Motores de antimatéria e fusão poderão mover naves espaciais no futuro

Publicado em 17.09.2012

Em 2010, a NASA produziu um trabalho em parceria com o “The Tauri Group” para determinar quais as áreas de avanço tecnológico mais promissoras, que permitiriam vencer os desafios da exploração espacial.

Uma das tecnologias sugeridas pela pesquisa, chamada de “Technology Frontiers: Breakthrough Capabilities for Space Exploration” (“Fronteiras da Tecnologia: capacidades inovadoras para a exploração espacial”) é o uso de antimatéria para disparar um motor de fusão nuclear.

Como combustível para esse motor, seriam usadas pastilhas contendo deutério e trítio – isótopos mais pesados do hidrogênio -, cercados por um material mais pesado, como urânio.

A ideia é disparar um raio de antiprótons – o equivalente da antimatéria aos prótons – para iniciar a reação de fusão, com o hidrogênio sendo convertido em hélio e liberando muita energia.

A propulsão poderia ser obtida de diversas formas, como aquecendo um combustível ao ejetá-lo em altíssimas velocidades.

A ideia não é nova: o projeto Daedalus, da Sociedade Interplanetária Britânica, já propôs o uso de foguetes de fusão para fazer viagens interestelares.

Os cálculos apontam que uma viagem para Júpiter precisaria de 1,16 gramas de antiprótons, o que não parece muito, exceto quando consideramos que desde 1950 não devem ter sido produzidos mais de 10 nanogramas do material em aceleradores de partículas, e que poucas gramas devem custar vários trilhões de dólares.

Porém, os autores do estudo apontam que a produção de antiprótons está avançando, e talvez venham a ser a grande novidade em propulsão espacial até 2060. Com a quantidade de combustível suficiente, uma viagem a Júpiter não demoraria mais que alguns poucos meses, e seria possível chegar em Marte depois de apenas 39 dias de viagem, usando um foguete de plasma.[Space.com]

Autor: Cesar Grossmann

Sou formado em Engenharia Elétrica, mas trabalho no setor público, gosto de xadrez e fotografia.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

15 Comentários

  1. Creio q a produção de anti materia será possivel no sentido que caminhamos cada vez mais no desvendar dos segredos da natureza da materia e sobre as propria leis da fisica

    Thumb up 0
  2. Mais uma vez a ciência imita a ficção? Como citou um colega, só faltam os “cristais de dilítio” utilizados nos motores da nave USS Enterprise. O reator de antimatéria já está em desenvolvimento. Interessante.

    Thumb up 2
  3. uma alternativa viável enquanto isso poderia ser a “mineração”.
    me pergunto quanta antimatéria não tem presa ao cinturão de van allen

    Thumb up 1
    • Nenhuma… antimatéria+matéria=badaBUM ;) pode-se até encontrar antimatéria no espaço mas provavelmente sobe a forma de partículas atómicas produzidas pelos impactos da radiação cósmica… até se encontrar com outra partícula de matéria…

      Thumb up 0
  4. Não teria como, criar, descobrir ou utilizar outras substâncias no lugar dos antiprótons, desde que não mudasse o resultado na reação química, e que fosse mais acessível??

    Essa pergunta é meio besta, porque, se tivesse, creio que os cientistas já teriam feito ou descoberto… mas queria saber de uma possibilidade ou outra alternativa!

    Thumb up 1
  5. P.: “…os autores do estudo apontam que a produção de antiprótons está avançando, e talvez venham a ser a grande novidade em propulsão espacial até 2060…”

    Comentário: isso dará tempo para que Zefram Cochrane possa fazer seu primeiro voo de dobra espacial em abril de 2063!!!

    Os cristais de “dilítio” já estão a caminho!

    “Cientistas produzem fusão nuclear em equipamento de mesa”
    http://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=3&cad=rja&ved=0CDoQFjAC&url=http%3A%2F%2Fwww.inovacaotecnologica.com.br%2Fnoticias%2Fnoticia.php%3Fartigo%3D010130050429&ei=Ro5YUOn8KZG09gSGl4C4BA&usg=AFQjCNHopJ3TfNiCnBw5E_-frDX5qQV15Q

    Thumb up 3
  6. Bem, NOVAMENTE uma matéria bem interessante, estragada por um erro primário:POUCAS gramas… .A única grama, que é FEMININA, é aquela dos estádios!

    Thumb up 1
    • Isso me lembra quando meu pai foi comprar carne no Açougue…
      Ele chegou no açougueiro e Disse: “Eu queria umas 500 gramas de…” antes de terminar o cara disse: “se quer grama, vai pro pasto,aqui s´´o vendemos carne!!” kkkkkkkk Mas os dois era amigo mesmo!! kkk

      Thumb up 0
  7. A fundação Keshe está anunciando que no dia 21/09 (se não me engano) apresentará para todas as nações, e especialistas, sua nova tecnologia. Ela é totalmente baseada em reatores de plasma, o site a seguir possui artigos cientificos que explicam o funcionamento e suas aplicações para o mundo.

    http://www.keshefoundation.org/en/

    Se isso for realmente verdade (o que eu gostaria realmente que fosse), o mundo terá mais uma chance de se tornar mais humamo, a desigualdade e a fome findariam.

    Thumb up 2
    • Dia 21 já está logo ai. Resta apenas esperar e ver se esta tecnlogia realmente existe. Se for verdade, realmente poderá revolucionar o mundo e a ciência! Alguém aqui neste site sabe algo mais sobre o assunto?

      Thumb up 1
  8. muito interessante mas vai demorar muito por causa que os nossos recursos tecnologicos não são muitos ainda pra produzir antimateria em larga escala tanto que com a tecnologia atual pra produzir 1 grama de antimateria gastariamos 62.5 trillões de dolares, o que torna inviavel.

    Thumb up 2
    • Uma das apostas é justamente no desenvolvimento de tecnologia para produção de antimatéria em “larga escala”. Ainda não sei como vão fazer isto, mas se conseguirem…

  9. Parece que tudo é mesmo questão de tempo, estudos e muito trabalho. O dia que este tipo propulsão for colocada em prática, o bicho vai pegar! Boa sorte a exploração espacial!

    Thumb up 8

Envie um comentário

Leia o post anterior:
686507main_regolithintesting-610x346
NASA testa escudo feito com solo extraterrestre

Combinação de materi...

Fechar