Álcool pode aumentar a capacidade de aprender

Por , em 15.04.2011
Homer Simposon deve estar orgulhoso de seu estilo de vida. Pesquisadores da Universidade do Texas, EUA, descobriram que o álcool melhora a memória de partes específicas do cérebro.

Hitoshi Morikawa, líder do estudo e neurologista do Centro Waggoner de Pesquisa em Álcool e Dependências da Universidade do Texas, em Austin, junto com uma equipe de pesquisadores da mesma universidade descobriram que a exposição ao etanol aumenta a plasticidade sináptica no cérebro, ou seja, a forma como as células alteram sua capacidade de intercomunicação.

Beber álcool não é geralmente vinculado positivamente à aprendizagem e à memória – muito pelo contrário. Porém, o estudo encontrou evidências de que o consumo frequente de etanol aumenta a plasticidade sináptica no cérebro, o que, segundo Morikawa, sugere que a dependência de álcool e de drogas é um distúrbio de memória e de aprendizagem.

“Normalmente, quando falamos de aprendizagem e memória, estamos falando de memória consciente”, explica Morikawa. “O álcool diminui a nossa capacidade de absorver pedaços de informações como o nome do seu colega, a definição de uma palavra ou onde você estacionou seu carro nesta manhã. Porém, nosso subconsciente é capaz de aprender e lembrar também, e é nesse nível que o álcool pode realmente melhorar nossas capacidades intelectuais”, defende.

Segundo Morikawa, beber álcool ou usar drogas ensina nosso subconsciente a consumir cada vez mais, mas, ao mesmo tempo, nos torna mais receptivos à memória subconsciente relativa a pessoas, comidas, músicas etc. Morikawa também observou que não é o álcool em si que dá prazer aos dependentes da substância, mas sim a combinação de elementos comportamentais, fisiológicos e ambientais que são aumentados quando o álcool provoca a liberação de dopamina no cérebro.

Segundo a pesquisa, o álcool toma controle do sistema dopaminérgico e diz ao nosso cérebro que o que estamos fazendo é “gratificante” e vale a pena repeti-lo. Aprendemos também que ir ao bar ou conversar com os amigos é igualmente gratificante.

“As pessoas geralmente pensam na dopamina como um transmissor de felicidade ou de prazer, mas de forma mais precisa, é de um transmissor de aprendizagem “, conta Morikawa. “Isso fortalece as sinapses que estão ativas quando a dopamina é liberada.”

Quanto mais atividades a pessoa faz enquanto bebe, mais dopamina é liberada. Isso leva à maior probabilidade de que essas sinapses sejam repetidas.

Com esse conhecimento, Morikawa gostaria de criar uma “anti-dependência” de droga, que faria o caminho exatamente contrário: enfraquecer essas sinapses, em vez de fortalecê-las, como o álcool e as drogas fazem. Isso apagaria completamente o vício da memória subconsciente de uma pessoa.

“É meio assustador, porque teríamos o potencial de controlar a mente das pessoas com essa substância”, admite. “Nosso objetivo, porém, é mais nobre: reverter da mente aspectos controladores de drogas viciantes”. [DailyTech]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

28 comentários

  • Vagner Silva:

    Matéria lixo! Sem base científica! Justamente a precisamos para aprendizagem é a afetafa. Onde está o artigo científico? Qual ametodologia?

    • Cesar Grossmann:

      http://www.jneurosci.org/content/31/14/5205

      Previous Ethanol Experience Enhances Synaptic Plasticity of NMDA Receptors in the Ventral Tegmental Area
      Brian E. Bernier, Leslie R. Whitaker, and Hitoshi Morikawa

      The Journal of Neuroscience, 6 April 2011, 31(14): 5205-5212; doi: 10.1523/JNEUROSCI.5282-10.2011

    • Cesar Grossmann:

      Era só seguir o link no fim da matéria para encontrar o artigo científico…

  • jose Senen de Alencar:

    Isso de fato pode fazer sentido, mas é muito perigoso. O álcool tanto é útil que é usado em vários medicamentos. Sabemos que veneno e remédio são praticamente iguais, a diferença é a dose.
    Tudo é preciso saber usar, porque a quantidade modifica a qualidade, daí, não podemos ser radicalmente contra nenhuma droga, porém, temos que ser responsáveis por crianças e pessoas que não têm boa mente.

  • luysylva:

    com tantos alcoólatras e jovens começando, desde de cedo no vicio, isso só ajuda mais em tornar as pessoas beberronas.

