O que é preciso para doar sangue?

Publicado em 28.05.2012

Digamos que você é uma pessoa altruísta, e resolveu doar sangue. Chegando lá, você tinha tomado uma vacina da gripe, ou mostrava sinais de um herpes na boca, e foi barrado. Então, perguntamos: o que é preciso para doar sangue? Muito mais do que apenas vontade.

Doar sangue não é perigoso e não causa nenhum problema, desde que o procedimento seja feito em um local de segurança (um hospital ou clínica com profissionais qualificados e material descartável e esterilizado).

A pessoa média tem cerca de cinco litros de sangue no corpo. Esse número, claro, varia conforme o peso e altura de cada um. Baseado nessa conta, os profissionais de saúde calculam o quanto do seu sangue você pode doar, e nada de ruim vai te acontecer (é preciso perder muito sangue para correr algum risco de vida, e você pode doar em média apenas até 450 ml de sangue).

Os componentes do sangue que você doou se repõe automaticamente em seu corpo aos poucos. O plasma, por exemplo, é reposto pelo organismo apenas um dia após a doação. Em algumas semanas, todos os outros componentes também já foram completamente repostos.

Os homens podem doar sangue a cada 2 meses, e as mulheres a cada 3 meses.

Não precisa se desesperar se você entrar em um hospital e ver gente desmaiando após doar sangue. Hipotensão arterial, sudorese e tontura são sintomas passageiros, causados geralmente por ansiedade ao doar sangue. Ou seja, relaxe, e provavelmente você não vai sentir nada disso.

Viu que não tem perigo, e ainda quer doar sangue? Ótimo. Mas para que não haja nenhum perigo ao paciente que recebe esse sangue também, o doador precisa se encaixar em uma série de exigências. Vamos conhecê-las?

Requisitos para doar sangue

Eu disse que a pessoa média tem cinco litros de sangue, mas que isso variava, certo? O fato é que cerca de 7% do nosso peso é sangue. Sendo assim, uma pessoa de 50 quilos teria 3,5 litros de sangue, e uma pessoa com 70 quilos teria cerca de 5 litros de sangue. Entendeu?

É por isso que pessoas muito magrinhas não são boas candidatas para doar sangue. Elas têm menos sangue, e perdê-lo pode não ser a melhor ideia do mundo. Também, algumas doenças lhe impedem de doar sangue – elas podem viajar junto com seu sangue para o paciente que vai recebê-lo. E deixá-lo doente é o oposto do que queremos, certo? Gripe e febre impedem as pessoas de doar sangue enquanto elas estiverem doentes, já AIDS e outras condições são empecilhos duradouros.

Ter feito algumas cirurgias também lhe deixa impossibilitado de doar sangue, mas apenas temporariamente. É para o seu próprio bem: em recuperação, você precisa do seu sangue. Pelo mesmo motivo, grávidas e mamães que acabaram de dar à luz ou estão amamentando não podem doar sangue.

Para doar sangue, você vai ter que passar por uma entrevista, e vai ouvir certas perguntas sobre sua vida pessoal e sexual – por exemplo, se você fez uma tatuagem recentemente ou se tem mais de um parceiro sexual. Não se sinta ofendido, e seja extremamente sincero nas respostas.

Uma tatuagem abre uma “ferida” na sua pele: são milhões de furinhos que ficam abertos por um tempão e podem lhe deixar mais propício a pegar doenças. Múltiplos parceiros sexuais também representam um comportamento de risco que lhe deixa mais propenso a doenças. Não é que estamos julgamos você. Mas não queremos aumentar o risco de passar doenças a ninguém, certo?

Então, conheça os requisitos para se doar sangue, de forma geral:

  • Ter mais de 18 e menos de 60 anos;
  • Ter um documento de identificação válido;
  • Ter mais de 50 quilos;
  • Estar em boas condições de saúde (é recomendável boa alimentação e boa noite de sono no dia anterior);
  • Não estar em jejum;
  • Não estar grávida;
  • Não estar amamentando por no mínimo 3 meses;
  • Não ter tido nenhum parto nos últimos 3 meses;
  • Não ter feito uma cesariana nos últimos 6 meses;
  • Não ter sofrido aborto nos últimos 6 meses;
  • Não ter feito cirurgia de pequeno porte nos últimos 3 meses ou de grande porte nos últimos 6 meses;
  • Não ter feito nenhuma tatuagem no último ano;
  • Não ter feito acupuntura ou colocação de piercing em condições insalubres por um ano; em condições assépticas, com agulha descartável, é possível doar sangue após três dias (o profissional que coleta o sangue é que analisa e decide isso).

