Porque pessoas de outras ‘raças’ são todas parecidas?

Por , em 8.11.2010

Quando você vê um documentário sobre um país distante acha que todos os habitantes desse país são “iguais”? Pode acreditar que, independente de qual seja sua etnia, se as pessoas do país distante vissem um documentário sobre sua comunidade, você também pareceria “igual aos outros” aos olhos delas, mesmo que você se considere muito diferente de seus companheiros. Saiba o porquê desse fenômeno.

Estudos anteriores já tinham identificado a região do cérebro responsável pelo fenômeno, mas os mecanismos subjacentes ainda eram pouco claros. Então, pesquisadores do Reino Unido recrutaram voluntários caucasianos e asiáticos, e mostraram a eles 24 pares de fotos também de caucasianos e asiáticos.

Enquanto os participantes olhavam para as fotos, os pesquisadores gravaram as suas atividades cerebrais usando eletroencefalografia (EEG), que mede a atividade elétrica produzida pela queima de neurônios no cérebro. As fotos eram ou de duas pessoas diferentes de um mesmo grupo racial, ou da mesma pessoa com diferentes expressões faciais.

Normalmente, mostrar a mesma face duas vezes a alguém gera um padrão de EEG semelhante, embora os níveis de atividade fiquem menores na segunda vez. Diferentes rostos produzem padrões de atividade diferentes.

Quando os voluntários olharam para rostos de pessoas de uma raça diferente da sua, seus neurônios responderam como se fossem a mesma pessoa, e não outra. Os resultados foram iguais, tanto quando os voluntários caucasianos olharam para fotos de asiáticos, quanto quando os asiáticos viram fotos de caucasianos.

Isso sugere que a nossa percepção é um fenômeno universal. Segundo os pesquisadores, isso pode significar que as pessoas que vivem entre povos de outras raças podem aprender a identificar melhor os indivíduos.

Segundo eles, o estudo pode ser usado para melhorar a confiabilidade das testemunhas em julgamentos criminais. As técnicas usadas pela equipe podem ajudar a identificar testemunhas confiáveis no processo penal. Se uma testemunha não tiver uma percepção clara das diferentes raças, não há como ter certeza de que ela reconhecerá um réu de outra raça, por exemplo.

Já alguns especialistas consideram a pesquisa fascinante, mas não concordam que a técnica esteja pronta para ser usada em tribunal. [NewScientist]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

Comentários fechados

Os comentários deste post foram encerrados.