Jesus x cientistas: quem faz mais milagres?

Muito progresso científico já foi feito desde que Jesus andou pela Terra. Nesse tempo todo, será que os cientistas já conseguiram replicar os milagres ou o filho de Deus ainda está inalcançável?

Virgem grávida

De acordo com a Bíblia, Cristo foi concebido imaculadamente. Hoje, isso acontecer não é nem um pouco impossível, graças à inseminação artificial, quando não é necessário sexo. O primeiro processo desse tipo foi realizado em 1786, por Lazzaro Spallanzani, em um cachorro. John Hunter fez o mesmo com um humano apenas quatro anos depois. Hoje, já é um método comum.

Transformar água em vinho

Infelizmente, ainda temos que pagar caro por um bom vinho. Até onde eu sei, nenhum cientista cogita a ideia de transformar água em vinho. Uma pena, eu diria – e ponto para Jesus.

Curando um aleijado

De acordo com a Bíblia, Jesus curou um homem aleijado, que conseguiu sair andando. Os cientistas já deram os primeiros passos nesse ponto. Vários grupos já estão desenvolvendo terapias para que paraplégicos consigam andar e ficar de pé, ancorados em nervos de plástico, ou estimulando nervos independentes do cérebro.

Alimentando o povo

Não, os cientistas não conseguem multiplicar os pães e peixes. Entretanto, avanços na agricultura e na genética fizeram com que a produção alimentícia crescesse dramaticamente desde a década de 60. O uso de fertilizantes também vem ajudando a multiplicar os nossos alimentos.

Fazer os cegos enxergarem

Jesus fez um homem cego ver. Hoje, os cientistas fazem isso constantemente. Quase metade dos casos de cegueira é decorrente da catarata, a degeneração dos olhos. Com um procedimento de 15 minutos, oftalmologistas conseguem restaurar a visão do paciente.

Com cirurgias laser, médicos podem curar miopias e outras alterações visuais. Em alguns casos, os cientistas conseguem fazer a visão da pessoa ficar duas vezes melhor do que a normal. Por essa nem Jesus esperava.

Ressureição de Lazaro

Após quatro dias de morte, Jesus ressuscitou Lazaro. Será que a ciência conseguiu isso? À parte de eletrochoques e outros métodos de ressurreição, os cientistas ainda não conseguiram descobrir um método de devolver a vida após um período maior. E como os tecidos humanos apodrecem muito rápido sem oxigênio, nesse ponto Jesus tem o monopólio da técnica.

Mesmo assim, o biólogo Mark Roth e colegas estão desenvolvendo uma técnica para colocar e retirar animais de um estado de quase morte, chamado de “animação suspensa”. Eles descobriram que a maior parte dos mamíferos possui um gene dominante que permite uma “flexibilidade metabólica” similar a dos ursos quando hibernam no inverno.

“Nós usamos o termo animação suspensa para um estado onde todos os processos vivos observáveis são parados: os animais não se movem ou respiram, e o coração não bate. Nós conseguimos colocar alguns animais nesse estado por até 24 horas”, afirmam os pesquisadores.

Caso isso pudesse ser aplicado em humanos, seria o mesmo que dar tempo para que médicos pudessem fazer reparos em traumas e prevenir a perda de sangue.

Talvez na próxima vinda de Jesus, os milagres tenham que ser ainda mais impressionantes! [MSN]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 4,00 de 5)
Curta no Facebook:

191 respostas para “Jesus x cientistas: quem faz mais milagres?”

  1. Inutil é uma discurção entre alguem que acredita em uma divindade divina e quem não acredita, eu me considero ateu, sou porque não acredito no irracional, ponto, mais nada, necas, botufas nenhuma! Não acho necessario eu tentar convencer alguem a ser ateu também, dá mesma forma que não é necessario alguem me converter a alguma denominação religiosa, só fico indiginado quando a religião chega ao ponto de cegar e cerrar a mente de uma pessoa tornando-a uma pessoa de monte pequena e que não aceita nada de novo, tudo é a base de deus, inicio, meio e fim é deus, isso é errado, mas, quando a religião ajuda uma pessoa, como ja vi muitas vezes, dá forças para passar por um trauma, tira a pessoa de uma padrão de vida vulgar e lhe dá dignidade, esse sim é o papel da religião, lembro até hoje a frase de um ateu: “A religião é para quem precisa, pessoas como eu não tem nenhuma e nem por isso matam, roubam e fazem qualquer coisa de ruim, religião é a venda que tapa os olhos das pessoas para que elas não possam enchergar coisas ruins e alcansalas.” Existe quem não precisa, e quem é adpeto a ela, nada contra a quem tem uma, só não deixe que ela feche as suas mentes, dá mesma forma que pessoas que usam a ciencia, não deixem que tanta informaçao as deixem loucas.

  2. EX-PADRE declara em,
    Entrevista para receber de mente aberta (1 hora de duração) dada por Marcelo da Luz, conscienciólogo e autor, a William Klein, no Programa “Ciência e Consciência” da TV Compléxis. Tema: Onde a Religião Termina ?.

    http://www.youtube.com/watch?v=i2aAStluHR8&feature=colike

    Oiced Coment:
    Sobre Jesus? o que as fontes gregas e romanas têm a dizer sobre ele? A resposta é de tirar o fôlego. Elas não têm absolutamente nada a dizer sobre ele. Ele nunca é discutido, questionado, atacado, vilanizado ou citado de modo algum em nenhuma das fontes pagãs remanescentes do período. Não há registros de nascimento, relatos de seu julgamento e morte, reflexões sobre seu significado ou discussão sobre seus ensinamentos. Na verdade seu nome não é mencionado uma única vez em fonte pagã do século I.

    E por que isso não é mais conhecido?

    Por que as pessoas nos bancos das igrejas - para não falar das pessoas nas ruas – não sabem nada sobre isso? Seu palpite é tão bom quanto o meu.

  3. O espiritismo é um pouco mais evoluído que o catolicismo, mas está longe de ser o ideal. Criado no século 19, traz uma ideia racista, a meu ver, pois considera o branco como raça superior e não aceitam “preto velho” nem “caboclo”.

  4. Tenho visto inúmeros comentários de pessoas que fazem de TEORIAS cientificas seus próprios deuses e religião, suas mentes não buscam a verdade, mas RACIONALIZAM (tornar racional aquilo que se quer fazer ou acreditar), dizem amém para qualquer “descoberta” que REAFIRME aquilo em que creem e dão glórias ao seu deus (ciência), sempre que esse conquista “vitórias” sobre os deuses inimigos. Conheço ateus que se tivesse o poder necessário, inclusive mandariam matar os infieis e criariam um mundo ateu.
    Deixo para reflexão um trecho do ensaio de Aldus Huxley, Confissões de um Ateísta Profissional: “Eu tinha motivos para não aceitar que o mundo tem uma certa finalidade e, como consequencia, supus que realmente não tinha, sendo que facilmente encontrei explicações satisfatorias para tal suposição. Para mim, como sem dúvida para muitos de minha geração, a filosofia da falta de finalidade era um instrumento de libertação…de um certo sistema moral. Nos opomos a moralidade porque ela interfere em nossa libertinagem”. O fato de não aceitar o que Cristo disse (que Jesus voltaria como juiz) e que havia mandamentos a serem respeitados, sempre foi e continua sendo uma escolha individual.
    A estes nada tenho a dizer ou argumentar, pois despejariam um quadrilhão de teorias e criticas, que vivam como bem desejarem. Porém, aqueles que ainda tem a mente aberta, quero deixar algumas considerações:
    – O fato de diversas religiões existirem indica um instinto natural do ser humano em acreditar em algo maior, confronte uma pessoal com o terror da morte, com o medo e o desespero e um instinto natural fará com que ela peça ajuda. Seria descabido imaginar que esta ferramenta intrinsicamente inserida no ser humano (e apenas nele), não índica que pode existir uma força maior que pode ouvi-lo?
    – Considerando como fatos cientificos as teorias cientificas atualmente aceitas, pesquise e verifique a probabilidade matemática dos inúmeros eventos que culminaram na sua vida acontecerem, as probabilidades são remotas e infimas, e conforme os eventos se somam, as probabilidades diminuem, mas mesmo assim, contra todas as probabilidades você hoje está vivo, olha pra seu computador, se alguem dissesse que ele surgiu por uma série de eventos desconexos, por meio de aleatoriedade e acaso, você acreditaria? A conclusão obvia é que houve um projetista, sem planejamento e controle só surge o caos.
    – A ciência não responde a origem da vida e nem do universo, essa é a verdade, se o universo surgiu do big-bang, quem criou o big-bang? As particulas xpto…ok, e de onde elas surgiram? Igual raciocinio pode ser aplicado a teoria da evolução, quem criou o composto organico inicial? Cabe ressaltar que a probabilidade matemática de que esta molecúla inicial foi criada por acaso é de um sobre 10 seguido de 251 zeros!
    Ainda que admitamos as TEORIAS cientificas como verdadeiras, ao analisar as probabilidades de que os eventos citados ocorressem, acreditar que eles ocorreram por acaso e sem direção, e quase como acreditar numa fé cega, a fé de que o acaso e o caos tem o poder de criar coisas altamente complexas. Isso é mais racional do que crer que um ser altamente poderoso e inteligente criou sistemas vivos similarmente poderosos e inteligentes de forma deliberada?
    Agora, não existe maior evidência da existência de Deus do que a fé, isso é verdade, por isso se tais dúvidas tocam sua mente, mas além disso, se este instinto natural, essa sensação de um grande vazio, temor e tristeza por vezes te assolam eu o convido a um experimento! De forma sincera, como alguém que não sabe da verdade (Sei que nada sei!), peça a Jesus que se Ele existe e se importa com os seus conflitos e com sua vida que de alguma forma muito particular e especifica que Ele se revele a você e que você deseja conhece-lo.
    Comigo funcionou e tenho visto e vivido coisas maravilhosas, experimentado um novo tipo de sabedoria e libertação. Não de Deus, mas da ilusão de achar que somos os senhores do Universo.
    A inclinação do homem para esquivar-se de responsabilidades e de sua dependencia de Deus condicionam, de certa forma sua mente, seus desejo lhe ensinam que “o mundo não é de ninguém; pegue o que quiser e desfrute dele o máximo possível, não há lei, não há moral, não há juiz.

    • Na mais profunda análise filosófica, em relação ao niilismo filosófico, não há como sabermos de fato se há uma entidade que tenha nos originado. Estruturas que componham o metafísico são desconhecidas para nós e ficamos somente especulando sua natureza e suas propriedades ao tentar projetar as mesmas para um entendimento dentro dos nossos padrões de análise. Mesmo assim, por mais limitada que seja nossa análise dentro do escopo racional, é importante analisar primeiramente os modelos que melhor se encaixam na nossa realidade observada e inferida em prol de modelos que surgem de necessidades psicológicas (ou que advenham de outra maneira).

      No primeiro parágrafo, você cita haver pessoas que não buscam a verdade, racionalizando suas vontades. Nisso você está inferindo que OU a pessoa busca a verdade OU a pessoa racionaliza. Como temos uma disjunção exclusiva, você está declarando que ambas não podem estar no mesmo tempo. Mas sabe-se bem que o processo de racionalização induz a razão em cima de fenômenos para que esses sejam parametrizados e haja uma aproximação da verdade. Logo sua conclusão é contraditória.

      Ainda no primeiro parágrafo, você relata sobre a adoração da ciência como um deus (de forma implícita). Bem, a ciência é um método de análise dos fenômenos que acontecem em geral. Ela deriva da filosofia, faz uso da razão e do empirismo para almejar a verdade. Ela é capaz de responder todas as respostas? Não sei. Filosoficamente falando pode haver um conjunto de elementos metafísicos que estejam fora do alcance da metodologia científica. Mas como todo conjunto, esse pode ter cardinalidade zero e o Universo resumir-se a elementos físicos somente. Isso é algo que talvez jamais saberemos.

      No segundo parágrafo, você faz menção às palavras de Huxley. Mas essas eram as motivações dele. Você generaliza de forma apressada, incutindo Jesus (dentre tantos outros, demonstrando apologética) como a contra-parte do argumento. Falsa dicotomia.

      No terceiro parágrafo, declama que quem não aceita Jesus não tem a mente aberta. Non sequitur.

      No quarto parágrafo, diz que a existência de diversas religiões indicando um instinto natural do ser humano em acreditar em algo maior seria um pressuposto para a existência dessa entidade. Isso não passa de abdução mal desenvolvida. A necessidade da religião pode bem ter sido um auxiliar para as sociedades primitivas, onde o foco em um objetivo, o medo do desconhecido e a idolatria de um líder (mesmo que seja transcendente) permitiria um melhor desempenho nas empreitadas tão difíceis de nossos antepassados remotos. A pressão do ambiente, das condições do momento, faziam das proto-religiões uma característica positiva (com altas chances de ser mantida com as gerações futuras) para o homem. Um modelo plausível para o surgimento das religiões.

      No quinto parágrafo, você gera um espantalho vergonhoso. Os modelos de abiogênese relevados trabalham com o desenvolvimento gradual dos elementos não-orgânicos para os orgânicos (e posteriormente vivos). Acreditar que em um único passo um conjunto de elementos não orgânicos passe a ser orgânico é ingenuidade. Além de modelos de abiogênese química, temos outras hipóteses como a da panspermia (essa menos aceita na comunidade científica) por exemplo.

      Ainda em relação ao quinto parágrafo, você considera que a probabilidade seja algo para mensurar a probabilidade de um evento que já tenha acontecido. Errado! Fazemos uso da probabilidade para mensurar as chances em um evento que possa vir (ou clamada de antemão). Imagine uma urna hipotética com 10^300 bolinhas com características distintas. Você retira uma. As chances de você retirar essa bolinha eram de 1 em 10^300, mas mesmo assim tirou. Foi impossível? Não. O evento aconteceu. Agora se de antemão você tivesse declarado que queria tirar essa bolinha (que contém uma característica única entre 10^300 características), as probabilidades seriam extremamente baixas (mas não impossível).

      E para finalizar a análise do quinto parágrafo, você considera que todo o processo foi aleatório. Errado! Se fosse um conjunto totalmente caótico, em desordem total, nenhuma estrutura teria se originado. Se fosse em total ordem, tudo estaria perfeito e não veríamos modificação alguma. Mas se modelarmos o Universo como um sistema complexo, auto-organizável, onde há ordem e desordem (algo observado no mesmo), podemos ver que formas e estruturas poderiam se formar através de leis simples (como as forças elementares da Física). Um possível modelo.

      No sexto parágrafo, você se limita a uma personalidade, gerando a priori a necessidade de alguém criar algo, fazendo petição de princípio ao seu argumento da necessidade de haver um designer inteligente. Outra falácia. Se dentro de um dos modelo cosmológico do Big Bang, o tempo inicia com este, como você deseja impor o mesmo antes dele? Quando projetamos nossas análises para instantes próximos ao Big Bang, a Teoria da Relatividade começa a deixar de funcionar e adentramos um mundo aparentemente quântico (esse bem conhecido por suas incertezas). A partícula primordial poderia estar lá “a todo o momento” e por instabilidade começou a expandir gerando o tempo. Se não havia tempo, não há porque conjecturar tempo antes do instante inicial. Mas esse é somente outro modelo.

      Como o resto é apologia, não vou comentar. Mas abrir a mente significa considerar diversos pontos de vista, inclusive que você possa estar errado.

    • “Quem é ‘nós’? Tais estruturas não são desconhecidas para TODOS nós.”

      Quando digo nós, me refiro aos seres humanos em geral. Há alguma comprovação que demonstre que pelo menos uma pessoa tenha conhecimento das estruturas do metafísico? Há uma barreira epistemológica para o conhecimento daquilo que está além do que observamos, logo é mais provável que ninguém tenha esse conhecimento, até provado o contrário (e estou aberto para possível explicações).

      “Padrões de análise científica atual dentro de um escopo racional não fazem sentido no campo da metafísica.”

      Quando me refiro aos padrões de análise, não restrinjo o mesmo ao escopo científico, mas estendo também ao escopo lógico e filosófico. Se não for comprovada a natureza do metafísico, não há como declarar que essa esteja fora dos padrões de análise atual.

      “O que é a REALIDADE OBSERVADA? O que chamam de REALIDADE é completamente falso diante da física quântica. A própria ‘matéria’ ainda não tem um modêlo científico estruturado.”

      Quando vamos analisar alguma coisa, onde é melhor começar a análise: em cima de modelos que conhecemos, ou em cima de modelos alternativos? Dentro da realidade observada (conjunto de modelos que possuímos até então), se nenhum desses modelos satisfizer as observações e análises de um determinado fenômeno, partimos para outros modelos menos ortodoxos. Aplica-se o princípio da Navalha de Occam e adiciona-se elementos conforme for necessário para a análise de um fenômeno qualquer.

      Agora, se os elementos da metafísica estão além dos nossos métodos, não é somente com a imaginação que vamos descobrí-las (se isso for possível). É necessário aplicar algum método de falseabilidade. Sem controle, tudo fica na especulação e nada se deriva.

  5. QUEM FEZ MAIS MILAGRES?

    No meio cristão, o milagre tem um papel central e é considerado a prova da origem divina de qualquer uma das «verdades de fé». Tem como finalidade conduzir os seres humanos a Deus de modo extraordinário. Na maior parte das religiões cristas não é pedido que se acredite em nenhum outro milagre que não sejam os narrados na Sagrada Escritura. Estes são considerados como fazendo parte da Revelação pública Divina. Os demais são considerados como fazendo parte de Revelação Privada ou particular e não há a obrigatoriedade de se acreditar neles.

    Um milagre ou miráculo (do latim miraculum, do verbo mirare, “maravilhar-se”) é um acontecimento dito extraordinário que, à luz dos sentidos e conhecimentos até então disponíveis, não possuindo explicação científica ainda conhecida, dá-se de forma a sugerir uma violação das leis naturais que regem os fenômenos ordinários. Para grande parte dos teístas, sua realização é atribuída à omnipotência divina, sendo considerado como um ato de intervenção direta de Deus (ou de deuses) no curso normal dos acontecimentos. Geralmente os milagres têm, segundo esses, propósitos definidos, sendo o mais comum o de beneficiar, por mérito moral e ou de fé, adeptos de determinada crença em detrimento dos não adeptos, que permanecem sujeitos às leis regulares.

    À luz da ciência moderna, embora haja certamente muitas perguntas ainda sem resposta, situação plenamente coerente com o método científico e com o dinamismo e o ceticismo da ciência em sua definição moderna, não há milagres verificados. A busca científica por explicações para os fenômenos suportados por fatos verificáveis (fatos científicos) tem historicamente conduzido a teorias científicas e explicações naturais para todos os fenômenos até então conhecidos. À luz da ciência, a natureza funciona conforme ela é, e não da forma como alguma deidade ou mesmos nós gostaríamos. Cabe a nós por tal entender as regras e não impô-las à mesma.

    Sob concepção científica o universo é regido por regras naturais e não vontades sobrenaturais, e a crença exarcebada na não veracidade dessa afirmação pode implicar riscos significativos, incluso o risco de morte, não apenas para os demais seres vivos como também, sobretudo, para a pessoa humana. [ Nas palavras de Richard Dawkins, biólogo inglês, “(…) a natureza não é cruel, apenas implacavelmente indiferente. Esta é uma das lições mais duras que os humanos têm de aprender.”

    Porque não prova para nós a existência desses milagres ?
    Que tipo de milagres?
    Quem foram os “curados” ?
    Cite os nomes, idades, profissao !!
    Onde exatamente se realizaram ?
    Que doencas tinham ?
    Você tem os atestados médicos realizados por uma junta de médicos imparciais (nao-crentes, de preferencia) ANTES e DEPOIS da suposta “cura”, autenticados em cartório ?
    Vc tem os exames médicos realizados ANTES e DEPOIS da “cura” ?
    Tem fotografias do ANTES e DEPOIS (de preferencia, nao-manipuladas por Photoshop, e que sejam da mesma pessoa, no mesmo dia) ?
    E quem garante que foi Jesus, a Virgem ou Santa que os curou ?
    Eles regeneraram algum membro amputado ?
    Eliminou queimaduras de 2° e 3° graus da pele ?
    Corrigiu deformidades fisicas congênitas ?
    Curou surdez de quem ja nasceu com nervos danificados ?

    Ahn ? Não ? Não tem provas ? Tão lá no Vaticano!?

    Ta bom…. vc D.R. é só um crente… acredita por acreditar…. mas nao é capaz de provar nada. So papinho da boca para fora.

    Só mais um pouco, você vai crer que Jesus é Papai Noel disfarçado que voa de casa em casa para comer biscoitos e deixar presentes…

    DR comentou:…o Alcorão não pode ter sido inspirado e muito menos ditado (como acreditam os muçulmanos) por um anjo de Deus!

    Resposta: E o anjo Gabriel como fica?

    • Oiced, muito bem, milagre é isso mesmo; é algo maravilhoso que transcende as leis da natureza. De outra forma, como poderíamos saber que ele vem de Deus?

      Porém, milagres autênticos são muito raros; como já dito, é uma fato extraordinário e não um fato ordinário; é como que a assinatura de Deus para confirmar sua existência, sua Igreja e sua verdadeira doutrina. Por isso, se existe um só Deus verdadeiro e ele fundou uma única Igreja, só pode acontecer milagres autênticos numa única religião do mundo.

      E, por incrível que pareça, existe um fato no mundo que não deveria ser desprezado por ninguém: segundo o Pe. Quevedo e outros estudiosos do assunto, só existem milagres autênticos (comprovados pela ciência) na Igreja Católica e em nenhuma outra religião do mundo!

      Quando ele afirmou isso, eu também fiquei desconfiado; mas, até agora, pesquisando na internet (pelo menos, na língua portuguesa, espanhola e inglesa), não consegui encontrar nenhum grande milagre de outra religião do mundo que tenha passado pelo crivo da ciência. Por exemplo, na religião islâmica, só encontrei frutas cortadas ao meio ou nuvens formando a palavra ‘Alá’ em árabe (o que pode ser pareidolia) e uma pedra com as marcas das patas do cavalo de Maomé que, segundo li, teria sido arrebatado ao Céu (mas que não tem como se comprovar cientificamente). No hinduísmo, parece que um dos mais famosos é uma estátua de elefante que bebe leite; no entanto, já foi investigado pela ciência e desvendado o fenômeno. Etc. Nenhum milagre permanente no budismo, no espiritismo, na umbanda, nas religiões indígenas, nem mesmo nas religiões cristãs protestantes que possa comprovar sua autenticidade e a sua doutrina!

      Agora, compare isso com os milhares de milagres da Igreja Católica. Milhares de religiões no mundo e, estranhamente, uma só delas com milhares de milagres; muitos dos quais, já investigados e comprovados pela ciência!

      Será que só os padres gênios forjadores de milagres da Igreja Católica é que são tão espertos e competentes assim a ponto de conseguir enganar, confundir e espantar a própria ciência moderna?

      Concordo com suas perguntas sobre milagres. Realmente, a banalização de curas milagrosas pela televisão sem uma investigação científica tem confundido muita gente; a grande maioria, quando não são fraudes, provavelmente são curas de doenças psicossomáticas e não fisiológicas; ou então, ‘cura’ dos sintomas e não das causas da doença. Não é à toa que o Pe. Quevedo desafia qualquer pastor ou médium a lhe curar uma simples cárie de dente.

      Porém, pelo menos a Igreja Católica entrega seus supostos milagres à ciência para uma séria investigação científica antes de dar seu aval de autenticidade. Na verdade, ela costuma ser até mais rigorosa do que a própria ciência; basta ver que o Bureal Médico de Lourdes e o Comitê Médico Internacional de Lourdes já constataram mais de 7.200 curas sem explicação pela medicina; porém, dessas, a Igreja Católica somente aprovou 68 curas como milagres até agora. Pouquíssimas supostas curas milagrosas que são enviadas à Igreja para a beatificação ou canonização de santos, são reconhecidas. E o próprio Santo Sudário ainda não foi oficialmente reconhecido pela Igreja Católica; apesar de todos os testes, exceto o da datação por C14, terem confirmado sua autenticidade.

      Portanto, esqueça os ‘milagres’ da TV que não passaram por nenhuma investigação científica; se concentre nos grandes milagres que já foram investigados pela ciência. Pois, os demais (como você mesmo bem argumentou), mesmo que sejam verdadeiros, não tem como a gente comprovar.

      Sobre se milagres regeneraram membros amputados, deformidades congênitas, surdez ou cegueira real, existem sim; mas, segundo o Pe. Quevedo, somente na Igreja Católica! Vide, por exemplo, o famoso Coxo de Calanda; cuja perna ficou enterrada por quase três anos e reapareceu; apesar de ser um milagre de 1640, está tão fartamente documentado que pode-se até especular que a operação foi feita por ETs, viajantes do futuro, Dr. Fritz, etc.; menos que o Coxo de Calanda não existiu, ou que não tenha sido amputada sua perna ou que ela não tenha reaparecido de volta após 3 anos enterrada. Entres os primeiros milagres de Lourdes, consta o caso de um homem que havia perdido a visão em uma explosão numa mina há mais de 20 anos e recuperou a visão. O Pe. Quevedo, num de seus livros, cita até um caso em que vários órgãos de um paciente já haviam sido removidos e, após o pedido de sua mulher a uma santa (não me lembro qual), os órgãos reapareceram! Etc.

      Mas, com certeza, não são muitos casos não; pois, milagres autênticos, são muito raros e são mais para confirmar a existência de Deus, a autenticidade da Igreja e para a salvação das almas do que para a cura do corpo. E, conforme alardeia o Pe. Quevedo, só ocorrem em ambiente divino católico; pelo menos até agora, não consegui refutá-lo!

      Agora, afirmar que à luz da ciência moderna não há milagres verificados é uma grande mentira e uma grande calúnia! Basta ver que o Santo Sudário já é o objeto mais estudado em toda a história da ciência; e os cientistas sequer sabem (após décadas de pesquisa) como a imagem foi formada; mas sabem que não é uma pintura, um decalque, uma fotografia, ou seja, que não pode ser uma falsificação medieval. A última investigação (de 5 anos) dos físicos (DE VERDADE) italianos do ENEA, chegou à conclusão de que a imagem só poderia ter sido formada de uma vez por um laser de luz ultravioleta de 34 trilhões de watts! Isso não é ‘conto de fadas’ e nem ‘História da Carochinha’ não, são pesquisas científicas extremamente sérias!

      Em quem acreditar? Em você e no mágico Joe Nickell e companhia limitada ou em cientistas de verdade? Tais como: Richard Kuhn (Prêmio Nobel de Química), Phillip Callaghan e Jody Brant Smith (cientistas da NASA), Dr. Aste Tonsmann (Centro Científico da IBM), Dr. Javier Torroella (consultor da OMS), Dr. Enrique Graue (um dos mais competentes oftalmologistas da América), etc.; que estudaram o MILAGRE DA IMAGEM DE GUADALUPE; que, numa única ‘cajadada’, converteu mais de 8 MILHÕES DE ÍNDIOS mexicanos sem derramamento de sangue! E tais como: Dr. Raymond Rogers (famoso químico de Los Alamos com mais de 40 artigos publicados com peer review), competentes físicos (como os do ENEA e da NASA), cientistas das mais diversas áreas da equipe do STURP, químicos, botânicos, médicos, anatomistas, legistas, microscopistas, etc.; que estudaram e ainda estudam o SANTO SUDÁRIO, o objeto mais estudado pela ciência em toda a história e considerado por muitos o QUINTO EVANGELHO (tamanha a semelhança com os relatos dos evangelhos canônicos)!

      Por isso, eu ainda insisto:

      Deem uma boa pesquisada em milagres permanentes existentes no mundo que vocês também irão se surpreender e ficar pasmos também. Por exemplo, assistam os documentários que indiquei sobre o Santo Sudário e Guadalupe, ou leiam os livros “MILAGRES – A CIÊNCIA CONFIRMA A FÉ” e “OS MILAGRES E A CIÊNCIA” do Pe. Oscar Quevedo, ou vejam os artigos do site “CIÊNCIA CONFIRMA A IGREJA”, etc.; para verem que esse assunto é realmente sério!

      Quem ainda não viu, não deixe de ver, por exemplo, o incrível documentário do History Channel “GUADALUPE: UMA IMAGEM VIVA” (http://www.youtube.com/watch?list=PL1C4E8C1D0C7F8C7D&v=621g-3SSDh4&feature=player_embedded) e também o excelente e sério documentário do Discovery Channel “O MISTÉRIO DO SANTO SUDÁRIO” (http://www.youtube.com/watch?v=M9j38PmEGWA) e sua continuação “O SUDÁRIO DE TURIM” (http://www.youtube.com/watch?v=h_1_ag_H6Kk). Anotem os nomes dos cientistas entrevistados e procurem seus currículos na internet para ver se não são CIENTISTAS DE VERDADE!

      É lógico que eu não posso provar nada (Não sou cientista!); nem você, nem Joe Nickell e companhia limitada, nem fanáticos religiosos ou céticos e nem especuladores de plantão, nem teólogos, nem filósofos e nem mesmo a IGREJA; pois, quem tem autoridade e competência para tal é apenas a CIÊNCIA!

      Porém, é lógico também que a ciência NÃO pode afirmar que quem fez o milagre foi DEUS (Isso sim cabe à Igreja!); o que ela pode afirmar é se um suposto milagre tem ou não explicação natural pelas leis da natureza!

  6. Em resposta, para refletir, abstrair e concluir!

    As 3 grandes religiões monoteístas, cristianismo, judaísmo e islamismo – pregam a paz , a tolerância e o amor ao próximo. Mesmo assim elas deixaram suas marcas em guerras e banhos de sangue ao longo da história.

    Para os pesquisadores, uma explicação estaria na própria lógica do monoteísmo:

    SE APENAS O “MEU” DEUS É VERDADEIRO, OS “OUTROS” CERTAMENTE SÃO FALSOS – E SEUS SEGUIDORES , INFIÉIS.

    Deuses existem? Claro que sim; além de Brahma, Vishnu e Shiva só no Hinduísmo na Índia há 330 milhões.

    Os Romanos tinham mais de 1.000.
    Os Gauleses tinham em torno de 750 deuses.
    Os Gregos, uns neuróticos, tinham mais de 1.500 deuses fora os semideuses.
    Os Egípcios tinham algo como 3.500 deuses.

    Os cristãos têm um “mistério da fé”, a quem eles chamam de um Deus que é 1 em 3( três entidades ao mesmo tempo : Pai, Filho e Espírito Santo),têm o dogma da Santíssima Trindade ) o pai é Deus, o filho é Deus e o Espírito Santo é Deus, Um Deus único ainda que formado por 3 pessoas, que desafia a lógica. E têm o Diabo e têm o dinheiro, seu deus maior.

    Os católicos, além dos acima citados, têm um sem número de semideuses, os chamados “santos”.
    Juntando tudo, dá um bocado de deuses; e olha que eu não citei nem a metade.

    É claro que tudo isso pressupõe que o Deus do qual estamos falando seja uma inteligência pessoal, como Jeová, Alá, Baal, Wotan, Zeus ou Krishna. As 10 mil religiões são diferentes , MAS TODAS ELAS EXIGEM A EXCLUSIVIDADE!

    Não foi Jesus quem resolveu a vida de vocês, foi a fé de vocês. Muçulmanos acreditam em Jesus profeta, mas quem resolve é Maomé. Não há outro deus senão Alá que será o Deus mais popular do planeta e Maomé é seu profeta, ó último e mais exemplar de todos. A mensagem divina , segundo a tradição islâmica, só foi revelada de forma completa com Maomé e por meio do Alcorão.

    “Para Deus a religião é o Islam…” (Alcorão Sagrado 3:19).

    Os judeus,não acreditam em Jesus como messias, mas têm fé no deus único. E para aqueles que realmente têm fé, a vida muda, pois fazem alguma coisa por convicção plena de estarem fazendo o certo. Qualquer pessoa que tiver plena fé em qualquer coisa terá sua vida mudada. Vocês não conheceram Jesus, apenas acreditam com muita “fé” que o conheceram.

    Apenas para uma comparação estatística: os judeus, que são hoje no mundo todo cerca de apenas 18 milhões têm, em proporção, muito mais pessoas em excelentes condições de vida que os cristãos ou muçulmanos. Eu disse proporcionalmente. E eles não acreditam em Jesus.

    Então, quem mudou a vida deles? Eles mesmos. Sabem por quê?

    Por que, além de acreditarem piamente que são o povo escolhido, como está escrito no livro que eles acreditam ter sido deus quem escreveu, eles investem pesado em educação e cultura. Não ficam esperando deus mandar nada, vão buscar. Por isto a imensa quantidade de judeus entre os premiados pelo Nobel, os maiores maestros, cientistas, escritores etc.

    Por falar em povo escolhido, os cristãos, exceto os judeus convertidos, não são judeus, portanto não são o povo do deus bíblico, como está escrito no próprio livro. Se é realmente verdade a bíblia, no final dos tempos os cristãos vão se ferrar. Ou será que nesta parte do livro os cristãos não querem acreditar? Hipocrisia conveniente.

    Se formos olhar para as estatísticas do mundo, Jesus não salva ninguém, condena a uma vida medíocre, mas achando que são os medíocres mais amados por ele. E ainda rezam para que os que não acreditam nele se ferrem, contrariando o que ele teria dito sobre amor ao próximo. Ou então, cinicamente dizem que Jesus terá piedade de suas pobre almas infiéis.

    Ah, chega, quem quiser entregar a própria vida para uma coisa que não existe que entregue, afinal o livre arbítrio está aí para isto, né?

