Por que as baleias encalham?

Publicado em 27.09.2010

Na Nova Zelândia, biólogos marinhos estão tentando fazer com que os membros sobreviventes (atualmente 24) de mais de 80 baleias encalhadas voltem para o mar. As baleias encalhadas na região noroeste de Auckland são baleias-piloto, espécie conhecida como uma das baleias que mais encalham nas praias. Tal situação trouxe à tona a dúvida que os cientistas têm há muito tempo: o que causa o encalhe de baleias em massa?

O relato do maior encalhe de baleias de uma mesma espécie ocorreu em 1946, quando 835 orcas encalharam perto da cidade de Mar del Plata, na Argentina. A causa do encalhe massivo nunca foi determinada.

Os cientistas têm diversas teorias para explicar por que algumas baleias, que navegam muito bem e são especialistas em navegação por natureza, vem parar em águas rasas e nas praias. Pode ser que apenas uma baleia fique encalhada, ou um grupo inteiro. Alguns casos parecem até intencionais.

Baleias individuais podem encalhar por uma série de razões, como mutações genéticas, infecções ou doenças parasitárias, lesões causadas predadores ou pescadores e velhice.

Já as razões por trás do encalhe em grupo são mais misteriosas. Uma hipótese é que um grupo de baleias pode encalhar acidentalmente ao tentar auxiliar uma baleia já encalhada que está enviando pedidos de socorro.

Porém, esta teoria é difícil de ser comprovada porque a maioria das baleias encalhadas está em “más condições” no momento de resgate, sendo complicado determinar se uma única baleia estava originalmente em perigo.

Outras possibilidades é que a deficiência de nutrientes e a desorientação e fraqueza provocada pela falta de alimentos podem levar as baleias às águas rasas. Elas podem estar seguindo uma presa ou tentando escapar de predadores indo parar na praia.

Clima irregular, poluição da água (por exemplo, derrames de petróleo) e toxinas ambientais também são possíveis causas de desorientação das baleias. Marés vermelhas, que ocorrem quando algas microscópicas florescem rapidamente e liberam toxinas, não só afetam as baleias, mas também moluscos que se alimentam por filtragem e outras partes da cadeia alimentar marinha.

Outra teoria baseia-se nos laços sociais e de parentesco dentro de um grupo. A maioria das espécies de baleias viaja em grupos como estratégia de sobrevivência. A baleia dominante lidera o grupo. Se ela fica doente ou confusa, pode levar o grupo para muito perto da costa, e encalhar na praia.

Por último, mas não menos importante, alguns pesquisadores e ambientalistas sugerem que o pulsar de sonares subaquáticos assusta e desorienta as baleias, especialmente algumas espécies. Dessa forma, uma possibilidade é que elas saem em busca de segurança nas águas rasas.

Por exemplo, as ondas de sonar de frequência média que a marinha dos EUA utiliza para detectar submarinos podem ser prejudiciais. Nas Bahamas, na Califórnia e no Havaí já houve processos e estudos que levaram à Justiça Federal a ordenar a marinha que controlasse seu uso de sonares. No entanto, os cientistas ainda não sabem exatamente como os pulsos sonares perturbam ou prejudicam as baleias, ou porque eles afetam mais determinadas espécies.

Entre os biólogos marinhos, são muitas as possibilidades e poucos os acordos. O mistério permanece. [LifesLittleMysteries]

Autor: Natasha Romanzoti

tem 25 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

5 Comentários

  1. Acho que a teoria dos submarinos merece maior atenção.

    Exemplo o caso de 1946, 1 anos depois da Segunda Guerra, período que foram usados milhares de submarinos, principalmente no Atlântico Norte ( o que explicaria porque tantas e tão juntas foram rumo ao sul ).

    Sei lá, biológica marinha não é o meu forte

    Thumb up 1
  2. Porque o curintia empaca?
    Senhores a resposta é a mesma: por falta de competencia.
    Foi provado cientificamente que as baleias que encalham possuem um problema genetico na sua bússola interna, da mesma forma como o time mensionado anteriormente. Em um determinado momento de suas existencias esses animais não sabem qual o caminho correto a trilhar e acabem morrendo na praia.Daí a origem de : ” nada, nada e morre na praia” ou em latim: ” Gavíum chupum cobrum e sentum num pintum”.

    Thumb up 0
  3. eu hajo uma pena pq isso naum devia acontecer com esses mamiferos que ha alguns anos elas podem estar extintas !!!!!!!!

    Thumb up 1
  4. Acho que não deve ser um ciclo, afinal em 1946 já havia tecnologia para alterar qualquer ser vivo… Lembre-se que em 1946 já fazia 1 ano do fim da 2a guerra mundial, e olha o tanto de coisas que aconteceram naquele período… Claro que fatores naturais também podem influenciar, mas ainda acredito que deve ter um dedo desequilibrado do homem envolvido nisso….

    Thumb up 4
  5. Não seria um ciclo dessas baleias? Porque acho que não seria culpa de consequências humanas. Pois se em 1946 835 orcas encalharam la no sul da argentina.. O que que teria la para ter feito elas todas rumarem para a praia? Ou então algum fator natural. Uma maré não esperada, um ser bizarro predador ameaçando-as! Vai saber! o.o

    Thumb up 3

Envie um comentário

Leia o post anterior:
twinke
Mistério: a menina que chora sangue

Durante os últimos t...

Fechar