Doenças, remédios e vacinas: posso ou não posso doar?

Existem algumas vacinas, medicamentos ou doenças que impedem as pessoas de doar sangue temporariamente ou definitivamente.
Por exemplo, a vacinação para hepatite B impede a doação de sangue por 48 horas. Medicação é outro problema: dependendo do remédio que você está tomando não pode doar sangue até que ele saia do seu sistema.

Em caso de doenças como a gripe, é recomendável que você espere até 7 dias depois da cura para doar sangue. Já outras doenças, como hepatite após os 10 anos de idade, Doença de Chagas, malária e AIDS impedem as pessoas de doar sangue permanentemente.

Vacinas, remédios e doenças precisam ser examinados caso a caso. Se você tomou alguma vacina recentemente, está tomando ou tomou algum remédio recentemente, e tem ou teve alguma doença em toda a sua vida, é crucial informar ao profissional de saúde. Eles vão fazer essas perguntas antes de você doar sangue, mas se não quiser perder seu tempo de ir até lá só para descobrir que você não pode doar, ligue antes para se informar. Suas dúvidas podem ser esclarecidas facilmente.

E não se preocupe com o fato de você ter alguma doença e não saber. Você não vai infectar ninguém, mesmo sem querer. Por exemplo, antes de doar sangue, é feito um teste de anemia. Se você é anêmico e não estava sabendo, agora vai ficar sabendo. E não vai poder doar sangue.

Nada é deixado na mão da sorte: o sangue que vai para os pacientes em necessidade é muito bem analisado e cuidado. Sangues não adequados são descartados.

Desmentindo mitos

  • Doar sangue engorda ou emagrece? Não engorda porque você não ingere nada, e não emagrece porque a quantidade de sangue retirada é reposta no seu organismo.
  • Doar sangue afina ou engrossa o sangue? Não acontece nada com seu sangue, ele vai continuar o mesmo.
  • Doar sangue vicia? Não. Você vai doar só quando quiser.
  • Estou de dieta. Posso doar sangue? Pode. Mas ter uma boa alimentação no dia anterior é recomendável.

Situações de risco: porque não doar sangue

Lembra que eu comentei que você vai precisar responder algumas perguntas indiscretas antes de doar sangue? É porque certos comportamentos, nomeados “comportamentos de risco”, configuram situações de risco acrescido para se transmitir doenças através da doação de sangue. Você não pode doar sangue se:

  • Tiver múltiplos parceiros sexuais ocasionais ou eventuais sem uso de preservativo;
  • Usar drogas ilícitas;
  • Ter feito sexo em troca de dinheiro ou droga recentemente;
  • Ter sido vítima de estupro recentemente;
  • Ter parceiro sexual com exame reagente para infecções de transmissão sexual e sanguínea.

Repito: não é papel dos profissionais de saúde julgar ninguém. Mas não minta! Você não pode omitir informações que possam colocar a vida de alguém em risco.

Não precisa admitir que você teve certo comportamento se não quiser. Mas você deve retirar sua proposta de doar sangue, dizer que prefere não doar. Também pode recorrer ao Voto de Auto-Exclusão. Imediatamente antes da doação, de forma sigilosa e confidencial, o candidato pode resolver não doar o sangue. É uma oportunidade de não doar sangue se não for um candidato adequado à doação, e não colocar ninguém em risco.

O que é feito com meu sangue?

Seu sangue pode salvar a vida de até quatro pessoas. Após a coleta, ele é fracionado, ou seja, dividido, em vários concentrados: concentrado de glóbulos vermelhos (ou hemácias), concentrado de plaquetas, crioprecipitado e plasma fresco.

Esses componentes do sangue ficam em quarentena (sem poder serem usados para transfusão) até que todos os exames sorológicos e imunohematológicos sejam realizados na bolsa e garantam que ele é seguro.

As hemácias são transfundidas em caso de anemias ou grandes sangramentos. As plaquetas são transfundidas quando os pacientes não possuem número suficiente delas, ou sua qualidade não está boa para promover a coagulação. Pacientes com câncer submetidos à quimioterapia, por exemplo, muitas vezes precisam receber sangue, pois o tratamento diminui a quantidade de hemácias e/ou plaquetas no seu sangue.

O plasma e os fatores de coagulação concentrados são necessários para pacientes com hemofilia e outras condições que ocasionam sangramento.

Posso doar sangue para alguém em específico?

