Veja uma imagem do universo jovem após o Big Bang

Por , em 22.12.2012

Astrônomos acabaram de lançar uma nova foto do universo jovem, baseada em nove anos de dados coletados pela sonda WMAP (Wilkinson Microwave Anisotropy Probe, da NASA).

A WMAP foi lançada para o espaço em 30 de junho de 2001 de Cabo Canaveral, Flórida (EUA) e vêm mapeando o brilho restante do universo jovem e quente nos céus desde então. Ela foi aposentada há dois anos, e agora a equipe de cientistas da sonda está anunciando seus resultados finais.

A principal missão da WMAP era estudar o espaço profundo e medir as diferenças de temperatura que se observam na radiação cósmica de fundo em micro-ondas, um remanescente do Big Bang.

Sendo assim, a imagem acima mapeia a temperatura da radiação deixada pelo Big Bang em uma época em que o universo tinha apenas 375.000 anos de idade. Ela mostra uma abrangência de temperatura de mais ou menos 200 microKelvin. As diferenças de cor são flutuações na radiação cósmica de fundo.

Esses padrões permitem que os astrônomos prevejam o que poderia ter acontecido no inicio do universo, e o que vem acontecendo desde então, nos bilhões de anos desde sua infância. Por conta disso, a sonda tem sido fundamental na formação de teorias cosmológicas sobre a natureza e a origem do universo.

Entre as principais revelações possíveis graças a WMAP estão uma estimativa muito mais precisa para a idade do universo – 13,7 bilhões de anos – e a confirmação de que cerca de 95% do universo é composto de matéria escura e energia escura, ainda incompreensíveis para os cientistas.

Os dados da WMAP também ajudaram os cientistas a determinar que o espaço é curvado e identificar o momento em que o universo “saiu” dos tempos cósmicos escuros (cerca de 400 milhões de anos após o Big Bang).

“O universo codificou sua autobiografia nos padrões de micro-ondas que observamos em todo o céu. Quando decodificado, o universo revela sua história e conteúdo. É impressionante ver tudo se encaixar no seu lugar”, disse Charles Bennett, astrofísico da Universidade Johns Hopkins (EUA) que chefiou a equipe da WMAP.[LiveScience]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

5 comentários

  • Otoniel Tiburtino:

    … COMPREENDENDO:
    Fica tudo na questão de [sem nenhuma dúvida: ” Causa Primária de todas as Coisas ” Sabedoria Suprema. Daí pra trás … cada um com seus cada um.

  • leandro balbino:

    essa imagem abrange uma area do tamanho de 370 mil anos luz aprocimadamente nossa galaxia tem 100 mil anos luz ou seja uma bola de materia super dença em expançao num ritimo extremamente acelerado apos o big bang contendo toda a materia do universso atual que tipo de materia contem essa estrutura acredito que seja plasma acho que nem os atomos jah tinham si formado com o universso nessa idade so sei que ‘e uma imagem assombrosa para qualquer fisico

  • Alberto Campos:

    Não é definitivo, mas há um erro de interpretação. Ele é visto agora como era a bilhões de anos passado, tempo em que sua luz levou para chegar até nós. Não é um universo jovem e sim bem antigo; atual, visto bilhões de anos após. Não existiu a inflação cósmica. Nosso universo não nasceu de dentro para fora e sim de fora para dentro e continua crescendo. É similar a uma galáxia que não nasceu de um big bang. Está tudo explicado no blog: “Olhando o Universo”.

  • Robson Junior:

    Além do mais, não tem resultado nenhum para confirmar o que o WMAP realmente está vendo, se ele confirma a Teoria das Cordas, se ele confirma a inflação ou se é algo novo, como saber.

  • Robson Junior:

    Cadê a imagem nova? Essa imagem de fundo ae eu tenho visto quase todos os dias da minha vida…

Deixe seu comentário!