    Deus e Jesus é uma questão de fé?
    O Jesus judeu lendário dizem que falaria aramaico, um dos muitos dialetos daquelas terras e depois de morto, embora ele não falasse grego,foi-lhe dado o nome grego de Cristo. Deste judeu lendário Jesus, consta que aos 12 anos de idade, deixou espantados os Rabinos e os doutores da Lei mosaica, com seu expediente de menino prodígio, mas depois não mais se fala dêle, senão só mais tarde e já aos 30 ou 33 anos de idade quando surgiu a pregar uma Religião que chocava com a Lei de Moisés. Mas então por onde andou metido este menino prodígio?!
    Os judeus dissidentes na diáspora, influenciados pelo helenismo e pela Religião persa de Mitra, deram-lhe o nome grego de Cristo e fundaram o Cristianismo, dizendo que êle era o filho de Deus e que tinha vindo ao Mundo para sofrer e morrer imolado como o cordeiro de Deus para remir o pecado original, pecado este extensivo a toda a humanidade e que tinha resusssitado ao terceiro dia após a sua morte na cruz e que subiu ao Céu onde está sentado à mão direita de seu Pai.

    Ora se Deus é um espírito, Espirito Santo que engravidou uma mulher virgem, como ensina a Igreja,como é que tem mãos e membro? E a propósito de tanto absurdo, para rematar, eu pergunto:- Que Deus é esse assim tão mau/ tão cruel, tirano e sanguinário/que se porta tão mal e ainda mata o “filho” no Calvário?!

    Por algum motivo, os evangelistas que abordam o tema do “nascimento de uma virgem” não se importam muito em explicar por que uma Mariazinha de 12, 13 anos, casada com um José de uns 18 — os dois, evidentemente, cheios de tesão e com a permissão de Deus e da sociedade para transarem à vontade — ainda conservava a virgindade, quando o anjo Gabriel chegou para anunciar o estupro divino. É sim: estupro. Se você quiser ler com atenção o B.O., vai se dar conta de que o tal anjo veio só comunicar a decisão de Deus, e Maria, já sabendo quem era a peça, uma divindade histérica que, por qualquer bobagem, matava e mandava matar, resignou-se à sua sorte.

    O curioso é que os outros deuses de então que se aventuravam a ter filhos com as mortais, pelo menos, tinham a decência de virem eles mesmos fazerem o “serviço”. Zeus, por exemplo, disfarçava-se de cisne para seduzir suas pretendidas, ou tomava a forma do marido delas e mandava ver!
    Deus, por outro lado, sempre teve essa notória aversão pelas mulheres; esse nojinho indisfarçável do sexo feminino e, na certa, não iria querer poluir o seu corpinho santo com as secreções vaginais das fêmeas da nossa espécie.

    Se como ensina a Igreja,Deus é um Ser com todos os seus predicados num grau infinito, não pode ter necessidade seja do que fôr. Então porque criou o Mundo e depois, de um bocado de barro, fez Adão (na narrativa de criação da Bíblia hebraica revela q foi na forma de vento que Deus deu vida a Adão) e duma costela dêste,fez Eva?! Depois de os colocar no Paraíso Terreal que segundo consta seria na Mesopotâmia (Iraque), proibiu-os de comerem o fruto da árvore da ciência do Bem e do Mal que era afinal uma macieira. Mas o Diabo disfarçado de serpente (uma cobra falante no Jardim do Éden) tentou Eva que deu também a maçã a Adão. Esta transgressão (pecado original) levou Deus a expulsá-los do Paraíso Terrestre. Dali em diante todos seriam pecadores, mesmo que o primeiro casal Adão e Eva nunca tivessem existido!

    Ora se o primeiro casal nunca existiu, e se a morte nos acompanha desde a origem, o sacrifício de Jesus aparentemente perde sentido. E pior: Deus teria criado um Universo cheio de sofrimento e dor.

    Aqui eu faço uma pergunta:
    -Se, como ensina a Igreja, Deus é o único Criador de tudo o que existe visível ou invisível, também criou o Diabo e o Inferno,o que está em contradição com o Ser infinitamente Perfeito Se Deus é infinitamente Sábio, sabia antecipadamente que Adão e Eva não cumpririam a sua ordem. A conclusão a tirar é que um DEUS tirano, caprichoso, cruel como o Deus bíblico-judaico-cristão, só pode ter sido CRIADO PELO HOMEM à sua imagem e semelhança e a respectiva Religião segundo os seus interesses.

    Afirmações desse tipo talvez expliquem por que muita gente decide trocar livros de religião pelos de filosofia, que tentam encontrar um caminho para a paz interior por meio da razão.

  7. Resposta para D.R.
    Maomé, esse sim de fato existiu! e o

    O Alcorão não foi estruturado como um livro durante parte da vida de Maomé. À medida que o profeta recebia as revelações, ele solicitava a jovens letrados que integravam a sua comitiva que transcrevessem os textos. O chefe desta equipe de secretários, que surgiu de forma institucionalizada após a Hégira, em Meca, foi Zayd ibn Thabit.

    O texto foi preservado em materiais dispersos tão variados como folhas de tamareira, pedaços de pergaminho, omoplatas de camelos, pedras e também na memória dos primeiros seguidores. Durante as noites do Ramadão, Maomé recapitulava as revelações, numa conferência onde estavam presentes os logógrafos (escritores profissionais) e os hafiz, ou seja, pessoas que conheciam passagens de memória (que escutaram nas prédicas do profeta).[6 fonte Wilkipedia]

    Após a morte de Maomé em 632 iniciou-se o processo de recolhimento dos vários extratos.
    632-634: (califado de Abu Bakr)
    Mohammad, que não tinha filho homens, morre sem deixar herdeiros. É sucedido por Abu Bakr, que comanda a expansão do Islâmica por toda a península árabe, Síria, Palestina e Pérsia. Após sua morte é sucedido por Omar Ibn al Kahattab, que conquista o sul do Iraque e também o Egito.
    634-644: califado de Umar, o segundo sucessor;
    O texto do Corão é lançado

    Para alguns, o Alcorão teria sido reunido na sua forma atual sob a direcção do califa Abu Bakr nos dois anos que se seguiram à morte de Muhammad; outros defendem que foi o califa Omar o primeiro a compilar o Alcorão.
    Considera-se que a verdade está a meio termo: Abu Bakr foi aconselhado por Omar a compilar um primeiro manuscrito, auxiliado na tarefa por logógrafos e por dois hafiz.

    Já sobre Jesus, lhe aconselho a ler (para testar a sua fé):
    Quem Jesus foi? Quem Jesus não foi? de Bart D. Ehrman

    • Oiced, desculpe, parece que meu último comentário não passou na moderação; vou tentar resumi-lo mais para ver se passa.

      Não nego a existência de Maomé, assim como nem a existência de Jesus, Buda, Confúcio ou mesmo Zoroastro e outros grandes personagens históricos.

      Agora, se Maomé era um profeta de verdade e realmente recebeu tais palavras do anjo Gabriel, se era um charlatão, se era esquizofrênico ou sofria de histeria (como alguns médicos diagnosticaram Ellem White), se foi enganado pelo Demônio, é muito difícil saber a verdade.

      Mas, o que podemos saber com toda certeza, é que o Alcorão e os islamismo em si contem doutrinas contraditórias às doutrinas da Bíblia e do cristianismo; como, por exemplo, ao contrário do cristianismo, o islamismo afirma que Jesus não era Filho de Deus mas um mero profeta como Maomé. Portanto, ambos não podem ser verdadeiros; ou ambos estão errados ou, então, somente um deles. E isso é uma questão de lógica e não de fé!

      Porém, há um grande problema com o Alcorão e a Bíblia que leva a uma conclusão lógica inquestionável: O Alcorão (tido pelos muçulmanos como a palavra inquestionável e infalível de Deus) afirma que a Bíblia também é a palavra de Deus e que o Alcorão é a continuação dessa revelação divina; e que, portanto, o judaísmo e o cristianismo (referenciados no Alcorão como ‘o povo do Livro’) seriam religiões verdadeiramente instituídas por Deus.

      Portanto, isso leva a outra conclusão lógica: se em algum ponto o Alcorão contradiz a Bíblia, isso significa que o Alcorão só pode estar errado e, portanto, o Alcorão não pode ter sido inspirado e muito menos ditado (como acreditam os muçulmanos) por um anjo de Deus!

      E o problema é que o Alcorão realmente contradiz a Bíblia em vários pontos; e, portanto, contradiz a si mesmo!

      Por exemplo, contradições quanto aos dias de criação, erros sobre Abraão, erros sobre Moisés; erros sobre a Santíssima Trindade, sobre a natureza, personalidade e missão de Jesus Cristo; erros sobre a Virgem Maria (confundindo esta com a irmã de Moisés), sobre o local de nascimento de Jesus, a pregação de um paraíso carnal cheio de vinho e sexo livre, etc.

      Além de auto-contradições no próprio Alcorão, como o personagem celeste que apareceu à Maomé, o local onde seus seguidores deveriam ficar voltados para rezar, revelações convenientes à Maomé como o número de esposas, etc.

      Desse raciocínio, podemos concluir apenas o seguinte:

      Ou a Bíblia e o Alcorão são ambos falsos (e, aí, ‘xeque mate’ para os ateus), ou apenas a Bíblia é verdadeira e o Alcorão é falso. O que não é possível é o Alcorão e a Bíblia serem ambos verdadeiros (já que se contradizem mutuamente) ou o Alcorão ser verdadeiro e a Bíblia falsa (já que o Alcorão afirma que a Bíblia é verdadeira).

      Entendeu o raciocínio?

      —-

      Por isso, não é possível acreditar que todas as religiões são verdadeiras já que suas doutrinas são contraditórias. Se Deus não poderia ter revelado nem duas religiões com doutrinas contraditórias, quanto mais as milhares que existem no mundo. Se realmente existe um único Deus verdadeiro, só pode haver uma única revelação e uma única doutrina verdadeira. A não ser que Deus fosse um mentiroso e ficasse fazendo nós aqui na Terra de bobos!

      E se existe uma religião no mundo que tem chance de ser verdadeiramente fundada por Deus (gostemos ou não) é a Igreja Católica e nenhuma outra. Por causa da sua origem histórica e dos seus milagres, ou ela é única religião verdadeira; ou, então, tenho de concordar contigo e com os demais ateus que Deus realmente não existe!

      Isso parece ser um ponto a mais para o ateísmo, aliás vocês acreditam apenas numa religião a menos do que eu; e, se provarem que a Igreja Católica também é falsa, provarão que Deus não existe. Por outro lado, é exatamente isso (existir uma única religião verdadeira) que se espera, caso Deus seja único e realmente exista!

      Porém, o movimento cético moderno irá barrar na nau da Igreja de Cristo que navega pelo mar da história. Parece fácil vencê-la, não?

      Mas, se nem os fariseus, o Império Romano, os bárbaros, diversos reis e imperadores, os reformadores, os movimentos filosóficos anti-cristãos, os iluministas, os naturalistas, os positivistas, os revolucionários, os comunistas, os ditadores, o relativismo religioso, etc., e nem o mesmo próprio Demônio conseguiram naufragá-la; não será o movimento do neo-ateísmo que irá vencê-la!

      Pois, até hoje se cumpre a promessa de Cristo (ao fundar sua Igreja) de que as portas do Inferno não prevalecerão contra ela e que estaria conosco todos os dias até o fim dos tempos.

      Acreditem, não estou querendo fazer apologia gratuita ao catolicismo e nem menosprezar os ateus e as demais religiões (cristãs ou não) e dizer que estão todos condenados (sabemos que ninguém tem culpa de nascer em determinada religião; temos que confiar na justiça e na misericórdia de Deus e em outros meios de salvação instituídos por Ele que não nos foi revelado), mas essa é uma conclusão lógica e racional da qual não temos como fugir. Podemos dizer que quase todas as religiões têm sim elementos de bondade e de verdade; mas elas são frutos da busca do homem por Deus; enquanto que a religião judaica e cristã (em especial a Igreja Católica fundada por Cristo) é o resultado da busca de Deus pelo homem culminada na revelação pública do Filho de Deus na pessoa de Jesus Cristo há cerca de 2000 anos atrás.

      E se existe um FATO no mundo, que não deveria ser desprezado por ninguém, são os grandes milagres permanentes que (gostemos ou não) só ocorrem numa única religião do mundo: a Igreja Católica!

      É doído e difícil de ouvir isso para quem não acredita em Deus ou quem é de outra religião?

      Sim, é!

      Mas, infelizmente ou felizmente, é uma VERDADE que não pode ou não deveria ser ignorada ou desprezada por ninguém!

      Pelo contrário, deveria ser motivo de júbilo e alegria por todas as religiões e por todos os povos da Terra; pois, os grandes milagres da Igreja (muitos dos quais já passaram pelo crivo legítimo da Ciência oficial) são a maior prova objetiva da existência de Deus e de que não estamos sós neste mundo e renegados a uma inexistência eterna após a morte!

      —-

      Quanto à testar minha fé, ela já vem sendo testada há muito tempo; seja por ex-professores marxistas, por parentes e colegas protestantes e ateus, por pastores protestantes, por sites de apologia de outras religiões, por sites céticos, por documentários e pseudo-documentários como Zeitgeist, por ativistas neo-ateus como Dawkins, você e tantos outros. O que eu posso dizer é que, por incrível que pareça (embora no começo abale um pouco), a minha fé se torna cada vez mais sólida; talvez porque eu sempre procuro ver os ‘dois lados da moeda’ e não confiar apenas numa versão dos fatos. Fora que, por causa dessas pesquisas e discussões e busca pela VERDADE, já aprendi muito sobre a história do mundo e da Igreja e de outras religiões e também sobre ciência; e isso, na verdade, me fez muito bem, pois deixei de ser um crente ingênuo e aprendi a conciliar a fé com a razão!

      E, por mais absurdo que pareça, acredito que esse trabalho intensivo que vocês ativistas ateus estão fazendo na internet, na verdade, o ‘tiro vai sair pela culatra’ e, no fim, vai ajudar muitos crentes a deixarem de ser incautos e ingênuos também e se tornarem bem mais cultos e sábios; e, de lambuja, sairão com a fé muito mais provada e fortalecida! Portanto, muito obrigado!

      —-

      Já quanto aos livros de Bart Ehrman, se o Jesus histórico é diferente do Jesus bíblico e não fez milagres, se os evangelhos originais contém erros ou se foram totalmente adulterados por copistas amadores ou inescrupulosos, como saber a verdade; já que sobre o passado longínquo, literalmente enterrado pela história, qualquer um pode especular o que quiser? E se os livros da Bíblia não foram inspirados por Deus, como pode haver neles profecias autênticas; em especial, as que foram cumpridas na pessoa de Cristo?

      Quem Jesus foi? Quem Jesus não foi?

      NÃO, QUEM JESUS É:

      http://www.youtube.com/watch?v=xmhjUeoMvXc&feature=player_embedded#!

      Acredito que a verdade mesmo só virá à tona com novas escavações e descobertas arqueológicas, enquanto isso, tudo ficará no campo da especulação histórica.

      Antes, muitos estudiosos acadêmicos também sustentavam a hipótese de que o Velho Testamento também tinha sido totalmente adulterado por copistas judeus e até mesmo cristãos (incluindo as profecias sobre Jesus); até que foram encontrados os manuscritos do Mar Morto revelando manuscritos de até dois séculos antes de Cristo (como o livro de Isaías) praticamente idêntico às cópias mais modernas.

      Recentemente, parece que também foram encontradas as supostas minas de cobre do Rei Salomão a qual muitos pesquisadores duvidavam da existência.

      Por incrível que pareça, esses dias atrás, assisti um documentário (acho que no NATGEO) de um arqueólogo que, duvidando dos atuais locais atribuídos por outros cientistas às cidades de Sodoma e Gomorra, encontrou duas ruínas de cidades cuja localização batia exatamente com a descrição bíblica. Após escavações no local, encontraram evidências de uma destruição em massa daquelas cidades. O mais interessante em tudo isso é que os pesquisadores encontraram (se não me engano) amostras de rochas calcárias vitrificadas. E o que isso tem a ver com o relato bíblico? É que incêndios comuns ou mesmo lava de vulcões não produzem calor suficiente para vitrificar tal tipo de rocha. Segundo documentário, até hoje só encontraram rochas semelhantes em dois únicos lugares do mundo: HIROSHIMA E NAGASAKI, após a explosão da bomba nuclear!

      E assim vai… Portanto, é a Ciência que pode nos mostrar o que realmente aconteceu na história e não meras especulações de acadêmicos; que de científicas não tem nada. E é a mesma Ciência imparcial que pode comprovar se os grandes milagres da Igreja são autênticos ou não; e não a crença ingênua de fanáticos religiosos e especulações de ativistas céticos como Joe Nickell e companhia limitada.

      Agora, quero ver Ehrman provar que o Coxo de Calanda nunca existiu ou que o grande Milagre da Imagem de Guadalupe e tantos outros grandes milagres da Igreja são todos falsos! Pois, se Jesus nunca existiu ou não fez milagres e nem ressuscitou, com certeza, ele não pode fazer milagres na sua Igreja agora; e, portanto, todos os milagres da Igreja têm de ser falsos!

      Quem ainda não viu, não deixe de ver, por exemplo, o incrível documentário do History Channel “GUADALUPE: UMA IMAGEM VIVA” (http://www.youtube.com/watch?list=PL1C4E8C1D0C7F8C7D&v=621g-3SSDh4&feature=player_embedded) e também o excelente e sério documentário do Discovery Channel “O MISTÉRIO DO SANTO SUDÁRIO” (http://www.youtube.com/watch?v=M9j38PmEGWA) e sua continuação “O SUDÁRIO DE TURIM” (http://www.youtube.com/watch?v=h_1_ag_H6Kk).

      Quando ouvi o Pe. Quevedo dizer num programa de TV que só existem milagres autênticos (comprovados pela Ciência) na Igreja Católica, fiquei bem encabulado e desconfiado. Porém, na medida do possível, já pesquisei sobre isso na internet e até hoje não encontrei nada semelhante em outra religião.

      Pesquisem vocês mesmos e me tragam algum grande milagre permanente de qualquer outra religião do mundo que já tenha sido comprovado ou, pelo menos, não desmascarado pela Ciência que eu dou o braço a torcer!!!

      Por isso, ainda insisto:

      QUEREM SABER SE DEUS REALMENTE EXISTE E QUAL RELIGIÃO É AUTÊNTICA?

      ESTUDEM OS GRANDES MILAGRES DA IGREJA!!!

      Pois, os milagres autênticos são o elo entre a fé e a razão, entre a ciência e a religião, entre Deus e os homens.

    • Olá D.R., fico feliz por encontrar alguem de fé em um site muito bom, mas onde vejo diversas pessoas atacarem a crença em Cristo de forma que beira o desrespeito, gostaria de sugerir que olhasse a seguinte postagem http://milagresmodernos.blogspot.com.br/2012/08/bem-vindos-medicos-cristaos-falam-sobre.html.
      Ressalto o que Cristo disse como condicional para o acontecimento de milagres: “Estes sinais seguiram aos que creem”, “quem crer e for batizado, será salvo”, em nenhuma sentença Cristo condiciona o acontecimento de feitos milagrosos, nem o agradar a Deus a pertencer a determinada igreja, Ele se coloca como único detentor do poder pra curar e pra salvar. E as curas acontecem sim fora da igreja catolica, acreditar ou não já é uma opção.

    • Felipe, obrigado; realmente, parece que o ateísmo está virando uma (des)religião com ‘sacerdotes’, ‘apologistas’ e tudo. Só não entendo a troco do que entraram nesta empreitada tão perigosa para a alma?

      Não conseguindo destruir a Igreja e nem o cristianismo, agora estão tentando destruir o Cristo histórico!

      Quanto aos milagres, não sou eu quem afirma isso; são pesquisadores do assunto. Curas vemos todos os dias na televisão, seja na Renovação Carismática Católica, seja nas igrejas evangélicas ou mesmo no espiritismo e até mesmo nas terapias de hipnose; a grande maioria, quando não fraudes ou coincidências, parecem ser curas de doenças psicossomáticas e não fisiológicas. Se é Deus ou não quem realiza tais curas diretamente, é muito difícil saber; Deus, na maioria das vezes, atua de forma ordinária através dos médicos e de graças como encontrar um bom especialista, arrumar um emprego, etc.

      Não nego isso; porém, milagres mesmo, ou seja, algo maravilhoso que viola as próprias leis da natureza e impossível aos seres humanos (como, por exemplo, alguém que lesionou a coluna passar a andar subitamente, ou que perdeu parte de um osso do corpo e o osso crescer instantaneamente, ou um cego com a retina danificada passar a enxergar na hora, ou o corpo de um defunto ficar incorrupto e flexível por séculos, ou pão e vinho se transformar em carne e sangue de uma pessoa viva, etc.), são extremamente raros! Não é à toa que o Pe. Quevedo vem desafiando, há muitos anos, dar um alta quantia em dinheiro a qualquer médium, pastor, carismático, vidente ou curandeiro que lhe curar sequer uma cárie de dente.

      Agora, quando se trata de milagres permanentes (estudados e comprovados pela Ciência), se você der uma boa pesquisada (como eu pesquisei e ainda pesquiso) não vai encontrar nada fora da Igreja Católica. Isso é incrível, mas (gostemos ou não) é um fato existente no mundo que não deveríamos ignorar ou desprezar!

      Que outra religião no mundo (inclusive outras denominações cristãs) têm um Santo Sudário, uma Imagem de Guadalupe, uma Casa de Loreto, um Coxo de Calanda, centenas de milagres eucarísticos como o de Lanciano, um Sangue de São Genaro, milhares de corpos e órgãos incorruptos de santos que destilam água ou óleo e exalam perfume por séculos, e tantos outros espantosos milagres que só ocorrem na Igreja Católica? Milagres esses que assombram os cientistas que os estudam e não só comprovam a existência de Deus, mas também a autenticidade e a doutrina da Igreja!

      Na verdade, existem milagres permanentes também na Igreja Ortodoxa e na Igreja Anglicana; mas, segundo o Pe. Quevedo, tais milagres ocorreram somente antes do cisma com a Igreja Católica; depois disso, nunca mais. Não sei se isso é realmente verdade, mas foi o que ele afirmou categoricamente; e ele é um dos maiores especialistas em milagres e fraudes milagrosas do Brasil e, provavelmente, do mundo.

      Não estou querendo aqui menosprezar e desrespeitar as demais religiões e a fé de ninguém; mesmo porque, também tenho parentes e conhecidos evangélicos, espíritas, ateus e tento respeitar a todos. Mas eu não acredito no relativismo religioso que diz que tudo é bom, que tudo vem de Deus e que todas as religiões (mesmo sendo contraditórias) são verdadeiras; acredito que exista uma só VERDADE e é essa VERDADE que todos devemos buscar, doa o que doer, custe o que custar.

      Pois, o próprio Jesus disse: “Conhecereis a VERDADE e a VERDADE vos libertará.” e “Eu sou o caminho, a VERDADE e a vida…”

      Deem uma boa pesquisada em milagres permanentes existentes no mundo que vocês também irão se surpreender e ficar pasmos também. Por exemplo, assistam os documentários que indiquei acima, ou leiam os livros “MILAGRES – A CIÊNCIA CONFIRMA A FÉ” e “OS MILAGRES E A CIÊNCIA” do Pe. Oscar Quevedo, ou vejam os artigos do site “CIÊNCIA CONFIRMA A IGREJA”, etc.; para verem que esse assunto é realmente sério!

  8. o Papa se virou para ver uma imagem de Nossa Senhora de Fátima; o que, segundo ele, foi crucial para o desvio da bala…

    Comentário:
    É claro que lamentaria a morte de qualquer Papa.
    Mas, o papa crê mesmo no “papa móvel blindado”.

    Mas uma pergunta que me atormenta.
    O papa não deveria ser julgado,pela justiça comum, por ter acobertado os crimes de batina – dos padres pedófilos?
    Pois penso que, qualquer dirigente, por exemplo um reitor de uma universidade, ou um militar (general), seria julgado pelo acobertamento dos crimes dos seus subordinados?
    Além do pedido de desculpas, e pagamento de indenizções milionárias…algum padre foi preso?

    • Oiced, acredito que a Igreja já é bastante madura para achar que basta você ter fé em Deus para nada de mal te acontecer; temos que fazer o que é possível ao homem e deixar o que é impossível para Deus!

      Por exemplo, Dom Bosco que era um santo que tinha até visões proféticas sobre o Céu e o Inferno, etc. sofria muito atentados e morria de medo de ser morto; mas, estranhamente, sempre que ele estava em perigo e invocava seu anjo da guarda, aparecia um enorme cão misterioso (que ele chamava de Grigio) que o protegia e o salvava de várias situações. Nem por isso, Dom Bosco, mesmo sendo um santo, deixava de se precaver ou de ter medo dos bandidos.

      Procure na internet sobre Grigio, o cão de Dom Bosco:

      http://sinuhesilvavieira.blogspot.com.br/2010/11/grigio-um-cao.html

      ou

      http://www.arautos.org/artigo/10968/Grigio–o-protetor-de-DOM-BOSCO.html

      Quanto à pedofilia entre padres, pelo que já li, em outras instituições religiosas e laicas o problema chega ser até dez vezes pior; mas a mídia só dá enfase à casos da Igreja Católica.

      Também acho (como leigo católico) que a Igreja deveria ser mais rápida e rigorosa nesses casos; mas isso cabe ao regimento interno da Igreja e à Justiça de cada país. Pelo que eu saiba, a Igreja entrega tais casos à Justiça comum e é essa que julga o caso e resolve prender ou não o padre envolvido.

      Quanto ao Papa ser julgado por tais casos, acho um absurdo; se fosse assim, teríamos de prender presidentes de várias instituições, como associações de pais e mestres, de escoteiros, de professores de educação física, de pediatras, de rabinos, de pais de santo, de pastores e tantas outras instituições onde as estatísticas são bem mais graves, pela atitude errada de alguns de seus filiados. Mesmo porque, pelo que eu saiba, a Igreja e o Papa nunca ensinaram ou estimularam a pedofilia.

      Temos que lembrar que os padres não caem do céu, eles vêm da própria sociedade; e a Igreja, por ser uma entidade aberta como tantas outras, entra tanto o bem intencionado como o “lobo em pele de cordeiro”, tanto o “joio” como o “trigo”; e quando tais “lobos” se juntam e alguns deles chegam a uma posição de poder na hierarquia, formam redutos e verdadeiras máfias. Mas veja como a situação é difícil: parece que estão tentando aprovar uma lei no Brasil que se um reitor de seminário tentar expulsar um seminarista por atos homossexuais (já que a grande maioria dos casos de pedofilia na Igreja são cometidos por padres homossexuais), o mesmo poderá ser processado e preso por homofobia.

  9. Como Jesus de Nazaré se tornou o psicólogo do mundo?

    Tudo veio relatado e chegou através da coletânea de textos conhecidos pelo nome de Evangelhos, literalmente boa mensagem, pela palavra que claro, Jesus nunca conheceu. Era um judeu falante do aramaico, um dialeto semita, aparentado ao hebraico, a língua corrente na Palestina. Em seu mundo sobrepunham-se três idiomas: o aramaico do povo, o grego das classes das grandes cidades da Ásia e o latim do dominador romano. De grego e latim, certamente, Jesus nunca soube uma palavra.

    Como Buda, Jesus, não deixou nada escrito. Tudo que sabemos dele foi reportado por esses evangelhos, que nos chegam da igreja primitiva, depois que comunidades judaico-cristãs, se espalharam por todas as grandes metrópoles helênico-romanas do Mediterrâneo (Éfeso, Mileto, Tarso, Alexandria, Roma). São textos tardios.

    O Evangelho de João deve ter tido sua redação final, mais ou menos cem anos depois da morte de Jesus.
    Houve centenas de Evangelhos (escritos por pessoas e seguidores de suas idéias).
    Cada Igreja devia ter o seu, fora quatro deles canonizados pela Igreja, quando esta se organizou como poder. Os demais foram condenados e “negligenciados”, ou através de vagas notícias dos escritores dos três ou quatro primeiros séculos da nossa terra. São os Apócrifos, o Evangelho dos Hebreus, dos Doze ou dos Ebionitas, de Pedro e outras coletâneas perdidas.

    Os Evangelhos ditos canônicos “atribuem-se” a Mateus, Marcos, Lucas e João, discípulos diretos dos discípulos de Jesus. Mateus e Lucas não chegam a um acordo sobre o nascimento virginal ou a genealogia de Jesus. Eles também se contradizem sobre a “Fuga para o Egito” e os escribas não conseguem produzir um mesmo relato para a crucificação e ressurreição. Dizer que Herodes matou as crianças em Belém para matar Jesus, como está em Mateus, é uma parábola. É afirmar que ele é o novo Moisés e Herodes é o novo faraó do Antigo Testamento. São textos escritos em grego, não grego de Platão ou dos grandes escritores de Atenas de quatro séculos atrás.

    Como se vê, estamos lidando com uma documentação heterogênea, advinda de várias fontes, freqüentemente contraditórias.

    Como achar o verdadeiro Jesus por trás desta floresta de versões sobre sua pessoa, feitos e ditos ?

    Parece óbvio que os evangelhos representam a compilação de tradições e transmitidas, oralmente no interior das igrejas primitivas, “feitos e ditos do Senhor”, passados de boca-em-boca, de orelha-a-orelha, evidentemente ampliados e deformados pela imaginação, tão afeita a prodígios. O próprio caráter fragmentário e descosturado dos evangelhos, enquanto textos, confirmam essa hipótese.
    Os episódios evangélicos são ligados, praticamente, pela conjunção “e”, o que faz deles uma obra aberta, onde outros episódios poderiam, ser inseridos, sem dano ao conjunto. “E Jesus disse”, “E Jesus foi”, “Jesus veio”!

    “O Novo Testamento” é, em si, uma fonte altamente duvidosa.

    Uma das descobertas mais impressionantes do professor Bart Ehrman é a de que o relato da ressurreição de Jesus no Evangelho de Marcos só foi acrescentado muitos anos depois. Mas, de acordo com o Novo Testamento, a coisa podia ser feita de forma bastante simples. Jesus conseguiu isso duas vezes no caso de outras pessoas, com Lázaro e a filha de Jairo, e ninguém parece ter achado importante entrevistar nenhum dos sobreviventes para perguntar sobre suas experiências extraordinárias. Aparentemente ninguém também parece ter mantido um registro de se esses dois indivíduos “morreram” de novo ou não, e como. Caso tenham permanecido imortais, então eles se juntaram à antiga companhia do “Judeu Errante”, que foi condenado pelo Cristianismo primitivo a continuar caminhando para sempre após ter encontrado Jesus na Via Dolorosa. No mesmo dia em que Jesus encontrou aquele passante azarado, ele mesmo foi levado à morte com crueldade revoltante, momento em que, de acordo com o Evangelho de Mateus:

    “Abriram-se os túmulos, e muitos corpos dos santos falecidos ressuscitaram. E, saindo dos túmulos após a ressurreição de Jesus, entraram na Cidade Santa e foram vistos por muitos”.

    Existem discrepâncias nos relatos da ressurreição de Jesus.

    No terceiro dia depois da morte de Jesus, as mulheres vão ao túmulo para ungir seu corpo para o enterro. E quem elas vêem lá? Um homem, como diz Marcos; dois homens, segundo Lucas ou um anjo, conforme Mateus?

    Isso parece incoerente, já que os cadáveres aparentemente se ergueram no momento da morte na cruz e na Ressurreição, mas é contado da mesma forma natural que o terremoto, o dilaceramento do véu do templo (dois outros acontecimentos que não despertam a atenção de nenhum historiador).

    Essa suposta seqüência de ressurreições serve apenas para abalar a singularidade daquela pela qual a humanidade conquistou o perdão dos pecados. Não há culto ou religião, antes ou depois, de Osíris a vampirismo, passando por vodu, que não se baseie em alguma crença inata no “revivido”.

    Se Cristo ressurgiu dos mortos, por que ele não apareceu a seus inimigos?
    É possível a ressurreição de um morto, quando não se conhece um entre bilhões?
    Por que devemos acreditar nisso?
    Por que ele não fez outra entrada triunfal a Jerusalém?
    Se ele ressuscitou realmente, por que não fez isso em público, na presença de seus perseguidores?
    Por que esse milagre, o maior dos milagres, tinha de ser feito em segredo, num canto?
    Esse era um milagre que poderia ser visto por uma grande multidão – um milagre que não poderia ter sido simulado – um que poderia ter convencido centenas de milhares. Isso foi um acontecimento totalmente improvável ou excepcional. A tolice e a cegueira o são menos!
    Milagres são violações das leis naturais. Uma pessoa não pode caminhar sobre as águas. Isso é verdade para os milagres de Maomé, Hanina bem Dosa, Apolônio de Tiana e Jesus. Crer em milagres é não apenas crer sem compreender, o que é ordinário, mas crer por não compreender. Já não é fé, e sim credulidade no inexplicável.

    Até hoje os cristãos discordam sobre se o Dia do Juízo devolverá você a velha “carcaça” de um corpo que já morreu ou o reequipará de alguma outra forma. Por enquanto, e revisando até mesmo as alegações feitas pelos fiéis, só é possível dizer que a ressurreição não provará a verdade da doutrina do homem morto, nem sua paternidade nem a probabilidade de outro advento em forma carnal ou reconhecível.

    Mas há coisas demais sendo “provadas”. O ato de um homem que se oferece para morrer por seus semelhantes é universalmente considerado nobre. A alegação adicional de não ter “realmente” morrido torna todo o sacrifício fraudulento e prostituído. Assim aqueles que dizem: “Cristo morreu por meus pecados”, quando na verdade ele não “morreu” de modo algum, estão fazendo uma afirmação falsa em seus próprios termos.

    Não havendo testemunhas confiáveis ou consistentes no período de tempo necessário para atestar alegação tão extraordinária, finalmente podemos dizer que temos o direito, quando não a obrigação, de nos respeitarmos o suficiente para desacreditar da coisa toda.

    Ou seja , a não ser que, ou até que, sejam apresentadas provas superiores, o que não aconteceu. E alegações excepcionais demandam provas excepcionais. … Nada, na verdade, a não ser o crescimento de uma grande nova superstição, baseada em uma crença, em textos ocultos e fragmentos disponíveis apenas a poucos escolhidos.

