Como seria realmente viajar no tempo

Por , em 3.02.2013

Como seria viajar no tempo?

Viajar no tempo sempre foi um exercício de imaginação, ao qual a humanidade tem se dedicado bastante, principalmente a partir do século 19, com autores de ficção científica como H. G. Wells e os criadores da trilogia “De Volta Para o Futuro”.

Mas a ideia de viajar para o passado começou a tomar uma forma mais séria com o desenvolvimento da Teoria da Relatividade e as geometrias usadas para descrever o espaço-tempo. As equações que permitem deduzir a curvatura de um dado universo a partir de sua forma e outras propriedades permitem uma miríade de universos hipotéticos, com as mais diversas propriedades, inclusive universos em que a viagem no tempo seria possível.

Em 1949, Kurt Gödel fez a primeira abordagem conhecida, e a mais simples, de um universo em que existe um caminho fechado no espaço que faz um caminho fechado no tempo também, chamado de “curvas fechadas de tipo tempo” (CTC, da sigla em inglês “closed time-like curve”).

As CTCs não são máquinas do tempo que podem te levar a uma data qualquer no passado. Entretanto, se você for seguindo uma destas curvas, você vai viajar para o futuro e então retornar ao ponto inicial, tanto no tempo quanto no espaço, onde a CTC começou. É quase como virar à esquerda e encontrar você mesmo na última semana.

E como os universos de Gödel se relacionam com o nosso? Se a gente imagina o espaço-tempo do nosso universo como um enorme lençol elástico que se curva em torno de objetos massivos, o universo de Gödel consiste em um cilindro feito de poeira homogênea, e de largura infinita, girante. E, enquanto o nosso universo está em expansão, o de Gödel é estático.

Uma equipe liderada pelo físico Wolfgang Schieich, na Universidade de Ulm, Alemanha, construiu um modelo usando computação gráfica para visualizar como seria um destes estranhos universos de Gödel.

O modelo usado foi o traçado de raios: uma linha liga cada ponto de uma câmera virtual aos objetos 3D no espaço, e assim são desenhados os objetos.

Só que, em um universo de Gödel, a linha, que representa os raios de luz, forma espirais, tornando possível ver, por exemplo, os dois lados de um planeta – o lado que está de frente para o observador, e o outro lado. Também dá para ver o planeta em todos os momentos de sua órbita, ao mesmo tempo.

Em outro teste, uma coluna com bolas é movida no universo de Gödel, e o que o observador vê é uma série de círculos concêntricos, vendo todas as bolas e toda a superfície delas ao mesmo tempo. Observar o planeta em órbita é ver muitas imagens do mesmo planeta, chegando em diferentes momentos.

Não é exatamente como a série “De Volta para o Futuro”, mas apresenta uma visão única das teorias de Einstein – uma que as equações não conseguem fornecer. Além disso, pode ser uma ferramenta para entender o que acontece no nosso universo, e o que vemos nos telescópios.

Além disso, o universo de Gödel deve ser uma ferramenta para obter alguns insights sobre a causalidade, já que no universo de Gödel, ela falha.

Veja no vídeo acima a simulação do bizarro universo de Gödel, onde andar para a frente é caminhar no tempo também, e quando você olha, você vê presente, passado e futuro, o tempo todo. [NewScientist]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (5 votos, média: 4,60 de 5)

10 comentários

  • Wellington Gonçalves:

    Eu também queria voltar ao tempo de salvar meu avô de uma “casinha de caboclo” que acabou com a vida dele e de suas posses. acho que em 1935

  • tiago3974:

    Ola pessoal acho que se alguém tivesse o poder de viajar no tempo
    usaria em próprio beneficio.
    Eu com certeza viajaria para 31/12/2013 para ver o resultado da
    mega da virada e depois voltaria seria muito simples kkkkkkkkk

  • Nikolo Piko:

    olá meu nome é Nikolo Piko, sou o que vocês chamam de viajante do tempo, por mais estranho que pareça para compreenderem, eu vim do ano de 2033,tenho 40 anos e sou um cientista pouco conhecido no “futuro”, mas junto a especialistas, construímos uma (CCG)Uma célula de controle da gravidade que contribuiu para a abertura de um “wormhole” que me trouxe até agora no ano de 2013, onde estou com 20…a partir das teorias geradas pela mente brilhante de Stephen Hawking, nosso projeto multimilionário foi um grande sucesso…estou realizando missões de testes para saber quais são as consequências de minhas interferências no passado, então, farei comentários em páginas aleatórias para testar minha presença nelas.

    • Aline Gonçalves:

      Legal, senhor doutor piko, e eu sou a Madonna uns aninhos mais jovem, eu também sou viajante do tempo.

    • tiago3974:

      Qual os 6 números da mega da virada de 2013

    • Wellington Gonçalves:

      interessante…como vai provar isso?

  • Andre Luis:

    Eu acho esse assunto extremamente interessante, as vezes fico pensando em viagens no tempo e na possibilidade de realmente ser viável, mesmo não sendo um expert no assunto.

    Eu vi que existem alguns paradoxos como o do avô por exemplo, será que pelos simples paradoxos existentes já não excluem essa possibilidade de voltar ao passado? Talvez seja possível apenas acelerar o tempo para o futuro, ou talvez viagens no tempo extrapolem as lógicas da física e sejam totalmente possíveis.

  • Lilian Escorcia:

    Entendi nada. 🙁

  • Alberto Campos:

    Se fosse eu que tivesse tido uma ideia dessa. Seria chamado de louco. Não sei que fez esta besteira, mas acho uma perda de tempo colocarem isto aqui.

  • Rafael Soares:

    Fico triste porque ainda agora, nesse século, isso não passa de muita especulação quanto a viagem no tempo. Não deixa de ser interessante, mas eu espero que no futuro exista uma compreenção ainda maior desse conceito.

Deixe seu comentário!