Exposição a raios ultravioleta pode ser menos prejudicial de manhã

Por , em 27.10.2011

Tome sol de manhã! Segundo um novo estudo, a exposição aos raios ultravioleta (UV) do sol é menos prejudicial para sua pele de manhã do que à tarde.

Na pesquisa, os ratos expostos aos raios ultravioleta logo que acordaram tiveram menos tumores de pele do que ratos expostos a mesma quantidade de radiação em outros horários.

“A quantidade de tumores foi cinco vezes maior nos ratos que foram expostos à radiação UV perto de sua hora de dormir”, disse o Dr. Aziz Sancar, que liderou a pesquisa.

Sancar acredita que, em humanos, a exposição à radiação UV durante a noite também levaria a um aumento no risco de câncer de pele, e a exposição no período da manhã seria mais segura.

A radiação UV, um componente dos raios de sol que também é emitido nas câmeras de bronzeamento artificial, danifica o DNA de células da pele. Com o tempo, isso pode levar ao câncer.

Segundo o estudo, a habilidade de nossa pele de se reparar aumenta e diminui junto com nosso ritmo circadiano.

A maioria dos organismos tem um “relógio” de 24 horas, que governa em parte quando os processos do corpo vão acontecer. Em trabalhos passados, os pesquisadores descobriram que a XPA, uma proteína encontrada em humanos e ratos que repara DNA danificado, segue o ritmo circadiano.

Os níveis de XPA são maiores quando o organismo acaba de despertar, o que é de noite para os ratos, e de manhã para os humanos. Quando os níveis de XPA estão altos, a proteína pode corrigir os erros no DNA que são causados pela radiação UV.
Quando a XPA está baixa (no caso dos seres humanos, durante a noite), esses erros não são corrigidos, aumentando o risco de câncer.

Para testar se os resultados dos níveis de XPA tinham implicações reais para o risco de câncer de pele, os pesquisadores expuseram ratos a altos níveis de radiação UV às quatro da manhã e às quatro da tarde por 25 semanas.

Os ratos que foram expostos à radiação nas primeiras horas da manhã, quando a XPA estava mais baixa, desenvolveram cinco vezes mais tumores. Além disso, os tumores foram mais frequentemente invasores, o que significa que eram de um estágio mais avançado de câncer de pele.

“A mensagem é que, para os seres humanos, as horas da manhã são as mais seguras para a exposição à luz solar e cabines de bronzeamento do que as horas da tarde”, disse Sancar. “Mas eu não quero que as pessoas achem que o sol na parte da manhã não traz riscos. Os ratos de ambos os horários desenvolveram câncer”, explica.

Segundo os pesquisadores, mais estudos são necessários para confirmar as descobertas. É provável que os resultados tenham um impacto sobre o comportamento das pessoas e uma redução da incidência do câncer de pele em humanos.

Ainda falta os cientistas aprofundarem seu conhecimento sobre as diferenças na radiação UV na luz solar ao longo do dia, e como isso afeta o risco de câncer. No estudo, a exposição UV foi idêntica em todos os momentos, mas em uma praia com luz solar natural, por exemplo, o nível de radiação UV varia.

Os pesquisadores estão planejando futuros estudos sobre células da pele humana para estudar como os níveis de XPA variam em seres humanos, e como isso pode desempenhar um papel no risco de câncer.[LiveScience]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

2 comentários

Deixe seu comentário!