    “A única decisão responsável é suspender ou anular o julgamento até que os devotos apresentem algo que não seja meramente infantil.”, conforme o jornalista e escritor Cristopher Hitchens, em seu livro “deus não é Grande”, Ediouro, best seller, lançado recentemente.

    Não resta dúvida de que por trás desses ditos e feitos, pode ter existido uma pessoa real, de carne e osso, um Rabi, que levou os romanos a trocarem os deuses por um só Deus.
    O qual trouxe uma nova moral e que nunca pensou em fundar uma Igreja (minha mensagem só necessita de corações sinceros que a transmitam; não de palácios ou falsas dignidades e púrpuras que a cubram; o amor não necessita de templos ou legiões; deixa que cada espírito encontre o seu caminho. Ai dos que monopolizam Deus). Embora haja pouca ou nenhuma evidência da vida de Jesus. A figura do profeta Maomé em contraste, que foi pai, político, general e teve registros que comprovam toda a sua existência.

    Jesus apenas como um homem, não mais que Confúcio, Buda, Lao-Tsé, Zoroastro, Epicuro… (não como Deus ou filho dele) inspirou os escritores com sua mensagem de paz, não violência e de amor.

    Pouco a pouco a religião vai perdendo a autoridade para explicar a origem do mundo e do homem. Nas últimas décadas, a Bíblia escrita em uma época de ignorância, superstição e crueldade, passou a ser alvo da ciência como a filologia (o estudo da língua e dos documentos escritos), a arqueologia e a história, que estão provando que o livro mais difundido da história é em sua maior parte, uma coleção de mitos, lendas e propaganda religiosa.

    VAMOS AGORA ignorar todas as contradições daqueles que relatam a história original e supor que ela é basicamente verdade.
    Quais são as conseqüências e a moral da questão do sacrifício humano acontecido há dois mil anos atrás e que tanto impressionou os humanos?
    Acompanhar a história não é uma tarefa fácil, mas vamos tentar esclarecer.

    Para conseguir o benefício dessa oferta maravilhosa (assim como no Gênesis), fomos levados a acreditar que somos responsáveis pelo açoitamento e pela crucificação, na qual não tivemos participação nenhuma.

    Tenho que aceitar que sou responsável pelo acontecimento, embora não estivesse presente. Tenho que assumir a responsabilidade, se não estarei pecando e fugindo a minha responsabilidade e intensificando sua agonia. É exigido que eu acredite que a agonia era necessária, de modo, a compensar um crime anterior no qual também não tive participação, o pecado de Adão. Dessa forma, minha própria culpa na questão é considerada “original” e inescapável e se eu a rejeitar estarei sofrendo mais que no Calvário. Jesus ao mesmo tempo desejava e precisava morrer e foi portanto para Jerusalém na Páscoa para fazer isso. Todos os que tomaram parte em seu assassinato estavam, sem saber, fazendo a vontade de Deus e cumprindo antigas profecias.

    Afirmar que: Jesus assumiu nossos pecados; todos pecaram e estão condenados à morte; o pecado destruiu nossa relação com Deus; Deus é amor e por isso decidiu nos salvar; Jesus liberta da enfermidade; restaura a vista dos cegos (Lucas); salva o homem (Efésios); tome a sua cruz e seja feliz; crendo em Jesus receberemos a vida eterna (João ). É uma questão individual de aceitação puramente de fé religiosa.

    A coletivização da culpa, em síntese, é totalmente imoral em si, não mais do que uma questão de crença e fé, como a religião ocasionalmente foi obrigada a admitir. E ainda os cristãos dizem que após a sua crucificação Jesus “desceu ao inferno”, onde teria salvado ou convertido os mortos. A religião legitima tudo isso, o que nos leva a crer que as religiões (e as igrejas) são fabricadas e ainda competem no mercado.

    Esse exemplo de vida transmitido pelos evangelhos sobre Jesus, agora estamos recebendo pela mídia eletrônica que disputam seus fiéis para sua fileiras. Estão usando a figura Dele (simples e silenciosa) indevidamente como lugar de venda da fé. Cristo tornou-se o “marqueteiro” das religiões como a solução de todos os problemas.
    Milhões são gastos diariamente em uma avalanche de programas de televisão em rádios e jornais. Diante de tantos convites para uma determinada fé, em detrimento de outra, é difícil não ficar em dúvida de qual é a verdadeira religião a ser seguida. A exposição exagerada da fé cristã, está tornando a religião em algo banalizado e tão comum que as pessoas não estão se dando conta.

    • Oiced, isso tudo também não passa de especulação!

      Devemos lembrar que, na época de Jesus, devia ser muito difícil e caro escrever e publicar um livro; e, devido a isso, eles ainda davam muita importância à tradição oral; fora que, na época, o cristianismo vivia sobre intensa perseguição. Mesmo assim, se acredita que os primeiros escritos sobre Jesus datam de apenas 20 a 30 anos após sua morte.

      Se fôssemos levar isso em conta e ignorar a tradição oral, teríamos que duvidar da existência da maioria dos grande personagens históricos. Por exemplo, a biografias mais antigas conhecidas de Alexandre o Grande foram escritas 400 anos após sua morte; a de Maomé (570-632) só foi escrita mais de um século após sua morte, embora o Alcorão contenha suas supostas palavras; a primeira biografia de Buda (que viveu no século VI antes de Cristo) só foi escrita no século I; a maioria dos escritos sobre Zoroastro (que data de mais de 1000 anos antes de Cristo) foi escrito no século III e sua principal biografia escrita em 1278; e assim por diante …

      E se não duvidamos da existência de tais personagens históricos, por quê duvidar da existência de Cristo cujos primeiros registros históricos são “notícias bem mais quentes”?

      Além disso, não podemos esquecer das profecias bíblicas sobre Cristo. No artigo da Wikipedia sobre ‘CRISTO’ mostra dezenas de passagens do Antigo Testamento (escritas séculos antes do nascimento de Cristo) que se cumpriram na pessoa de Cristo, inclusive: que ele nasceria de uma virgem, falaria em parábolas, faria milagres, seria rejeitado e traído por trinta moedas de prata, seria acusado injustamente, seria rejeitado e ferido por nossas iniquidades, seria cuspido e esbofeteado, teria os pés e mãos transpassados, oraria pelos inimigos,lançariam sorte para repartir suas vestes, o fariam beber vinagre, não teria os ossos quebrados, um rico o sepultaria, ressuscitaria no terceiro dia, etc., etc., etc.

      Alguns céticos argumentam que Jesus poderia ser um charlatão que aproveitou-se de algumas dessas profecias do Antigo Testamento. Porém, poderia ele ter forjado a profecia de sua própria crucificação, um instrumento de pena de morte usado pelos Romanos?

      “E Iahweh respondeu-lhe: Faze uma serpente abrasadora e coloca-a em uma haste. Todo aquele que for mordido e a contemplar viverá.” (Números 21,8)

      “Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que seja levantado o Filho do Homem.” (João 3,14)

      “Porquanto cães me cercaram; a assembléia de malfeitores me rodeou; traspassaram-me as mãos e os pés. Posso contar todos os meus ossos; eles estão-me encarando e mirando. Repartem entre si os meus vestidos, e deitam sortes sobre a minha vestidura.” (Salmos 22,16-18)

      “Então o crucificaram. E repartiram as suas vestes, lançando sorte sobre elas, para saber com o que cada um ficaria.” (Marcos 15,24)

      “Ele, então, lhes disse: “Insensatos e lentos de coração para crer tudo o que os profetas anunciaram! Não era preciso que o Cristo sofresse tudo isso e entrasse em sua glória? E, começando por Moisés e por todos os Profetas, interpretou-lhes em todas as Escrituras o que a ele dizia respeito.” (Lucas 24,25-27)

      Outra coisa:

      Será que o apóstolo Pedro, seguidor de Jesus e tão covarde que o negou três vezes, teria dado sua própria vida por causa de uma mentira?

      Será que o apóstolo Paulo, um culto fariseu perseguidor de cristãos, teria se convertido ao cristianismo por causa de uma visão e também dado a sua própria vida por esse tal Jesus?

      Será que os milhares de mártires do início do cristianismo teriam dado sua vida por causa de um mito?

      Essas tais supostas contradições nos evangelhos, não são contradições doutrinárias; e, a maioria delas, são complemento uma das outras. Pois, o que falta num evangelho ou que é só comentado por cima, é descrito mais detalhadamente em outro; de forma que se complementam e não se contradizem. Contradição seria se um deles afirmasse, por exemplo, que Jesus ressuscitou e em outro que ele não ressuscitou; em um que ela era Filho de Deus e em outro que ela era apenas um profeta ou apenas um anjo, etc.

      Os evangelhos apócrifos, na sua grande maioria, são textos gnósticos (que acreditavam que existia o deus do bem e o deus do mal, e que o deus do mal é que criou a matéria e a carne e que nosso espírito deveria se libertar dela, etc.) escritos bem depois e baseados nos evangelhos canônicos e que também contem muita fantasia. Nem por isso, a Igreja, embora não os considere como inspirados por Deus, despreza sua importância histórica; ela até mesmo retira alguns dados de tais evangelhos, como os nomes dos avós de Jesus “São Joaquim” e “Santa Ana” (que não tem na Bíblia).

      Veja um pouco sobre o que o catolicismo pensa sobre os livros apócrifos:

      http://www.cleofas.com.br/ver_conteudo.aspx?m=doc&cat=90&scat=155&id=4820

      e

      http://www.cleofas.com.br/ver_conteudo.aspx?m=doc&cat=90&scat=155&id=448

      Se Jesus não existiu ou não fez milagres quando veio ao mundo e nem ressuscitou, com certeza, também não faz milagres agora; e, portanto, todos (repito: todos) os milagres da Igreja têm de ser falsos! Por isso, insisto tanto no estudo dos grandes milagres da Igreja (como Lanciano, Guadalupe, Santo Sudário, Sangue de São Genaro, Santa Casa de Loreto, Coxo de Calanda, corpos e órgãos incorruptos de santos e tantos outros).

      Mesmo porque, segundo alardeia o Pe. Quevedo e outros estudiosos do assunto, milagres autênticos (que passam pelo crivo da própria ciência) só ocorrem na Igreja Católica e em nenhuma outra religião do mundo. Isso é um fato espantoso que ocorre no mundo e que não deveria ser ignorado por ninguém. Pois, tais milagres, são a maior prova objetiva da existência de Deus, da autenticidade da Igreja e da veracidade de suas doutrinas.

      E, convenhamos, que é muito mais fácil estudar os milagres permanentes (que existem de fato e podem ser investigados pela ciência) do que tentar adivinhar se Jesus existiu ou não, se fez milagres ou não, ou o que ocorreu de fato há mais de dois mil anos atrás!

      Pois, se Jesus faz milagres agora, por quê não teria feito quando veio ao mundo? Se ele é capaz de fazer um milagre tão espantoso como o de Guadalupe, por quê não seria capaz de andar sobre as águas ou mesmo de ressuscitar?

      Eis o mistério da Paixão de Cristo:

      “O Deus eterno decidiu revestir-se da nossa humanidade para sempre e se tornou alimento; para que, alimentando-se dele, também nós possamos nos revestir de Deus e nos tornarmos eternos.”

      Por isso, digo e repito:

      QUEREM SABER SE DEUS REALMENTE EXISTE?

      ESTUDEM OS GRANDES MILAGRES DA IGREJA!!!

      Pois, os milagres autênticos são o elo entre a fé e a razão, entre a ciência e a religião, entre Deus e os homens.

  10. A RELIGIÃO CATÓLICA É POLITEÍSTA?
    Vejamos os seus milagres!

    Há três Deuses no ramo católico romano que flerta com o politeísmo. A trindade é (são?) acrescida de Maria, “Rainha do Céu”, que só não deusa no nome, mas que certamente coloca o próprio Deus em segundo lugar como alvo de preces. O panteão ainda é inchado por um exército de santos, cujo poder de intercessão faz com que eles sejam, se não semi-deuses, úteis em assuntos específicos. O Fórum da Comunidade Católica nos dá uma mão e lista 5 120 santos., junto com suas áreas de especialidade, que incluem dores abdominais, vítimas de abusos, anorexia, vendedores de armas, ferreiros, fraturas de ossos, técnicos de explosivos e problemas intestinais, para ficar só no comecinho da lista.
    E não podemos esquecer os Coros Angélicos, organizados em nove ordens: Serafins, Querubins, Tronos, Dominações, Potestades, Principados, Arcanjos e os Anjos simples, incluindo os nossos melhores amigos, os sempre atentos Anjos da Guarda.
    O que me impressiona na mitologia católica é em parte seu kit de mau gosto, mas principalmente a tranqüilidade com que essa gente vai criando os detalhes. É uma invenção descarada.

    MILAGRES

    O papa João Paulo II criou mais santos que todos os seus antecessores de vários séculos juntos, e tinha uma afinidade especial com a Virgem Maria. Seus impulsos politeístas ficaram dramaticamente demonstrados em 1981, quando sofre uma tentativa de assassinato em Roma e atribuiu sua sobrevivência à intervenção de Nossa Senhora de Fátima.
    “Uma mão materna guiou a bala”. Não dá para não se perguntar por que ela não guiou para que se desviasse de vez dele. Ou se pode questionar se a equipe de cirurgiões que o operou por seis horas não merece pelo menos uma parte dos créditos; mas talvez as mãos deles também tenham sido maternalmente guiadas. O ponto revelante é que não foi só Nossa Senhora que na opinião do papa, guiou a bala, mas especificamente Nossa Senhora de Fátima. Presume-se que Nossa Senhora de Lourdes, Nossa Senhora de Guadalupe, Nossa Senhora de Akita, Nossa Senhora de Mediuaneira…estavam ocupadas com outros afazeres naquela hora.

    MAIS MILAGRES?

    TOMÁS DE AQUINO certa vez escreveu um documento sobre a TRINDADE e, modestamente o considerando um de seus esforços mais bem-sucedidos, o deixou no altar de Notre Dame de maneira que o próprio Deus pudesse avaliar a obra e talvez favorecer “o doutor angelical” com uma opinião. (Aquino aqui cometeu o mesmo erro que leva as freiras nos conventos a cobrir seus banhos com telas durante as abluções: achava-se que o olhar de Deus seria desviado das formas femininas despidas por um expediente tão modesto. Mas se esquecia que ele supostamente podia “ver” tudo, em qualquer lugar, a qualquer momento, graças a sua onisciência e onipresença, e ainda mais que ele sem dúvida podia “ver” através das paredes e dos tetos dos conventos antes de ser perturbado pelo escudo da tela. Supõe-se que as freiras na verdade estavam sendo impelidas de olhar para os próprios corpos, ou para os corpos umas das outras).

    Como quer que fosse, AQUINO depois descobriu que Deus realmente tinha feito uma boa revisão em seu tratado – tendo sido o único a alegar tal distinção, e foi descoberto por monges e noviços espantados levitando em estado de graça pelo interior da catedral. Que bom que tivemos testemunhas oculares desse acontecimento!

    Mais uma vez fica comprovado que a religião monoteísta, digo politeísta é plágio de um ouvir dizer de um ouvir dizer, de uma ilusão de uma ilusão, que retrocede até a falsificação de alguns não acontecimentos. Pobre gente que prefere morrer falando com um amigo imaginário!

    • Oiced,

      desculpe, mas acho que, na sua ânsia de atacar a Igreja Católica, você está cometendo o mesmo erro que já vi em alguns de seus outros comentários: agindo como um crítico invejoso que, em vez de contemplar a beleza total da uma obra arquitetônica, artística ou literária, fica procurando defeitos em pequenos detalhes.

      Agora você está usando até velhos argumentos ultrapassados de apologia protestante para atacar a Igreja.

      Às vezes, parece que você não é que não acredita em Deus ou na sua Igreja mas procura com todas as forças e sinceridade de coração descobrir a VERDADE (que deveria ser a atitude mais sensata de qualquer ateu ou agnóstico: buscar a VERDADE!); parece que você tem alguma mágoa, desconfiança ou mesmo ódio da Igreja tentando combatê-la como um herói do neo-ateísmo (no estilo de Dawkins e companhia limitada).

      Não sei se você foi muito influenciado por Zeitgeist ou por leitura de grandes pensadores ateus ou de inimigos da Igreja, ou sei lá qual o motivo que te levou a ser um tipo de apologista do ateísmo. Mas, se você não o faz, te aconselho a estudar também “o outro lado da moeda”, a ver os argumentos daqueles que acreditam em Deus; por exemplo, visitando sites de apologia católica, assistindo o programa ‘Escola da Fé’ do ilustre Prof. Felipe Aquino (no YouTube ou na TV Canção Nova todas as quintas-feiras, 20:30 h), estudando o Catecismo da Igreja, estudando os grandes milagres da Igreja, etc.

      Quando a gente fica só vendo “um lado da moeda”, a gente corre o risco de cair no fanatismo, seja religioso ou cético! Eu mesmo, embora esteja do outro lado, procuro visitar sites apologéticos católicos e protestantes e, às vezes, de outras religiões, sites de milagres, sites céticos, criacionistas e de design inteligente; para poder ver os “dois lados da moeda” e analisar sem preconceitos, os argumentos de cada um. Isso, embora no começo confunda um pouco e abala um pouco a nossa fé (já que cada um tem seus argumentos e verdades), a longo prazo, torna a nossa fé mais sólida e madura e nos torna mais cultos, nos afastando do fanatismo cético ou religioso.

      Sobre o Papa João Paulo II ter atribuído sua vida a um milagre de Nossa Senhora de Fátima, isso foi uma opinião pessoal dele; já que o atentado ocorreu num dia 13 de maio (dia de Nossa Senhora de Fátima) e, se não me engano, no exato momento em que seu algoz deu o tiro, o Papa se virou para ver uma imagem de Nossa Senhora de Fátima; o que, segundo ele, foi crucial para o desvio da bala. Num documentário que assisti sobre o caso, o próprio atirador atribuiu o fato a uma intervenção sobrenatural, já que ele era altamente treinado para não errar.

      Outro motivo de João Paulo II ter atribuído esse fato a um milagre, se deve ao Terceiro Segredo de Fátima (seria bom lê-lo), que fala de uma grande perseguição à Igreja e de um atentado a um papa vestido de branco. Particularmente, penso que a profecia do Terceiro Segredo ainda não se cumpriu e será algo bem mais grave do que esse atentado; mas João Paulo II atribuiu a profecia a ele mesmo.

      Mas, o mais importante de tudo e o grande exemplo cristão em tudo isso, é que o Papa João Paulo II foi lá pessoalmente perdoar o seu quase assassino.

      Sobre o mistério da Santíssima Trindade e sobre os santos, dá para ver que você não estudou muito a doutrina católica; se o fez, estudou pela fonte errada de alguma teologia protestante.

      A Igreja jamais ensinou que a Santíssima Trindade é formada por três Deuses; mas sim, por três pessoas (o Pai, o Filho e o Espírito Santo) num só DEUS único, vivo e verdadeiro! É verdade que não está escrito na Bíblia a palavra ‘Trindade’, assim como não há a palavra ‘Purgatório’. Mas a Igreja, através da teologia, extraiu CORRETAMENTE a doutrina da Trindade pelo estudo teológico de algumas passagens bíblicas; como, por exemplo, a que fala que Jesus é consubstancial ao Pai (ou seja, tem a mesma substância divina e, portanto, também é Deus), que foi gerado e não criado e que o Espírito Santo procede de ambos, etc. Isso é uma conclusão lógica da revelação bíblica e não uma mera invenção irracional da Igreja!

      Na doutrina da Igreja, somente Deus tem o poder de fazer milagres, o que Maria e os santos fazem é apenas interceder por nós, nada mais do que isso! Jesus Cristo, por ser um filho perfeito e obedientíssimo tanto ao seu Pai celeste como à sua mãe terrestre, jamais negaria um pedido de sua mãe; como o fez nas Bodas de Caná. Por isso, a Igreja ensina que Maria tem o dom da onipotência pedinte; ou seja, tudo que ela pede a Jesus, ele lhe concede! E Jesus, por amor a nós e por ser o esposo celeste da Igreja, nos deu não somente seu Pai do Céu, mas também a sua Mãe da Terra!

      No processo de canonização de um santo, a Igreja pede um milagre, não em vida, mas após a morte do santo, justamente para ter certeza de que a pessoa já está no Céu diante de Deus intercedendo por nós!

      Estude um pouco o catecismo, a doutrina e os grandes milagres da Igreja; você verá que muito do que se fala por aí contra ela não passa de meias-verdades, ignorância, calúnia e difamação!

      Quem sabe um dia, na busca sincera pela VERDADE, você ouça: “Oiced, Oiced, por quê me persegues?” e, então, caia a ‘escama’ de teus olhos e você deixe teu fanatismo ateísta de lado; e, em vez de odiar e combater, passe a amar, seguir e servir a Deus e sua Igreja!?

  11. HITLER e STÁLIN ? Eles não eram ateus?
    Resposta para Dílson R.

    Foram, por qualquer padrão, homens espetacularmente malévolos. E a pergunta aparece sempre em debates, palestras sobre a questão da religião. Ela é feita em um tom truculento, carregada de indignação por duas suposições:
    1) Stálin e Hitler eram ateus, mas
    2) eles fizeram atos terríveis “porque” eram ateus.
    A suposição 1 é verdadeira para Stálin e duvidosa para Hitler.
    Mas a suposição 1 é irrelevante, porque a suposição 2 é falsa. Ela é certamente ilógica se se acreditar que derive da 1.

    Mesmo que admitamos que Hitler e Stálin tinham em comum o ateísmo, eles também tinham bigodes em comum, assim como Saddam Hussein. E DAÍ?
    A pergunta interessante não é de seres humanos específicos e maus (ou bons) eram religiosos ou eram ateus. Não estamos nos dedicando a contabilizar os maus e elaborar duas listas rivais de maldade. O FATO DE QUE as fivelas dos cintos dos nazistas continham a inscrição “Got mit uns” (Deus conosco) não prova nada, pelo menos não sem uma dose muito maior de discussão.

    O QUE INTERESSA não é se Hitler e Stálin eram ateus, mas se o ateísmo “influencia” sistematicamente as pessoas a fazer maldades. Não existe a menor evidência de que o faça.

    Parece não haver dúvida de que STÁLIN realmente era ateu. Ele estudou num seminário ortodoxo, e sua mãe jamais superou a decepção de ele não ter se tornado padre, como ela pretendia, fato que divertia bastante Stálin. Talvez por causa do treinamento para o sacerdócio, o Stálin maduro foi muito duto com a Igreja Ortodoxa Russa, e com o cristianismo e a religião em geral. Mas não há evidência de que seu ateísmo tenha motivado sua brutalidade. Seu treinamento religioso provavelmente também não a motivou, a menos que tenha sido por tê-lo ensinando a reverenciar a fé absolutista, o autoritarismo e a crença de que os fins justificam os meios.

    A LENDA DE HITLER ERA ATEU vem sendo assiduamente cultivada, de forma que muita gente acredita nela sem questionar, e é desfilada de modo desafiador por apologistas carolas e crentaiada da religião.
    A VERDADE SOBRE A QUESTÃO está bem longe de ser clara. Hitler nasceu numa famílçia católica, e freqüentou escolas e igrejas católicas quando era criança. É óbvio que isso não é significativo por siso. Ele poderia facilmente ter abandonado a religião, como Stálin abandonou a Igreja Ortodoxa Russa quando saiu do seminário Teológico de Tíflis. MAS Hitler nunca renunciou oficialmente ao catolicismo, e existem indicações ao longo da vida dele de que tenha permanecido religioso. Se não católico, ele parece ter ficado com a crença em algum tipo de providência divina. Por exemplo, diz em Mein Kampf que, quando soube da declaração da notícia da declaração da Primeira Guerra Mundial, “caí de joelhos e agradeci aos céus com todo o meu coração pela generosidade de me permitir viver essa época”. Mas isso foi em 1914, quando ele tinha apenas 25 anos. Talvez tenha mudado depois?

    Em 1920, quando Hitler tinha 31 anos, seu assessor Rudolf Hess, que depois seria vice-führer, escreveu numa carta ao primeiro ministro da Baviera: Conheço Herr Hitler muito bem, e sou muito próximo dele. Ele tem um caráter de uma honradez rara, cheio de uma bondade profunda, e é religioso, um bom católico”. É claro que se pode alegar que, Hess estava tão redondamente enganado quanto ao “caráter honrado” e à “profunda bondade”, talvez ele estivesse enganado também sobre o “bom católico”!
    É difícil descrever como um “bom” qualquer coisa, o que me faz lembrar do argumento mais ousado e engraçado que já ouvi a favor da afirmação de que Hitler tinha que ser ateu. Numa paráfrase de várias fontes, Hitler era um homem mau, e o cristianismo ensina o bem, portanto Hitler não pode ter sido cristão!
    A declaração de Goering sobre Hitler, de que “só um católico poderia unir a Alemanha”, deve, imagino, ter querido dizer alguém que foi criado como católico, e não um católico fervoroso.

    Num discurso em Berlim em 1933, Hitler disse:
    “Estávamos convencidos de que o povo precisa e requer fé. Assumimos portanto a luta contra o movimento ateísta, e não apenas com umas poucas declarações teóricas: nós os exterminamos. Isso pode indicar apenas que, como tantas outras pessoas, Hitler !acreditava na crença”. Mas, já em 1941, ele disse a seu assistente, o general Gerhard Engel: “Permanecerei para sempre católico”.

    Mesmo que ele não tenha continuado a ser um cristão de fé sincera, Hitler teria que ter sido mesmo muito diferente para não ter sido influenciado pela longa tradição cristã de chamar os judeus de assassinos de Cristo. Num discurso em Munique, em 1923, HGitler disse:
    ”A primeira coisa a fazer é resgatar (a Alemanha) do judeu, que está arruinando nosso país(…) Queremos evitar que nossa Alemanha sofra, como Aquele sofreu, da morte na Cruz”.
    O ódio cristão pelos judeus não é (ou foi) só uma tradição católica. Martinho Lutero foi um anti-semita virulento. Na Dieta de Worms, ele disse que “todos os judeus devem ser expulsos da Alemanha”. E escreveu um livro inteiro, Sobre os judeus e suas mentiras, que provavelmente influenciou Hitler. Lutero descreveu os judeus como uma “raça de víboras”, e o mesmo termo foi usado por Hitler num discurso notável em 1922, em que ele várias repetiu que era cristão e tinha um dever para com a obra do seu Senhor e Salvador, e seu povo. Ele afirmou coisas parecidas ao longo da sua carreira, inclusive em 1938.
    É possível que Hitler,tenha, em algum ponto em 1941, passado por uma desilução com o cristianismo. Ou seria a resposta para essas contradições simplesmente o fato de que ele era um mentiroso oportunista, em cujas palavras não se pode confiar, nem para um lado nem para o outro?
    Não dá para saber se Hitler tirou o termo “raça de víboras” de Lutero ou se tirou diretamente de Mateus 3:7, como Lutero deve ter feito.
    Citações como essas tem que ser contrabalançadas com outros registros de conversas particulares, nas quais ele manifestou opiniões anticristãs virulentas.
    Em 1941. “ O pior golpe que já tingiu a humanidade foi a chegada do cristianismo. O bolchevismo é o filho do cristianismo. Ambos são invenções dos judeus.. A mentira deliberada na forma de religião foi introduzida no mundo pelo cristianismo… O mundo da Antigüidade era tão puro, leve e sereno porque não conhecia duas grandes escórias: a varíola e o cristianismo.”

    É possível argumentar que, ele não era realmente religioso, mas apenas explorava cinicamente a religiosidade de seu público. Ele pode ter concordado com Napoleão, que disse: “A religião é ótima para manter as pessoas comuns caladas”, e com Sêneca: “ A religião é considerada verdade pelas pessoas comuns, mentira para sábios e útil pelos governantes”.
    Vele lembrar que Hitler não executou suas atrocidades sózinho. Os atos temerosos em si foram executados por soldados e oficiais, sendo que a maioria certamente era de cristãos. O cristianismo do povo alemão está na base, aliás, da própria hipótese que estamos discutindo. Uma hipótese para explicar a suposta falta de sinceridade das afirmações religiosas de Hitler! Ou talvez Hitler tenha achado que precisasse demonstrar alguma simpatia para com o cristianismo, senão o seu regime não teria recebido o APOIO QUE RECEBEU DA IGREJA. Esse apoio foi demonstrado de várias formas, inclusive na insistente recusa por parte do papa Pio XII de assumir uma postura contra os nazistas. Coisa que provoca um embaraço considerável a Igreja Católica moderna.
    Em qualquer um dos casos, é difícil defender que as maldades do regime de Hitler tenham sido conseqüência do ateísmo.

    Para finalizar. As guerras religiosas são combatidas em nome da religião, e é terrível pensar que elas são freqüentes na história. E um dos motivos mais plausível para uma guerra é a fé inabalável de que a religião que se possui é a única verdadeira, reforçada por um livro sagrado que condene à morte de forma explícita todos os hereges e seguidores de religiões rivais, e que prometa de forma explícita que os soldados de Deus irão direto para o paraíso dos mártires. Não consigo pensar em nenhuma guerra que tenha sido combatida em nome do ateísmo. Por outro lado, por que alguém iria à guerra em nome da ausência de fé?

    Forme a sua própria opinião, pesquise e tire suas próprias conclusões, mas não menospreze a capacidade de investigar história, pensar e refletir dos irreligiosos, especialmente um pigmeu como eu.

    Inspirado por Saramago, Richard Dawkins e C. Hitchens.

    • Oiced, eu não afirmei que Hitler era ateu; sei que ele era ou foi católico!

      Sei também que os nazistas foram influenciados pelas ideias de Lutero em relação aos judeus, como através de seu panfleto: “Sobre os judeus e suas mentiras”. Inclusive, no julgamento de Nuremberg, um nazista defendeu-se dizendo que “nunca havia dito nada sobre os judeus que Martinho Lutero não tivesse dito 400 anos antes”.

      Sei que os nazistas eram contra o comunismo.

      Sei também que, muito provavelmente, os nazistas foram influenciados pelas idéias evolucionistas de Charles Darwin na implantação da terrível eugenia nazista.

      Hitler pode ter nascido católico, mas seja lá o que for (se era louco, psicopata, tomado pelo ódio de vingança contra os judeus e contra a derrota na Primeira Guerra Mundial), ele não foi um cristão de verdade; senão, jamais teria feio o que fez.

      Ditadores como ele, Mussolini, Napoleão, Mao Setung, Stalin, Nero, ultrapassam qualquer sentido de religião ou de moral cristã ou laica.

      Recentemente, assisti a um excelente documentário sobre Hitler. O que mais me espanta em tudo isso, não é existir tais pessoas como ele e outros ditadores com tanta lábia e astúcia; mas sim o apoio maciço do povo a tais líderes, principalmente enquanto estão sendo vitoriosos. Incrível também é que, apesar de serem fatos recentes e de ter tantos registros históricos e filmagens sobre o nazismo, ainda assim alguns tentam deturpar a história e negam o próprio holocausto. Se fazem isso agora, imagina sobre fatos ocorridos há mais de dois mil anos atrás; como, por exemplo, sobre a vida de Cristo ou sobre o êxodo do povo judeu?

      O que eu disse é que de fato o regime comunista cometeu muito mais barbaridades do que aqueles que agiram em nome de Deus, incluindo a Inquisição Católica e Protestante, as Cruzadas ou mesmo os regimes teístas islâmicos. Talvez, justamente, por não acreditarem num juízo eterno e por seguirem a máxima maquiavélica de que “os fins justificam os meios”.

      A verdade é que a história demonstrou que o comunismo, ao contrário da sua utopia teórica, não funciona na prática. Como bem resume esse comentário:

      “… Eu diria: em lugar da antiga sociedade burguesa, com classes e antagonismos de classes, surge um Estado super poderoso que sufoca os indivíduos e se perpetua no poder através da ideologia (pois teme sempre que o povo possa se revoltar a ponto de derrubá-lo, assim como foi derrubada a burguesia), mantendo a todos em uma magnífica pobreza igualitária e mental. Nós não precisamos falar muito basta olharmos para os países cujo domínio é comunista como, por exemplo, Cuba.

      Concluindo e resumindo tudo em poucas palavras, comunismo é tirar dos mais ricos para dar ao Estado, reduzir a população inteira à pobreza, concentrar todo poder e a riqueza no Estado tudo para o estado, nada para o povo. Diria que o Estado é o deus do Comunismo, poderíamos até chamar o comunismo de “Estadismo (ismo = adoração) – adoração ao Estado. ” ( FONTE: http://dirleydossantos.blogspot.com.br/2009/10/comentario-do-manifesto-do-partido.html )

      Já sobre a polêmica levantada sobre o Papa Pio XII, eis o “outro lado da moeda”:

      “…

      Historiador judeu: PIO XII NÃO FOI O PAPA DE HITLER

      O historiador judeu nascido em Praga, Saul Friedländer, assinala em uma recente entrevista no semanário Le Point que Pio XII não foi o Papa de Hitler. Deste modo recorda a aversão do Papa Pacelli pelo nazismo e sua decisiva colaboração na encíclica Mit brennender Sorge de Pio XI na qual se deplora esta ideologia.

      Friedländer ensinou história contemporânea no Instituto universitário de altos estudos internacionais de Genebra. Trabalhou também nas universidades de Los Angeles (EUA) e Tel Aviv (Israel). É autor, entre outros livros de “Hitler e os Estados Unidos”, “Pio XII e o Terceiro Reich” e “Reflexões sobre o futuro de Israel”.

      Em entrevista concedida ao semanário Le Point dada conhecer pelo L’Osservatore Romano, o historiador judeus se refere ao “silêncio de Pio XII afirmando que se a Igreja tivesse elevado sua voz, hoje sua ‘grandeza’ seria recordada”. Hoje se sabe que a verdadeira grandeza deste Papa esteve no seu silêncio que permitiu que ele salvasse mais de 700.000 judeus de perecer sob o regime nazista.

