Ver pessoas bem sucedidas na mídia pode causar distúrbios alimentares

Por , em 2.09.2010

Um novo estudo sugere que a mídia tem uma influência na vontade das pessoas de ficarem magras – especialmente quando eles vêm uma pessoa bem-sucedida, não importa o quanto ela pese.

Os pesquisadores acreditam que isso tenha uma origem evolutiva. É comum engordar conforme se envelhece, portanto as pessoas passaram a associar a magreza com juventude e atratividade. Além disso, a mídia mostra constantemente pessoas magras e a população capta essas imagens como competitivas.

As imagens da mídia têm uma relação com o desenvolvimento de distúrbios alimentares, como bulimia e anorexia, doenças conhecidas hoje pelo surto das pessoas em quererem perder peso.

Na sociedade moderna, essas pessoas da mídia não são “semelhantes” à população; na verdade, a presença deles faz com que as pessoas se sintam muito abaixo de um padrão desejável, e é aí que mora o perigo.

Tentar competir nessa vida social pode levar as pessoas não só a ter distúrbios alimentares, mas também podem se tornar viciadas em trabalho ou depressivas.

Uma pesquisa com 841 voluntários testou essa influência. Os resultados indicam que as mulheres ficaram menos felizes com seus corpos e comeram menos depois de ver fotos de mulheres “competitivas”, com grandes chances de serem bem sucedidas. E não era para tanto: as voluntárias e as mulheres das imagens tinham cerca do mesmo peso e eram igualmente atraentes.

Com os homens heterossexuais, o efeito não foi percebido. Já no campo da homossexualidade, os homens, e não as mulheres, acabam comendo menos depois de verem outro homem competitivo. [NewScientist]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

1 comentário

Deixe seu comentário!