Bebês que nascem fora do tempo normal de gestação têm mais chances de desenvolver paralisia cerebral

Publicado em 2.09.2010

Um estudo com 1,7 milhões de crianças norueguesas chegou a conclusão que bebês nascidos fora do tempo normal (adiantados ou atrasados) tem um risco maior de paralisia cerebral. Ainda assim, os pesquisadores admitem que o risco absoluto é muito baixo.

A paralisia cerebral é um termo coletivo para várias doenças que envolvem o cérebro e o sistema nervoso, e que aparecem na infância. Os investigadores acreditam que as deficiências ocorrem porque o cérebro foi danificado durante o desenvolvimento fetal ou no início da infância.

Dentre as 1,7 milhões de crianças nascidas na Noruega entre 37 e 44 semanas de gestação, um total de 1.938 tinha paralisia cerebral. Uma gestação normal tem 40 semanas. Esse marco foi o que apresentou o menor risco observado, pois apenas uma em cada mil crianças desenvolveu a doença.

Já se conhecia o risco de bebês prematuros desenvolverem paralisia cerebral, mas a maioria das crianças com a condição não nasceram prematuras. Então os pesquisadores testaram o risco entre os que nasceram depois de 40 semanas.

As taxas de risco foram bem parecidas para ambos os casos: duas crianças em mil nascidas com 37 semanas desenvolveram a doença; 1,25 em mil crianças com 38 semanas desenvolveram a doença; 1,36 em mil com 42 semanas e 1,44 em mil nascidas com 44 semanas desenvolveram a doença.

Uma hipótese, segundo os investigadores, é que o cérebro do recém-nascido fica vulnerável se ele nasce antes ou depois da marca normal de 40 semanas. Também pode ser que esse tempo de gestação afete-os, deixando-os propensos a desenvolver a doença, cedo ou tarde. Porém, o link entre o tempo de gestação e o risco de paralisia cerebral continua incerto. [Reuters]

Autor: Natasha Romanzoti

tem 25 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

2 Comentários

  1. A encefalopatia crônica não é uma doença como citado acima.
    é sim uma lesão cerebral que afeta principalmente a motricidade do portador.

    digo isso por que a tive.

    Thumb up 1

Envie um comentário

Leia o post anterior:
meridia
Medicamento para emagrecer aumenta risco de doenças cardiovasculares

Um estudo confirmou ...

Fechar