      O LOR assinala que ante diversas acusações deste tipo, “Friedländer considera que não quer transformar, como outros têm feito, a Pio XII no ‘Papa de Hitler’. Recorda, ao contrário, a aversão do Papa Pacelli pelo nazismo e sua decisiva colaboração na redação da Mit brennender Sorge”, a encíclica de Pio XII que condena a ideologia nazista.

      “. ( FONTE: http://www.cleofas.com.br/ver_conteudo.aspx?m=art&cat=110&scat=82&id=5971 )

      Mesmo porque, no início do nazismo, ninguém imaginava o que ele iria se tornar; nem os católicos, nem os protestantes, nem os ateus, nem os judeus, nem as demais nações e seus governantes, nem os alemães e, provavelmente, nem mesmo os nazistas e, talvez, nem mesmo o próprio Hitler!

      Vejam também:

      http://www.vatican.va/roman_curia/pontifical_councils/chrstuni/documents/rc_pc_chrstuni_doc_16031998_shoah_po.html

      http://www.cleofas.com.br/ver_conteudo.aspx?m=art&cat=110&scat=82&id=2648

      http://www.cleofas.com.br/ver_conteudo.aspx?m=doc&cat=88&scat=125&id=1306

      http://www.cleofas.com.br/ver_conteudo.aspx?m=doc&cat=88&scat=125&id=1307

    • Estados Totalitários Religiosos +Stalin+Hitler+Mussolini & Cia. Ilimitada

      RELIGIÃO e POLÍTICA sempre de mãos dadas!

      Se eu não posso lhe provar que o sentido da religião desapareceu no passado, que seus livros fundamentais são fábulas transparentes, que é uma imposição criada pelo homem, que tem sido inimiga da ciência e da pesquisa e que sobreviveu principalmente de mentiras e medos e foi cúmplice da ignorância e da culpa, bem como da escravidão, do genocídio, do racismo e da tirania, eu quase certamente posso afirmar que a religião hoje está plenamente consciente dessas críticas. Tambem está plenamente consciente das provas cada vez mais numerosas, referentes às origens do universo e à origem das espécies, que a relegam à marginalidade, quando não à irrelevância.

      Quando já foi dito o pior sobre a Inquisição, as Cruzadas, os horrores do Velho Testamento, as fraudes do Novo Testamento. Mas há um ponto que não pode passar sem maiores esclarecimentos.

      Não é verdade que regimes seculares e ateus cometeram crimes e massacres que são, na escala das coisas pelos menos tão ruins, quanto não piores? É possível ir além e dizer que o totalitarismo secular de fato nos deu um resumo do mal humano. OS EXEMPLOS MAIS UTILIZADOS os regimes de STALIN, HITLER, MUSSOLINI – nos mostram com terrível clareza o que acontece quando os homens usurpam o papel dos deuses. E essa é a objeção mais frequente da crentaiada religiosa. Seria de esperar que a religião tivesse preservado um pouco mais a sua dignidade.

      O ponto merece uma resposta mais detalhada.Para começar devagar, é interessante descobrir que as pessoas de fé hoje buscam dizer defensivamente que não são piores que fascistas, nazistas ou stalinistas. Não diria que as fileiras do secularismo e do ateísmo estão exatamente abarrotadas de comunistas ou fascistas. Mas pelo bem do debate, pode-se considerar certo que, assim como Secularistas e ATEUS RESISTIRAM A TIRANIAS CLERICAIS E TEOCRÁTICAS, os crentes religiosos resistiram às pagãs e materialistas. Mas isso seria apenas dividir a diferença.

      A palavra “totalitário” é um termo útil, porque ele distingue as formas “comuns” de despotismo – aqueles que se limitam a exigir obediência de seus súditos – dos sistemas absolutistas que exigem que os cidadãos se transformem inteiramente em súditos e entreguem suas vidas particulares e suas personalidades ao Estado, ou ao líder supremo. Se aceitarmos essa última definição, então o primeiro ponto a ser abordado também é fácil.

      No começo da história da humanidade, o princípio totalitarista era o que reinava. A RELIGIÃO ESTATAL OFERECIA UMA RESPOSTA COMPLETA E “TOTAL” A TODAS AS PERGUNTAS, da posição de alguém na hierarquia social às regras concernentes à dieta e ao sexo. Escravo ou não, o humano era propriedade, e o CLERO GARANTIA a implementação do ABSOLUTISMO. Um pensamento impuro, podia fazer com que você fosse esfolado vivo, ser acusado de possessão demoníaca ou de contato com o Diabo era ser condenado por isso. Independentemente do que fizesse, e por mais que tomasse precauções, os pecados dos quais não tinha consciência sempre podiam ser lançados sobre você.

      DURANTE A MAIOR PARTE DA HISTÓRIA HUMANA, a ideia do ESTADO TOTAL ou ABSOLUTO esteve intimamente LIGADA À RELIGIÃO. Um barão ou rei podia obrigar você a pagar impostos ou a servir em seu exército, e normalmente podia garantir SACERDOTES À MÃO para lembrar a você que era a sua obrigação.
      MAS os DESPOTISMOS verdadeiramente ASSUSTADORES foram aqueles que também queriam o conteúdo de seu coração e de sua cabeça. Quer estudemos as monarquias orientais da China, da Índia ou da Pérsia, os impérios asteca ou inca ou as cortes medievais da Espanha, da Rússia e da França, quase invariavelmente DESCOBRIMOS QUE ESSES DITADORES ERAM DEUSES, ou OS LÍDERES DAS IGREJAS.
      Devia-se a eles mais que a mera obediência: qualquer crítica a eles era por definição profana, e milhões de pessoas viveram e morreram de medo de um governante que podia escolher você para um sacrifício…transgredir um dia santo, um objeto sagrado ou uma regra acerca de sexo, comida ou casta, podia produzir calamidades. Isso continuou a ser verdade quando o direito divino dos déspotas começou a dar lugar a versões da modernidade. A idéia de um Estado utópico na Terra, talvez modelado a partir de algum ideal celestial levou as pessoas a cometer crimes terríveis em nome do ideal.

      UMA DAS PRIMEIRAS tentativas de criar uma sociedade ideal, baseada no conceito de igualdade humana, foi o Estado socialista totalitário estabelecido pelos MISSIONÁRIOS JESUÍTAS no Paraguai ( e minha cidade vizinha aqui nas missões no alto Uruguai no RS). Ele conseguiu combinar o máximo de igualitarismo com o máximo de falta de liberdade, e só pôde ser sustentado pelo máximo de medo. Isso deveria ser um alerta para aqueles que buscam aperfeiçoar a espécie humana. Mas o objetivo de aperfeiçoar a espécie, que é a própria raiz e a fonte do impulso totalitário é essencialmente religioso.

      Para ter uma disposição totalitária, não é preciso vestir um uniforme nem carregar um porrete ou um chicote. Só é preciso desejar sua própria sujeição e se deliciar com a sujeição dos outros. O QUE É UM SISTEMA TOTALITÁRIO senão aquele em que a glorificação abjeta do líder perfeito é acompanhada da renúncia a toda privacidade e individualidade, especialmente em questões sexuais, e da denuncia e punição, “para seu próprio bem” daqueles que transgridem? O elemento sexual provavelmente é decisivo, no sentido de que a mente mais embotada pode perceber a profunda relação entre a repressão e perversão.

      Na visão totalitária religiosa, não é possível escapar deste mundo de pecado original, culpa e dor. Uma infinidade de punições espera por você mesmo depois da morte. De acordo com os TOTALITARISTAS RELIGIOSOS realmente radicais, como o torturador, assassino e sádico João CALVINO, que tomou sua doutrina medonha de Agostinho, uma infinidade de punições pode estar esperando por você mesmo antes do nascimento. Há muito tempo foi escrito quais almas seriam escolhidas ou “eleitas”, quando chegasse o momento de separar as ovelhas das cabras. Não é possível nenhum recurso a essa sentença primordial, e não há boas ações ou profissões de fé que possam salvar aqueles que não tiveram a sorte de ser escolhidos.

      A Genebra de Calvino era um Estado totalitário típico. Calvino pode parecer um personagem distante para nós, mas aqueles que costumavam agarrar e usar o poder em seu nome ainda estão entre nós. São os mesmos que proíbem e censuram livros, silenciam dissidentes, condenam estrangeiros, invadem a esfera privada e invocam uma salvação exclusiva. São a própria essência do totalitarismo.
      O fatalismo do Islamismo, que acredita que tudo está antecipadamente definido por Alá, tem algumas semelhanças com esta completa negação da autonomia e da liberdade humanas, bem como sua crença arrogante e intolerável de que sua fé inclui tudo o que qualquer um precisa saber.
      Testemunhas de Jeová ousam dizer que são puros, os escolhidos os eleitos e que só eles sabem o número exato daqueles que serão poupados da fogueira

      ICAR +NAZISMO+FASCISMO+COMUNISMO!

      DADO O SEU PRÓPRIO HISTÓRICO de sucumbir a ditaduras, como a religião enfrentou os totalitarismos “seculares” de nossa época?

      É preciso inicialmente considerar, por ordem fascismo, nazismo e stalinismo.

      O FASCISMO – o precursor e modelo do nacional-socialismo, foi um movimento que acreditava em uma sociedade orgânica e corporativa, presidida por um líder ou guia. Surgindo da miséria e da humilhação da Primeira Guerra Mundial, os movimentos fascistas defendiam os valores tradicionais contra o bolchevismo e pregavam o nacionalismo e a piedade. Provavelmente não é coincidência que tenham surgido inicialmente, e de forma mais entusiasmada, em países católicos, e certamente não é coincidência que a Igreja Católica em geral fosse simpática ao fascismo como ideia.

      Não apenas a IGREJA VIA O COMUNISMO COMO UM INIMIGO MORTAL, mas também via seu inimigo judeu mais antigo nas mais altas fileiras do partido de Lenin.

      Benito MUSSOLINI mal tinha tomado o poder na Itália e o Vaticano já estava fazendo com ele um tratado oficial, conhecido como Tratado de Latrão de 1929. Pelos termos do acordo, o CATOLICISMO SE TORNOU A ÚNICA RELIGIÃO RECONHECIDA NA ITÁLIA , com monopólio em questões de nascimento, casamento, morte e educação, e em troca conclamava seus seguidores a votar no partido de Mussolini. O Papa PIO XI descreveu il Duce (“o líder”) como “um homem enviado pela Providência”. Eleições não seriam uma característica da vida italiana por muito tempo, mas a Igreja ainda assim levou à dissolução dos partidos católicos leigos de centro e ajudou a financiar um pseudopartido chamada “Ação Católica”, que foi copiado em muitos países.

      Por todo sul da Europa, a IGREJA FOI UMA ALIADA CONFIÁVEL DE REGIMES FASCISTAS na Espanha (general Franco), em Portugal e na Croácia…A Igreja se esforçou para se desculpar durante 50 anos por tudo isso, mas sua cumplicidade com fascismo é uma marca indelével em sua história.

      O primeiro acordo diplomático fechado pelo governo de Hitler foi consumado em 8 de julho de 1933, poucos meses após a tomada do poder, e teve a forma de um tratado com o Vaticano. Em troca de controle inquestionável da educação de crianças católicas na Alemanha, o fim dos abusos infligidos em escolas e orfanatos católicos e a concessão de outros privilégios. A Santa Sé instruiu o Partido Centro Católico a se dissolver e bruscamente determinou que os católicos se abstivessem de qualquer atividade política.. Milhões de católicos que viviam no Terceiro Reich, que mostraram grande coragem se opondo a ascensão do nazismo, foram traídos.

      Por instrução do papa, o cardeal de Berlim regularmente transmitia “calorosas congratulações ao Führer em nome dos bispos e das dioceses da Alemanha”, sendo essas louvações a partir de 1939, acompanhadas das “orações fervorosas que os católicos da Alemanha estão enviando aos céus a partir de seus altares”. A ordem era obedecida e fielmente executada.

      O papa PIO XI , esse papa fraco e doente sempre foi manobrado, ao longo da década de 1930, por seu secretário de Estado, Eugenio Pacelli. Nós hoje o conhecemos Pacelli como o Papa PIO XII, que ocupou o posto depois da morte de seu antigo superior em fevereiro de 1939. Quatro dias depois de sua eleição pelo Colégio de Cardeais, Sua Santidade produziu a seguinte carta para Berlim:

      “ Ao ilustre Herr Adolf Hitler, Führer e chanceler do Reich Alemão!

      Aqui, no início de Nosso Pontificado, queremos assegurar que Nós permanecemos dedicados ao bem-estar espiritual do povo alemão confiado a sua liderança. (…) Durante os muitos anos que passamos na Alemanha, fizemos tudo ao nosso alcance para estabelecer relações harmoniosas entre a Igreja e o Estado. Agora que as responsabilidades de nossa função pastoral aumentaram nossas oportunidades, de forma ainda mais ardente rezamos para atingir essa meta. Que a prosperidade do povo alemão e seu progresso em todas as áreas se realizem, com a ajuda de Deus, para a fruição! “.

      Seis anos depois dessa mensagem maldosa e vaidosa, o um dia próspero e civilizado povo da Alemanha podia olhar ao redor e dificilmente ver um tijolo sobre outro, enquanto Exército Vermelho sem deus marchava rumo a Berlim.

      Estudando aquela guerra, talvez seja possível aceitar que 25 por cento do SS eram católicos praticantes e que nenhum católico foi sequer ameaçado de excomunhão por participação em crimes de guerra. (José Goebbels foi excomungado, mas isso se deu antes e, afinal, ele tinha sido responsável por isso pelo crime de ter se casado com uma protestante.)

      Muitos cristãos deram suas vidas para proteger seus próximos, mas a chance de que eles o tenham feito por ordem de qualquer sacerdote é estatisticamente nula. A esquerda secular da Europa se saiu bem melhor da luta contra o nazismo, mesmo que muitos de seus membros acreditassem que havia um paraíso operário além dos montes Urais.

      Seres humanos e instituições são imperfeitos, certamente. Mas não poderia haver prova mais clara e vívida de que as instituições sagradas são feitas pelo homem.

      O concluio continuou mesmo depois da guerra, com criminosos nazistas procurados, levados para a América do Sul. Foi o próprio Vaticano, com sua capacidade de providenciar passaportes, documentos, dinheiro e contatos, que organizou a rede de fuga e também a necessária proteção e ajuda no outro extremo. Por mais que isso fosse ruim em si, também envolvia cooperação com outras ditaduras de extrema direita do hemisfério sul, muitas delas organizadas segundo o modelo fascista. Torturadores e assassinos fugitivos como Klaus Barbie se tornavam colaboradores desses regimes, que também desfrutaram de um firme apoio do clero católico local.

      Costuma ser esquecido que a tríade do Eixo incluía outro membro, o império do JAPÃO, que tinha como seu chefe de Estado não apenas uma pessoa religiosa, mas na verdade uma divindade. Se a chocante heresia de acreditar que o IMPERADOR HIROHITO ERA DEUS foi algum dia denunciada em algum púlpito alemão ou italiano por qualquer prelado, fomos incapazes de descobrir. Sob o seu sagrado nome milhões de ja poneses doutrinados foram martirizados e sacrificados.O CULTO A ESSE DEUS–REI era tão OBRIGATÓRIO e histérico que se acreditava que todo o povo japonês poderia apelar ao suicídio caso sua pessoa fosse ameaçada ao final da guerra. Essa deferência à força da opinião religiosa implica o reconhecimento de que FÉ, ADORAÇÃO e POLÍTICA PODEM FAZER AS PESSOAS SE COMPORTAREM REALMENTE MUITO MAL!

    • Concluindo D. R., meu comentário final, para refletir sobre

      Religião & Politica sempre de mãos dadas:

      Quando um grupo chega ao poder e coloca em prática o seu projeto, uma de suas primeiras atitudes é procurar justificar, no campo das idéias, o seu poder. Mesmo para justificar o seu projeto, são utilizados instrumentos, tais como a religião.

      A colonização da América, por exemplo, baseou-se no principio aristotélico de que alguns humanos nasceram para a liberdade, enquanto outros para os grilhões da escravidão. Com a dicotomia corpo x alma, expressa na filosofia de Platão e tão em voga na cristandade européia, a justificativa colonialista se encorajara na idéia de que os índios não possuíam alma, então entendida como instância superior e divina do ser humano, o que os tornava objetos a serem domados pelos ditos civilizados, possuidores, por natureza, da liberdade das almas brancas. Nesse momento, entra o passado e a forma de contar e explicar os eventos que aconteceram. Estar no poder implica para o grupo “vencedor” ter acesso à maior parte dos recursos humanos com que conta a sociedade (religião, sistema de educação, funcionários, intelectuais) e a possibilidade de influenciar – incentivando, desestimulando e até proibindo o que as pessoas falam e escrevem e pensam. Por exemplo: Index dos livros proibidos.

      Isso não quer dizer que os outros grupos, os “derrotados”, não possam contar o passado a seu modo, do seu ponto de vista. Ocorre, no entanto, que essa visão quase sempre é escamoteada, adulterada, ficando numa posição secundária, e pode, aos poucos, ser esquecida, se não dispuser de meios (geralmente controlados pelos “vencedores”, como a escrita ou outras formas de transmitir informações para as gerações seguintes) para se perpetuar.

      Conforme OSHO:

      -…O político também precisa dessas pessoas. Até mesmo os políticos como Hitler e Mussolini, receberam as bênçãos do papa.
      As massas são enganadas. O sacerdote dá a sanção de Deus, certifica que esse é o homem certo para ser o Presidente, esse é o homem certo para ser o vice-presidente, ministro.

      É claro que o político necessita disso, porque as massas escutarão os sacerdotes; o sacerdote é imparcial, nada tem a ver com política, está acima da política…ele não está! O sacerdote está nas mãos dos políticos. O que estou lhe dizendo é que esses políticos e esses sacerdotes estiveram constantemente em conspiração, trabalhando juntos de mãos dadas.
      O político tem o poder político; o sacerdote tem o poder religioso. O político protege o sacerdote, o sacerdote abençoa o político – e as massas são exploradas, sugadas. Seu sangue é sugado por ambos.

      Elimine Deus e você elimina os maus políticos, a política, o sacerdote, a conspiração entre o sacerdote e o político. E com esses dois eliminados,cinqüenta por cento de suas misérias desaparecem.

      http://deusilusao.com/2011/05/04/religiao-faz-mal/

  12. Resposta para D.R.
    que comentou:
    “- Pelo menos NUNCA VI UM PADRE ou pessoa idosa que seguiu fielmente a Igreja e procurou praticar as virtudes que tenha se ARREPENDIDO no fim da vida …”

    JEAN MESLIER – O padre ateu!

    Meslier foi um vigário de aldeia que viveu no norte da França entre os anos de 1664 e 1729. Ele foi autor de uma obra contundente e radical por meio da qual expressou toda a sua indignação contra a opressão e as injustiças sociais cometidas contra os camponeses durante o reinado de Luís XIV.

    A solução por ele proposta para tais mazelas encontramos no seu manuscrito intitulado Memória dos pensamentos e dos sentimentos de Jean Meslier, concluído em 1720, e nas Cartas aos curas, provavelmente redigidas na mesma época. E consiste no ideal de uma sociedade fundamentada no ateísmo e na propriedade coletiva da terra.

    Porém, para realizá-lo, Meslier preconiza, muito antes dos jacobinos, dos anarquistas e dos bolcheviques, a união de todos os explorados e oprimidos em torno do estrangulamento do último rei com as tripas do último padre (MESLIER 3, I, p. 23).

    “Meslier nega categoricamente o dogma da criação do universo”

    O fato de ser padre e paradoxalmente ateu e comunista nos primeiros anos do século XVIII é uma situação, além de inusitada, bastante significativa, sobretudo se analisarmos o pensamento de Meslier da perspectiva da história da filosofia.

    Quando contextualizamos historicamente o seu posicionamento filosófico, político e ideológico, percebemos que Meslier foi, com efeito, um pensador muito singular. Tal singularidade torna-se ainda mais nítida quando comparamos a sua doutrina à dos expoentes do Iluminismo francês.

    Do ponto de vista metafísico, Meslier nega categoricamente o dogma da criação do universo (ibidem, II, p. 186 e 209), por conseguinte, as idéias de divindade, transcendência e de providência ordenadora da natureza (ibidem, II, p. 149).

    Seu ateísmo, portanto, é inequívoco. Os deuses, sem exceção, inclusive o deus judaico-cristão, são por ele definidos como falsidades, como fábulas absurdas (ibidem II, p. 163). Os profetas e os santos são julgados charlatães, e os milagres, por sua vez, aparecem como farsas, isto é, como um produto da falta de escrúpulos dos que as sustentam combinada com a ignorância e com medo dos humildes que a elas dão assentimento (ibidem, II, p. 343).

    “Um século antes de Nietzsche e algumas décadas antes do marquês de Sade”

    Com a mesma veemência, Meslier argumenta a favor do seu materialismo, que é radical. No seu entender, tudo o que existe é material, ou seja, só há matéria no universo, apenas uma única substância na natureza. E substância para ele é toda realidade corporal. A matéria é a realidade, é o Ser propriamente dito. E como Ser, a matéria é a causa de si mesma e de tudo o que é (ibidem, II, p. 237).

    A idéia da existência de uma outra substância além da matéria, uma substância imaterial e imortal, é refutada como fantasiosa. Nesse sentido, Meslier opõe-se frontalmente a Descartes, o qual concebe o homem como uma substância composta, mais precisamente como uma união substancial constituída de matéria e espírito, extensão e pensamento (DESCARTES 2, p. 81). Vale dizer que o dualismo cartesiano era a corrente hegemônica no cenário filosófico no qual se desenvolveram as reflexões de Meslier.

    Além de ateu e materialista, Meslier também teceu duras críticas à religião. E não apenas à religião cristã, mais especificamente a católica, mas à religião em si mesma.

    Um século antes de Nietzsche e algumas décadas antes do surgimento estrondoso do marquês de Sade, esse padre provinciano proferiu uma das maiores diatribes já proferidas contra o cristianismo, em particular contra a figura de Jesus Cristo, que é definido por ele como louco, fanático, ignorante e charlatão, como um indivíduo astuto que se aproveitou da credulidade e do desespero de pessoas ignorantes para estabelecer o seu império (ibidem, I, p. 100).

    “Meslier era enfático em propor um comunismo utópico”

    Do ponto de vista político e ideológico, a posição de Meslier destoa significativamente da dos demais ilustrados. Ele considerava a religião a princípio como um artifício humano; porém, como um nefasto expediente dos espertalhões, aliás, como um eficiente instrumento de dominação utilizado pelos reis, sacerdotes e demais parasitas para submeterem e manipularem os povos imersos na miséria e debilitados pelo sofrimento (ibidem, I, p. 45).

    Meslier opunha-se não só ao absolutismo monárquico, mas a qualquer outro tipo de monarquia, inclusive à monarquia constitucional. Em contrapartida, defendia um governo conduzido pelos mais esclarecidos e virtuosos, no fundo, um governo do baixo clero rural, classe à qual pertencia, uma vez que esta sofria na pele as mesmas agruras que os camponeses (MESLIER 4, p. 193).

    Mais: Meslier refere-se com entusiasmo aos tiranicidas (M ESLIER 3, III, p. 132) e coloca-se radicalmente contra a propriedade particular (ibidem, II, p. 74). O modelo de vida social que ele tinha em vista eram as comunidades cristãs primitivas e as organizações de certas ordens monásticas.

    Meslier, na verdade, não dispunha propriamente de um projeto político, porém, era enfático em propor um comunismo utópico, uma ordem social baseada na fraternidade, na valorização do trabalho e na exploração comum da terra (ibidem, II, p. 81).

    “Meslier manteve o seu ateísmo e o seu ideário libertário no mais absoluto sigilo”

    A propósito, em várias passagens da sua obra, ele conclama os povos oprimidos e explorados do mundo a se levantarem contra os seus tiranos, bem ao modo do Manifesto do Partido Comunista de Marx e Engels (ibidem, III, p. 147).

    No entanto, a despeito da retórica inflamada e das idéias revolucionárias dos seus sermões materialistas, o padre ateu foi em vida mais um revoltado, mais um indivíduo indignado com as injustiças sociais do que efetivamente um homem de ação engajado na realização dos seus ideais.

    Convém ressaltar que Meslier manteve o seu ateísmo e o seu ideário libertário no mais absoluto sigilo durante toda a sua existência, e que as suas convicções e os seus escritos apenas vieram à tona postumamente, causando um retumbante escândalo.

    Fonte:

    Fonte: Livro Ateísmo e comunismo: o lugar de Jean Meslier na filosofia política das Luzes. Autor: Paulo Jonas de Lima Piva.

    Paulo Jonas de Lima Piva é doutor em filosofia pela USP, pós-doutorando em filosofia pela Universidade São Judas Tadeu (USJT)/Fapesp, professor da USJT e autor de O ateu virtuoso: materialismo e moral em Diderot.

    Bibliografia:

    1. DARNTON, R. Os best-sellers proibidos da França pré-revolucionária. Trad. Hildegard Feist. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

    2. DESCARTES, R. Meditações. Trad. J. Guinsburg e Bento Prado Jr. São Paulo: Abril Cultural, 1979 (Col. “Os Pensadores”).

    3. MESLIER, J. Mémoire des pensées et des sentiments de Jean Meslier. In: Oeuvres complètes. Paris: Anthropos, 1970 (Tome I); 1971 (Tome II); 1972 (Tome III).

    4. Lettre aux cures. In: Oeuvres complètes. Tome III. Paris: Anthropos, 1972.

    5. RIHS, C. Les philosophes utopistes: le mythe de la cité communautaire em France au XVIII siècle. Paris: Marcel Rivière, 1970.

    • Oiced,

      quando disse que “Pelo menos, nunca vi um padre ou pessoa idosa que seguiu fielmente a Igreja e procurou praticar as virtudes que tenha se arrependido no fim da vida e não tenha morrido com um sentimento de dever cumprido”, me referi a pessoas que conheci pessoalmente.

      Sempre há exceções, mas não deixam de ser exceções!

      Mesmo assim, se esse padre se tornou ateu, o mais estranho em tudo isso é ele ter continuado padre. Não consigo imaginar uma pessoa intelectualmente honesta que se torna ateu e continua dentro da Igreja de Cristo se beneficiando dela. E, no mínimo, ele perdeu as virtudes teologais da fé, da esperança e da caridade!

      Se os homens cometeram tantas barbaridades em nome de Deus e o capitalismo também tem seus defeitos e mazelas, a própria história demonstrou que o comunismo baseado numa sociedade totalmente ateia foi a maior desgraça que o homem inventou em toda a história da humanidade; causando o maior genocídio da história com mais de 100 milhões de mortes oficiais, conforme o Livro Negro do Comunismo. Fora
      os 50 milhões de crianças abortadas=assassinadas anualmente em todo o mundo por esta sociedade pós-moderna e relativista que se afasta cada vez mais de Deus e dos ensinamentos da Igreja.

      Desculpe Oiced (acho que você não vai gostar nada disso), mas o slogan que rola pela internet e que eu acho que mais resume o comunismo na prática é essa: “Marxismo: 100% de ateísmo (essa eu que acrescentei) com 100% de fracasso em 100% de ditaduras com 100% de países falidos e uma soma de 100 milhões de mortos.”

      Quanto a afirmar que todos os milagres da Igreja são fraudes, isso é muito fácil e qualquer um pode falar. Quero ver PROVAR!

      Mesmo porque, embora muitas relíquias já foram desmascaradas pela Ciência como fraudes, vários cientistas de verdade (e não pseudo-cientistas ou fanáticos religiosos) que tiveram acesso a alguns dos grandes milagres da Igreja, chegaram à conclusão de sua autenticidade.

      Tais como: Richard Kuhn (Prêmio Nobel de Química), Phillip Callaghan e Jody Brant Smith (cientistas da NASA), Dr. Aste Tonsmann (Centro Científico da IBM), Dr. Javier Torroella (consultor da OMS), Dr. Enrique Graue (um dos mais competentes oftalmologistas da América), etc.; que estudaram o MILAGRE DA IMAGEM DE GUADALUPE; que, numa única ‘cajadada’, converteu mais de 8 MILHÕES DE ÍNDIOS mexicanos sem derramamento de sangue!

      E tais como: Dr. Raymond Rogers (famoso químico de Los Alamos com mais de 40 artigos publicados com peer review), competentes físicos (como os do ENEA e da NASA), cientistas das mais diversas áreas da equipe do STURP, químicos, botânicos, médicos, anatomistas, legistas, microscopistas, etc.; que estudaram e ainda estudam o SANTO SUDÁRIO, o objeto mais estudado pela ciência em toda a história e considerado por muitos o QUINTO EVANGELHO (tamanha a semelhança com os relatos dos evangelhos canônicos)! Sendo que, após décadas de pesquisas, o cientistas não sabem sequer como a imagem foi formada!

      Aliás, que tem autoridade para afirmar se um milagre é autêntico ou se é uma fraude, não são padres, nem pastores, nem teólogos, nem filósofos, nem especuladores de plantão, nem livres pensadores como você, nem leigos católicos como eu e nem mesmo a Igreja; é somente a Ciência!

      Não é a toa que a própria Igreja Católica entrega seus milagres para análise científica de especialistas antes de declarar um milagre como autêntico ou não! É por isso que o Santo Sudário, apesar de tantas evidências a favor da autenticidade, ainda não foi reconhecido oficialmente pela Igreja Católica, por causa do teste de datação por C14 (o único teste que deu negativo) que indicou ser o linho da Idade Média; mas esse teste vem sendo criticado por vários cientistas que estudam o Sudário e os mesmos estão pedindo um novo teste de datação.

      Acho que você, em vez de ficar lendo livros de ateísmo e comunismo, também deveria procurar estudar a fundo sobre os grandes milagres da Igreja como: Santo Sudário (que nada mais é do que a foto radiográfica e tridimensional de um homem ressuscitando), Imagem de Guadalupe (cujo olho reflete a cena do milagre e cuja pupila dos olhos reage à presença de luz como se fosse um olho VIVO, cuja imagem mantém a temperatura de um corpo humano e têm batidas de coração, etc.), Santa Casa de Loreto (a casinha onde viveu a Virgem Maria milagrosamente transportada de Nazaré até Loreto, passando por outras cidades, durante a invasão islâmica à Terra Santa), Milagre Eucarístico de Lanciano (cuja hóstia e vinho virou carne e sangue de uma pessoa viva atualmente), Sangue de São Genaro (que se liquefaz no dia do seu aniversário), Coxo de Calanda (cuja perna reapareceu após enterrada por quase três anos), Espinho da Coroa de Cristo (cujo sangue coagulado se liquefaz a cada 11 anos, toda vez que a sexta-feira da paixão ocorre num dia 25 de março, o suposto dia da crucificação de Cristo), corpos e órgãos incorruptos de santos (que exalam perfume e destilam água e óleo por séculos) e tantos outros espantosos milagres que, por incrível que pareça, só ocorrem na Igreja Católica e em nenhuma outra religião do mundo.

      Pois, os milagres autênticos são o elo entre o Deus e o homem, entre a razão e a fé, entre a ciência e a religião; são como que a assinatura de Deus para confirmar sua existência, sua Igreja e sua verdadeira doutrina.

      Se ainda não viu, não deixe de ver, por exemplo, o incrível documentário do History Channel “GUADALUPE: UMA IMAGEM VIVA” (http://www.youtube.com/watch?v=7yTwabUjgYQ) e também o excelente e sério documentário do Discovery Channel “O MISTÉRIO DO SANTO SUDÁRIO” (http://www.youtube.com/watch?v=M9j38PmEGWA) e sua continuação “O SUDÁRIO DE TURIM” (http://www.youtube.com/watch?v=h_1_ag_H6Kk).

      Ou ler os livros “Milagres – A Ciência Confirma a Fé” e “Os Milagres e a Ciência”, do Pe. Oscar Quevedo. Ou mesmo em sites como OEPNET (http://oepnet.sites.uol.com.br/milagres.htm) e CIÊNCIA CONFIRMA A IGREJA (http://cienciaconfirmaigreja.blogspot.com.br/).

      E, também, sobre a doutrina e história da Igreja no site VERITATIS SPLENDOR e em tantos outros sites de apologética católica. Recomendo ainda o programa ESCOLA DA FÉ, do ilustre Prof. Felipe Aquino (engenheiro, físico, doutor pelo ITA, escritor, ex-reitor de universidade, apresentador, etc.), na TV Canção Nova todas as quintas-feiras às 20:30 horas (e também no YouTube); onde ele ensina muito sobre a história da Igreja e sobre a fé católica.

      É ver para crer!!!

      Uma coisa é certa: Ou esses ateus estão enganados ou mentindo; ou, então, é a Igreja Católica e a Ciência! Temos que escolher um dos dois; porque, pela lógica, o que não pode é ambos estarem corretos ao mesmo tempo!

  13. A APOSTA DE PASCAL !

    Uma das formas mais usadas pelos crentes em Deus para tentar provar a existência dele ou para tentar fazerem as pessoas acreditarem no suposto deus é se utilizando da aposta de PASCAL em que ele faz as seguintes afirmações:

    * Se você acredita em Deus e nas Escrituras e estiver certo, será beneficiado com o prêmio máximo: a eternidade de bem-aventurança e tranqüilidade no paraíso.

    * Se você acredita em Deus e nas Escrituras e estiver errado, não terá perdido nada.

    * Se você não acredita em Deus e nas Escrituras e estiver certo, não terá perdido nada.

    * Se você não acredita em Deus e nas Escrituras e estiver errado, você irá para o fogo eterno.

    Posso provar facilmente que PASCAL ESTAVA ERRADO, para começarmos todas as religiões que acreditam na salvação eterna exige muito mais do que o simples fato de que a pessoa acredite em Deus.
    Judeus: Exigem a circuncisão
    Cristãos: Não se pode sexo antes do casamento
    Mulçumanos: Parte destes são capazes até de se suicidar e matar por causa de sua religião.

