dia 25 de maio de 2012.

Ambientalistas de várias organizações criticaram a flexibilização das leis de proteção da floresta em prol do aumento de produtividade do agronegócio. No acordo, os parlamentares brasileiros preveem anistia a empresas que desmatarem, livrando-os da obrigação de recompor a mata. A proteção sobre as Áreas de Preservação Permanentes (APPs) fragilizou-se com a nova lei.

Os cientistas noruegueses afirmam que a Europa vê a proteção da floresta amazônica como um problema global, não mais limitado ao Brasil. Por essa razão, deve aumentar nos próximos anos a pressão da comunidade internacional para que as leis de proteção existentes, ainda que distantes do que os ambientalistas desejariam, sejam cumpridas. [Science Daily / Mongabay / Diário do Grande ABC]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

16 comentários

  • WalterZ:

    Caros
    Ninguem desmata por que é divertido! Se desmatam para plantar soja é porque alguem compra a soja. Se desmatam para criar gado é porque alguem compra carne ou leite! Experimente deixar faltar carne no meracado para ver o que acontece!
    A imensa maioria do CO2 emitido na atmosfera é devido a queima de combustíveis fósseis como petróleo e carvão. Então, a Europa deviam pensar neles antes pois emitem MUITO mais CO2 que o Brasil.
    Acho que seria mais justo do que pedir para as pessoas pararem de produzir comida, o que certemete aumentaria a fome no mundo. E só observar o que aconteceu com o preço do tomate, quando a oferta diminuiu.
    Este é o principal problema que precisamos equacionar neste século. Como sustentar a população mundial sem exaurir o planeta. O aquecimento Global é, ao meu ver, um problema pequeno se comparado com isso.

  • ceaguimaraes:

    Esta postura:

    “Os cientistas noruegueses afirmam que a Europa vê a proteção da floresta amazônica como um problema global, não mais limitado ao Brasil.”

    é só mais um artifício que países ricos usam pra frear o desenvolvimento de países mais “pobres” como o Brasil. É uma ameaça velada à soberania do nosso país. Falar que o Brasil não pode explorar seu próprio território em prol do desenvolvimento só pode ser brincadeira.

    E nossos governantes ainda caem nesse colóquio para acalentar bovinos.

    Lamentável.

    • Cesar Grossmann:

      Não necessariamente. Poderia ser algo do tipo “isto é importante não só para o Brasil, é para nós também, e a gente gostaria de ajudar o Brasil a encontrar saídas para isto”.

      E é um problema global mesmo. O Brasil não vive em uma redoma. Seria interessante a gente dar ouvidos aos europeus, eles aprenderam do jeito difícil que é preciso trabalhar juntos os problemas ambientais, eles tiveram sérios problemas por causa de chuvas ácidas que eram geradas em um país e afetavam outro país.

    • ceaguimaraes:

      Sua inocência me deixou estarrecido. Só falta me dizer que você acredita em papai noel, coelhinho da páscoa, aquecimento global e etc…

      Pesquise sobre o nióbio brasileiro, sobre o contrabando biológico e me diz se vc continuará achando que frangos são bonzinhos.

    • Cesar Grossmann:

      Você quer dizer o boato do nióbio brasileiro? Você acredita naquela conversa fiada? Já deu uma olhada na produção de nióbio do mundo?

      Acho ridículo quando alguém vem com esta postura de “ai, como você é ingênuo”, e acreditam em QUALQUER teoria conspiratória.

    • ceaguimaraes:

      Já pesquisei, e mantenho meu ponto de vista. responda-me um coisa: se vc produzisse 98% da quantidade que o mundo produz de qualquer coisa e essa coisa fosse de extrema importância em um setor milionário, biliardário… vc não gostaria de vender pelo preço que quisesse?

      hoje o nióbio sai do brasil a 26 dólares/kg, e é revendido a 700dólares/kg. está certo isso? por que nós mesmos não podemos vender a esse preço?

      nem a globo conseguiu disfarçar quando abordou o assunto: http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2013/04/monopolio-brasileiro-do-niobio-gera-cobica-mundial-controversia-e-mitos.html

      e outra coisa que falei: pesquise a biopirataria, me diga se também é teoria da conspiração.

      pesquise porque, graças ao Serra (pelo menos 1 coisa parcialmente boa ele fez na política), os genéricos são mais baratos.

