Cientistas descobrem uma nova força, maior que a gravitacional

Por , em 29.07.2013

Os cientistas sabem há muito tempo que corpos negros produzem radiação e que a radiação cria um efeito repulsivo. No entanto, de acordo com um novo estudo, há uma outra força em jogo, que age um pouco como a gravidade e atrai objetos ao corpo negro. Esta nova descoberta foi nomeada “força de corpo negro”.

Os corpos negros, objetos celestes que são perfeitamente não reflexivos, mudam a energia atômica das moléculas em torno delas, situação conhecida como “efeito força”. Isso ocorre quando o campo elétrico criado pela radiação de corpo negro emite fótons em moléculas e átomos circundantes, que muitas vezes criam a energia repulsiva que estamos acostumados a ver em torno de corpos negros.

No entanto, com o nível de energia do fóton correto e a irradiação do corpo negro inferior a cerca de 6.000 graus Kelvin, praticamente 5.700 graus Celsius, cria-se uma força de atração que é maior do que a pressão de radiação e, em alguns casos, maior do que a força da gravidade.

Esta nova força afeta apenas as menores partículas do universo, embora tenha um efeito em cenários astrofísicos. A equipe austríaca de cientistas que descobriu a força está estudando a forma como isso afeta a poeira cósmica. “Esses micro-grãos desempenham um papel importante na formação de planetas e estrelas ou na astroquímica”, conta M. Sonnleitner, da Universidade de Innsbruck. Ele ainda explica que, aparentemente, há algumas questões em aberto sobre a forma como interagem com o gás de hidrogênio em volta ou com outros. “Agora estamos explorando como esta força atrativa adicional afeta a dinâmica dos átomos e da poeira cósmica”.

Os cientistas tiveram dificuldades para replicar o efeito em um laboratório, mas esperam que, assim que for possível concluir um experimento, o resultado ajude a entender melhor algumas questões fundamentais da astrofísica. [Gizmodo]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 5,00 de 5)

12 comentários

  • Evandro Melo:

    Pow, grau kelvin é mancada hein!

  • Edinardo neves teixeira:

    o lado negro da força

  • Emanoel Castro:

    Pelo que li, me parece mais com uma força semelhantemente ao comportamento de força eletromagnética. Agora só não sei ao certo como ela interage com outras partículas.

  • Demitrius Viana Lacerda:

    Deve ainda existir uma sexta, como força para acelerar em orbitais na medida que o Momento de Inercia se aproxima de zero mas torna conservativo

  • HFC:

    Ficou uma questão pendente legal : qual vai ser a reforma do modelo padrão que a descoberta de tal força poderá acarretar ?

    • Cesar Grossmann:

      Pelo que eu entendi, não é uma nova força, mas um comportamento diferente da força eletromagnética. Trata-se de um caso especial em que a pressão de radiação é inferior ao “efeito Stark” (“O inverno está chegando” – ops, não este Stark).

      http://physicsworld.com/cws/article/news/2013/jul/19/attractive-force-arises-from-black-body-radiation-say-physicists

    • Demitrius Viana Lacerda:

      Uma delas e da Relatividade Geral que anos estão querendo prova-la que está incompleta,

    • Andreia Heidecke:

      Sendo um comportamento diferente, não poderíamos cair no mesmo resultado que se tem com o comportamento de dualidade da onda-partícula da luz? sendo assim não poderíamos achar que sabemos quando na verdade estamos apenas vendo um resultado que foi obtido pois sofreu interferência de nossos meios de observação?
      Como diria Einstein (clique): Tudo é relativo!

    • HFC:

      Efetivamente é a força eletromagnética ( o nome do artigo acaba entregando a bagaça) e particularidades do efeito Stark.
      Isso me leva a refletir que o universo é muito mais estranho do que eu podia podia imaginar!!!

    • HFC:

      Acho que o pessoal já leu o artigo, mas passo o link da publicação:

      http://arxiv.org/abs/1302.3031

      Attractive Optical Forces from Blackbody Radiation

  • HFC:

    O artigo em questão é “Attractive Optical Forces from Blackbody Radiation” publicado na Physical Review Letters. Um preview do artigo pode ser lido .

    • HFC:

      Lido

Deixe seu comentário!