    Foram só pequenos exemplos das obrigatoriedades das religiões. Primeiramente deveríamos escolher a religião correta para se seguir levando em conta que atualmente existem nove principais: Cristianismo, Judaísmo, Hinduísmo, Islamismo, Xintoísmo, Sikhismo, Bahai, Jainismo, Mormonismo… a nossa chance de ir para o suposto e hipotético paraíso cai para 11,1%.

    Levando em consideração que dentro destas religiões existem vários seguimentos como no Cristianismo existe o catolicismo, o protestantismo, a igreja ortodoxa, a igreja anglicana… a probabilidade cai para menos de 1%.

    Pascal ainda afirmou que caso Deus não exista e acreditássemos nele nada perderíamos isto é mais pura e falsa mentira, pois muitas religiões exige a automutilação como forma de se alcançar a salvação e seguimentos como As testemunhas de Jeová, exigem que você não doe sangue nem mesmo para o seu filho a beira da morte.

    Resumindo: Mesmo se Deus existisse a probabilidade de que você fosse salvo é de 0,00000(alguma coisa) e não de 50% pelo raciocínio de Pascal bastando acreditar para ser salvo e crendo em Deus e tendo uma religião você vai perder muita coisa sim, podem ser 10% do seu salário, mulheres, homens, felicidade, conhecimento, momentos de alegria e a verdadeira liberdade que nos foi concedida pela natureza.

    Autor: Paulo Silva muito cético sempre do lado do bem e da verdade.

    Fonte: http://livrespensadores.org/artigos/refutando-a-aposta-de-pascal/

    • Primeiro, que não devemos desprezar argumentos de um gênio com Blaise Pascal. Suponho que ele não seria tão ingênuo a ponto de não ter pensado nisso.

      Segundo, que por ele ser cristão e católico, logicamente, deveria acreditar que o cristianismo é a religião verdadeira e não todas as religiões do mundo. O que de fato faz sentido; pois, com tantas religiões no mundo com doutrinas totalmente contraditórias, é lógico que só uma delas pode ser verdadeira ou, então, nenhuma delas. Isso não é uma questão de fé, mas sim de lógica. Mesmo porque, dentre as dezenas de milhares de religiões no mundo, a única onde acontecem milagres comprovados pela ciência é na Igreja Católica; justamente aquela fundada por esse tal Jesus que afirmava ser filho do Deus vivo e verdadeiro.

      Terceiro, que acreditar em Deus é diferente de apenas acreditar na existência Dele mas não seguir seus preceitos e mandamentos. Pelo menos a Igreja Católica ensina que não basta a fé em Deus para se salvar, pois a fé sem (boas) obras é morta. É difícil, mas não é impossível; no início o caminho da conversão parece duro e penoso, mas depois vai se tornando plano e macio; enquanto que o caminho da perdição, no início parece largo e maravilhoso, mas depois vai se tornando cada vez mais estreito e tenebroso (conforme mostra os sonhos de Dom Bosco sobre o Céu e o Inferno)!

      Quarto, que mesmo que a probabilidade de Deus existir fosse de uma em cem, ainda assim valeria a pena acreditar nele; pois, acreditemos ou não, gostemos ou não, Deus é a nossa única esperança de uma vida após a morte e de um futuro para a humanidade; já que, segundo as modernas teorias científicas, a expansão acelerada do universo fará com que tudo seja extinto.

      Porém, se levarmos em conta o mistério da origem do universo, da vida, da consciência e dos sentimentos, a ordem e beleza e a matemática do universo, o Big Bang, o princípio antrópico e o ajuste fino das constantes cosmológicas, a revelação pública de Deus e as profecias bíblicas cumpridas na pessoa de Jesus Cristo e os milagres permanentes da Igreja, com certeza, a probabilidade de Deus existir é imensamente maior do que a Dele não existir!

      Quinto, que Deus não pede nada de injusto; quem segue os seus mandamentos pode ter uma vida até mais feliz do que os que vivem uma vida desregrada. Pelo menos, nunca vi um padre ou pessoa idosa que seguiu fielmente a Igreja e procurou praticar as virtudes que tenha se arrependido no fim da vida e não tenha morrido com um sentimento de dever cumprido (meu pai mesmo, mesmo sofrendo, morreu sorrindo). Ao contrário de muitos que escolheram uma vida de rejeição a Deus e de pecado.

      Jesus já dizia: “O quê adianta ganhar o mundo inteiro e perder a própria vida?”. Por acaso, podemos viver das lembranças do que comemos ontem ou dos prazeres que tivemos em tempos passados? O que importa é o que você sente hoje e agora! Você pode ter tido dinheiro, saúde, prazer e felicidade a vida inteira; mas se amanhã te acontecer uma desgraça ou alguma fatalidade na sua vida, você pode passar a sofrer e ser infeliz.

      Ou seja, o que adianta buscar uma vida de prazeres, estudar e trabalhar se, no final, deixarmos de existir e tudo que tivermos aprendido, feito ou vivido terá sido em vão? Ou, pior ainda, se existir um juízo eterno após a morte e irmos para o Inferno e sofrermos por toda a eternidade?

      Santa Catarina dizia que um dos maiores tormentos no Inferno é o imenso remorso de termos desprezado todas as chances que Deus nos deu em vida para nos convertermos.

      Portanto, a Aposta de Pascal (seja 50% ou não) é um argumento lógico, racional, prudente e muito válido sim; pois, o crente, no final das contas, tem pouco ou nada a perder; enquanto que o descrente tem tudo a perder, até a própria alma!

    • D.R., comentou:
      -Deus é a nossa única esperança de uma vida após a morte…

      Resposta: citando o seu livro dito sagrado (durma-se com tantas contradições divinas!)sobre a crença na imortalidade.

      ECLESIASTES 9: 5
      Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco terão eles recompensa, mas a sua memória fica entregue ao esquecimento.
      10 Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma. Ver 9:2,3,5,6.

      I CORÍNTIOS 15:13
      E, se não há ressurreição de mortos, também Cristo não ressuscitou.

      Por acaso D.R., já descobristes quem escreveu a Bíblia e os Evangelhos? Pesquise e descobrirás como o cristianismo foi fabricado pela ICAR!

    • Mais esclarecimentos para D.R., sobre A APOSTA DE PASCAL.

      “Se você acreditar na existência do deus X, poderá ir para o paraíso, caso ele exista; caso ele não exista você não tem nada a perder acreditando nele. Por outro lado, se você não acreditar e ele existir, irá para o inferno.”

      Esse é mais um “não-argumento”, pois nada nos diz a respeito da existência de deuses. É apenas uma consideração calculista de como agir com relação ao ateísmo, considerando custos e benefícios. Ainda que fosse verdade que é vantajoso acreditar em deuses (e não é), os ateus estão em busca imparcial da verdade, e não de mentiras com grandes potenciais de ganho.

      Mas analisemos o caso mesmo assim: será o teísmo realmente mais vantajoso do que o ateísmo?
      Essa proposta se chama aposta de Pascal, e está cheia de falhas.
      Conforme já comentado, Pascal desconhecia ou preferia ignorar a existência de muitos outros deuses além da divindade específica do cristianismo. Como a aposta não indica em qual deus crer, o crente ainda tem uma escolha muito problemática. Se ele escolher crer no deus X para evitar o inferno I, ambos inexistentes, pode ser que ele acabe indo para o inferno I’ do deus X’, esses bem reais. Ou seja: a aposta pode sair pela culatra porque o indivíduo acreditou no inferno errado, motivo pelo qual esse problema é conhecido por “evitar o inferno errado”.

      Além disso, não é verdadeira a idéia de que nada se perde acreditando em um deus que não existe. As pessoas dedicam enormes quantidades de tempo, dinheiro e energia em atividades ligadas a essa crença, isso para não falar nas pessoas que morrem ao rejeitar a medicina em favor de curas milagrosas, nas guerras religiosas que sempre assolaram a humanidade, nas Cruzadas, a Inquisição, perseguições contra religiosos e ateus por motivos religiosos, o sofrimento dos indivíduos por desobedecer entidades que não existem, a discriminação contra mulheres e homossexuais… a lista é longa. E ainda que nada disso existisse, se é verdade que para o religioso nada se perde acreditando em mentiras, então quem tem sérias explicações a dar é ele, e não o ateu.

      Caso o deus em questão seja onisciente, temos mais um problema pois ele também teria que ser ingênuo ou burro o suficiente para aceitar como válida uma crença formada a partir de um cálculo de conveniência.
      E mais: para a aposta funcionar, seria necessário que conseguíssemos acreditar naquilo em que não acreditamos, por um puro ato de vontade. Você seria capaz de acreditar em papai Noel se isso supostamente significasse que você vai ganhar um presente?

      Os problemas não cessam aí, pois o argumento assume que só existem deuses do tipo que recompensa a creça e punem a descrença. Pode muito bem ser que existam deuses que valorizem a intelectualidade e a busca honesta da verdade, e que punam a fé, e recompensem a busca honesta pela verdade. Nesse cenário, a melhor aposta é mesmo descrer.

      Por fim, caso existisse mesmo um deus que punisse seres humanos eternamente por “crimes de opinião”, independentemente de quão boas e justas tenham sido suas vidas, então esse não seria um deus digno de ser adorado.

  14. Mercadores da Fé

    O que vale para o capitalismo, vale para o mercado das religiões. Algumas destas são maiores do que outras, possuem maior penetração em determinados mercados, têm franquias espalhadas pelo mundo, utilizam-se de propaganda em vários meios de comunicação, algumas cobram uma quantia dos fiéis – é o nome dado aos clientes das religiões – para que estes possam receber, no futuro, a mercadoria vendida.

    Os mercadores cristãos se propõem a entregar uma mercadoria popular, através da benção, para os mais pobres e necessitados, para os mais fracos, os mais doentes, entre outras categorias de posição mais baixa dentro da pirâmide social. A venda, é claro, realiza-se ao custo de um certo privilégio para os negociantes, os assim denominados sacerdotes, que, na imensa maioria das vezes têm muitas posses e são bem-mal-instruídos ( ou muito bem), apenas fazem uso de seu poder mutante de picaretagem suprema, enquanto o mercado consumidor é, na maioria, pobre e de humildes que aceitam esse discurso.

    No cristianismo, o produto principal, Deus e seu filho marqueteiro do vinho Jesus, é produzido à baixo custo, e por isso mesmo é muito cheio de falhas e problemas. Entretanto, só após a Empresa Igreja Católica perder força é que os consumidores começaram a ter mais liberdade de reclamar. Até então, se alguém estivesse insatisfeito com o produto e dissesse isso em voz alta, certamente seria morto, através de uma fogueira, ou forca. A mercadoria foi baseada em outra mercadoria vendida aos egípcios em 3500 antes de cristo, seu nome era Hórus, quase ninguém conhece o produto original, por isso, pensam que não o produto deles, mas sim o dos outros são pirateados.
    O judaísmo é a mãe do cristianismo, o pai ninguém sabe quem é, já que sempre andou entre muitos homens.
    No judaísmo, deus é JHVH, como se pronunciaria essa palavra? Realmente, não pode ser pronunciado! JHVH é basicamente o mesmo deus que Deus, porém, mais furioso e justiceiro, assim como o motoqueiro fantasma.
    Os mercadores judeus foram os pioneiros na arte do comércio, inclusive, modificaram sua mercadoria original, JHVH, e venderam para outros, que adicionaram ou retiraram componentes, e renomearam o produto, como é o caso do cristianismo, islamismo e dos rastafaris. Entretanto, a mercadoria JHVH é infinita, e pode ser vendida pelos mercenários para infinitas pessoas, e não se acaba! Por isso, os mercadores judeus ainda possuem o seu JHVEH, doberman guardião do seus donos, os judeus. Para os mercadores judeus, apesar deles terem vendido (ou foram expropriados) o seu JHVH, todos os outros são gentios, são impuros, ou seja, não são considerados como iguais. Para os judeus, eles são os escolhidos, enquanto os outros são condenados, e devem ser absorvidos pelos escolhidos de JHVH.

    O cristianismo é a religião-empresa que possui maior penetração no mundo, por permitir uma série de modificações na embalagem da mercadoria original, cujas negociações iniciais foram feitas por Constantino que dou 10% da sua renda.
    Entretanto, esses “aprimoramentos” foram, na verdade, modificações realizadas de modo a fazer com que as pessoas se viciassem na mercadoria, trazendo, assim, um grande mal ao mundo. Mas na verdade, um dos colaboradores do livro, um tal de Deuterônio, pregava a morte de quem não seguisse as ordens descritas no livro, escravidão, submissão do sexo feminino, e o domínio de povos ao redor da sua vila.

    O grande problema é que as religiões-empresas atuais nunca entregam a mercadoria prometida, pelo menos não se tem tal conhecimento. E apesar disso, este mercado não é regulado por leis de proteção ao consumidor, nem tão pouco por leis de comércio internacional. Embora alguns entrem na justiça para reaver o prejuízo.

    Para os pentecostais e outras no meio evangélico, a pobreza é resultado do fracasso pessoal, não de um sistema econômico injusto. A todos a igreja oferece consolo e, muitas vezes, também uma porta de saída para escapar do crime, do vício e da solidão. Mas cobra caro por isso. Baseada numa particular Teologia da Prosperidade, a Universal, fundada, chefiada e liderada pelo bispo Edir Macedo, emprega quase dez mil pastores e milhares de obreiros, prega que a maior expressão da fé são as oferendas de dinheiro (10% de seus ganhos mensais- o dízimo), além de cheques pré-datados, tíquete-refeição, vale-transporte, 13º salário e cartões de débitos maiscedo (e créditos). A idéia de que, “toma-lá, dá cá” e “quanto mais se doa, mais Deus dá de volta”, levada ao paroxismo pela eloqüência dos bens treinados pastores da Universal, já fez com que almas crédulas arruinassem suas finanças, seu casamento, sua vida.
    Quando a graça divina não é concedida, a culpa nunca é do b$spo, de Deus ou Jesus, mas do próprio cristão, que teve pouca fé e não se empenhou como deveria. Como se redimir? Aumentando o ritmo das doações financeiras (o trizímo) à igreja, 10% para o Pai, 10% para o Filho e 10% para o Espírito Santo, como prova a Deus, é claro. Duas vezes por ano, para o rebanho de 8 milhões de fiéis, é organizada a Fogueira Santa de Israel. Trata-se de uma campanha, para estimular as pessoas a fazerem doações altíssimas, jóias, carros e até imóveis, para mostrar a Deus que aceitam se sacrificar pela igreja.

    A luta pela hegemonia dos mercadores de Deus sempre foi ferrenha, e está longe de terminar. Como todos reivindicam que a sua é a verdadeira mercadoria, sobre a qual teriam todos os direitos, naturalmente surgiram conflitos. Nesses embates, alguns tentam ser mais diplomáticos, mas muitos são mais radicais, o que gerou, e continua gerando, muitas mortes pelo mundo. Um belo exemplo foi o do mercador internacional Osama Bin Laden, que, numa demonstração de pompa e orgulho, tentou pousar seus aviões dentro de dois prédios em Nova Iorque. Este ato imprudente custou a vida de muitas pessoas.

    Os religiosos não gostam quando uso o termo “mercado da fé”, por considerá-lo ofensivo e depreciativo. Sinto muito, mas não há como não reconhecer que existe mesmo um mercado da fé: são contribuições, campanhas, bandas, discos, livros, editoras, programas de rádio e Big Brother das Igrejas na TV, anúncios, cursos, escolas, venda de santinhos e “souvenir”, universidades, gravadoras gospel, shows de cantores gospel e agora até (pasmem!) turismo e cruzeiro marítimo religiosos (este último, o mais novo filão descoberto).
    Embora a motivação seja um “cruzeiro católico”, cristãos de todas as denominações são bem-vindos porque esses cruzeiros só são rentáveis se tiverem uma ocupação de mais de 70%. Assim, quanto mais turistas, maior o lucro. Mas a experiência já deu certo no ano passado quando houve a lotação máxima e tem tudo para dar certo neste ano também, a despeito da ausência do padre cantor Fábio de Mello, principal atração do cruzeiro anterior (seu cachê é muito alto, tanto ou mais do que o de Roberto Carlos, mais do que o do Fábio Júnior e mais do que o de Agnaldo Rayol). O cruzeiro é de apenas 4 dias, no litoral Rio-Santos, com pagamentos parcelados em 10 vezes, “sem juros”, segundo a CNBB, Regional Sul e a agência “CNS – Viagens Religiosas” (sim, já existem agências de viagens especializadas). Ora, se isso não é um tremendo marketing religioso para um mercado composto de um público pré-selecionado e com altas motivações para adquirir o pacote turístico, o que mais seria? Como denominar um esforço empreendedor dessa envergadura?
    Falando em turismo e peregrinação, quero lembrar que o Vaticano agora tem interesse em turismo também com excursões a “lugares santos” (muitos criados pela família Constantino), numa forma de enriquecimento interior.
    O Vaticano através da agência de viagens Ópera Romana Pellegrinaggi, ligada à igreja, freta aviões personalizados, decorados e abençoados pelo próprio papa Bento XVI, que dá garantia de chegada e volta, a diversos países como Espanha, Portugal, Itália, Egito, Israel, Polônia e França. Tudo bem, é apenas mais um negócio rentável entre tantos no “mercado da fé”!

    Mas, imagine, um avião “benzido” pelo papa, em plena pane e os passageiros crentes rezando o Pai Nosso ! Mais delicada ainda, seria a situação dos não-crentes, enfrentando a possibilidade do fim, apegando-se a que ? ao Big-Bang ? ao Grande Fluxo da Vida ? a Teoria das Cordas ? Ah…quem consegue, pode rezar simplesmente para que o piloto seja muito, muito bons !.

    Quem não consegue se ver em nenhuma dessas situações , entende, porque o Senhor das Barbas, o Deus Pai e seu filho tradicional ainda estarão entre nós por um bom tempo.

    Leia na Web:
    http://marcioralmeida.com.br/ensino-biblico/resumo-completo-sobre-o-dizimo.html

    http://advivo.com.br/blog/luisnassif/o-livro-lunaticos-por-deus-de-michael-largo

    • Oiced e Gabriel,

      concordo que, infelizmente, essa teologia da prosperidade e o mau testemunho de muitos padres e pastores tem causado e ainda vai causar muito mal à fé dos cristãos. Talvez, isso está contribuindo até mais para o aumento do ateísmo do que a própria ação de ativistas céticos.

      Essas igrejas neo-pentecostais estão criando uma legião de crentes frustrados; pois, ao contrário do que a Bíblia ensina para pegarmos a nossa cruz e seguir a Cristo, muitos vão para essas igrejas achando que vão ficar ricos e se livrarem de todas as doenças e males. Mas, na realidade, a grande maioria não consegue o que prometem a eles; e, a longo prazo, correm o risco de perder a fé em Deus.

      Nesses programas de TV, eles só mostram os casos de empresários que deram certo, mas nunca os que fracassaram; e ainda jogam a culpa na própria pessoa, dizendo que ela não teve fé suficiente ou não deu bastante dinheiro para a igreja. Já vi supostos ‘aleijados’ de cadeira de rodas ‘curados’ nesses programas de TV que nem sequer tinha as pernas atrofiadas.

      É como o Pe. Quevedo disse: eles mandam os fiéis jogarem fora as receitas médicas e doar o dinheiro para a igreja, mas todos os pastores têm convênio médico. Os fiéis precisam ter fé para se curarem ou ganharem dinheiro, eles não!

      Embora, acredito que tais igrejas funcionam mais como uma entidade de auto-ajuda do que uma religião em si. Muitas pessoas chegam lá com uma vida particular, familiar e profissional arrasada, muitos são ex-usuários de álcool e de drogas. Chegando lá, as pregações dos pastores e a fé de que estão sendo ajudados por Deus, ajudam muitos a saírem de uma situação ruim para uma situação melhor e dá coragem para tentarem ser microempresários; de modo que alguns realmente devem se dar bem, principalmente, se já tiverem algum talento para negócio.

      Porém, infelizmente, a grande maioria vai continuar sendo pobre (ainda mais doando tanto para a igreja) e, quando vêem esses escândalos de líderes de igrejas roubando e ficando milionários à custa deles, deve abalar muito a fé. Cedo ou tarde, irá ‘cair a ficha’ (como naquelas pirâmides financeiras); mas o estrago na alma de muitos certamente será grande.

      Isso tudo, infelizmente, são os frutos de Martinho Lutero e companhia limitada, com sua doutrina da sola escritura e da livre interpretação bíblica; já que cada pastor de uma igreja protestante pode sair e fundar sua própria igreja com a doutrina que ele bem entender.

      Na Igreja Católica é bem diferente, lá o dízimo é voluntário e a pessoa pode dar o quanto quiser (até 1%); e ninguém é expulso dela se não doar nada.

      Por isso eu acredito no estudo dos milagres autênticos e pesquisados pela Ciência como a melhor forma de comprovar a existência de Deus, da sua verdadeira Igreja e da sua verdadeira doutrina. Pois não é logicamente possível que Deus atue em todas as religiões do mundo, ensinando doutrinas totalmente contraditórias entre si.

      E, segundo o Pe. Quevedo e outros pesquisadores de milagres, das dezenas de milhares de religiões no mundo, apenas na Igreja Católica acontecem milagres autênticos que passam pelo crivo da própria Ciência!

      Por isso, eu fico com Rui Barbosa quando disse: “Estudei todas as religiões do mundo e cheguei a seguinte conclusão: religião, ou a católica ou nenhuma!”

    • Oiced,

      Quanto ao resto que você disse, sobre fatos passados qualquer um pode especular o que quiser.

      Como saber com certeza absoluta se o que está escrito nos evangelhos sobre Cristo é verdade ou não; se ele realmente fez todos aqueles milagres e ressuscitou ou não?

      Por isso eu insisto tanto no estudo dos grandes milagres da Igreja, como: Santo Sudário (que nada mais é do que a foto radiográfica e tridimensional de um homem ressuscitando), Imagem de Guadalupe (cujo olho reflete a cena do milagre e cuja pupila dos olhos reage à presença de luz como se fosse um olho VIVO, cuja imagem mantem a temperatura de um corpo humano e têm batidas de coração, etc.), Santa Casa de Loreto (a casinha onde viveu a Virgem Maria milagrosamente transportada de Nazaré até Loreto, passando por outras cidades, durante a invasão islâmica à Terra Santa), Milagre Eucarístico de Lanciano (cuja hóstia e vinho virou carne e sangue de uma pessoa viva atualmente), Coxo de Calanda (cuja perna reapareceu após enterrada por quase três anos), Espinho da Coroa de Cristo (cujo sangue coagulado se liquefaz a cada 11 anos, toda vez que a sexta-feira da paixão ocorre num dia 25 de março, o suposto dia da crucificação de Cristo), corpos e órgãos incorruptos de santos (que exalam perfume e destilam água e óleo por séculos) e tantos outros espantosos milagres que só ocorrem na Igreja Católica.

      Pois, meu raciocínio é muito simples:

      Se Jesus não era Deus, não fez milagres e não ressuscitou, então, todos (repito: todos) os milagres da Igreja fundada por ele têm de ser falsos! Caso contrário, por quê duvidar dos milagres que Jesus fez e da sua ressurreição, se os milagres permanentes existentes na Igreja hoje são até mais espetaculares?

      E muitos milagres da Igreja Católica têm sido estudados por renomados cientistas (e não por fanáticos religiosos, pseudo-cientistas, ufólogos, etc.); sendo que muitos (ao contrário de muitos pseudo-milagres) têm passado pelo seu crivo e considerados inexplicáveis pela própria Ciência!

  15. Eu só respondo uma coisa que faz parte da realidade conhecida por nós humanos:
    E a Rede Record do Edir Macedo também deve ter sido um “milagre”!
    Ou as mansões dos outros padres deve ser um “milagre” tb!
    Já a pobreza dos fiéis, tanto de inteligência e conhecimento quanto de dinheiro, é um milagre tb?
    Igreja católica e evangélica é uma palhaçada!
    Fora que a igreja evangélica tem uma meta a cumprir, ou seja, é obrigada a arrecadar um tanto por mês!
    Uma vez fui em uma igreja evangélica, pra saber como funciona e é assim: eles pediram dinheiro umas 4 vezes em 1 hr! E os fiéis lembram robôs seguindo e fazendo o que uma pessoa manda eles fazerem, porque se eles não fizerem eles serão castigados, fora que tem umas que contratam atores pra encenar que está possuído pelo diabo!
    Já a católica não é tão “ridícula”.
    O que eu posso dizer das igrejas é: São tudo uma quadrilha, fazem lavagem cerebral e é uma palhaçada!

    Sério, uma vez fui consultar um médico evangélico porem eu não sabia que ele era. Nossa ele mal me consultou e ficou tentando me converter, a consulta foi 40 min, 10 ele fez seu papel de médico e 30 ele ficou falando:
    Pra eu ir pra igreja ter uma afinidade melhor com o “senhor” chegou até a falar que se eu não tivesse afinidade com o senhor eu não ia pro céu!
    Sério os católicos até que não, só que os evangélicos são ridículos!
    Enquanto as pessoas não perceberem que elas estão sendo roubadas, voltarem pra realidade e tentarem ter um pouco mais de estudo, vai continuar essa palhaçada que é!
    Eu sou a favor da ciência, pois é uma coisa humana, real, e as pessoas são cientistas se quiserem, e quando querem estão ajudando a humanidade, não roubando!
    Só pra lembrar: A única religião que eu não sou contra é o espiritismo, pois eles não pedem dinheiro e sim alimentos pros necessitados.

  16. Oiced, embora eu não concorde contigo, eu respeito o teu ponto de vista e o direito de defendê-lo; assim como espero que você também respeite o meu.

    Não me leve a mal, mas eu gostaria de te fazer uma pergunta muito séria e peço você me responda com toda sinceridade:

    Supõe que, quando você morrer, em vez de encontrar o nada eterno, se depare diante do tribunal de Deus com seus anjos e santos; e descubra, assombrado, que tudo aquilo que você não acreditava e lutou contra era verdade.

    O que você, juntamente com vários ‘apologistas’ ateus, após ter feito tanta propaganda contra Deus e contra a Igreja de Cristo e de provavelmente ter levado centenas (quem sabe milhares) de pessoas a perderem a fé, mereceria?

    Ir para o Céu, para o Inferno ou para o Purgatório?

    • Oiced,

      como você não respondeu a minha pergunta, vou dar a minha opinião mesmo assim:

      Acredito, pelos teus comentários, que você pensaria que mereceria o Inferno.

      Mas não pense que Deus não te ama e não te perdoaria por causa disso e que, para você, é tarde demais para se arrepender. São João da Cruz ensinava que, por mais pecados que cometemos, enquanto tivermos um fôlego de vida, podemos pedir perdão a Deus.

      Pois, o amor de Deus é infinito e incondicional e sua vontade é que todos se salvem; aliás, Jesus morreu pelos pecadores como eu e você.

      Segundo já li no livro “O DIÁLOGO” de Santa Catarina de Sena (que ela alegava ter sido ditado pelo próprio DEUS), não é Deus que condena o pecador ao Inferno, mas o próprio pecador que se condena a si mesmo, julgando-se indigno do perdão de Deus; e que essa é a maior ofensa que podemos fazer a Deus: rejeitar o seu perdão na hora do juízo e escolher o Inferno! Já os santos, confiam inteiramente na misericórdia de Deus e escolhem o Céu. Os que ainda não confiam muito na misericórdia de Deus por causa dos seus pecados, mas amam a Deus e não o rejeitam, escolhem o Purgatório.

      Por isso, é tão perigoso viver em estado de pecado grave sem se confessar; pois, não é Deus que nos manda para o Inferno, mas nós mesmos por desespero e orgulho na hora do juízo.

      Santa Catarina também ensina que, da mesma forma que no Céu só se entra santo, quem vai para o Inferno perde o pouco de bom que ainda tinha; pois lá não chega a luz de Deus, que é a fonte de todo bem.

      Deus, pela sua natureza, perdoaria até o Diabo e seus anjos rebelados; mas o Diabo jamais vai se arrepender dos seus pecados por causa do seu orgulho; ele prefere o Inferno do que servir a Deus! E Deus respeita seu livre arbítrio!

      A própria Bíblia diz que Deus encerrou todos na desobediência para que usasse de misericórdia para com todos. Porém, devemos lembrar que a MISERICÓRDIA de Deus é infinita, mas a sua JUSTIÇA não é menor! Ou seja, Deus não é somente AMOR, Deus também é JUSTIÇA. E se o próprio Filho de Deus teve que morrer por nós, é porque a nossa situação perante a Justiça Divina deve ser muito grave.

      Lembrando que a Igreja jamais afirmou que alguém foi para o Inferno, nem mesmo Judas ou Hitler; pois, ela não sabe se Deus usa algum outro meio de salvação que não nos foi revelado. Mesmo porque, durante a missa, o padre diz: “EIS O CORDEIRO DE DEUS QUE TIRA O PECADO DO MUNDO”; ou seja, é o pecado do mundo todo que é tirado e não apenas dos católicos ou dos que frequentam a missa. E Nossa Senhora de Fátima, ao mostrar as almas que iam para o Inferno aos pastorinhos, lhes disse: “Vistes o Inferno, para onde vão as almas dos pobres pecadores. Para as SALVAR, Deus quer estabelecer no mundo a devoção ao meu Imaculado Coração” pedindo para rezarmos o terço e a seguinte oração: “Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno, levai as almas TODAS PARA O CÉU, e socorrei principalmente as que mais precisarem”.

      Mas também não pense que o Céu é um lugar chato e que o Inferno é um lugar bom, cheio de cerveja e mulher pelada (como mostrado naqueles comerciais de televisão); pois, como ensina a própria Bíblia, a aparição de Fátima, as visões de Santa Catarina ou os sonhos de Dom Bosco, etc., é algo realmente terrível. Um segundo lá não vale uma vida inteira de prazeres e pecados!

      Não se pode ter certeza absoluta se essa é a VERDADE que nos aguarda; mas não custa nada ser prudente e fazer a aposta correta de Pascal.

      E, se por acaso, algum dia “cair a escama de seus olhos” e você se converter; não tenha medo ou receio de que seja tarde demais. Faça como o apóstolo Paulo que, antes de se converter, era um terrível perseguidor dos cristãos e que, após sua conversão, se tornou um dos maiores apóstolos de Cristo. Use a sua mesma inteligência e eloquência para, em vez de ser um perseguidor de Deus e da religião, se tornar um verdadeiro apologista da Igreja de Cristo!

      SAULO (OICED), POR QUÊ ME PERSEGUES?

    • DR, leia melhor os textos q o Oiced tem postado… não creio q ele esteja pregando o ateismo, muito pelo contrário, o q. ele está fazendo é procurar um caminho p/ alguma espécie de “renovação” do movimento católico (já observou como ele termina seus textos?)…

  17. “Eu até entendo que você critique esses dois oportunistas…”
    Seriamos oportunistas por comentar o assunto da matéria? Religão vs ciência?

    Você fala de fanatismo exacerbado e doutrinas mas quando se trata de você, em sua convicção de sapiência, julgar o que é o ‘verdadeiro’ cristianismo, avaliar o perfil psicologico e filosófico do cristo Jesus você não se coloca como ‘fanatico’

    Você afirma sua fé em “Deus existe sim e se revela a cada um de nós” do mesmo modo que os antigos afirmavam e até guerreavam para comprovar a existência de Odin e finaliza nos induzindo a agir sem preconceito e sem opinião formada, para certificar que o seu deus é de verdade, mas não percebe que o preconceito, fanatismo a opinião formada e fechada já está em você e não abre mão dela…

    • Ele (D.R.) cita alguns pensadores, escritores, zoologos e sei lá mais o que, os colocou na mesma cesta, misturou e disse que eles queriam destruir Deus. O fato é que alguns deles renegam(vam) qualquer deidade e não somente o deus deles , claramente Jeová, e outros ali nunca fizeram algo similar a esse ‘assassinato’ divino. Depois que ele cita a ciência como a destruidora de Deus, o deus Jeová dele novamente, o que não é verdade. Se alguns cientistas, como Dawkins, o fazem não é em nome da ciência, pois discutir a existência de mitologias não é um ramo da ciência.

    • “e o pior de tudo é que sempre arranja uma resposta padrão para tudo que não sabe explicar:”
      Exatamente o que os religiosos fazem – me dirigindo especificamente aos religioso cristãos, mulçumanos e judeus. É quase irônico isso. não?

  18. Olha, tua revolta tem um bocado de razão, os pregadores ateístas só o que tem feito é repetir o mesmo comportamento patético dos pregadores teístas: pregar. Pregar, do ponto de querer forçar uma “verdade”, é um ato tolo e antiquado, cada um tem cérebro e escolhe o que acreditar, e depois de escolher procura e se integra por conta própria, simples assim, que deixem as pessoas escolherem, não tentem fazer suas cabeças contra a oposição, já não chega os políticos, isso é retardatário.
    Mas na tua primeira afirmativa engana-te totalmente. É sim muito fácil crer em Deus, a maioria das pessoas do mundo creem, e a razão é simples: conforto e conformismo, medo da morte, medo da incerteza, tendência a ilusão. Deus é uma ilusão, não se sabe, eu não sei. Agora religiões, mágica, milagres, isso é como ver óvnis, ou se acredita ou não, e nem ao ver se pode ter certeza, pode ser ilusão de ótica ou de outra coisa. Mas foi e ainda é a melhor técnica de obter controle de massa, manipular pessoas e lucrar com sua fé.
    Minha avó era católica, hoje é evangélica (eu a considero mais uma teísta sem religião, a igreja evangélica parece ser pra ela só uma forma de integração social), mas ela mesma diz que todas as religiões erram e acertam, pois a verdade foi um espelho jogado na terra e quebrado, cada povo pegou um caquinho. Ela também diz que Deus nos deu asas, e religiões fizeram gaiolas.

