Mente sem lembranças: cientistas apagam memória de caracóis

Publicado em 3.06.2012

Imagine se aquele filme “Brilho eterno de uma mente sem lembranças” fosse realidade e você pudesse apagar todas as memórias que te incomodam. Seria ótimo, não? Ainda não é totalmente possível fazer isso com humanos, mas cientistas da Califórnia, EUA, dizem ter conseguido apagar parcialmente a memória de caracóis marinhos inibindo a atividade de uma proteína quinase chamada PKM, moléculas que modificam quimicamente outras proteínas.

“Acredito que será possível alterar a memória para reduzir traumas no cérebro de humanos”, disse o autor do estudo, David Glanzman, professor de neurobiologia da Universidade da Califórnia.

O estudo, que manipulou neurônios do cérebro das lesmas, poderia, eventualmente, ajudar em tratamentos de estresse pós-traumático, vício em drogas, Alzheimer e problemas sérios de memória. “Quase todos os processos que envolvem a memória nos caracóis são similares aos que acontecem com os mamíferos”, disse ele.

Quando estes bichos são atacados por predadores, seus estímulos sensitivos em relação ao ambiente aumentam, como “uma maneira fundamental de aprendizagem necessária para a sobrevivência”. A pesquisa mirou o funcionamento destes neurônios. “Nós percebemos que, se inibirmos o PKM dos caracóis, apagaríamos sua memória de longo prazo relacionada àqueles estímulos sensitivos. Além disso, podemos apagar a aprendizagem de longo prazo da única sinapse que forma a base da memória deste animal”, disse o cientista.

Outros estudos também tem feito progresso com humanos. Mas, por enquanto, um tratamento amplo para esquecer todas as memórias traumáticas das nossas vidas ainda é coisa de cinema. [LiveScience]

Autor: Letícia Resende

Jornalista curiosa, adora novidades, encantada pela ciência e tecnologia

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

8 Comentários

  1. Eu fico imaginando estas e tantas esperiencias daqui a uns 50 anos;o futuro é promissor,não acham?

    Thumb up 8
    • Então, é promissor, mas imagina tudo isso de incrível sendo usado para fins imorais e criminosos? Com o aumento do poder humano as coisas parecem ficar mais voláteis – quase sem esforço pode-se causar muito impacto – insinuando que o futuro pode ser perigoso… antes de ficar bom.

      Thumb up 6
    • Bom,isto é verdade,mais infelizmente é um risco quê teremos quê correr,imagine este penssamento deus do inicio da humanidade;não podemos inventar a roda pois ela poderia carregar um canhão,tambem o fogo pois podera acender o canhão;deu pra entender meu penssamento?A ciencia não pode ter calço.

      Thumb up 1
    • Sim, com certeza, não sou contra tecnologia nem evolução! É só um receio sobre como vamos evoluir culturalmente para dar conta de nós mesmos. Como diz a famosa frase do filme do homem-aranha: “Com um grande poder vem uma grande responsabilidade”.

      Thumb up 2
    • Mas este tipo de tecnologia (talvez) é muito pra humanidade agora, mexer com a memória é sem dúvida uma das mais poderosas armas que podem existir, já que somos o que nos recordamos…
      Talvez antes de se utilizar tal técnica seja necessária a evolução moral da humanidade, mas do jeito que a coisa anda não vejo isso acontecer tão cedo. Já “freiar” a ciência também têm o sério risco de acabar se tornando uma cultura global (costume global) com o tempo, fazendo as pessoas evitarem a evolução científica (como aconteceu em boa parte da idade Média por conta da igreja).

      Thumb up 4

Envie um comentário

Leia o post anterior:
3928668698_62825acd4b_z
Como estar em dois lugares ao mesmo tempo

Um experimento prete...

Fechar