  • luysylva:

    mas uma vitoria dos publicitários de bebidas alcoólicas, tem gente grande por traz dessas pesquisas.

    • Rogério Piva:

      Assim como o lobby para a liberação da maconha. Não é Souza Cruz?

  • Diogo Vieira:

    O lance que ocorre é que si tu tem o hábito de prática determinada atividade da para você aplica a tarefa tranquilamente pois tem já aquele hábito mesmo estando sobre o efeito do álcool.

  • kairen:

    Prefiro vinho e uma ótima companhia, isso desperta o inconsciente, consciente e o subconsciente. Jamais esqueerei o antes, o agora e o depois.

  • mimi:

    haha Ai vcs nao entendem nada, o cara conseguiu ver por onde o cerebro “aprende” o vicio.
    Ja tentei estudar pra muita prova de faculdade coum uma dose de cachaça do lado, deu certo nao seu cientista.
    Tem q ver issaê.

    • Wagner Lima:

      kkkkkk eu ri demais , mais tem que ver msm kkkk

  • willians:

    Eu por exemplo memorizei inclusive pontos específicos como o decote da moça loirinha com sorriso comprometedor.

    • Rogério Piva:

      eu tenho várias imagens como essa na memória já faz muito tempo. até hj recorro a elas…

  • Hugo Telles:

    Eu por exemplo memorizarei essa foto ilustrativa por muito tempo ainda…

  • jayme fonseca:

    Não gosto de mulher que bebe mais que eu. Gosto dela meio sóbria

  • Mario:

    aprender? então como um sujeito toma uma serveja sai nun carro logo a frente lasca a cabeça em um poste. . . belo aprendizado. . . falta de responsabilidade esta desinformação.

  • Henrique:

    E mais uma vez, Freud acertou. Num de seus primeiros trabalhos,en 1895, afirmou que comportamentos que dão prazer, mesmo sendo prejudiciais, tem facilitadas suas vias de condução de energia psíquica. E tornam-se escolhidos para repetir essa condução de energia psíquica. Isto, muito antes de entender-se sobre neurotransmissores. O cara foi um gênio!

  • Diego barcelos:

    Ah, então conheço vários gênios, se eles aprendessem o quanto bebem, o mundo estaria feito.

  • JAMES COLEMAM ALVES:

    Olha, este site está correndo um sério risco de perder acessos dos “leitores mais inteligentes da internet”! O título dessa matéria é totalmente apologista ao consumo de álcool, é deseducativo e deveria ser alterado. Sou professor de Educação Básica e minha experiência com adolescentes me garante que eles buscam estar informados, mas não se propõem a se aprofundar nos assuntos. A grande maioria deles, ao acessar este texto, lerá o título e já considerará que aprendeu algo novo! A leitura da matéria não leva a essa conclusão! No início, pensei que o nome do pesquisador era, na verdade “MoriCANA”, depois me ocorreu que sua pesquisa pudesse estar sendo financiada pela AMBEV ou por uma de suas concorrentes, por fim, após ler o texto na íntegra, percebi que, ao dar o título ao texto, o responsável estava alcoolizado e acreditando piamente estar mais inteligente. Pobre diabo! Só mesmo muito álcool para concluir, a partir desse texto, algo próximo do conteúdo do título!!!!

  • Luan:

    é por isso que os alcoólatras são tão inteligentes né? :S

    • Rogério Piva:

      vcs devem ser alcoolatras, porque apreender e aprender são coisas distintas. A primeira é inteligência, a segunda memória.

  • :P:

    A primeira loirinha da foto, que delicia =)
    Mas, voltando ao assunto: Isso não pode servir de inspiração para os pingunços de plantão. Que adoram dar voltinha de carro. Se beber, não dirija.
    Mas, que loirinha =D

  • SabrinaS:

    haha notícia maravilhosa, se a maioria das pessoas sempre pensam em uma cervejinha final de semana, opa agora pode ter a consciência de que se pode beber aprendendo (+moderação :P)

  • paulo:

    adorei a noticia. ai como gostaria de ter uma cervejaria!

  • CaMões:

    Não consegui ler o artigo ,só de olho nessa loirinha.

    • Pampas:

      loirinha a cerveja, claro! 😀

    • Ze milho:

      Já somos 2!!! Mesmo gira a miuda!

  • eduardo:

    Ah é… então tenho um amigo q é um gênio… kkkkkk
    Sinceramente, acho q esse cientista aí, ou trabalha na skol, ou é o maior pinguço….

    Seja como for, vou me dispor a ser cobaia nesse estudo… kkkkkk

Deixe seu comentário!