  19. Você não entendeu… Eles (alguns dos que você cita – nem todos ali são ateístas) não querem destruir Deus. O que se procura é acabar com a mitologia arcaica que atrapalha a evolução humana. Não é Deus, o seu deus, Jeová somente. É Krishna, Alá, Jeová, Zeus, Odin, Ahura-Mazda, Saci-Pererê, O monstro de Loch Ness, Thor, duendes… Todos esses mitos que transcedem a nossos medos e anseios pré-históricos.

    Você confunde as coisas. A ciência não quer ‘matar’ o seu deus os os outros 20.000 deuses. A ciência não trata disso. Os religiosos que insistem em colocar padrões divinos em acontecimentos físicos, biológicos, astronomicos, etc, quando não sabe ou não quer saber a respostas de algo.

    “tendo como principal meta de vida destruir tudo o que se chama Deus”
    Como eu disse: Não é Deus e sim todos os deuses, deusas, monstros, químeras, e fadas que atrasam a evolução humana e até mesmo geram batalhas, guerras e mortes.

    “Se a Ciência jamais provou que Deus não existe!? ”
    Assim com a Ciência nunca provou que unicórnios, elfos e dragões não existem.

  20. INQUISIÇÃO – CRIMES DA ICAR CONTRA A HUMANIDADE

    Se somarmos os números da ICAR, vemos que a Inquisição total de 500 anos, causou apenas, alegremente cerca de… 6.000 mortes.(sem considerar os que morreram nas prisões e foram perseguidos e expulsos dos seus países). Pelo Denilson – foram quantos?? Considere que o Vaticano jamais iria revelar a verdade sobre os números de vítimas.

    Segundo Michael Baigent e Richard Leigh, a 1 de novembro de 1478, uma Bula do Papa Paulo IV autorizava a criação de uma Inquisição Espanhola. Confiou-se então o direito de nomear e demitir aos monarcas espanhóis. Igreja e religião serm pre se mãos dadas com o poder. Um dependendo do outro, inclusive nos tempos atuais, é fato.
    O primeiro Auto de fé foi realizado a 6 de fevereiro de 1481, e seis indivíduos foram queimados vivos na estaca.
    Em Sevilha, só em novembro, 288 pessoas foram queimadas, enquanto setenta e nove foram condenadas à prisão perpétua. Em fevereiro de 1482 o Papa autorizou a nomeação de mais sete dominicanos como Inquisidores, entre eles, Tomás de Torquemada. Este viria a passar à história como a face mais aterrorizante da Inquisição.
    Em abril de 1482, o próprio Papa emitiu uma bula, na qual concluía: ¨A Inquisição há algum tempo é movida não por zelo pela fé e a salvação das almas, mas pelo desejo de riqueza¨.
    Após essa conclusão, revogaram-se todos os poderes confiados à Inquisição e o Papa exigiu que os Inquisidores ficassem sobre o controle dos bispos locais. O Rei Fernando ficou indignado e ameaçou o Papa.
    A 17 de outubro de 1483, uma nova bula estabelecia o Consejo de La Suprema y General Inquisición para funcionar como a autoridade última da Inquisição, sendo criado o cargo de Inquisidor Geral. Seu primeiro ocupante foi Tomás de Torquemada. Até a sua morte em 1498, Torquemada teve poder e influência que rivalizavam com os próprios monarcas Fernando e Isabel.

    Papa Paulo IV, tendo desenvolvido a Inquisição lhe trouxe o rancor do povo romano que, após sua morte, decapitou sua estátua no Capitólio e foi dedicado a ele as seguintes palavras:

    ” Caraffa odiado pelo diabo e pelo céu
    está enterrado aqui com o seu cadáver em decomposição,
    Erebus assumiu o espírito;
    ele odiava a paz na terra, a nossa fé contestou.
    ele arruinou a igreja e as pessoas, homens e céu ofendido;
    amigo traiçoeiro, suplicante com o exército que foi fatal para ele.
    Você quer saber mais? Papa era ele e que é suficiente.”

    De acordo com Henry Charles Lea no período entre 1540 e 1794, os tribunais de Lisboa, Porto, Coimbra e Évora resultaram na morte por fogueira de 1,175 pessoas, e na queima de 633 efígies, e em 29,590 outras penas. No entanto a documentação de alguns autos de fé desapareceu podendo estes números estar labaixo da realidade.

    No entanto, a Inquisição torturas e morte eram indesculpáveis.O Papa João Paulo II admitiu que as ações erradas da Igreja Católica ao longo da história, incluindo torturas e mortes a serviço da verdade, relacionadas com as inquisições medievais. Na voz de João Paulo II :

    “Perdoa-nos Senhor, Nunca Mais”

    Muitos religiosos me questionam como posso ser tão mau em atacar a Bíblia e a ICAR.

    Vou dizer a você Denilson: Esse livro, a Bíblia, tem perseguido até a morte os mais inteligentes, os melhores. Esse livro obstruiu e dificultou o progresso da espécie humana. Esse livro envenenou as fontes do aprendizado e desviou as energias do homem.

    Esse livro é inimigo da liberdade, o suporte da escravidão. Esse livro semeou as sementes do ódio dentro de famílias e nações, alimentou as chamas da guerra e empobreceu o mundo. Esse livro é o livro de cabeceira de reis e tiranos o escravizador de mulheres e crianças. Esse livro corrompeu parlamentos e cortes. Esse livro fez de colégios e universidades os professores do erro e os inimigos da ciência. Esse livro encheu a cristandade com seitas cruéis, cheias de ódio e guerreiras. Esse livro ensinou homens a matar seus semelhantes por motivos religiosos.

    Esse livro fundou a Inquisição Católica e Protestante , seus instrumentos de tortura, construiu as masmorras, nas quais os bons e justos pereceram, forjou as correntes que rasgavam suas carnes, erigiu os patíbulos onde eles eram assassinados. Esse livro juntou pilhas de lenha nos pés dos homens justos. Esse livro baniu a razão da mente de milhões e encheu os asilos com os insanos.
    Esse livro fez pais e mães derramar o sangue de seus bebês. Esse livro foi a justificativa que se dava para separar a mãe escrava de seu bebê. Esse livro encheu os navios mercantes e fez da carne humana mercadoria.

    Esse livro acendeu as fogueiras que queimaram as “bruxas” e “feiticeiras”. Esse livro preencheu a escuridão com fantasmas e os corpos de homens e mulheres com demônios.

    Esse livro poluiu a alma humana com o infame dogma do sofrimento eterno. Esse livro fez da credulidade a maior das virtudes e a investigação o pior dos crimes.

    Esse livro encheu as nações com eremitas, monges e freiras com piedosos e inúteis. Esse livro colocou santos sujos e ignorantes acima de filósofos e filantropos.

    Esse livro ensinou o homem a desprezar as alegrias da vida para que pudesse ser feliz numa outra desperdiçar este mundo em benefício de um próximo.

    Eu ataco esse livro porque ele é inimigo da liberdade a maior obstrução na frente do progresso da humanidade.

    Deixe-me fazer uma pergunta aos sacerdotes e crentes:

    Como vocês podem ser tão maus em defender
    esse livro e a ICAR ?

  21. A VERDADE SOBRE A INQUISIÇÃO:

    Segundo os estudos mais modernos de famosos historiadores (como Agostino Borromeo, Henry Charles Léa, Daniel Rops, etc.) que tiveram acesso as atas da Inquisição, temos que ver o contexto da época. Primeiro que, na Idade Média, se valorizava mais a alma e a salvação do que o próprio corpo; além disso, o crime de heresia, assim como vários outros crimes como falsificação de moeda, eram punidos com pena de morte pelo poder civil, muitas vezes, sem um julgamento justo. E o próprio povo, às vezes, por acreditar que as pestes e tragédias eram causadas por feiticeiros, queimava pessoas que julgavam bruxas sem nenhum julgamento.

    Antigamente não havia liberdade religiosa, todos tinham que seguir a religião do rei; e quando os hereges causavam tumultos nas cidades, o próprio poder civil os punia para manter a ordem. O tribunal eclesiástico da Inquisição (que significa inquirir, investigar, etc.) veio muito tempo depois; justamente, para dar um julgamento justo aos acusados de heresia. Somente quando o herege não se arrependia é que era entregue ao poder civil.

    Se não me engano, 1.8% de todos os casos investigados pela Inquisição Católica resultaram em condenações de morte; houve pouquíssimas pessoas condenadas por bruxaria na Inquisição Católica. Ao contrário da Inquisição Protestante que ainda era muito supersticiosa e os tribunais eram descentralizados, o que resultou em milhões de mortes.

    Talvez, a mais grave e famosa foi a Inquisição Espanhola; porém, as condenações foram muito mais por interesses políticos e financeiros do que religiosos (conforme o próprio artigo da Wikipédia sobre a Inquisição em português).

    Segundo o renomado historiador Agostino Borromeo, após demorado estudo sobre a Inquisição, concluiu que não chegaram a cem, o número de mortes, cometidas por católicos que em desobediência ao Papa, empregaram pena de morte contra os inquiridos… Dos 125.000 processos da Inquisição do tribunal católico, a Inquisição espanhola condenou à morte 59 «bruxas»; na Itália foram 36 e em Portugal 4.

    A Inquisição na Espanha, afirmou o historiador, em referência ao tribunal mais conhecido, celebrou entre 1540 e 1700, 44.674 julgamentos. Os acusados condenados à morte foram 1,8% e, destes, 1,7% foi condenado em «contumácia», ou seja, pessoas de paradeiro desconhecido ou que em seu lugar se queimavam ou enforcavam bonecos. Lembrando que Inquisição Espanhola perdeu o controle da Igreja Católica. Já nos países protestantes, dezenas de milhares foram condenados à morte por bruxaria.

    Outro historiador, o protestante, Henry Charles Léa, cita 47 bulas, nas quais a Santa Sé continuamente insiste na jurisprudência que deve se observar nos tribunais eclesiásticos católicos. Alertam para não cair na violência e injustiças freqüentes dos juizes leigos. Basta folhear a monumental obra do próprio Léa, para convencer-se que na realidade as bruxas foram perseguidas e condenadas mais pelos detentores do poder civil e pelos protestantes do que pelo tribunal católico.

    Também o historiador Daniel Roups, é categórico nos seus registros: “Foram numerosos os cânones dos concílios que, excomungando os hereges e proibindo os cristãos de lhes darem asilo, não admitiam que se utilizassem contra eles a pena de morte. Deviam bastar as penas espirituais ou, quando muito, as penas temporais moderadas”.

    Vale a pena ler o artigo completo:

    http://crismaconfirmacao.blogspot.com/2011/05/inquisicao-protestante-evangelica.html

    Quanto ao caso Galileu, devemos lembrar que a grande maioria dos acadêmicos da época também era contra o heliocentrismo, que o Papa Urbano VIII era amigo de Galileu, que Galileu não conseguiu provar de fato o heliocentrismo, argumentando erroneamente que o efeito das marés era causado pela rotação da Terra, etc. A própria Wikipedia em português tem um excelente artigo imparcial sobre Galileu.

    Portanto, apesar das muitas injustiças cometidas, a verdade é que, se não tivesse havido a Inquisição, muito mais pessoas teriam sido condenadas pelo poder civil da época! E se os homens foram capazes de fazer todas essas barbaridades em nome de Deus, imagina o que fizeram, que fazem e que podem fazer quando se afastam de Deus. Basta ver o comunismo que matou mais de 100 milhões de pessoas (conforme “O Livro Negro do Comunismo”) e os 50 milhões de crianças abortadas anualmente no mundo.

    Não estou aqui querendo ser dono da verdade e nem sou especialista em história; estou apenas mostrando um pouco do ‘outro lado da moeda’ sobre o que nos ensinaram na escola, sobre a Inquisição, sobre Galileu, sobre a Igreja, etc.; muitas vezes, ensinos influenciados por idéias marxistas e iluministas desatualizadas.

    Quem ainda não leu, aconselho os excelentes livros “UMA HISTÓRIA QUE NÃO É CONTADA” e “PARA ENTENDER A INQUISIÇÃO”; do ilustre Prof. Felipe Aquino (engenheiro, físico, doutor pelo ITA, escritor, ex-reitor de universidade, apresentador, etc.); que contam a verdadeira história da Igreja, da Inquisição e da Idade Média, baseada em novas pesquisas de historiadores modernos; mostrando o quanto a Igreja Católica foi importante para a civilização ocidental e para o mundo. Verão que a história que nos foi ensinada na escola foi muito deturpada.

    • É difícil mostrar que os inquisidores católicos foram rinocerontes pra quem QUER acreditar que foram unicórnios. Tem coisas que não se pode mudar, os fatos, não importa quantos textos enormes se apresentem. Estamos no país da maioria católica do planeta, o catolicismo foi o vetor cultural que prevaleceu no ocidente por IMPOSIÇÃO, esmagando sem dó nem piedade outras culturas, e dizer que isso foi BOM é simplesmente negar os fatos. Esses sugadores jesuítas e empreendedores católicos enriqueceram o vaticano com ouro arrancado das terras indígenas sul-americanas e destruíram os valores desses povos, jogaram a África numa miséria sem fim e escravizaram povos por causa que a cor da sua pele indicava que essas pessoas não tinham alma ou não eram filhos de Deus, acreditem, a bíblia católica foi vetor crucial nessa monstruosa visão de mundo.
      Eu não sei que lado da moeda vocês querem mostrar, mas me desculpem, os fins jamais justificam os meios.

    • Não estou inventando nada aqui, esses são os dados documentais da Inquisição, baseados em estudos de historiadores modernos (não somente de católicos).

      Parece que vocês ainda estão muito influenciados pelo que nos foi ensinado na escola, cujo currículo escolar ainda é baseado em livros de historiadores antigos; que foram muito influenciados pelo marxismo e pelo iluminismo, que criou esse mito de que a Idade Média foi a idade das trevas e mitos sobre a Inquisição para atacar a Igreja.

      Deveriam aproveitar o potencial intelectual de vocês para se atualizarem, ou através dos livros que indiquei ou mesmo através das palestras do Prof. Felipe Aquino (que, como informei acima, tem um currículo respeitável e é uma pessoa extremamente competente, honesta e séria), disponíveis no YouTube.

      Também, se ainda não leram, deveriam ler os excelentes livros do Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil e da América Latina, para verem que nem tudo que nos ensinaram na escola era verdade!

      Não podemos julgar a história antiga pelo pensamento moderno, temos que ver qual era o contexto e pensamento da época. Por exemplo:

      Sabiam que muitos escravos alforriados que ficaram ricos também tinham escravos e que isso era considerado normal? Ou que até o famoso Zumbi dos Palmares também tinha escravos? Ou que reis negros africanos também tinham escravos, não só negros como brancos? E que vinham vendê-los no Brasil?

      Ou que Santo Dumont não inventou o avião, como nos foi ensinado na escola?

      Ou que os incas e astecas eram cruéis e dominadores (como o Império Romano) e que eram temidos e odiados pelas demais tribos, que até comemoraram a chegada dos espanhóis e se aliaram a eles para derrotá-los?

      “… O contato entre índios e europeus continua sendo um dos principais assuntos da série. Os dois autores mostram que boa parte dos povos indígenas, tanto nos Andes quanto no México, comemorou a chegada dos conquistadores espanhóis e a vitória deles sobre os imperadores nativos.

      Nos Andes, os incas impunham um império que levava povos andinos a fazer migrações forçadas e a aceitar símbolos religiosos estrangeiros.

      No México, os astecas criaram um estado de horror ao atacar povos vizinhos para conseguir vítimas de seus rituais de sacrifício. “É difícil encontrar, entre todos os continentes, entre todas as épocas, uma civilização mais obcecada por cerimônias de morte que os astecas”, afirmam Leandro Narloch e Duda Teixeira. … ”

      FONTE: http://jc3.uol.com.br/blogs/blogjamildo/canais/noticias/2011/08/08/guia_politicamente_incorreto_da_america_latina_mira_falsos_herois_do_continente_109123.php

      PARA QUEM QUISER SAIR DO MATRIX:

      Escola da Fé – Inquisição: http://www.youtube.com/watch?v=-rTdEI5O3M8

      Escola da Fé – Os antecedentes e as causas da Inquisição: http://www.youtube.com/watch?v=aYGHkS23P7Q

      Escola da Fé – A Inquisição foi um mal necessário: http://www.youtube.com/watch?v=G18Ghch-6HA&feature=relmfu

      Escola da Fé – Blibliografias sobre a Inquisição: http://www.youtube.com/watch?v=OxM-FzDryg4&feature=related

      Escola da Fé – Historia da Igreja:
      http://www.youtube.com/watch?v=Ak2lN3rkE6Y&feature=relmfu

      Prof. Felipe – Livro: Uma história que não é contada: http://www.youtube.com/watch?v=-Hrdcbfpl6M

      A Igreja Católica: Construtora da Civilização – Igreja e Ciência: http://www.youtube.com/watch?v=G1rnyGQpkbk

      ——

      Trecho de Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil, de Leandro Narloch:

      http://veja.abril.com.br/livros_mais_vendidos/trechos/guia-politicamente-incorreto-da-historia-do-brasil.shtml

      Site do Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil e da América Latina:

      http://guiapoliticamenteincorreto.wordpress.com/

      Jô Soares entrevista Leandro Narloch: http://www.youtube.com/watch?v=QGYHxziRosM

      Jô Soares entrevista Leandro Narloch e Duda Teixeira: http://www.youtube.com/watch?v=iEb7ad6I4iY

      —–

      AGORA, SE QUISEREM CONTINUAR TOMANDO A ‘PÍLULA AZUL’, PARA CONTINUAR DENTRO DO ‘SISTEMA’…

    • Na boa, eu nunca na minha vida li tanta besteira. E não foi na escola que aprendi sobre a Inquisição, foi por pesquisa, sou um leitor vorás de história, conheço quase todos os pesquisadores que tu citaste e pouco do que eles defendem tem algum embasamento em pesquisas reais, só interpretações, e isso cada um interpreta como quer.
      Agora, dizer que historiadores deturparam a verdade da inquisição, ah por favor, a igreja dominou as escolas e vários estados na antiguidade, não faz o menor sentido essa de iluministas anticatólicos terem influenciado a história moderna, não eram eles os dominadores, era a igreja, sempre foi, mas a verdade é como o Sol, não importa o quanto as nuvens da escuridão e da imposição religiosa a tentem tapar, sua luz sempre vence.
      Quanto aos índios, eu me recuso a discutir, dizer que os espanhóis e jesuítas, bando de exploradores inescrupulosos e gananciosos vieram para salvar os menores, isso sim é uma total falta de visão.
      O único momento de grandeza, grandeza que é humildade e reconhecimento, foi quando João Paulo II publicamente reconheceu a injustiça cometida com Galileu, único momento. A igreja católica de hoje ainda tem o mesmo perfil dominador autoritário e preconceituoso do passado, a única diferença é que não tem mais poder tão grande sobre os Estados maiores.

  22. Prezados,

    Me dou por satisfeito e agredecido por poder expressar a minha opinião (em outras épocas iria para a fogueira), que faz parte de ser honesto comigo mesmo e com outros.
    Acho que quanto mais cristãos (ou crentes)discutirem religião e crenças, melhor o mundo vai ficar.
    Só que, após um certo tempo, as discussões ficam cada vez mais circulares e repetitivas . O Jorginho (desculpe não ter lhe respondido), é outro “fervoroso” , com o qual atingimos 1000 comentários e troca de informações em outro link no HS.

    Um grande e fraternal abraço a todos
    Oiced Mocam

  23. Prezada Vanessa

    Sabemos que o universo é muito mais antigo do que a Bíbla sugere. As provas são absolutamente esmagadoras. Não há dúvidas de que os seres humanos evoluíram a partir de ancestrais não-humanos Assim, não nenhuma razão para acreditar que cada espécie foi criada em sua forma atual. Qualquer leitura honesta do relato bíblico da criação sugere que Deus criou todos os animais e plantas comos nós vemos agora. Não há dúvida alguma de que a Bíblia está errada acerca disso.

    Você afirma que a Bíblia prevê eventos históricosa futuros. Mas imagine como seria específica e impressionante uma obra de profecia, se fosse realmente produto da onisciência. Se a Bíbosse um livro assim, ela faria previsões perfeitamente exatas sobre os acontecimentos humanos. Poderíamos esperar que ela contivesse uma passagem tal como:
    “Na segunda metade do século XX, a humanidade vai desenvolver um sistema de computadores interligados globalmente – cujos princípios estabeleci no Levítico – e esse sistema será chamado de internet”.

    Mesmo que aceitássemos que o nosso universo simplesmente tinha de ser projetado por um “projetista”, isso não indicaria que esse projetista é o Deus bíblico, nem que Ele aprova o cristianismo. Até por que , como muitos críticos da religião a noção de um criador coloca um problema imediato de regressão infinita. SE DEUS CRIOU O UNIVERSO, O QUE CRIOU DEUS? Dizer que Deus, por definição, não foi criado, é simplesmente esquivar-se da questão.
    Bilhões de pessoas acreditam, como Você Vanessa, que o criador do universo escreveu (ou ditou) um dos nossos livros.(Você por acaso sabe quem escreveu os Evangelhos?) Eu tambem acreditei durante 50 anos da minha vida, e respeito e entendo a sua opinião. E não tenho dúvidas de que sua aceitação de Cristo (um mito) coincidiu com algumas mudanças muito positivas em sua vida.
    Não há dúvida de que as pessoas podem passar por experiências profundamentamente transformadoras
    Mas tambem bem claro quase já é hora de aprendermos a satisfazer nossas necessidades emocionais sem adotar crenças absurdas, sem mentir para nós mesmos a respeito da realidade. E não há dúvida de que elas podem interpretar erradamente essas experiências, e iludir-se mais ainda acerca da natureza da realidade e confusões mentais acerca de Deus.

    Para alguém, como eu, que está fora da fé cristã, é espantoso como um livro pode ter um conteúdo tão trivial e, mesmo assim, ser considerado produto da onisciência.

    Seja curiosa, aprofunde conhecimentos,
    http://www.evo.bio.br/LAYOUT/biblexcien.html

    Colaborou , Oiced Mocam com um pouquinho de esperança!

    • Concordo. Esses dois deviam é trocar e-mails um com o outro….
      🙂
      que conversas longas e cíclicas chatas, desculpem o termo, só quero que vejam que chegaram num ponto de repetitividade de argumentos desnecessária, algo cansativo.
      Há uma dupla de extremos evidentemente definida, e mais parecidos um com o outro do que podem imaginar.

    • Discordo de vocês pelo seguinte:

      Quem sempre começa com tais comentários imensos é o OICED (sinceramente, não sei qual a vantagem em ser um apologista ateu) com ataques gratuitos à Igreja, ao cristianismo e a toda religião; muitos deles baseados em artigos pseudo-históricos como Zeitgeist e Código Da Vinci.

      Eu não sei qual é a intenção dele e nem a do Lisandro, se realmente acreditam no que diz ou se querem se auto-promover através do site.

      De qualquer forma, acredito na liberdade de expressão e respeito a opinião deles; e, desde que o HYPESCIENCE continue agindo de forma democrática não censurando comentários de “um dos lados da moeda”, principalmente quando o tema envolve religião, para mim tudo bem!

      Só que eu me acho no direito e no dever de defender a minha religião e a minha fé quando ela for atacada por quem quer que seja. Pelo menos, para mostrar “o outro lado da moeda” para quem ler os comentários.

      Mesmo porque, quem não gosta do assunto, é só não ler os comentários!

  24. Não sei porque ainda perco tempo nesta página. sinceramente estou pensando em cancelar. tem outras páginas ou sites de ciência que tenho acesso e que não ousam atacar a Deus. nota de repúdio a esta publicação cheia de especulações humanas que não trazem nenhuma comprovação. Na Bíblia em nenhum momento Deus foi contrário a ciência. Pelo contrário veja só o que Ela contém:A Bíblia e a posição da Terra no espaço _
    Em um tempo que se acreditava que a Terra estava situada em cima de um grande animal ou gigante (1.500 A.C.), a Bíblia falou da posição da Terra no espaço: “O norte estende sobre o vazio; e suspende a terra sobre o nada.” (Jó 26:7). A ciência não descobriu que a Terra não era sustentada por nada até 1650.
    A Bíblia revela que a Terra é redonda _ As Escrituras nos dizem que a Terra é redonda: “Ele é o que está assentado sobre o círculo da terra” (Isaías 40:22).
    Bíblia e o ciclo da água _ As Escrituras nos informam “Todos os rios vão para o mar, e contudo o mar não se enche; ao lugar para onde os rios vão, para ali tornam eles a correr.” (Eclesiastes 1:7). Essa frase parece não ser profunda. Mas quando é considerada com outras passagens bíblicas, ela torna-se mais fantástica. Por exemplo, o rio Mississipi despeja aproximadamente 518 bilhões de galões de litros de água a cada 24 horas no Golfo do México. Para onde vai toda essa água? E esse é só um entre milhares de rios. A resposta está no ciclo hidrológico, tão bem explicado na Bíblia.

    A Bíblia e as leis meteorológicas _A Bíblia descreveu um “ciclo” de correntes de ar dois mil anos antes de os cientistas descobrirem: “O vento vai para o sul, e faz o seu giro para o norte; continuamente vai girando o vento, e volta fazendo os seus circuitos.” (Eclesiastes 1:6). Nós sabemos agora que o ar ao redor da Terra gira em gigantescos círculos, no sentido horário em um hemisfério e no sentido anti-horário no outro hemisfério.
    A Bíblia e a Ciência

    “Na antiguidade e no que foi chamado de Idade das Trevas, o homem não sabia o que ele sabe hoje sobre a humanidade e o cosmos. Eles não conheciam a fechadura, mas eles possuíam a chave, que é Deus. Agora muitos têm excelentes descrições da fechadura, mas eles perderam a chave. A solução ideal é a união entre ciência e religião. Nós devemos ser proprietários da fechadura e da chave. A verdade é que à medida que a ciência avança, ela descobre o que foi dito há milhares de anos na Bíblia” . Temos ou não temos provas reais e concretas.

    • Sinto muito mas vocês não tem prova alguma. A bíblia foi reescrita e reinterpretada várias vezes pra se encaixar nos paradigmas das novas descobertas, não é confiável, não tem nenhuma datação de carbono e pesquisa que comprove que tais textos foram escritos antes das descobertas. Isso somado aos episódios contraditórios existentes nos testamentos, é a amostra de que a bíblia é só um elemento religioso mitológico com narrativas de interpretações de passagens históricas, nada mais.

    • Complementando, se toda a verdade estivesse na bíblia a igreja não precisariam ter perseguido e matado os cientistas que fizeram as mais importantes descobertas e pensamentos, como Giordano Bruno, Galileu e outros. Suas descobertas apenas desmascaravam os erros dos textos bíblicos à cerca da descrição do Universo, e a igreja não pode aceitar.

    • A autenticidade sobrenatural da Bíblia, como palavra de Deus, se dá pelas profecias cumpridas e não se ela contém ou não dados científicos. Deus se manifestou aos poucos ao mundo e, como um pedagodo, falou a um povo rude e simples respeitando a cultura e o pensamento da época.

      Jesus nunca falou sobre avião, computadores, celulares, etc. e nem curou todo mundo ou sequer ensinou a cura da lepra, do câncer ou de outras doenças. A sua missão era bem maior, era a remissão dos pecados e salvação eterna das almas. Talvez, uma das poucas referências ao futuro tecnológico de hoje é que a Bíblia diz que o evangelho seria pregado até nos telhados das casas; o que, se não era uma expressão da época, poderia ser uma referência às antenas de televisão. Mas isso também é apenas especulação.

      Não adianta querer interpretar a Bíblia de forma literal, ela e cheia de metáforas e poesias, pois foi inspirada por uma inteligência muito superior. É pelas profecias e sabedoria nela contidas que sabemos que é inspirada por Deus. Mesmo o próprio livro de Gênesis, que mais parece um conto de fadas à luz da ciência moderna, tem profecia e sabedoria embutida nele.

      Quanto à Inquisição, temos que ver qual era o contexto da época. E muito do que se acreditava sobre ela está sendo revisto pelos historiadores modernos após a abertura das Atas da Inquisição pelo Vaticano.

      Quando à Giordano Bruno:

      “… Quem tem o mínimo de conhecimento histórico sabe que Giordano Bruno não foi condenado por sua defesa do sistema Copérnico como afirma os mentirosos, nem por sua teoria da pluralidade dos mundos habitados, mas por sua idéias teológicas repletas de erros, este afirmava, por exemplo, que Cristo não era Deus e sim um hábil mágico, que o espírito santo era a alma do mundo e que o Diabo seria salvo…”

      Fonte: http://caiafarsa.wordpress.com/giordano-bruno-condenado-pelas-ideias-de-copernico/.

      Quando à Galileu, temos que lembrar que não somente os teólogos da época acreditavam no geocentrismo aristotélico, mas também a grande maioria dos cientistas da época. Sendo que as idéias de Copérnico (que, aliás, era religioso) sobre o heliocentrismo eram tidas apenas como uma hipótese. E, justamente, o maior problema é que Galileu não conseguiu provar o heliocentrismo, atribuindo erroneamente a rotação da Terra ao efeito das marés:

      “… Falando em demonstração e evidência, também é preciso lembrar que, nem em 1616, nem em 1633, Galileu tinha provas irrefutáveis, arrasadoras a favor do copernicanismo. E ele mesmo sabia disso (p. 303-304).
      Pior ainda: Galileu considerava que o melhor indício do movimento da Terra era o fenômeno das marés (p. 268), e nisso estava errado (p. 299).
      Além disso, na época de Galileu, afirmar que a Terra se movia no espaço a grandes velocidades contrariava o senso comum – não apenas porque as pessoas viam, todo santo dia, o Sol, a Lua e as estrelas nascendo e se pondo, mas também porque, se a Terra se movia, então esse movimento deveria ser percebido. Não deveria haver um vento violentíssimo, capaz de tirar tudo do chão? A prova definitiva do movimento da Terra só viria no século XIX, com o pêndulo de Foucault. …”

      Fonte:

      http://www.gazetadopovo.com.br/blog/tubodeensaio/?id=857570

      http://www.gazetadopovo.com.br/blog/tubodeensaio/?id=1196073&tit=bola-fora-na-televisao

      Quem ainda não leu, aconselho os excelentes livros “UMA HISTÓRIA QUE NÃO É CONTADA” e “PARA ENTENDER A INQUISIÇÃO”; do ilustre Prof. Felipe Aquino (engenheiro, físico, doutor pelo ITA, escritor, ex-reitor de universidade, apresentador, etc.); que contam a verdadeira história da Igreja, da Inquisição e da Idade Média, baseada em novas pesquisas de historiadores modernos; mostrando o quanto a Igreja Católica foi importante para a civilização ocidental e para o mundo. Verão que a história que nos foi ensinada na escola foi muito deturpada.

    • Não mesmo?

      No artigo da Wikipedia sobre ‘CRISTO’ mostra dezenas de passagens do Antigo Testamento (escritas séculos antes do nascimento de Cristo) que se cumpriram na pessoa de Cristo, inclusive: que ele nasceria de uma virgem, falaria em parábolas, faria milagres, seria rejeitado e traído por trinta moedas de prata, seria acusado injustamente, seria rejeitado e ferido por nossas iniquidades, seria cuspido e esbofeteado, teria os pés e mãos transpassados, oraria pelos inimigos,lançariam sorte para repartir suas vestes, o fariam beber vinagre, não teria os ossos quebrados, um rico o sepultaria, ressuscitaria no terceiro dia, etc., etc., etc.

      Alguns céticos argumentam que Jesus poderia ser um charlatão que aproveitou-se de algumas dessas profecias do Antigo Testamento. Porém, poderia ele ter forjado a profecia de sua própria crucificação, um instrumento de pena de morte usado pelos Romanos?

      “E Iahweh respondeu-lhe: Faze uma serpente abrasadora e coloca-a em uma haste. Todo aquele que for mordido e a contemplar viverá.” (Números 21,8)

      “Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que seja levantado o Filho do Homem.” (João 3,14)

      “Porquanto cães me cercaram; A assembléia de malfeitores me rodeou; Traspassaram-me as mãos e os pés. Posso contar todos os meus ossos; eles estão-me encarando e mirando. Repartem entre si os meus vestidos, e deitam sortes sobre a minha vestidura.” (Salmos 22,16-18)

      “Então o crucificaram. E repartiram as suas vestes, lançando sorte sobre elas, para saber com o que cada um ficaria.” Marcos 15,24)

      “Ele, então, lhes disse: “Insensatos e lentos de coração para crer tudo o que os profetas anunciaram! Não era preciso que o Cristo sofresse tudo isso e entrasse em sua glória? E, começando por Moisés e por todos os Profetas, interpretou-lhes em todas as Escrituras o que a ele dizia respeito.” (Lucas 24,25-27)

      “Conhecereis a VERDADE e a VERDADE voz libertará” (J.C.)

      “Eu sou o caminho, a VERDADE e a vida” (J.C.)

    • A isso ta ficando chato. Primeiro, histórias de profecias, depois historias de profecias cumpridas, tudo sendo apenas historias dentro de historias profetizando historias, e de fato, fica tudo na mesma: NÃO TEM PROVA ALGUMA.

    • Jonatas, podem não ser provas objetivas; mas são evidências bem razoáveis.

      Você sabe o quanto é difícil saber o que realmente aconteceu no passado. Mesmo sobre a Segunda Guerra Mundial, onde existem vários filmes, ainda há controvérsias; tem gente que sequer acredita que houve o Holocausto.

