Tempestades solares podem atingir a lua

Por , em 15.12.2011

Tempestades solares violentas podem soprar uma grande quantidade de material da superfície da lua. Em um novo estudo da NASA, pesquisadores usaram simulações digitais para examinar como os eventos solares podem erodir a superfície do nosso satélite. Foi descoberto que eles podem até causar danos na atmosfera de Marte, já que o planeta não possui um campo magnético.

Essa é a primeira vez que cientistas tentam prever os efeitos das tempestades solares e erupções na lua. “Descobrimos que quando essa nuvem massiva de plasma atinge a lua, remove facilmente material volátil da superfície”, afirma William Farrell, um dos envolvidos na pesquisa. “O modelo prevê 100 a 200 toneladas de material lunar – o equivalente a dez caminhões-caçamba lotados – arremessados durante uma típica passagem de dois dias desse evento”.

As tempestades solares são nuvens enormes de plasma quente e partículas carregadas que avançam pelo espaço. De acordo com os pesquisadores, uma dessas, que seja forte, pode conter facilmente bilhões de toneladas de plasma, viajando a incríveis um 1,6 milhões de quilômetros por hora, com o tamanho maior do que várias vezes a Terra.

Já que a lua não tem atmosfera, o satélite fica vulnerável aos efeitos meteorológicos espaciais. Como resultado, a tempestade chega até ela, causando um processo conhecido como “crepitação”.

“A crepitação está entre os cinco principais processos que criam a exosfera lunar sob condições solares normais. Mas nosso modelo prevê que, durante uma tempestade, ele acaba virando o principal, com 50 vezes mais predominância do que os outros”, comenta Rosemary Killen, a líder do estudo.

Os ventos solares comuns são formados principalmente por partículas de hidrogênio carregadas, os íons. Mas o plasma das tempestades é altamente elétrico, com íons pesados, que provocam efeitos dez vezes mais fortes.

Para criar os modelos, os cientistas usaram quantificações da química que sai do sol. Eles descobriram que íons de hélio formam 4% do vento solar comum, mas durante uma tempestade a concentração pode chegar a 20%. Quando esse enriquecimento se combina com o aumento de velocidade e densidade, os íons do plasma podem arrastar 50 vezes mais material do que o normal.

“Os modelos digitais isolam a contribuição da crepitação e dos outros processos”, afirma uma das pesquisadoras, Dana Hurley. “Comparar previsões nos permite entender as condições em que a crepitação prevalece”.

A missão Exploradora da Atmosfera e Poeira Ambiental Lunar (LADEE) da NASA, que deve ser lançada em 2013, vai testar esses modelos. Na altitude em que estará a LADEE, ela conseguirá detectar átomos arremessados entre 20 e 50 quilômetros da superfície lunar.

“Esse fenômeno tornará a LADEE quase uma mineradora da superfície, não porque estará na superfície, mas porque durante as tempestades os átomos serão jogados até ela”, afirma Farrell.

Cientistas já haviam estudado o efeito das tempestades do sol no campo eletromagnético da Terra, e sabemos que com isso ocorrem auroras intensas em nosso planeta.

Mas, de acordo com os pesquisadores, em planetas como Marte, que não tem a mesma proteção, o plasma solar pode arranhar e erodir a atmosfera superior.

A NASA planeja lançar a missão Evolução Volátil e Atmosférica de Marte (MAVEN) no fim de 2013. A nave foi desenhada para orbitar o planeta e estudar como a atividade solar, incluindo as tempestades, remove a atmosfera do planeta vermelho.

Dos modelos realizados, os pesquisadores também preveem que pequenos corpos, como os asteroides, também são vulneráveis ao processo de crepitação.[LiveScience]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

28 comentários

  • jeferson:

    se nao houvesse algum interesse ou problema para que fariam tantas expediçoes ? algo preocupa, possibilidades existem, mas, o que poderia ser ?

  • Glauco Zoinho Vermelho:

    Um cometa gigante do tamanho de Júpiter vai se chocar contra o Sol…2012 tá chegando…avisei…

  • mario noce:

    AUMENTO DA TEMPERATURA DA TERRA ESTA INTIMAMENTE LIGADO A ESTE FATORES HÁ MAIS DE 37 ANOS, QUE ESTAMOS OBSERVANDO ESTAS VARIAÇÕES E NINGUEM COMENTA TAIS FATOS QUE SÃO “INEXORAVEIS”E NINGUEM PODE MUDAR, E NADA POODERÁ SER FEITO, QUEM SABE?

  • Capitão Caverna:

    A NASA está lançando tantas sondas, e ainda falam qe o orçamento dela está “apertado”.

    • Glauco:

      Eu chamo isso de corrupção.

    • Capitão Caverna:

      Ainda bem qe essa corrupção está tendo algum aproveito.
      Pq se fosse no Brasil… melhor nem falar.

