A proteína pode criar novos folículos capilares

Por , em 10.06.2013

Por muito tempo, acreditou-se que os folículos capilares (que produzem o cabelo e pelos) não podiam ser reconstituídos. Para a alegria dos carecas, pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade da Pensilvânia (EUA) estão tentando demonstrar o contrário.

Um novo estudo mostra que a proteína FGF9 – encontrada na pele humana em pequena quantidade – pode ajudar a formar e regenerar folículos do cabelo durante o processo de cicatrização de feridas. Isso significa que essa proteína pode se tornar a cura da calvície.

A proteína, que é fator de crescimento capilar, foi exposta a ratos. O resultado foi o aumento de cerca de três vezes no número de novos folículos capilares produzidos nos roedores. A quantidade de proteína aplicada aos animais foi proporcional à quantidade de novos pelos produzidos.

Os pesquisadores acreditam que, no futuro, poderá ser possível utilizar a FGF9 para fins terapêuticos, para pacientes com doenças no couro cabeludo.

Funcionamento da proteína

A proteína FGF9 é segregada a partir de células T gd, um raro subconjunto de células T, que são envolvidas com a imunidade do organismo. Uma vez liberada, a proteína serve como catalizador da proteína da pele WNT, e contribui com a geração de novos folículos capilares.

Quando uma pessoa fere a pele, o crescimento do folículo é bloqueado e se inicia o processo de cicatrização. No caso dos ratos, o folículo se regenera enquanto a cicatrização ocorre. O motivo da diferença é que seres humanos têm baixos níveis de células T gd na pele em comparação com ratos. Isso pode explicar porque a pele dos seres humanos se cicatriza, mas não regenera os folículos pilosos.

Pesquisadores acreditam que tratamentos que compensem a falta da proteína FGF9 em carecas, calvos ou pessoas com problemas de pele podem ser eficazes para o nascimento de novos fios de cabelo. [Nature/Penn Medicine]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 5,00 de 5)

Deixe seu comentário!