Um grupo de vírus que pode acabar com a acne

Por , em 26.09.2012

Quem já passou pela adolescência sabe como pode ser especialmente incômodo ficar com a cara coberta por espinhas e marcas – e, pior, nem sempre o problema some depois dessa fase. Em estudo recente, pesquisadores dos Estados Unidos encontraram uma curiosa (e eficiente) arma contra a acne: vírus.

Antes de continuarmos, vale a pena explicar um pouco mais o que está por trás da acne: a principal causa do problema é a proliferação exagerada da bactéria Propionibacterium acnes, que vive sobre nossa pele. Quando isso acontece, o sistema imune lança um alerta e a pele fica inflamada. Durante a adolescência, devido ao “surto” de hormônios sexuais, o corpo passa a produzir mais sebo, um verdadeiro banquete para essas bactérias – o que faz com que a acne seja mais comum nessa fase da vida.

Assim, existem diversos tratamentos para a acne: remover o excesso de sebo da pele; matar as bactérias com antibióticos; tomar anti-inflamatórios; tomar hormônios. Cada tratamento tem suas vantagens, mas também seus pontos fracos. Medicamentos, por exemplo, podem ter efeitos colaterais, e a bactéria pode desenvolver resistência a antibióticos com o passar do tempo. É aí que entram os vírus.

Caçadores de bactérias

Existem certos vírus que só atacam bactérias, os chamados bacteriófagos. Destes, há um grupo específico capaz de matar a P. acnes. Embora fossem conhecidos há décadas, só recentemente os vírus desse grupo tiveram seus genomas analisados e, assim, se mostraram uma boa opção no combate à acne.

Ao avaliá-los, os pesquisadores perceberam que, ao contrário do que acontece em outros grupos, esses bacteriófagos são muito parecidos uns com os outros, com pouca variabilidade genética. Outros grupos de bacteriófagos, como o dos que atacam a bactéria da tuberculose, têm genomas tão diversos que é difícil estudá-los e descobrir que substâncias eles produzem para matar suas “presas”.

“A limitada diversidade dos bacteriófagos da P. acnes e o conhecimento de quais bactérias eles infectam trazem informações importantes sobre como aproveitá-los para controlar a acne”, destaca o pesquisador Graham Hatfull, da Universidade de Pittsburgh.

Nos testes de laboratório, as bactérias não tiveram chance contra os vírus. Resta saber se vai ser possível fazer medicamentos contendo os bacteriófagos ou se será melhor isolar a proteína que eles usam para destruir as bactérias. A equipe já planeja novos testes.[LiveScience]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

1 comentário

  • Murilo Mazzolo:

    Cara, tomo até injeção desses Vírus diretamente no rosto, se isso fosse acabar com as minhas Acnes… mas lógico, desde que provem que não haja efeitos colaterais, alergias, etc.

Deixe seu comentário!