Homem que foi mordido por urso, cobra e tubarão teve azar de 893 quatrilhões para um

Por , em 25.04.2018

893,35 quatrilhões para um. Essa é a probabilidade de ser picado por uma cobra, atacado por um urso e mordido por um tubarão. E esse um é o Dylan McWilliams, um americano de 20 anos que em pouco mais de três anos conseguiu tamanho azar.

Por alguma razão, o reino animal deve odiar o rapaz.

Recentemente, ele foi mordido por um tubarão enquanto nadava na ilha de Kauai, no Havaí. Isso ocorreu menos de um ano depois que McWilliams foi atacado por um urso ao acampar em Boulder, Colorado. E, em 2015, ele foi picado por uma cascavel enquanto fazia uma trilha em Utah.

Tubarão: um em 11,5 milhões

McWilliams estava a cerca de 30 metros da costa quando foi derrubado de sua prancha e sentiu uma dor lancinante na perna direita.

“No começo, entrei em pânico”, disse ele ao Honolulu Star-Advertiser. “Eu não sabia se tinha perdido metade da perna”.

McWilliams disse que acredita que o animal que o atacou era um tubarão-tigre, pois viu suas listras. A mordida também sugeriu que esta era a espécie do animal. O rapaz acabou chutando-o com força antes de tentar nadar até a praia e conseguiu chegar em terra, onde espectadores o levaram até uma sala de emergência.

Embora a lesão não ameaçasse sua vida, McWilliams sofreu cortes profundos e precisou de sete pontos.

Ataques de tubarão acontecem ocasionalmente no Havaí, especialmente por tubarões-tigre, de acordo com George Burgess, diretor do Programa de Pesquisa de Tubarão na Universidade da Flórida. No entanto, a probabilidade de ser atacado por um tubarão nas águas dos EUA é de um em 11,5 milhões. Para colocar isso em perspectiva, o americano médio tem cerca de uma chance em 5.000 de ser atingido por um raio durante toda a vida.

Urso: um em 2,1 milhões

McWilliams, no entanto, já estava quase acostumado a ser atacado por grandes criaturas. Ano passado, um urso-negro de 130 quilos agarrou a parte de trás de sua cabeça e o mordeu enquanto ele dormia em um acampamento no Colorado. Ele teve que lutar contra a criatura, que o pisoteou um pouco, antes de conseguir se livrar dela.

Em comparação com uma mordida de tubarão, é mais provável ser atacado por um urso. McWilliams também conseguiu bater chances incríveis, no entanto: uma em 2,1 milhões.

As autoridades do parque onde McWilliams acampava captururam o urso, encontrando seu sangue sob as garras do animal. O rapaz precisou de nove pontos na cabeça para fechar as feridas.

Cascavel: um em 37,5 mil

Para fechar com chave de ouro, três anos atrás, ele foi mordido por uma cascavel enquanto fazia uma trilha em Utah.

Segundo McWilliams, a mordida tinha pouco veneno e ele decidiu não ir ao hospital, apesar de ficar doente por alguns dias. As probabilidades de ser picado por uma cobra venenosa nos EUA são estimadas em 1 em 37.500.

“Ele é um dos caras mais azarados do planeta”, argumentou Burgess. Como cada evento é independente, se multiplicarmos as chances de cada um, as probabilidades de tudo isso acontecer com alguém é de um em 893,35 quatrilhões.

Apesar de ser um ímã para ataques de animais, McWilliams não guarda rancor: ele apenas acha que estava no lugar errado na hora errada. “Sempre amei animais e passei o maior tempo possível com eles”, disse à BBC. “Eu não culpo o tubarão, eu não culpo o urso, e eu não culpo a cascavel”. [HuffPost, NatGeo]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (25 votos, média: 4,36 de 5)

Deixe seu comentário!