Você conhece por inteiro a mais famosa equação de Einstein?

A maioria das pessoas conhece apenas a expressão E = mc², mas esta não é toda a equação de Einstein, que relaciona a energia de uma partícula.

A equação total tem dois componentes, um devido a massa, o já conhecido “mc²”, e o outro devido ao momento, “pc”, onde p é o momento e c a velocidade da luz.

Para quem não lembra, o momento de uma partícula é igual ao produto de sua massa pela velocidade.

Reescrevendo, a equação de Einstein fica:

E² = (mc²)² + (pc)²

Ela pode ser representada na forma de um triângulo retângulo, com a energia total, E, sendo a hipotenusa, e as duas componentes como os catetos.

Em uma partícula sem massa, como o fóton, a parte mc² é zero. Porque a massa é zero, e a equação da energia se torna

E = pc

A energia do fóton é produto do seu momento pela velocidade da luz. Em uma partícula com massa e em repouso, o momento é zero, e a equação da energia é reduzida à sua forma familiar:

E = mc²

Além disso, podemos ver que, quanto maior a velocidade de uma partícula, mais e mais o componente “pc” fica semelhante a “E”, e mais e mais a partícula se comporta como energia. No entanto, ela nunca chega a se tornar energia pura, por causa do componente “mc²”, que fica minúsculo em relação a “pc”, mas não zera nunca.

Veja a explicação no vídeo abaixo. Para assisti-lo em português, ative as legendas clicando no botão “cc”, em seguida clique no mesmo botão e selecione a opção de tradução. [Minute Physics (Youtube)]

Por: Cesar GrossmannEm: 13.11.2012 | Em Espaço, Principal  | Tags: , ,  
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)
Curta no Facebook:

15 respostas para “Você conhece por inteiro a mais famosa equação de Einstein?”

  1. A física contém a matemática, mas aplicando a na realidade. Estudar tudo isto faz muito bem! Quer compreender melhor conceitos matemáticos? Estude bastante a física, pelo menos a nível superior ajuda bastante!

    • Olá Jean, o seu raciocínio está correto. Acontece que por vezes, a matemática em alguns sentidos é muito abstrata, causando as vezes um vazio físico em seu significado, no qual a física se torna o palco preparado para ela, a matemática, fazer a sua apresentação. Uma coisa não se tem dúvida, é muito importante aprender ambas, matemática e física.

  2. Uma maneira de aumentarmos a massa de um corpo é aumentarmos sua rotação. O momento de uma partícula é igual ao produto de sua massa pela velocidade e velocidade também é rotação. Portanto, o spim de uma partícula, dá massa a esta partícula.

    • Esse comentário não faz o menor sentido. Primeiro pq a massa é justamente um dos invariantes que existem na relatividade, essa ideia de aumentar massa movimentando um corpo está errada. Segundo que velocidade é velocidade, rotação é rotação – velocidade angular é uma coisa e velocidade linear outra, à velocidade linear associa-se o momento (linear) à rotação associa-se o momento angular, a variação dessas duas grandezas dá respectivamente a força e o torque. Terceiro que spin é uma grandeza que aparece na mecânica quântica que evita a degenerescência nos níveis de energia, não tem absolutamente nada a ver, a priori, com relatividade, que é uma teoria clássica. Se esse seu comentário fosse verdadeiro, partículas com o mesmo spin, teriam todas a mesma massa, por exemplo, teríamos todos quarks com a mesma massa, o que não é verdade.

    • Massa 0… Se não me engano, vocÊ só poderia dizer isso de um foton que tem o valor da sua massa um número quase 0, acho que não exista nada com massa zero.

    • Bem observado. Na verdade, o momento p definido como p=mv é chamado de momento clássico, por que é a definição da física clássica. No caso da equação de Einstein, o p é o momento relativístico, e usa a massa relativística.

      Procurei uma boa explicação para massa relativística em português, mas não achei, mas tem esta aqui em inglês (use o Google Translator):
      http://frank.mtsu.edu/~phys2020/Lectures/Part_2__L6-L11/L8/Relativistic_Momentum/body_relativistic_momentum.html

      Por este texto, o momento do fóton é dado por outra equação:

      p = h/λ

      h, neste caso, é a constante de Plank, e λ (lambda) o comprimento de “de Broglie” da onda.

      Outra referência pode ser vista em http://en.wikipedia.org/wiki/Planck_constant (desculpe, também é em inglês, a página em português da wikipedia está deixando a desejar).

    • ÓTIMA RESPOSTA!
      EXISTEM DIVERSOS TIPOS DE MOMENTOS, EXEMPLO
      MOMENTO ESTÁTICO DE ÁREA, MOMENTO RELACIONADO AO MOVIMENTO, MOMENTO RELATIVÍSTICO, ETC.
      É IMPORTANTE DIZER QUE ALGUMAS LEIS DA MECÂNICA CLÁSSICA NÃO SE APLICAM A MECÂNICA QUÂNTICA JÁ QUE AS PARTÍCULAS ESTÃO SE MOVIMENTO A VELOCIDADE DA LUZ.
      PORÉM ELAS PARTEM DO MESMO PRINCÍPIO, SERIA COMO COMPARAR O AS LEIS DE NEWTON PARA TRANSLAÇÃO E/OU ROTAÇÃO, AMBAS SEGUEM O MESMO PRINCÍPIO, MAS AS EQUAÇÕES MUDAM RESPECTIVAMENTE.
      DESCULPA OS MAIÚSCULOS, ESTOU NO TRABALHO NO MOMENTO.

Deixe uma resposta