São Paulo: escola de balé para cegos

Por , em 1.12.2011

A resistência e confiança exibidas por algumas pessoas com algum tipo de deficiência nos deixam boquiabertos, e às vezes elas são até mesmo capazes de fazer coisas que nós não conseguimos.

Dança é uma delas. Embora seja quase inconcebível pensar em uma pessoa cega que seja capaz de perceber e fazer movimentos de dança de uma forma bela e clássica, como balé, uma escola de balé aqui mesmo, do Brasil, conseguiu exatamente isso – treinar bailarinos cegos.

Fernanda Bianchini, que começou a escola que fica em São Paulo em 1995, tinha estudantes relutantes no começo, muitos dos quais sem nenhuma ideia do que era balé.

Usando métodos únicos de ensino que envolvem toque, Fernanda foi capaz de ensinar tudo aos alunos sobre balé, incluindo a forma de amarrar o cabelo para cima em um coque.

Para ensinar suas meninas os movimentos do balé, elas tocam as pernas e braços de Fernanda enquanto ela demonstra. Mesmo que tenha sido uma íngreme curva de aprendizado, a professora admite que as meninas conseguiram aprender a forma de arte lindamente.

A escola iniciada por Fernanda é financiada principalmente através de doações. Aproximadamente 300 dançarinos foram treinados por esta escola única.

A maioria dos alunos iniciais está agora em seus vinte e poucos anos, com uma nova geração de estudantes ingressando nessa jornada.

A fim de dar asas aos sonhos e esperanças de seus melhores alunos, Fernanda começou uma companhia de balé própria. Seu sonho é ver seus alunos atuarem em um palco. Visite o site da companhia![OddityCentral]


Brazilian ballet school teaching the blind por Zoomin_UK

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

6 comentários

  • Ze da Feira:

    Aí que SHOW !!!

  • Ju:

    Isso é realmente incrível, só quem é bailarino sabe o quanto é difícil executar os passos com perfeição, o brasil precisa investir em excelentes projetos como esse, esses bailarinos merecem ouvir muitos aplausos.

  • JANE JACK:

    Interressante isso! acho bem legal …

  • Jonatas:

    Antigamente olhava-se para deficientes visuais e o sentimento era de pena, hoje já podemos olhar pra eles com o sentimento de orgulho, por vermos que brasileiros são capazes de superar todas as dificuldades.
    Eu ainda não sou pai, muitos aqui são e amam seus filhos, e se tiverem um filho DV eu sei que vão amá-lo do mesmo jeito, e vão desejar para ele um Mundo onde ele tenha oportunidades de viver e aprender sem que sua cegueira o impeça de ser feliz. E esse mundo começa assim, com iniciativas como essa escola de São Paulo. Parabéns a seus realizadores.

    • Jonatas:

      Deixarei que a negativação dos teus comentários te dê a resposta que tu merece.

  • Miguel:

    É incrivel o que podemos fazer quando somos persistentes e nunca desistimos!

Deixe seu comentário!