A progesterona conquista o espermatozóide

Por , em 5.04.2011

Cientistas da Universidade da Califórnia estudaram o que o óvulo feminino faz para “atrair tanta atenção” dos espermatozóides. Os biólogos já sabiam que os óvulos supriam os espermatozóides com algum tipo de encorajamento químico para atraí-los, mas a natureza molecular desta interação continuava difícil de compreender.

A pesquisadora Polina Lishko e seus colegas refinaram uma técnica para medir correntes elétricas que dirigiriam os movimentos sinuosos da cauda dos espermatozóides. A equipe descobriu que quando o esperma recebe uma dose de progesterona, um hormônio feminino liberado pelas células que revestem o óvulo, a corrente elétrica aumenta e a cauda move mais rápido. Este hormônio também pode estar ligado a um gene da célula do esperma chamado CatSper e isso causa um afluência de íons de cálcio que os propele para frente.

“Esta é a primeira vez que alguém desvenda, em um nível molecular, como o óvulo sinaliza para um esperma”, disse o fisiologista Dejian Ren, da Universidade da Pensilvânia.

Este descoberta pode servir para criar novos tipos de anticoncepcionais sem hormônio, na forma de drogas que impediriam a progesterona de se ligar ao CatSper. O óvulo perderia um pouco a capacidade de atrair o espermatozóide. “Nós finalmente encontramos a resposta da pergunta: o que a progesterona causa ao esperma humano. Agora nós precisamos descobrir a local exato da ligação com o CatSper para partir para a produção de uma droga”, disse Polina. [NewScientist]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

2 comentários

Deixe seu comentário!