      Embora os Manuscritos do Mar Morto não confirmam a existência de Cristo, eles confirmam a integridade das escrituras sagradas do Antigo Testamento, que contem muitas profecias sobre Cristo. O artigo da WIKIPEDIA sobre os “Manuscritos do Mar Morto” fala sobre isso:

      “… Antes da descoberta dos Rolos do Mar Morto, os manuscritos mais antigos das Escrituras Hebraicas datavam da época do nono e do décimo século da era cristã. Havia muitas dúvidas sobre a confiabilidade dessas cópias. A análise dos textos encontrados mostra que os textos hebraicos eram bastante fluidos antes de sua canoninazação. Há textos que são quase idênticos ao texto massorético embora haja fragmentos do livro do Êxodo e de Samuel com diferenças significativas das cópias modernas. Mas o Professor Julio Trebolle Barrera, membro da equipe internacional de editores dos Rolos do Mar Morto, declarou: “O Rolo de Isaías [de Qumran] fornece prova irrefutável de que a transmissão do texto bíblico, durante um período de mais de mil anos pelas mãos de copistas judeus, foi extremamente fiel e cuidadosa…”

      Ou seja, há livros do A.T. que datam até do século III A.C. Portanto, não se pode alegar que as profecias sobre Cristo no A.T. foram posteriormente inseridas pela Igreja.

      Poderia-se alegar o contrário: que Cristo seria um impostor que se aproveitou de tais profecias sobre o Messias. Mas, como argumentei antes, em alguns casos como os das profecias sobre sua crucificação (um instrumento de pena de morte romano), isso seria impossível; muito menos sobre sua ressurreição!

      Mas, se você quer PROVAS OBJETIVAS, acredito que não há nada melhor do que se aprofundar no estudo dos grandes milagres da Igreja. Esses sim, foram e são investigados pela Ciência! Haja vista, o Santo Sudário que já é o objeto mais estudado em toda a história da Ciência.

      E você há de concordar comigo que é bem mais fácil estudar os milagres permanentes da Igreja existentes hoje, do que tentar descobrir o que realmente aconteceu há mais de 2000 anos atrás.

      Mesmo porque, se Jesus não existiu ou não era Deus, então, todos (repito: todos) os milagres da Igreja Católica têm de ser falsos. Caso contrário, é bom ouvir o que ela ensina.

    • Supostos milagres não são exclusividade da Igreja Católica, existem narrativas de milagres ou curas extraordinárias em inúmeras outras doutrinas e religiões. Sem comprovação científica alguma, só especulações, permanecem no mesmo patamar dos discos voadores, independente de ser verdade ou ilusão, só existem para quem viu.

    • Jonatas, realmente, supostos milagres existem em várias religiões; isso vemos todos os dias na TV nesses programas evangélicos. Mas, segundo já li, a grande maioria, quando não são fraudes descaradas, são curas de doenças psicossomáticas (que até hipnose é capaz de curar) e não de doenças fisiológicas. Não é a toa que o Pe. Quevedo desafia qualquer curandeiro ou pastor a curar uma simples cárie de dente.

      Veja um bom texto sobre a diferença entre cura e milagre:

      http://vocacionadosdedeusemaria.blogspot.com.br/2009/05/os-milagres-na-igreja-catolica-uma.html

      Milagres autênticos mesmo (que passam pelo crivo da medicina ou da ciência) são raríssimos e, acreditemos ou não e gostemos ou não, segundo o Pe. Quevedo e outros pesquisadores do assunto, só ocorrem na Igreja Católica e em nenhuma outra religião do mundo.

      Você não é o primeiro a me dizer isso, em outros sites já me disseram a mesma coisa. Mas, sempre que pedi um exemplo de algum famoso milagre permanente de outra religião comprovado ou bem investigado pela Ciência, ficaram me devendo.

      Tente procurar você mesmo. Quem sabe você consiga me trazer alguns exemplos? O máximo que já consegui encontrar foi a palavra “ALÁ” escrita em frutas cortadas ao meio ou em nuvens e sobre uma estátua de elefante hindu que bebe leite; mas que já foi desmascarado pela Ciência.

      Mas não estou falando de falsas curas ou de pseudo-milagres, como: cirurgias do Dr. Fritz, santas que choram ou santa da vidraça; que nem a Ciência e nem a Igreja confirmam. Estou falando de milagre grande mesmo.

      Veja se alguma outra religião ou entidade do mundo (mesmo cristã) tem milagres permanentes como um SANTO SUDÁRIO (que nada mais é do que a foto radiográfica e tridimensional de um homem ressuscitando), uma IMAGEM DE GUADALUPE (cujo olho reflete a cena do milagre e cuja pupila dos olhos reage à presença de luz como se fosse um olho VIVO, cuja imagem mantem a temperatura de um corpo humano e têm batidas de coração, etc.), uma SANTA CASA DE LORETO (a casinha onde viveu a Virgem Maria milagrosamente transportada de Nazaré até Loreto, passando por outras cidades, durante a invasão islâmica à Terra Santa), um MILAGRE EUCARÍSTICO DE LANCIANO (cuja hóstia e vinho virou carne e sangue de uma pessoa viva atualmente), um COXO DE CALANDA (cuja perna reapareceu após enterrada por quase três anos), um ESPINHO DA COROA DE CRISTO (cujo sangue coagulado se liquefaz a cada 11 anos, toda vez que a sexta-feira da paixão ocorre num dia 25 de março, o suposto dia da crucificação de Cristo), CORPOS E ÓRGÃOS INCORRUPTOS DE SANTOS (que exalam perfume e destilam água e óleo por séculos) e tantos outros ESPANTOSOS MILAGRES?

      Já que você parece gostar muito de ciência e ser bem inteligente e estudioso, indico (se já não viu):

      http://cienciaconfirmaigreja.blogspot.com.br/

      http://oepnet.sites.uol.com.br/milagres.htm

      – Documentário do History Channel “GUADALUPE: UMA IMAGEM VIVA” http://www.youtube.com/watch?v=7yTwabUjgYQ

      – Documentário do Discovery Channel “O Mistério do Santo Sudário” e sua continuação “O Sudário de Turim”: http://www.youtube.com/watch?v=M9j38PmEGWA
      http://www.youtube.com/watch?v=h_1_ag_H6Kk

      – Os livros: “Milagres – A Ciência Confirma a Fé” ou “Os Milagres e a Ciência”, do Pe. Oscar Quevedo.

  25. “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”

    É este o lema de todas as religiões. Cada uma é dona da verdade. No entanto, todas se contradizem.

    Destarte, permanece no ar a dúvida e a pergunta:
    “Que é a verdade?” (S. João, 18: 38).

    O que me fez sentir-me mais distante da verdade não foram as opiniões contrárias das religiões, mas as existentes na própria Bíblia, que, segundo todas as religiões, contém palavras divinamente inspiradas.

    “É a Bíblia a palavra de Deus, um livro coerente, sem qualquer contradição, discrepância.”
    É a afirmação que sempre se ouve dos pregadores religiosos.

    MILAGRES não acontecem, de modo que a história dos três hebreus andando no meio de uma fornalha ardente sem sequer chamuscar os cabelos não pode ser verdade.
    Daniel também não poderia ter sobrevivido numa cova de leões famintos; portanto essa história também é ficção. Essa é a “evidência” que os críticos apresentam. A Bíblia nesse sentido é uma fraude intencional do princípio ao fim!

    Recebi a ideia numa família cristã e assim pensei e vivi por 50 anos. Porém, ao estudar atentamente, não consegui manter a mesma linha de pensamento. Contradições saltavam aos meus olhos, e, quando pedia explicações aos mestres religiosos, suas explanações me soavam distonantes, não me convencendo da pretensa harmonia.

    Inicialmente, não conseguia entender como seria bom (Salmos, 34:8), perfeito (Mateus, 5: 48) e justo (Salmos, 145: 17) um deus que “visita a iniqüidade dos pais nos filhos até a terceira e a quarta geração” (Deuteronômio, 5: 9).

    O homem imperfeito de hoje, pelo menos em teoria, repudia essa ideia, prescrevendo que “nenhuma pena passará da pessoa do condenado” (Constituição Brasileira/88, art. 5º, XLV).

    Outro questionamento não se afastava do meu íntimo:
    Deus falava pessoalmente com Abraão, Isaque, Jacó e outros, e Cristo se manifestou para converter Saulo no caminho de Damasco.
    Por que Deus não fala hoje com ninguém, e como Cristo não vem mostrar a verdade para tantas pessoas sinceras pertencentes a doutrinas errôneas?

    Entre tantos credos divergentes, seria insensatez crer que todos estão com a verdade, enquanto cada religião considera anticristã as opiniões contrárias das outras, sendo uma classificada por outra até como seitas ou a Besta do Apocalipse.

    Tanto orava para que Cristo me mostrasse, pelo menos em sonho, quem estava com a verdade, contudo nenhuma revelação recebia. Equivale a dizer, por exemplo, que não existe um só autor honesto entre os escritores bíblicos; todos eles mentiram! Tudo é uma enorme fraude, do Gênesis ao Apocalipse.

    Os discípulos devem ter sido personagens fictícios; Jesus provavelmente nunca existiu; Paulo inventou um evangelho diferente do que Jesus pregou… e os absurdos se sucedem.

    Sem verdade não há liberdade (e vice versa), bem sabia Tolstói, que dizia que ” não alcançamos a liberdade buscando a liberdade, mas sim a verdade. A liberdade não é um fim, mas uma consequência”. Dizia isso, ecoando as palavras de Jesus, segundo João.

    Desse modo líderes religiosos do Brasil que não forem “falsos profetas” deveriam fazer da verdade sua principal bandeira.
    Deveriam então fazer lobby e pregação pela verdade e pela liberdade.
    Em vez de pregar o ódio, a segregação ou de se omitirem ante as grandes injustiças de nosso tempo, como tem feito lideranças de igrejas supostamente tradicionais, tanto tradicionais e milenares, quanto das mais novinhas, que tem servido unicamente ao dinheiro e à dissimulação. Não cultivam nem trabalham pela verdade nos tempos de hoje!

    Um exemplo.

    Veja o caso recente no Brasil. Os religiosos nunca entendem que, e querem guardar por nove meses na barriga um feto anencéfalo que não vai viver. É direito deles, mas não podem impor isso como dever aos outros. É por isso que não podemos deixar religiosos fundamentalistas no poder. Se tiverem força política, eles podem estabelecer uma nova inquisição.

    “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”

    Oiced Mocam
    Livre Pensador, Cético, Racionalista e Humanista Secular

    • Amigo, uma coisa(*nbem consegui ler todo o cementário) Ou tu ACREDITA na bíblia ou não, não existe essa de que a igreja alterou, ou isso ou aquilo não pode ser possível, ou tu acredita ou não, enfim. Quanto ao caso de milagres não existirem, isso é bem certo, milagre em minha visão consiste em acreditar, determinar, agir e receber, ah, mais uma coisa, tenta escrever mais resumido um pouco Oo

  26. Li os longos comentários do “livre pensador” Oiced Mocam, Não sei qual a sua verdadeira intenção de divulgar tantos textos anti-religiosos e se realmente acredita naquilo que diz; mas, posso falar apenas pelo cristianismo e pelo catolicismo, a religião na qual acredito ser a verdadeira.

    O Sr. Mocam disse realmente muita coisa, parecendo ser mesmo um grande erudito citando muitas frases de alguns famosos pensadores da humanidade como argumentos contra a existência de Deus. Porém, se “espremermos e coarmos” esses extensos textos e argumentos, só sobra opiniões pessoais e especulações sem fundamento histórico ou mesmo científico. Da mesma forma, também podemos usar frases de intelectuais tão ou mais brilhantes (como, por exemplo, Pascal, Newton, Galileu, Leibniz, Einstein, Lamaitre, Max Planck, Schrodinger e tantos outros) para justificar a existência de Deus.

    Aliás, Voltaire e o Iluminismo já passaram e o Naturalismo também está passando, Nietzsche (que proclamou a MORTE DE DEUS) morreu louco, as idéias de Freud já estão ficando ultrapassadas, o Marxismo provou ser um fracasso na prática… Ou seja, o MUNDO ESTÁ PASSANDO enquanto as PALAVRAS DE JESUS (conforme ele mesmo prometeu) ainda NÃO PASSARAM. E sua IGREJA ainda continua firme e forte (atravessando os milênios, impérios, ditaduras, movimentos ideológicos, guerras, crises e tantas outras ‘tempestades’ ao longo da história) e as portas do Inferno ainda não prevaleceram contra ela (conforme ele também prometeu). Por ironia do destino, a ideia de Deus está voltando na Filosofia, na Psicologia, na Física e na Astronomia e até na Biologia…

    Usar o argumento da presença do mal e do sofrimento no mundo para justificar a inexistência de DEUS (embora isso seja um motivo para a descrença de muitos) também não é uma prova da inexistência de DEUS. Caso contrário, o Cristianismo jamais teria surgido ou vingado; já que tanto os cristãos como o próprio CRISTO sofreram bem mais do que nós.

    Ficar especulando se Jesus realmente fez milagres ou não, fica difícil; já que fazem mais de 2000 anos que isso ocorreu. E se não aceitarmos os documentos bíblicos como registros históricos, cada um pode especular o que quiser já que não se pode comprová-los.

    Por isso, penso ser mais sensato usar o raciocínio da “engenharia reversa” para saber se Jesus realmente existiu ou se era Deus ou não.

    Se ele existiu, ressuscitou e era Deus, então, a Igreja fundada por ele tem que ser autêntica e seus milagres também. Portanto, investiguemos os grandes milagres da Igreja (já que somente nela ocorrem supostos milagres autênticos), pois os milagres são observáveis e são objetos de estudo pela ciência.

    Na minha opinião, isso é bem mais objetivo e lógico do que ficar tentando adivinhar se Jesus realmente existiu, fez milagres e ressuscitou há mais de 2000 anos atrás.

    Em quem devo acreditar, nas palavras de um “livre pensador” e de “especuladores e palpiteiros de plantão” ou nas palavras e estudos científicos sérios de renomados cientistas que estudaram e estudam os grandes MILAGRES DA IGREJA?

    Tais como: Richard Kuhn (Prêmio Nobel de Química), Phillip Callaghan e Jody Brant Smith (cientistas da NASA), Dr. Aste Tonsmann (Centro Científico da IBM), Dr. Javier Torroella (consultor da OMS), Dr. Enrique Graue (um dos mais competentes oftalmologistas da América), etc.; que estudaram o MILAGRE DA IMAGEM DE GUADALUPE; que, numa única ‘cajadada’, converteu mais de 8 MILHÕES DE ÍNDIOS mexicanos sem derramamento de sangue!

    E tais como: Dr. Raymond Rogers (famoso químico de Los Alamos com mais de 40 artigos publicados com peer review), competentes físicos (como os do ENEA e da NASA), cientistas das mais diversas áreas da equipe do STURP, químicos, botânicos, médicos, anatomistas, legistas, microscopistas, etc.; que estudaram e ainda estudam o SANTO SUDÁRIO, o objeto mais estudado pela ciência em toda a história e considerado por muitos o QUINTO EVANGELHO (tamanha a semelhança com os relatos dos evangelhos canônicos)!

    Poi isso, insisto tanto:

    QUEREM SABER SE DEUS EXISTE? ESTUDEM OS GRANDES MILAGRES DA IGREJA!

    As pesquisas científicas de milagres são algo extremamente sério e feito por cientistas de verdade e não por pseudo-cientistas ou “livres pensadores” ou “especuladores e palpiteiros de plantão”!

    “PASSARÃO O CÉU E A TERRA, MAS MINHAS PALAVRAS NÃO PASSARÃO.” (Jesus Cristo, o único que dividiu a história em antes e depois dele)

  27. Na verdade vejo mais Ateus querendo provar que Deus não existe, do que Crentes querendo provar que Deus existe!!
    Sabem pq?
    Quem sou eu pra provar que Deus existe? Ele criou os céus e a Terra e todos os seres viventes, não é necessário provar que Ele existe, até porque Jesus mandou pregar o Evangelho, e não provar que seus milagres realmente aconteceram.

    Mas parabéns pela matéria, muito interessante, e a ciência é boa em muitos quesitos, só não é produtiva quando é exclusiva para eliminação na crença em Deus.

    • Crença não depende de fatos, só depende de fé e convencimento. A ciência não pode derrubar uma crença porque não trabalha com fé, nem com convencimento e pregações, ela só trabalha com fatos.

  28. MILAGRES

    Infelizmente acontecimentos absurdos ainda são necessários para impressionar os crédulos!

    Por causa disto, a crítica Humeana à religião se coloca em uma das mais importantes junções na historia do pensamento cristão.
    Hume apresentou um argumento objetivamente mostrar a irracionalidade de CRENÇA NA OCORRÊNCIA DE MILAGRES, eliminando assim a suposta justificação racional para aceitação da Bíblia como revelação divina;

    Ao discutir milagres Hume não procura mostrar como muitos outros críticos do cristianismo tentaram fazê-lo, que os milagres de que a Bíblia não podem ter ocorrido, por serem impossíveis. Seu principal argumento procura mostrar que, mesmo que milagres sejam possíveis, e ainda que tenham realmente ocorridos, uma pessoa racional, que proporciona suas crenças à evidências existentes para elas nunca terá razões suficientemente fortes para acreditar que realmente ocorrido. Em outras palavras: milagres não são impossíveis são meramente incríveis.

    O argumento de Hume é baseado no fato de que um evento, para qualificar como milagre, precisa ser o que ele chama de uma “violação das leis da natureza”. Leis da natureza são, para Hume, generalizações baseadas em instâncias uniformes (isto é, sem exceção) de conexões causais observadas. Se vemos um evento de um tipo “A” constantemente acompanhado por um evento de um outro tipo “B” e se nossa experiência desta conjunção é uniforme, i. e., não admite exceção então teremos uma “lei universal”: cremos que sempre que tivermos um evento tipo “A” um evento do tipo “B” acontecerá.

    Ou, para usar as palavras do próprio Hume. “Há algumas causa que são inteiramente uniformes e constante na produção de seus efeitos, e nenhuma instância foi até agora encontrada quem indicasse qualquer irregularidade em sua operação. O fogo sempre queimou, e a água sempre sufocou, a toda criatura humana. A produção de movimento através de impulsos e gravidade é uma lei universal que até agora não admitiu nenhuma exceção” (Investigação, cap. VI).

    Se somos, pois, informados do acontecimento de um milagre, i.e., da ocorrência de um evento que contraria toda a nossa experiência até o presente – digamos que sejamos informados de que uma pessoa, já morta e enterrada há alguns dias, esteja novamente viva -, devemos proporcionar nossa crença à evidência.
    De um lado temos evidência uniforme de que pessoas, uma vez morta e enterrada permanecem mortas.

    De outro lado, temos experiências de que relatos e testemunhos que nos são comunicados freqüentemente são inexatos ou mesmo falsos. Pessoas às vezes deliberadamente, nos tentam enganar, dizendo-nos mentira. Outras vezes estas pessoas estão, elas próprias, enganadas a respeito do que relatam, e, conseqüentemente, nos dizem mentiras, embora não intencionalmente.

    Visto, pois, que nossa experiência tem mostrado, até aqui, que MORTOS NÃO RESSSUSCITAM, e também nos tem mostrado que pessoas muitas vezes são enganadas ou tentam nos enganar a respeito do que relatam, é muito mais provável ser por algum motivo falso o que nos esteja sendo relatado do que haver acontecido algo sem nenhum precedente em nossa experiência.

    Conseqüentemente Hume concluiu:

    “Nenhum testemunho é suficientemente forte para estabelecer a ocorrência de um milagre, a menos que o testemunho seja de tal natureza que sua falsidade seja ainda mais miraculosa do que o fato que ele procura estabelecer” (Investigação, cap. X

    Acontecimentos milagrosos anda são necessários para impressionar os crédulos .Embora os milagres em seu impacto espantoso desde os tempos mais antigos, ainda são vendidos no mercado da fé. Como o relato da ressureição de Jesus no Evangelhos de Marcos que só foi acrescentado muitos anos depois.

    A levitação também tem um grande papel na fantasia cristã, como confirmaram as histórias da Ascensão e da Assunção. No caso da história do “vôo noturno” de Maomé para Jerusalém (a marca do casco de seu cavalo Bukra supostamente ainda pode ser vista no local da mesquita Al-Aqsa), seria grosseiro dar a resposta óbvia de que cavalos não podem voar e nem voam.

    Contudo, chegou um momento da história em que mesmo um pigmeu como eu pode alegar saber mais – não por seu próprio mérito – e ver que a eliminação final de todo o disfarce já está atrasado.

    Mas em geral me sinto melhor, e não menos radical, e Você também, irá se sentir melhor, garanto, quando se livrar da doutrinação, servidão e escravidão e permitir que sua mente livre pense por conta própria.

    Oiced Mocam, Livre Pensador!

    • Por isso, eu ainda insisto tanto (a todos os que buscam a VERDADE com sinceridade e honestidade intelectual) que estudem a fundo os grandes milagres da Igreja (tanto os prós, como os contras); pois eles são a prova da existência de Deus e da autenticidade da Igreja; já que é somente nela que ocorrem milagres autênticos que passam pelo crivo da ciência.

      Se os milagres permanentes da Igreja (como a Imagem de Guadalupe, Lanciano, Santo Sudário, milagres de Lourdes, corpos e órgãos incorruptos de santos, Sangue de São Genaro, etc.) forem todos falsos; então, provavelmente, os milagres bíblicos de Jesus também são falsos.

      Porém, se pelo menos alguns milagres da Igreja forem autênticos, então, provavelmente, os milagres de Jesus também são verdadeiros e ele realmente era Deus e ressuscitou dos mortos.

      E se Jesus fez o mais difícil, que é ressuscitar dos mortos, por quê também não curaria os doentes, não andaria sobre as águas, não multiplicaria os pães e não viesse ao mundo pelo ventre de uma virgem?

      Simples assim!

      Não deixem de ver, por exemplo, o incrível documentário do History Channel “GUADALUPE: UMA IMAGEM VIVA” e também o excelente e sério documentário do Discovery Channel “O MISTÉRIO DO SANTO SUDÁRIO” e sua continuação “O SUDÁRIO DE TURIM” (todos disponíveis no YouTube).

      Garanto que não vão se arrepender!!!

    • DR
      1) Você é um fanático sem causa.
      2) A igreja católica apostólica romana, está totalmente maculada pela inquisição e proteção aos pedófilos não merecendo confiança.
      3) Você está confundindo a busca da Verdade que é o Espírito que vive em cada ser, com a verdade de provas científicas de milagres que não servem pra nada.
      4) Ou você é biruta ou está tentando colaborar com a manutenção da pedofilia.

    • Bovidino, já disse em outro tópico que admiro a tua sabedoria e gosto da maioria dos teus comentários e que não tenho nada contra o Oiced Mocam defender sua crença no ateísmo, desde que se evite xingamentos e calúnias. Mas eu estou só mostrando o “outro lado da moeda”, na qual acredito ser a verdade.

      Sobre a Inquisição, quem ainda não leu, aconselho a ler o excelente livro do ilustre Prof. Felipe Aquino (engenheiro, físico, doutor pelo ITA, escritor, apresentador, etc.): “UMA HISTÓRIA QUE NÃO É CONTADA”; que conta a verdadeira história da Igreja, da Inquisição e da Idade Média, baseada em novas pesquisas de historiadores modernos; mostrando o quanto a Igreja Católica foi importante para a civilização ocidental e para o mundo. Verão que a história que nos foi ensinada na escola foi muito deturpada.

      Como já disse, eu acredito na BUSCA DA VERDADE, seja ela qual for. E se tem uma frase de JESUS que me toca e me norteia, são essas:

      “Conhecereis a VERDADE e a VERDADE vos libertará!” e “Eu sou o caminho, a VERDADE e a vida.”

      E, na busca pela VERDADE, cheguei à conclusão de que a maior prova objetiva da EXISTÊNCIA DE DEUS e da VERACIDADE DA IGREJA são os milagres autênticos!

      Talvez, você e muitos não precisam de milagres para acreditar em Deus; mas muitos precisam “VER PARA CRER”, como São Tomé!

      Se os milagres não fossem importantes, então, por quê Deus os fez providencialmente para os dias de hoje, já que só agora temos tecnologia para estudá-los?

      Ainda mais num mundo hoje onde os ateus militantes procuram até mesmo desacreditar o Cristo histórico, muitas vezes através de calúnias como as do pseudo-documentário Zeitgeist, Código da Vinci, etc. Que fazem muitas pessoas com pouco conhecimento histórico acreditar neles como se fossem verdade e perderem de vez a pouca fé que tinham.

      E, quanto à pedofilia, saiba que em outros meios religiosos e profissionais ela chega a ser de duas a dez vezes maior; principalmente, dentro da própria família.

      E, assim como a JUSTIÇA não pode ser responsabilizada e maculada pela ação de maus juízes, a IGREJA também não pode ser maculada e responsabilizada pela ação de maus padres, de judas traidores, de verdadeiros ‘lobos’ em pele de ‘cordeiro’!

      Desculpem aqueles que não concordam comigo, mas esse é o meu ponto de vista. E que cada um coloque o seu aqui. E cada um que ler os comentários, que fique com os argumentos que achar mais sensato ou conveniente!

    • COMO ACREDITAR EM TAMANHOS ABSURDOS?

      Conforme Richard Dawkins , em DEUS UM DELÍRIO:

      No tempo dos ancestrais, um homem nasceu de uma mãe virgem, sem nenhum pai biológico envolvido.
      O mesmo homem sem pai clamou um amigo chamado Lázaro, que estava morto havia tempo bastante para cheirar mal, e Lázaro imediatamente voltou à vida.

      O próprio homem sem pai voltou à vida depois de ficar três dias morto e enterrado.

      Quarenta dias depois, o homem sem pai subiu ao topo de uma montanha e depois desapareceu no céu.

      Se você murmurar coisas dentro da sua cabeça, o homem sem pai, e seu “pai” (que também é ele mesmo), ouvirá seus pensamentos e pode tomar providências em relação a elas. Ele é capaz de ouvir simultaneamente os pensamentos de todas as pessoas do mundo.

      Se Você faz alguma coisa ruim, ou alguma coisa boa, o mesmo homem sem pai tudo vê, mesmo que ninguém mais veja. Você pode ser recompensado ou punido, inclusive depois de sua morte.

      A mãe virgem do homem sem pai nunca morreu, mas “foi transportada” corporeamente para o céu.

      Pão e vinho, se abençoados por um padre (que precisa ter testículos), “transforma-se” no corpo e no sangue do homem sem pai.

      O que um antropólogo objetivo que desse de cara com esse conjunto de crenças numa excursão de pesquisa pensaria delas?

      GENTE, DEPOIS EU DIGO QUE A BIBLIA É UM LIVRO DE ESTORIAS BIZARRAS NO ULTIMO GRAU, E TEM GENTE QUE AINDA NAO ACREDITA.

      “Que deus nos perdoe pelas pequenas piadas que temos feito contra Ele, que nós o perdoaremos pela grande piada que Ele tem feito contra nós”

      Livros: segura na mão de deus e leia!

      O MUNDO DE SOFIA de Jostein Gaarder
      DEUS NÃO É GRANDE de Hitchens
      CARTA A UMA NAÇÃO CRISTÃ de Sam Harris

      Ufa, agora acabou, irmãos e irmãs. Amém!

    • Oiced, eu sei que não é fácil acreditar em tais milagres e prodígios aparentemente absurdos. Porém, você está cometendo o erro de julgar que aquilo que não é possível ao homem também é impossível a Deus. Se tais milagres não existissem, como poderíamos saber que Jesus é realmente Deus e que o sacramento da eucaristia é verdadeiro?

      Vou dar um exemplo hipotético para mostrar que Jesus não precisaria nem ser DEUS verdadeiro para realizar tais milagres:

      Se vivêssemos num mundo virtual em um tipo de computador divino (como no filme MATRIX; e há cientistas que levantam essa hipótese e procuram ver se o espaço é ‘pixelizado’), rodando a equação matemática do universo; não só a ressurreição e ascensão seria algo possível a Jesus, mas quase todos os milagres da Bíblia e da Igreja; como: a abertura do Mar Vermelho, as curas instantâneas, a multiplicação dos pães, o andar sobre as águas, Santo Sudário, Guadalupe, etc.

      Bastaria ter a “SENHA DO ADMINISTRADOR” (que, no caso, seria Deus) do sistema.

      Nessa hipótese, a nossa alma seria o nosso verdadeiro eu (que ouve, vê e sente de verdade) e nosso corpo seria apenas uma interface (como um avatar) para nos comunicarmos e vivermos neste mundo físico, lógico e matemático.

      Deus poderia até ser apenas uma criança de outra dimensão jogando um jogo RPG no seu “computador divino”, o jogo do nosso universo; ou um tipo de jogo de xadrez com um adversário seu (no caso, Satanás), onde as peças seríamos nós.

      Isso é apenas uma hipótese especulativa para mostrar que essa poderia ser a nossa realidade (onde quase tudo seria possível ao jogador) e não teríamos como saber a verdade. Por isso, não temos outra opção a não ser acreditar no que Deus nos revelou na Bíblia e confiar cegamente nele!

      O exemplo que dei, foi só para mostrar que não se pode duvidar dos milagres apenas porque eles violam as leis da física; elas existem apenas para nós que estamos imersos neste sistema físico que é o nosso universo.

      Alguém aqui pode provar que nós NÃO vivemos em uma realidade virtual tipo MATRIX?

      Ou seja, Deus nem precisaria ser Deus verdadeiro, bastaria ser um ser de uma dimensão superior a nossa que ele já poderia fazer inúmeros tipos de milagres em nosso mundo; assim como nós em um jogo de realidade virtual 3D tipo ‘Second Life’.

      Porém, é razoável pensar que o verdadeiro Criador não permitiria que algum ser superior a nós nos enganasse desse jeito; e a própria revelação bíblica e a reflexão filosófica da causa primeira nos leva a crer que Jesus é sério e é o Deus verdadeiro!

      Realmente: “Há mais mistérios entre o Céu e a Terra do que supõe a nossa vã filosofia e a nossa limitada ciência!”

    • “Bastaria ter a “SENHA DO ADMINISTRADOR” (que, no caso, seria Deus) DO SISTEMA. Nessa hipótese, a nossa alma seria o nosso verdadeiro eu (que ouve, vê e sente de verdade) e NOSSO CORPO SERIA APENAS UMA INTERFACE (como um avatar) para nos comunicarmos e vivermos neste mundo físico, lógico e matemático.
      DEUS poderia até ser apenas ….no seu “COMPUTADOR DIVINO”, o jogo do nosso universo; ou um tipo de jogo de xadrez com um adversário seu (no caso, Satanás), onde
      as peças seríamos nós…Por isso, NÃO TEMOS OUTRA a não ser acreditar no que Deus nos revelou na Bíblia e CONFIAR CEGAMENTE NELE!!”

      Resposta de Oiced para D. R.:

      Em primeiro lugar,
      se Deus realmente se comunicasse com seres humanos, esse fato não estaria, de jeito nenhum, fora do âmbito da ciência. Deus aparece vindo de onde quer que fiquem seus domínios sobrenaturais e aterrisa no nosso mundo, onde suas mensagens podem ser interceptadas por cérebro humanos – e esse fenômeno não tem nada a ver com a ciência?

      Em segundo lugar,
      um Deus que é capaz de enviar sinais intelígíveis a milhões de pessoas simultaneamente, não pode ser, de jeito nenhum, simples. Isso é que é banda larga!
      Deus pode não ter um cérebro feito de neurônios, ou uma CPU feita de silício, mas se possui os poderes que lhe são atribuídos deve ter alguma coisa de construção bem mais elaborada – e nada aleatória – que o maior cérebro ou maior computador que conhecemos.
      E mesmo que que esse Computador Divino, existisse, suscitaria o problema maior sobre quem projetou deus e lhe concedeu a senha.

      Sugerir que a causa primeira, o grande desconhecido como administrador divino com uma senha é responsável por alguma coisa existente, é um ser capaz de projetar o universo e de falar com 1 milhão de pessoas simultaneamente é a abdicação completa da responsabilidade de encontrar uma explicação. É uma manifestação indulgente, improvável e cega!

      E para concluir, mesmo que o seu Deus existisse (hipótese improvável), isso não seria prova de que aprovaria o cristianismo!

      Sobre MATRIX, existe um texto interessante no link, abaixo

      http://deusilusao.com/2011/01/01/deus-alice-e-a-matrix-edicao-completa/

  29. Eu acredito sim nos milagres de Jesus, porque não? A ciência não pode negar isto, pois ela mesmo não sabe tudo e por mais que tente abstrair conhecimento rigoroso da realidade, é passível de erros e mudanças para melhores conclusões em busca da verdade. Eu creio nos milagres de Jesus, e também creio que é muito importante conhecer a ciência, ter senso crítico e estudar bastante. A religião e a ciência são importantes e não são opostas, ambas contribuem! Gosto de ver os debates religiosos neste site, basta respeito mutuo com as opiniões e muito amor entre todos. 🙂

  30. TOP 5 MILAGRES

    O problema é (acreditando-se que a BÍBLIA foi inspirada por Deus) que QUANTO MAIS SE LÊ, MENOS SE ACREDITA.

    Para proteger a fé na Bíblia, muitos deixam de lê-la, embora poucos admitam isto. Nem mesmo para eles. O que me choca hoje em dia nessas estórias de MILAGRES DA BÍBLIA, não é que elas tenham acontecido de verdade, mas AS RELIGIÕES USAM PARA SUBMETER E IMPRESSIONAR multidões de fiéis. . .Provavelmente não aconteceram.

    O que me deixa de queixo caído é que as pessoas de hoje em dia queiram basear sua vida num exemplo tão aterrador quanto o de Javé – e, pior ainda, que queiram impor esse mesmo monstro do mal (seja ele fato ou ficção) ao resto de nós e ainda querer transformar o Brasil numa futura nação evangélica.
    Suspeito que os supostos milagres são a razão mais forte que muitos crentes têm para sua fé (ou “má-fé); e MILAGRES POR DEFINIÇÃO, VIOLAM OS PRINCÍPIOS DA CIÊNCIA.