  • Chanel:

    Glauco
    pra mim voce esta sofrendo de mania de perseguiçao ….rsrsrsrsr

    • Glauco:

      Ou eu estou sofrendo de mania de perseguição ou estão me perseguindo! Hehe!

      Mas só quem consegue ver comentários aguardando a moderação é quem fez o comentário. Aqui na minha tela vejo três comentários nesse estado, sendo que os três já possuem votação negativa antes mesmo de serem liberados por eles. Se não são os internautas quem estão votando, quem será? Qual o problema então? Bug no sistema? Acredito…

    • Espectro:

      É isso aí Glauco! Nunca recebemos respostas da moderação, não sabemos o que pode e o que não pode postar.
      Essa falta de respeito com os leitores que mantém o site funcionando merecia um boicote.
      Pior ainda se os moderadores estão negativando os comentários – é trambique sim.
      O site seguidamente tem postado matérias obsoletas e você que está trazendo assuntos e comentários interessantes está deixando eles com inveja, só pode! Eles que façam as pesquisas direito.

      Paz e prosperidade!

    • Espectro:

      Bah! Respondi e estou sendo moderado também. Espero que tenham a dignidade de liberar o comentário.

    • Capitão Caverna:

      E vc oqe tem de interessante a nos dizer?

  • Marcio:

    Tempestade solares são um perigo e devem ser monitoradas pois se uma tempestade dessa for forte o bastante para romper o campo magnetico da terra nossos equipamentos eletronicos e redes eletricas vão embora, ou seja caus.
    Sabendo que ja foi visto aurora boreal em ROMA a alguns ceculos atraz,se fosse nos dias de hoje, seria o caus, sem eletricidade, pois ela danifica os trasformadores e queima qualquer coisa eletronica mesmo estando o equipamento desligado, basta ver o que aconteceu no Canada a tempos atras, quando suas redes eletricas do norte tiveram que ser refeita.

  • Jonatas:

    Pobre Lua desamparada… Antes ela do que nós…

    • LOL:

      Se elar for, nós vamos também…

  • Glauco:

    Hehe, meus comentários estão sendo negativados antes de serem liberados pela moderação! Isso tá com cara de trambique!

    • Lulu:

      É marcação hehe

    • Jonatas:

      De fato. Achei que tinhas desistido do site, faz tempo que não via teus comentários.

    • Glauco:

      É q eu tava ocupado… mas tô mais devagar mesmo, vou falar pouco…

    • Lulu:

      Seus milhares de fakes falam por vc kkkk
      Seus séquitos admiradores.

    • Glauco:

      ih =$$$

      acho melhor parar

      =$$$

    • Glauco Zoinho Vermelho:

      tava ocupado fumando uns…

    • Capitão Caverna:

      As coisas estão piores do qe eu pensava. Tá tenso o site, tudo vai parar na moderação, mais isso qe vc disse é sacanagem né.

    • Glauco:

      Mas para quem estiver curioso, dessa vez não falei mal da matéria. Só avisei que tem um cometa gigante indo em direção ao Sol, e que as imagens estão disponíveis no site soho da nasa.

  • Glauco:

    Ê moderação… tô passando informações exclusivas de última hora e vocês estão me atrasando de novo?? Deveriam me agradecer, isso sim!!

  • Glauco:

    Cometa gigante em rota de colisão com o Sol, quem se interessar vá para a câmera LASCO C3 da NASA em sohowww.nascom.nasa.gov. Imensas CME’s já estão sendo provocadas pela aproximação desse cometa!

  • Glauco:

    Aproveitando o ensejo, mais um cometa colidiu com o Sol no dia 14/12, provocando erupções solares desde a sua aproximação. Essas imagens podem ser vistas pela câmera LASCO C2 da NASA.

    Um outro cometa muito maior – de tamanho planetário – também está se aproximando do Sol desde as duas da manhã do mesmo dia, provocando enormes CME’s desde o momento que apareceu no campo de visão da LASCO C3. Esse cometa gigante ainda está em rota de colisão com o Sol, e se quiserem ver as imagens é melhor correrem, pois a NASA geralmente desliga o acesso público à essas câmeras quando cometas estão perto de causar fenômenos de altíssima intensidade no Sol.

    Afinal de contas, pela teoria de formação cometária vigente, como poderia uma pequena bola de gelo causar qualquer efeito no monstro nuclear que é o Sol?

    Esse caso será coberto pelo programa de hoje do Prof. James McCanney em jmccsci.com. Procurem pela subpágina de Weekly Archive Radio Shows no fim da página.

    Os filmes estão disponíveis no site Solar and Heliosferic Observatory da NASA em sohowww.nascom.nasa.gov.

    • zecaffe:

      As imagens ja estao com “page not found”

  • V.D:

    Bom acontecimentos naturais é uma coisa, programa de computador é outra

Deixe seu comentário!