    • ceaguimaraes:

      e outra: acredito que só não invadiram o Brasil ainda porque o que eles querem aqui já conseguem quase de graça.

    • Cesar Grossmann:

      Segundo a reportagem no G1, em três afirmações falsas, quatro afirmações que são “meia-verdade”, duas afirmações não comprovadas, e uma afirmação considerada verdadeira. Qualquer um que repasse aquela mensagem sobre o Brasil estar vendendo o seu nióbio a “preço de banana” está passando adiante desinformação.

      O Serra estava já tratando de vender o pré-sal, a preço de banana, para interesses estrangeiros. O Wikileaks publicou um documento que comprova isso, em plena campanha presidencial o Serra já estava rifando o Brasil.

      Enquanto políticos como o Serra estiverem aqui, não seremos invadidos. Se for preciso proteger os interesses estrangeiros com armas, o exército brasileiro vai fazer o trabalho sujo, como em 1964.

    • Michel Kanemaru:

      ceaguimaraes, Talvez você não conheça a história mundial, mas há muitos países que hoje em dia estudam formas de recuperar sua floresta natural, visto o grande impacto que gera essa degradação. Pode parecer que quererem apenas frear nosso crescimento, mas isso apenas para quem nunca viu a realidade do mundo lá fora! Se você soubesse o tanto que vários países europeus já gastaram para recuperar suas florestas nesses últimos 50 anos, você pararia de pensar assim!

  • John jones:

    eu não entendi o grafico

    • Cesar Grossmann:

      É a quantidade anual de quilômetros quadrados de “deflorestação”, ou a área de florestas que o Brasil perdeu a cada ano. A cada ano elas tem diminuído, desde 2004, mas não zerou e não inverteu (floresta sendo recuperada), pelo que eu entendi.

  • Fábio Lima Malheiros:

    Mas analisando os dados do gráfico ele mostra que o nivel de desmatamento é o menor em 20 anos e que embora os picos, ele só vem decaindo. Isso indica que as medidas ambientalistas, quaisquer que sejam elas, estão dando resultado. Esperar uma mudança drástica em um curto período tempo é ilusão, mas a longo prazo parece que estão dando sinais positivos.

  • Jônatas Castro:

    Porque a ‘cegueira’ pelo dinheiro continua graaande.

  • Marlene Alves de Carvalho:

    Porque no Brasil nao tem lei que protege A FAUNA E A FLORA ,RIOS E MARES . Enfim é uma tremenda vergonha ver tudo se acabar e ningen fas nada .Acorda Dona Dilma ,que diabo a Senhora fas sentada ai no trono ?

  • Duda Weyll:

    A agricultura europeia e americana tem tantos incentivos e restrições ao produto internacional que se tudo isso fosse cancelado agora o preço dos alimentos cairia pra menos de 40%, tornando os mercados agropecuários africano e latino americano muito mais competitivos e tirando muitos países da miséria…

    Só por isso eu não creio em parcialidade de painéis globais do Atlântico Norte, pois também são financiados pelos seus governos.

    • Michel Kanemaru:

      Dizer que os europeus e americanos possuem restrições é um tanto irônico! O Brasil sim é que tem restrições pesadas sobre o comercio de diversos produtos, tal como taxações exorbitantes…
      A restrição mais efetiva e importante dos europeus é sobre produtos transgênico, visto o desconhecimento do impacto comprovado a longo prazo. As ISOs é certificações são apenas quesitos de qualidade e segurança e é valida não somente para alimentos mas diversos produtos. Os preços dos alimentos no Brasil é um fator quase independente do preço global, visto que se você viajar para países próximos(Paraguai, Argentina, Bolívia) você vera uma diferença gigantesca no preços de todos os produtos (Brasil tendo um valor extremamente maior, mesmo para produtos exportados do Brasil!) e igualmente grandes nos países europeus (produtos produzidos no Brasil para brasileiros, ser mais barato na Espanha que no próprio Brasil).

Deixe seu comentário!