Pode. Mas a pessoa que vai receber tem que ser compatível com você: ter o mesmo tipo de sangue, com as mesmas características. Descobrir isso é trabalho dos profissionais de saúde. Nesse caso, você pode avisar para quem você quer que o sangue vá.

Doar sangue de forma voluntária significa que seu sangue será armazenado para ser transfundido em qualquer pessoa com o mesmo tipo que esteja precisando.

Você pode até doar sangue para si mesmo! Você pode armazenar uma reserva de seu próprio sangue para o caso de precisar de uma transfusão. Para isso, você precisa procurar um serviço de hemoterapia.

Porque doar sangue

Doar sangue é simples, rápido e não dói. Não traz qualquer risco ou prejuízo a sua saúde. No entanto, no Brasil, apenas 1,5% da população doa sangue anualmente. Desses, 75% é população de baixa renda, 70% estão na faixa etária de 26 a 45 anos, e 58% possuem ensino médio incompleto. Para você ver que inteligência nem sempre depende de escolaridade.

Digo isso porque, sim, doar sangue é um ato inteligente. Um a cada 10 pacientes hospitalizados necessitam de transfusão. O que vai acontecer se chegar o dia em que você será esse um? 1,5% de doadores vai ser suficiente para que você receba o sangue de que precisa?

Se cada cidadão saudável doasse sangue pelo menos duas vezes por ano, não seriam necessárias campanhas emergenciais para repor os estoques de sangue. Isso significa que, se a média de doadores doasse sangue pelo menos duas vezes ao ano, não haveria falta de sangue.

Não aposte com a sua vida. Não aposte com a vida de ninguém! Doar sangue muitas vezes é um ato altruísta, pela simples satisfação de ajudar alguém, mas em outros casos, pode muito bem ser a sua salvação: ajude a aumentar os bancos de sangue, para que nunca falte para você ou para alguém que você ama.

Você quer doar sangue e está apto para doar? Oba! Veja aqui uma lista de pontos pelo país onde você pode fazer esse gesto tão bonito.[Famema, HEMORGS, INCA, SecretariadeSaúdePR, Filantropia, AmigoDoador, PortaldaSaúde]

Autor: Natasha Romanzoti

tem 24 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

14 Comentários

  1. Doei sangue recentemente e não senti nada. Me meti até em fazer caminhada após a doação, de tão bem que me senti.

    Thumb up 4
  2. Recentemente precisei de doadores; não pra mim, mas pra alguém que amo muito. Eu mesma não doei porque não pude, mas sou muito grata a quem doou.

    Thumb up 14
    • Eu acho que não há restrição a diabéticos! Confirme com o profissional de saúde. Ligue ao hemocentro.

      Thumb up 0
  3. Ótimo artigo. Só faltou um ponto polêmico da atual regulamentação normativa da ANVISA (RDC 153/04) que contra indica para doação de sangue o “homem que tenha tido relação sexual com outro homem a menos de 12 meses”.
    Isso sem considerar qualquer critério técnico ou científico vez que se desconsidera a possibilidade de o homossexual ter relação estável, parceiro fixo e manter relações com preservativos, visto que o sangue doado, antes de ser utilizado, passa por criteriosos testes, independentemente da entrevista pessoal.

    Thumb up 9
  4. Fora o ato autruísta da doação, tem algum benefício orgânico, tipo estimular a produção ou a qualidade? ouvir dizer isso. procede?

    Thumb up 2
  5. no exercito eu doava de 2 em 2 meses (sério mesmo)
    para ganhar 1 dia de folga
    dias de cão !

    Thumb up 12
  6. O que é preciso para doar sangue?
    – Ser sangue bom.*

    * gente fina, elegante e sincera.

    Thumb up 26
  7. Doar sangue é um ato de amor ao próximo,não sei porque tem religião que é contra!!!!

    Thumb up 50
    • É um contrasenso.

      Thumb up 1
    • As religiões que são contra doar, são contra receber também. Não sou dessas religiões (e me desculpem se eu estiver falando besteira ><) mas alguns acreditam que a vida está no sangue e consumir sangue de qualquer outro ser vivo é contra a lei divina. Uma transfusão condena sua alma. Ou seja, você vai morrer e ir pro paraíso ou continuar vivendo mas com a alma condenada. De novo, não é minha religião, não estou discordando e nem concordando. "Muito pelo contrário" hahaha =)

      Thumb up 4

Envie um comentário

Leia o post anterior:
Healthcare_Ecohospital_femaleDoctor
Nova técnica induz câncer a se autodestruir

Trata-se de uma prot...

Fechar