    “VEJAMOS AS PÉROLAS SÁBIAS DE SEU DEUS BÍBLICO:

    TOP 5 MILAGRES: (faça a sua própria lista)

    I. O maior de todos os milagres divinos foi o primeiro:
    a Criação do mundo, pelo poder da palavra.
    “E Deus disse: que haja luz. E houve luz” (Gênesis 1:3).

    II. Para dar-lhe uma amostra de seus poderes, o Senhor leva Ezequiel a um campo cheio de esqueletos – e os traz de volta à vida. “O vento do Senhor soprou neles, e viveram” (Ezequiel, 37; 1-28).

    III. Graças à benção divina, o herói Sansão tinha a força de muitos homens. Certa vez, foi atacado por um leão. “O espírito do Senhor deu-lhe poder, e Sansão destroçou a fera com as próprias mãos, como se matasse um cabrito” (Juízes 14:6).

    IV. Josué liderava uma batalha contra os amalequitas, mas o Sol estava se pondo. Como não queria lutar no escuro, o hebreu pediu ajuda divina – e o Sol ficou no céu (Josué 10:13).

    V. Para fugir do Egito, os hebreus precisavam atravessar o mar Vermelho. E não tinham navios. Moisés ergueu seu bastão e as águas do mar se dividiram. Após a passagem dos hebreus, o profeta deixou que as ondas se fechassem sobre os exércitos do faraó (Êxodo 14; 21-30).

    Está na hora de todos nós deixarmos de acreditar, ou fingir que acreditamos nesse livro (ou outros, ditos escritos ou divinamente inspirados por deuses), que é uma afronta à decência e a dignidade do ser humano.

    Ou conforme, Karen Armstrong, no livro (Epílogo pág.225) “A Bíblia”: – “a Bíblia atualmente corre o risco de se tornar uma letra morta ou irrelevante; tem sido distorcida por afirmações de infalibilidade literal; é ridicularizada – muitas vezes “injustamente” – por fundamentalistas seculares; também se torna um arsenal tóxico que alimenta ódio e a polêmica estéril.”

    • A autenticidade da Bíblia não se questiona por nela haver milagres que achamos impossíveis de acontecer.

      A Bíblia se comprova que foi inspirada por Deus pelas suas profecias cumpridas. Mesmo GÊNESIS (que mais parece um conto de fadas à luz da ciência moderna) contem profecias cumpridas. E no Antigo Testamento há dezenas de profecias que foram cumpridas na pessoa de Jesus Cristo séculos antes dele nascer.

      Basta ver o artigo da Wikipedia sobre “CRISTO” para ver quantas delas se cumpriam nele.

      Como eu disse no comentário acima, se os milagres permanentes da Igreja forem autênticos, não tem porque os milagres bíblicos também não serem.

    • Desde quando a ciência traz felicidade?depende da intenção.A ciência por si só ela é boa,pelo fato de que tudo que Deus criou é bom,Ele mesmo falou!.Use um pouco do raciocínio que Deus te deu,ou foi você que conseguiu por seus próprios méritos?.Qual a finalidade da bomba nuclear,da bomba química,e muitos outros artefatos de extermínio em massa?Use o seu raciocínio antes de falar qualquer coisa sem nexo!

    • Sobre o raciocínio: Sim, eu consegui por meus próprios méritos e de ensinamentos “terrenos”.
      .
      Sobre a bomba atômica, química e outras: É o mesmo que eu perguntar: E a Inquisição?, e os sacerdotes pedófilos?, e o sangrento Velho Testamento? Dá na mesma…
      .
      Sobre a ciência e a felicidade: Tu mesmo respondeu: “depende da intenção”. Isso é uma confirmação indireta não-confessa.
      .
      De qualquer forma, hoje é necessário um “hit” nas paradas de sucesso para manter uma suposta “fé”…
      .
      E o nexo da felicidade científica está diante dos teus olhos. E não é só. Ele é onipresente, está ao teu redor, evoluindo a cada segundo, sem que tu vejas seus processos – Ele é o conhecimento, e tem uma filha: a Tecnologia.

  31. Questionamento simples:

    Voce que discrimina a ciência que aponta fatos e acredita piamente na biblia, com certeza acredita que jesus voltará no final dos tempos certo?

    Voce acreditaria num cara de barba, vestindo uma túnica branca, falando pelos cantos e pregando o evangelho?

    Se a resposta for SIM, então voce pode seguir o INRI CRISTO que regularmente aparece em todas as midias dizendo ser Jesus, é só segui-lo e se tornar um apóstolo.

    Se a resposta for NÃO, primeiro se questione se voce não tem traços de ateismo mesmo sendo um devoto cristão. Segundo, terá de perguntar a si proprio se realmente acredita que ELE existiu e um dia vai voltar. Neste caso, não acreditando num pregador, voce continuará esperando pelo messias até o fim dos tempos(como aconteceu nos relatos biblicos).

    Agora cá entre nós, voce tbm iria querer que a ciencia fizesse testes e mais testes para saber se ele realmente é quem diz ser não é verdade? Afinal, a ciência tá aí para desmarcarar charlatões.

    Evangelicos e Evangelizadores metem o pau na ciência, mas recorrerá a ela para acreditar se um dia aparecer um fulano dizendo que é Jesus, ou o proprio Deus.

    Simples assim… pense nisso!

    Alguem já se perguntou se aquele INRI CRISTO não poderia ser mesmo o JESUS do fim dos tempos? Poxa, se for, eu to fudido pois não acredito nele e nem num punhado que aparece por aí. Vou queimar no mármore do inferno e quem sabe encontro alguns de voces lá lendo a biblia. kkkkkkkkkkkkkk

    • A diferença entre INRI CRISTO e JESUS CRISTO é que JESUS, além de dizer que era Filho de Deus, provou isso fazendo milagres e, principalmente, ressuscitando!

      Veja quantos discípulos tem INRI CRISTO e imagina quantos terá depois de morrer?

      Se JESUS não tivesse ressuscitado dos mortos; é muito provável que o cristianismo tivesse acabado pouco após sua crucificação!

    • “provou isso fazendo milagres e, principalmente, ressuscitando!”

      Onde está essas “provas” ?

    • Everton, nunca ouviu falar do SANTO SUDÁRIO?

      Se ele não for a prova da ressurreição de Cristo, é o que então?

      Se ainda não viu, aconselho o excelente e sério documentário do Discovery Channel “O MISTÉRIO DO SANTO SUDÁRIO” e sua continuação “O SUDÁRIO DE TURIM” (ambos disponíveis no YouTube).

  32. Não compare a ciência a hipérboles religiosas.
    Não vamos confundir realidade e fantasia, Jesus curou várias pessoas de uma forma inexplicável, o Capitão Shepard salvou a Terra dos Reapers, Wall-E impulsionou a restauração da vida na Terra. Perfeito.
    Agora, no campo da ciência, não se diz “milagres”, são procedimentos com nomes diversos e tipos diversos, com características específicadas e, acima de tudo, REAL.
    Não desprezo a matéria, longe disso, ela é bem interessante, só acho que poderia separar um pouco mais ciência de fantasia, uma vez que a comparação entre as duas simplesmente não possui cabimento.

    • Na verdade a historia de jesus so foi escrita porque um escriba encntrou-a 30 anos depois de sua crucificação e se interessou por ela, não foi paulo, nem pedro, nem joão, foi o acaso, como aconteceu com o filho de cristovão colombo…naquela epoca quem fosse contra o governo romano era crucificado e ponto, esta historia toda ta bem mal contada…ficou como ao constantino editar a biblia e pegar cirsto pra cristo…

  33. essa é para Jonatas:
    Mas será que a mitologia cristã são sugere o criacionismo. Afinal, criacionismo é a crença religiosa de que a humanidade, a vida, a Terra e o universo são a criação de um agente sobrenatural. Me corrija, por favor se eu estou errado.
    é que tá entrando em moderação e não é publicado.

    • Verdade, o cara entrou mesmo, e pirou, pirou mesmo quando entrou para alguma igrejinha que fica vendendo milagres por troca de dizimos, tenho nojo dessa racinha que ta se formando por ai, “deus te abençoe”, “va com deus”, “jesus te ama”, bla,bla, va se f….bandinho de santinho do pau oco…

  34. Milagres são eventos não explicados e não conseguidos através da ciência. Curar um cego por imposição de mão como Jesus fez é completamente diferente de fazer uma cirurgia ocular. Multiplicar peixes e pães com as prórprias mãos é completamente diferente de realizar testes em aceleradores de partículas. Então acho que a comparação de “Quem fez mais milagres?” foi usada de forma infeliz. Uma coisa não tem nada a ver com a outra! Eu admiro o Poder Criador dAquele que fez todas as coisas e que habitou entre nós mas que até hoje continua sendo rejeitado por alguns… Mas isto já foi profetizado na cruz, quando um ladrão creu e outro não!

  35. Os chamados “milagres”, serão um dia esclarecidos à luz da ciência evoluída.

    O que chamamos de milagre na atuação de Jesus, não é nada mais do que o efeito do conhecimento aplicado na manipulação de certas energias e fluídos naturais, que todos possuimos.

    Jesus e Moisés sabiam muito bem como utilizar essas energias e os resultados, incompreensíveis na época, foram rotulados de milagres. Mesmo assim, nada lhes tira o mérito.

    Na cura do cego, Jesus cuspiu no chão, apanhou o barro, esfregou entre os dedos e aplicou no olho do cego, que depois de lavado na piscina de Siloé, começou a enxergar.
    Obviamente o barro fora impregnado pelo magnetismo do mestre e agiu sobre as energias que mantinham o homem sem enxergar.

    As pessoas se maravilhavam com os feitos de Jesus e ele afirmava que um dia, faríamos igual e até mais do que ele fizera.

    ESTORINHA:

    Yogananda relata no seu livro “Autobiografia de um Yogue Contemporâneo”, um fato curioso:
    Conta que um discípulo de um monastério aprendeu a manipular energias, usando a força mental para desmaterializar objetos e depois materializá-los.

    Deixando o monastério, passou a plicar golpes em várias cidades da Índia.
    Na joalheria, insinuava que iria comprar determinada peça. Apalpava-a com a ponta dos dedos e devolvia à vendedora. Depois retirava-se sem comprá-la.

    À noite em sua habitação, realizava um processo de mentalização, que desmaterializava aquela jóia e a fazia materializar-se em suas mãos.

    O cinema de ficção produziu filmes, como “A Mosca”, baseado na desmaterialização, com o final nada feliz para o experimentador. Eu prefiro a versão antiga, em preto e branco.

    Abs:
    Silvio

  36. Que palhaçada é essa?

    Não entendo o porquê de o próprio site restringir comentários criacionistas e ao mesmo tempo fazerem artigos sobre isso!

    Veja:

    g. Comentários de natureza criacionista que neguem a Teoria da Evolução das Espécies, a real idade da Terra ou do Universo e afins serão sumariamente removidos (juntamente com suas réplicas) por criarem discussões cíclicas inúteis.

    Detalhes adicionais: Acredito no criacionismo.

    • Não é uma matéria criacionista, é uma matéria comparativa entre a mitologia cristã e a ciência moderna.

    • Fatos, seres e coisas que envolvem o sobrenatural são tendenciosamente enviados para a “pasta” “Mitologias”. Para quem acredita que há uma Força Sobrenatural Oculta por detrás de tudo, dá para aceitar sem problemas esses miraculosos eventos.

    • É claro, mas como nunca foi possível comprova-los como reais e autênticos, inevitavelmente irão para a pasta mitologia. O fato da ciência não os ter confirmado reais não quer dizer que não tenham sido reais e nem que seus seguidores os considerem reais, isso é escolha e não é só de religiosos. Por exemplo, eu sou um cientista e acredito na Hipótese da Panspermia (a vida e a evolução foi conduzida por fenômenos espaciais). Não existe comprovação científica disso, por isso não podemos negar que é um mito, no caso uma teoria científica não comprovada, assim como Jesus é uma concepção religiosa não comprovada. Mas sempre existirá o direito de acreditar, baseado no seu entendimento, assim como no meu entendimento astronômico e biológico eu acredito na panspermia.

    • Mas será que a mitologia cristã são sugere o criacionismo. Afinal, criacionismo é a crença religiosa de que a humanidade, a vida, a Terra e o universo são a criação de um agente sobrenatural. Me corrija, por favor se eu estou errado.

    • Mas será que a mitologia cristã são sugere o criacionismo. Afinal, criacionismo é a crença religiosa de que a humanidade, a vida, a Terra e o universo são a criação de um agente sobrenatural. Me corrija, por favor se eu estou errado.
      é que tá entrando em moderação e não é publicado.

    • essa é para Jonatas:
      Mas será que a mitologia cristã são sugere o criacionismo. Afinal, criacionismo é a crença religiosa de que a humanidade, a vida, a Terra e o universo são a criação de um agente sobrenatural. Me corrija, por favor se eu estou errado.
      é que tá entrando em moderação e não é publicado.

    • Não, a crença do criacionismo é muito anterior ao cristianismo, anterior até aos mitos hebraicos. Gregos e Egípcios já acreditavam que o mundo e o céu foi uma criação. Eu me referi à natureza da reportagem, uma comparação entre as conquistas da tecnologia atual e os milagres que tornaram Jesus memorável. Mas como a reportagem fala em Jesus, eu também não sou favorável a filtrar os comentários criacionistas e os cristãos, porque o conteúdo lhes da esse direito. Eu seria mais favorável a filtrar comentários agressivos ou os do tipo pregação religiosa, esses sim são repetitivos e poluentes na página.

    • “Detalhes adicionais: Acredito no criacionismo”

      coloca isso no começo pra gente não perder tempo em ler o que tu escreveu…

  37. A Cruz Sagrada seja a minha luz / Não seja o dragão o meu guia.
    Retira-te, Satanás / Nunca me aconselhes coisas vãs.
    É mal o que tu me ofereces / Bebe tu mesmo os teus venenos

  38. Como um ser humano pode subestimar o Poder de JESUS,claro a ciência cura mas é JESUS que esta no controle e na direção da ciência, o homen em si não tem poder para nada nem para salvar sua própria vida, somos pó, ou acreditam que veio do macaco, mesmo assim o macaco é criação de DEUS, por mais que queiram tirar DEUS do Poder nunca poderão PORQUE ELE È ÚNICO PODER DO CÈU DA TERRA E DE TODO UNIVERSO E JESUS È SEU FILHO QUEIRA O HOMEM OU NAÔ Que a Paz e o Amor de Jesus transborde no coração de todos.

  39. Uma grande diferença, e que Jesus fazia tudo isto de graça, mesmo que a ciência consiga executar todos os milagres, somente alguns privilegiados serão capazes de pagar. O dia em que todos tiverem acesso aos tratamentos científicos de graça, eu diria que não haverá mais tabu, entre a ciência e a espiritualidade.

  40. Se Jesus fez realmente milagres ou não eu não sei! O que sei é que hoje em dia ele não faz mais! Acho que esgotou o estoque de milagres dele ou então ela não consegue superar a nossa ciência e não quer fazer FEIO!!!!

  41. Todo o conhecimento vem de DEUS, a pior cegueira é a Espiritual e essa só JESUS pode curar.
    SENHOR perdoe os ignorantes porque quando não tem argumentos
    o que lhes resta é a ofensa e a agressão.
    “quem tiver ouvidos que ouça”.

    • Só os que concordam com a matéria. Os que discordam são negados ou publicados dias depois, qdo ninguém mais está vendo a matéria e dezenas de outros entraram na frente.

      Olá Glauco
      A moderação acontece a partir de alguns critérios e é automática. Durante à noite os moderadores entram para liberá-las ou impugná-las. Tenha paciência cara, pois sua participação é importante, seus comentários são sempre pertinentes e trazem contribuição cientifica para o site.

    • Não. Os comentário estão sujeitos a moderação, e viva a liberdade de expressão !

  42. Parabéns ao Hypescience por semear a Discórdia, ou seja, tentar fazer com que as pessoas pensem e saiam de seus mundinhos confortáveis…

    E vejam o ZEITGEIST no YOUTUBE!

    Segue texto do PRINCIPIA DISCORDIA:

    O Princípio Anerístico é aquele de APARENTE ORDEM; o Princípio Erístico é aquele de APARENTE DESORDEM. Tanto ordem quando desordem são conceitos criados pelo homem e são divisões artificiais do CAOS PURO, que é um nível além do que o nível decriação de distinções. Com nosso aparato de criar conceitos, que chamamos “mente”,nós olhamos para a realidade através das idéias-sobre-a-realidade que nossas culturas nos dão. As idéias-sobre-a-realidade são erroneamente rotuladas de “realidade”, e pessoas não iluminadas sempre ficam perplexas pelo fato de que outras pessoas,especialmente outras culturas, vêem a “realidade” de uma maneira diferente. São somente as idéias-sobre-a-realidade que diferem. A realidade Real (Verdadeira com V maiúsculo) é um nível além do nível de conceito.

    Nós olhamos para o mundo através de janelas nas quais foram desenhadas grades (conceitos). Filosofias diferentes usam grades diferentes. Uma cultura é um grupo de pessoas com grades bastante similares. Através de uma janela nós vemos caos, e relacionamo-lo aos pontos na nossa grade, e assim entendemos ele. A ORDEM está na GRADE. Este é o Princípio Anerístico.

    A Filosofia Ocidental preocupa-se tradicionalmente em contrastar uma grade com outra grade, e juntar grades na esperança de encontrar uma perfeita, que vai retratar toda a realidade, e vai, portanto, (dizem os ocidentais não-iluminados) ser Verdadeira. Isto é ilusório, é o que nós Érisianos chamamos de ILUSÃO ANERÍSTICA. Algumas grades podem ser mais úteis do que outras algumas mais agradáveis do queoutras, etc., mas nenhuma pode ser mais Verdadeira do que nenhuma outra.

    DESORDEM é simplesmente informação não relacionada vista através de alguma grade particular. Mas, como “relação”, não-relação é um conceito. Macho, como fêmea, é uma idéia sobre sexo. Dizer que macheza é “ausência de feminilidade”, ou vice-versa, é uma questão de definição e metafisicamente arbitrária.O conceito artificial de não-relação é o PRINCÍPIO ÉRISIANO.

    A crença de que “ordem é verdadeira” e desordem é falsa, ou de alguma outra forma errada, é a Ilusão Anerística. Dizer o mesmoda desordem é a ILUSÃO ERÍSTICA. O ponto é que a verdade (v – minúsculo) é uma questão dedefinição relativa à grade que umas pessoas está usando nomomento, e a Verdade (V -maiúsculo), realidade metafísica, é totalmente irrelevante para as grades. Pegue uma grade, e através dela algum caos parece desordenado e outro aparenta ordem. Pegue uma outra grade, e o mesmo caos vai aparecer ordenado e desordenado de forma diferente.

  43. Quem faz milagres e sempre fez desde o inicio deos tempos somos nós,que vivemos,sobrevivemosnno mundo em que nascemos,Segundo a historia,começamos de quatro e hoje somos eretos,falamos criamos inventamos,e,curamos,e,não existe maior milagre do que viver um dia apos o outro,ainda mais nesse mundo conturbado em que vivemos.Nós somos o verdadeiro milagre,e,a verdadeira ciência.

  44. Parece que Ele fez muito mais milagres então. Mas Ele nunca duvidou da capacidade de curar dos médicos. Ele simplesmente é o Mestre dos Mestres, inclusive Mestre dos médicos…

  45. tem muita diferença de milagre e tecnologia,Jesus fazia milagres instantaneamente,em questão de segundos,a ciencia demora dias ou até anos para desenvolver uma idéia,idéia esta que eles tem através da inteligencia que foi dada por Deus,ou seja,se formos pontuar quem ganha de quem,a ciencia e o ser humano nem apareceriam neste hanking,pois JESUS já ganhou na disparada,mas o caso é que ELE não precisa disputar nada com nínguém,pois como pode a criatura querer competir com seu criador???

    • Não vejo semelhanças entre ateus e cristãos, assim como não vejo a necessidade desse “H” em tantas palavras!!!

  46. Parabéns a ciência… Tentem reproduzir o que Jesus fez, numa perspectiva científica, provar se realmente foi verídico… Eu gostei do artigo, porque o que move o mundo são as perguntas, os questionamentos, as dúvidas, as indagações…

    E tentem fazer mais ainda…!

  47. Por que? A matéria nem é do Hypescience e sim do msnbc…
    Eles vão sempre colocar matérias que tragam controvésias, especulações, brigas. É isso que todo jornal e revista faz. Trazer o que mais traga interesse e curiosidade às pessoas.

  48. Nos relatos bíblicos tem mais lenda do que realidade. Para que ele (Jesus) tivesse seguidores a partir de um conceito teológico, haveria necessidade de se criar mito, e naquela época onde nada podia se constatar com veracidade, ficou o mito… Portanto, fica valendo o palpável e constatável feito pela ciência

  49. lisandro, é muito ridículo analisar um objeto fora dele, te explico: Se for analisar a Biblia, analise-a por ela mesmo. O tempo era contado de outra forma, dracmas não são dolares, números geralmente são simbólicos, enfim, mas ai vai da sua consciência, se você estiver disposto a tomar pau de quem conhece de teologia tudo bem, mas se você quiser de fato buscar conhecimento recomendo que aprenda a ler a Sagrada Escritura.

  50. A pergunta por si só destrói a credibilidade da matéria e do pobre autor que, não sabendo que na ciência não existem milagres, precisou dar uma de joão sem braço para criar uma pergunta relevante, tendenciosa e lamentável.
    Jakobson definiu o funcionalismo na linguística, mas para a comunicação ser funcional, deve-se respeitar o significado da palavra, neste enunciado ela não caberia nem como metáfora.
    Assim sendo posso muito bem responder tal coisa com um singelo dito Carlito teveziano: “qual é a pergunta?”

  51. Eu curei um perneta em Aparecida!

    Eu fiz uma ferida imensa ser curada! Será que sou um Profeta?
    Como fiz isso? Explico:

    Foi nas antigas escadarias, chamei a policia para um cara que tava com um bife amarrado na perna por umas tiras de pano e o resultado foi hilario!
    A ferida sumiu e o cara saiu andando, pelo menos até o camburao!
    Milagre! Milagre!

    Bom, por outro lado eu poderia citar isso de uma maneira mais religiosa, mais empolgante, mais evangelizadora pois tinha tudo cooperando ao meu favor (a cidade, o falso perneta e ainda, nem todo mundo tem acesso aos BO Policial) mas é uma pena que as pessoas hoje em dia estão mais cultas e bem informadas e já não acreditam em historias contadas numa rodinha. Em outros tempos os que ouvissem, contariam para amigos, filhos e por ai vai… e essa historia ganharia força saindo de somente uma boca.

  52. Tá osso essa discussão viu.
    Quem acredita ótimo, e quem não acredita ótimo.
    mudou alguma coisa? precisa ficar aqui perdendo tempo em aceitar ou não a existência ou os milagres de Jesus cristo.
    Tô contigo Wesley esse tal de bernado adora uma confusão viu, o sujeitinho danado.
    O pior é que eu tô lendo. kkkkkk vou sai fora. tchau.

    • experimentem parar de acessar esse site, se não gostam. Vivam suas vidinhas de seres humanos inocentes que nasceram no século 20 e não sabem nada ainda sobre o mundo. Como se estivessem com absoluta razão.

    • Sou agnóstico meu amigo Renys!
      Meu comentário não foi sobre religião nem ceticismo, foi sobre um site que diz não querer comentários sobre religião mas que apela para ela para conseguir ibope!

      E todos tem o direito de reclamar. Você por acaso nunca reclamou de seu país?

      Ou achou melhor deixá-lo pois é incapaz de impor sua opinião a respeito de coisas que não lhe agradam?

  53. Jesus nunca realizou ‘milagres’, até porque essa nunca foi a sua intenção. Jesus realizou ‘curas’ porque lhe pediam. As curas são realizadas graças a utilização de leis da Natureza que desconhecemos e é só por isso que chamamos de ‘sobrenaturais’, mas que são perfeitamente naturais para pessoas de elevada espiritualização e fé inabalável, como Jesus. Jesus não ressuscitou Lázaro, até porque ele mesmo disse: Lázaro não morreu, apenas dorme. Os parentes de Lázaro é que insistiam que ele havia morrido e Jesus para não criar polêmica acabou concordando e assim o fato passou a ser considerado como ‘milagre’. A grande missão de Jesus e a mais importante foi trazer a mensagem de paz e amor: ‘Amai ao próximo como a ti mesmo.’ Realizem esse ‘milagre’ e todos os outros serão possíveis.

  54. Uma das características para a Igreja Católica considerar um fenômeno como um milagre autêntico, é que ele tem que ser instantâneo e perene.

    Realmente, a ciência está evoluindo tanto que chegará um ponto em que a tecnologia permitirá fazer restaurações de órgãos como ocorre em alguns milagres autênticos da Igreja (vide o Cocho de Calanda).

    Porém, isso não tira o mérito do milagre; já que, na época em que ele ocorreu, não havia tecnologia para tal!

    Por exemplo, o SUDÁRIO DE TURIM (que, talvez, não seja um milagre em si; mas a ‘foto’ do milagre da ressurreição) não pode ser perfeitamente reproduzido pela tecnologia atual.

    No entanto, é possível que futuramente, com o avanço da tecnologia, ele possa ser reproduzido. Embora, na época de seu surgimento, é sabido que não havia tecnologia para produzi-lo.

    Já a Imagem de Guadalupe é mais difícil, já que ela é um milagre em si com características realmente sobrenaturais. Por exemplo, ela não é feita de nenhum material conhecido, a imagem ‘flutua’ sobre as fibras do manto e tem uma resolução absurda, não envelhece com o tempo, os olhos têm as características de um olho vivo (inclusive, com dilatação e retração da pupila), batimento cardíaco, mantem a temperatura de um corpo humano vivo, etc.

    Conclusão:

    Há milagres que podem e poderão ser feitos por cientistas e outros não; pois, esses últimos violam as próprias leis da natureza e por isso são chamados de fenômenos supranormais.

  55. Pessoal do Hypescience, não publiquem mais nada sobre religião, não dá certo. Isso só gera mais confusão.
    Publiquem só matérias ligadas à ciência. Tantas notícias importantes que temos todos os dias, não precisam postar sobre religião.

    E quem começar a desviar do assunto, colocando religião no meio, é só deletar o comentário. Está muito ruim do jeito que está.

    • Chuck Norris®,acontece que iso é mais chamativo,apelação é o que interessa

    • Deixa publicar! Isso seria mera censura, não muda a realidade, não muda nem o fato de que o artigo está publicado em diversos outros sites. Não adianta por o problema de lado e fingir que ele não existe! Deixa as pessoas discutirem e amadurecerem suas idéias. Elas vão fazer isso fora do site, é normal. E até porque ninguém está partindo pra agressão física aqui.
      Não, né…?

    • Apoiado, Andhrous! O Chuck Norris tá com idéias de ciência imperialista. É preciso liberdade para todos!
      Gostou, apóia. Não gostou, pensa, troca idéias…

    • Só que os milagres também são objetos de estudo da ciência.

      Pois o milagre é o elo entra a razão e a fé, entre a ciência e a religião.

    • Concordo contigo!

      Acredito no criacionismo e nem por isso deixo de acessar esse site.

      Não é porque eu acredito em Deus que também não possa gostar de ciência!

      Quando quero ler sobre artigos religiosos, vou para um site mais específico nesse assunto.

      Esse site é de ciência e, portanto, espero encontrar artigos do gênero.

      Não faço comentários sobre religião aqui, pois sei que além de não ser o local correto, também só irá gerar discussões desnecessárias.

      No meu ponto de vista, religião e ciência deveriam andar lado a lado e NÃO um contra o outro.

      O objetivo de artigos desse tipo é justamente esse: criar discussões e polêmicas sobre quem está mais correto e, por consequência, afastar os dois que deveriam estar se ajudando e compartilhando conhecimentos.

    • Um dos objetivos de publicar este tipo de artigo é aumentar o senso crítico do público em geral. Mesmo que muitos leitores não concordem, como estamos vendo, esperamos que isto os leve ao menos a questionar esta aceitação cega ao dogma.

    • Eu discordo totalmente com você. Os comentários são escritos. Lê quem quer. É um assunto como outro qualquer, porém polêmico. Vai ficar censurando agora? Qual é? Cadê a liberdade de expressão? Não gosta do post, etão muda pra outro artigo. Pronto, resolvido!

    • É verdade

      milagre
      (latim miraculum, -i, maravilha, coisa extraordinária, milagre)
      s. m.
      1. Facto sobrenatural oposto às leis da Natureza.
      2. Portento, maravilha, prodígio.

      Portando, milagres não existem.
      Cientistas não fazem milagres!

    • Hum, pelo menos você não se chama “Mirosmar” que nem o Zezé Di Camargo!!

    • Valdomiro faz milagres mesmo quando você vai na igreja dele com os bolsos cheio de dinheiro, você sai de lá com os bolsos vazio do nada!!

  56. Apesar de ter poderes além da normalidade que conhecemos e que alguns chamam de ‘sobrenaturais’ ou ‘paranormais’, não foi isso que o tornou famoso. Sua mensagem sim: ‘Amai ao próximo como a ti mesmo’. Esse é o maior milagre que ainda não foi compreendido pela maioria de nós, cientistas ou não.

    • Bem lembrado Bovidino, lembrando também que J.C. disse para amarmos a Deus de todo o coração, de toda a almma, com toda a força e entendimento.

      Todo o ensinamento bíblico pode ser resumido a esses mandamentos.

      Dois mandamentos bem simples, mas muito difícil de ser colocado em prática!

      Outras duas frases de J.C. que mais profundamente me tocam:

      “Conhecereis a VERDADE, e a VERDADE vos libertará!”

      “Eu sou o caminho, a VERDADE e a vida…”

  57. Não importa somente se fazem, e sim, COMO FAZEM ? é um método totalmente diferente, já parou para pensa ? outra coisa, Jesus fez milagres, e não precisou de tecnologia para isso.

  58. Não há provas nem que Jesus tenha existido. A história de Jesus, conforme descrita nos evangelhos, é a repetição de outras de muitos embusteiros da mesma época.

    Pessoas que forjavam milagres (cegos que vêem, paralíticos que andam, mortos que revivem, água que vira vinho, cura de lepra, etc.) todos relativamente fáceis de fraudar.

    Mas nunca fez um perneta ter a perna restaurada ou maneta ter a mão restaurada, porque estes são mais difíceis de serem fraudados.

    Os pergaminhos do Mar Morto, que poderiam confirmar a existência de Jesus, não dizem uma palavra sobre ele, o que é muito estranho para uma pessoa que alegadamente fez tanto barulho.

    A única referência fora dos evangelhos encontra-se em Flavius Josephus, historiador judeu-romano, e foi provado ter sido uma inserção fraudulenta.

  59. A lista é legal, apesar de não segui a linha proposta no título, não há uma comparação entre o número de “milagres”, só se fizemos o que o nazareno teria feito e como.
    Era um época de pessoas manipuláveis, um povo “pedindo milagres”, que chamava esse homem de Deus. Existe gente assim até hoje, eu poderia pegar uma caixinha de apetrechos de Ilusionista e ir pra uma cidade pequena aqui perto, bancar o santo milagreiro e ganhar rios de dinheiro como profeta.
    Os cristão ficam possessos com meu pensamento, mas não entendem a profundidade da questão, já que eu nem duvido daquilo que eles querem tanto acreditar, que Jesus foi um semi-deus, não seria o primeiro da história das mitologias. Agora estão adaptando para semi-alienígenas.
    Jesus foi esse homem mágico fazendo milagres a 2 milênios atrás?
    Vou eu saber, e não é um livro empoeirado alguma prova disso, como eu disse, essa não é a questão.
    O que há de maravilhoso é o legado, não o da santa inquisição matando e retalhando em seu nome, falo do verdadeiro legado, o amor ao próximo, a caridade, os ensinamentos. Tem ali uns princípios de sabedoria que poderiam ser a base de uma sociedade muito mais cooperativa e justa, uma humanidade muito mais saudável, mais inteligente. Ensinamentos simples, pobres e analfabetos podiam entender, crianças podiam entender, mas os poderosos da época não puderam aceitar, e ardilosamente usurparam e contorceram o próprio cristianismo para si e o resto da história todo mundo já sabe.
    O Budismo sofreu o mesmo processo no oriente, mas conseguiu preservar melhor a sua essência, uma sorte que o cristianismo não teve e só agora está recurando, manifestando algumas proeminências como a gnose e o espiritismo. A minha opção pelo Budismo não é de fato sua sabedoria milenar, mas as técnicas inteligentes da busca pelo auto-conhecimento.
    Quanto aos milagres, o impossível nada mais é do que o possível anda não descoberto. Mas já que Jesus prometeu voltar, eu ficaria feliz se ele liberasse ao menos aquele segredinho do vinho.

  60. Eu já havia comentado que o hypescience adora postar artigos que causem polemica e alvoroço no assunto religião, mas agora percebi que não é o site, mas o autor do post o tal Bernado

    quanto ao artigo, um dia os cientistas conseguiram fazer tudo isso ai, acredito eu

    • concordo com vc wesley, espero q o objetivo do hypescience ñ seja a de provocar discuções entre religiosos e ateus.

    • isso porque um tempo atrás o site disse que ia bloquear comentarios religiosos porque eles tiram o foco dos posts e os comentarios viram um ring de luta entre ateus e religiosos. Vai entender né…

    • E eu tenho que concordar com o Bernardo; já que a existência histórica de Cristo é objeto de estudo da ciência.

      E, principalmente, quando se trata de milagres; pois, o milagre é o elo entra a razão e a fé, entre a ciência e a religião. O milagre não é um mero objeto de fé, mas também é objeto de estudo da ciência.

      Tanto que a Igreja Católica delega à ciência a comprovação de supostos milagres; como ocorre durante o processo de canonização de santtos; ou na comprovação de milagres permanentes, como no caso do Santto Suddário, do Milagre de Lanciano, do Sangue de São Genaro, da Imagem de Guadalupe, etc.

Deixe uma resposta