Dinossauro protecerátopo encontrado junto de suas próprias pegadas

Por , em 15.09.2011

Um fóssil alojado durante meio século em um museu polonês acabou por ser o primeiro esqueleto de dinossauro preservado com suas próprias pegadas.

Uma recente busca da espécime de 80 milhões de anos revelou uma única pegada preservada nas rochas que também guardavam os ossos fossilizados.

Caçadores de fósseis poloneses e mongolianos desenterraram a peça em 1965, na Mongólia.

Que dinossauro é esse?

O dinossauro é um protocerátopo e, já que este é um dos dinossauros mais comuns encontrados nos leitos fósseis, não foi considerado muito significativo. Mas os cientistas afirmam que é o primeiro exemplo de um dinossauro preservado com suas próprias pegadas.

São poucos os exemplos em que os cientistas podem afirmar com certeza que tal pegada pertence a essa espécie, mas esse animal definitivamente morreu no caminho.

A única pegada preservada pode ser vista nas rochas que guardaram o fóssil. Pesquisadores sugerem que algumas das rochas descartadas quando os cientistas encontram esqueletos de dinossauros podem conter pistas antigas sobre a vida dos animais extintos.

Tradicionalmente, paleontólogos procuram por esqueletos completos e, a fim de obter os ossinhos guardados, acabavam descartando a matriz. Muitas pegadas devem ter sido jogadas fora.

Desde os anos 1990, e com algumas descobertas espetaculares de pegadas fósseis da China, a investigação sobre pegadas de dinossauros recebeu muito mais atenção.

Mas o que muitas vezes pegadas, não contêm esqueletos. De acordo com pesquisadores, rastros geralmente vêm de depósitos em praias, já os ossos são normalmente encontrados em canais de rios, onde talvez os animais se afogaram e foram rapidamente enterrados e preservados.

Infelizmente, porém, isso não resolve qualquer outro mistério de dinossauro, mas ajuda na combinação de diferentes tipos de pegadas. Além disso, vai fazer os caçadores de dinossauros prestarem mais atenção às pegadas.

Ainda há muitas descobertas como essa para serem feitas. Isso mostra que algumas coisas nunca vão aparecer, a menos que você esteja procurando por elas. [BBC]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

7 comentários

  • Jéssica:

    sou um pouco leiga em dinossauros, mas pq eles DEVERIAM ter morrido em massa? não poderia ser algo da evolução? e o fato deles axarem fosseis pq antes a terra era mais instavel, imagino tbm q esses bichos não trafegavam somente em “lugares seguros” igual nos q sabemos onde tem vulcoes e outras coisas q poderiam no fossilizar, por isso dos fosseis e q n consigo ver pq eles sao considerados mortos assim, em massa de uma so vez…

    • renato_kami:

      na verdade o mais aceito hoje em dia é que sim muitas espécies de Dinos evoluiram para o que hoje conhecemos como passaros mesmo assim ainda podemos ver contemporaneos dos dinos nos dias de hoje, crocodilos, tubarões…ja existiam mais ou menos do mesmo jeito do que a 65 milhões de anos.

  • adelimar:

    sera porque os dinossauros sao melhores que os ,outros bichos,eles morrerao? porque ?so os dinossauros morrerao , porventura so existe dinossauro de animal ,porque nao morrerao todos os animais?ham ham……….. pensem bem ,so dinossauro foi vitimas ,eu acho que nao foi asteroide que matarao estes bichos,foi os homens da cavernas ,so pode.

    • Danilo M.:

      acho que você está brincando só pode né,os dinossauros desapareceram a 65 milhões de anos atrás,os primeiros fósseis de Homo mais antigos (Homo habilis) datam de aproximadamente 2 milhões de anos.Existe várias teorias da extinção dos dinossauros a queda de um meteoro é a mais aceita!!!

  • Glauco:

    Esse site bloqueia todas as minhas mensagens quando eu sou o primeiro a postar. Perseguição.

  • Glauco:

    Ridículo, nenhuma pegada de nenhum animal resiste a mais do que uma chuva. E sua ossada não resiste nem poucas horas com tantos animais carniceiros por aí. Esse dinossauro e todos os outros fósseis encontrados até hoje foram pegos de supresa por eventos catastróficos repetidas vezes, e não por estarem distraídos e de repente soterrados por terra! Se fosse assim o material orgânico seria totalmente consumido antes de se formar um fóssil.

  • Glauco:

    Mais uma prova de que não existem fósseis sem um evento cataclísmico para criá-los.

    Qualquer um que já caminhou pelo campo sabe que nenhuma pegada de nenhum animal resiste a mais do que uma chuva. Para esse fóssil possuir, além de seus ossos fossilizados, suas pegadas, é lógico que é necessário uma ocorrência cataclísmica, de outra forma esses ossos teriam sido devorados ou destruídos pelo tempo. O mesmo vale para essas pegadas.

    A explicação é que o animal foi pego provavelmente de surpresa por uma corrente de lava, seus ossos e suas pegadas foram enterrados pela lava, que endureceram e criaram as marcas e os fósseis. Disso os arqueólogos não falam: eles acreditam que todos esses animais passaram pelo mal contado processo oficial de fossilização: “um dinossauro estava caminhando inadvertidamente pela praia, quando de repente foi surpreendido por um deslizamento de terra, que soterrou-o e conservou seus ossos milagrosamente por milhões de anos, para que fossem descobertos por nós.”.

    Ora, como se isso fosse o bastante para explicar os milhões de fósseis encontrados todos os anos ao redor do mundo inteiro, muitas vezes com colônias inteiras encontradas juntas, retorcidas e com sinais claros de uma morte rápida e agonizante. Todos esses animais morreram em catástrofes simultâneas ao redor do mundo inteiro repetidas vezes, por isso tantos fósseis, e não por força do acaso!

Deixe seu comentário!