Prêmio Abel de matemática vai para uma mulher pela primeira vez

Por , em 21.03.2019

A matemática estadunidense Karen Keskulla Uhlenbeck ganhou o Prêmio Abel de 2019, a premiação mais importante da área. Ela é a primeira mulher a receber o prêmio que existe desde 2003 e é oferecido pela Academia de Ciências e Letras Noruega.

Uhlenbeck é reconhecida pelo trabalho amplo de análise, geometria e matemática física. Ela é famosa por sua habilidade em equações diferenciais que ligam quantidades variáveis e suas taxas de mudança, que são importantíssimas para as leis da física.

Grande parte deste trabalho aconteceu na década de 1980, quando pesquisadores das áreas da matemática e da física voltaram a se aproximar depois de um tempo isolados.

Um dos trabalhos mais importantes desenvolvidos por ela é a descoberta do fenômeno bubbling em conjunto com o matemático Jonathan Sacks. A dupla estudou as superfícies mínimas, a teoria matemática de como os filmes de sabão se organizam em formatos que minimizam sua energia. O problema era que a energia parecia estar infinitamente concentrada em alguns pontos. A solução para este problema foi “dar um zoom” nesses pontos para descobrir que novas bolhas estavam surgindo da superfície.

Este foi apenas um dos importantes trabalhos da pesquisadora, que foram base para a pesquisa de outros matemáticos. O curioso é que um dos matemáticos que utilizou os cálculos da americana em seu trabalho foi Simon Donaldson, um dos vencedores do Prêmio Abel de 2009.

A americana foi homenageada pela comissão do Prêmio Abel por seu “trabalho fundamental na análise geométrica e teoria de gauge, que mudou dramaticamente a paisagem da matemática”, diz o presidente do comitê, Hans Munthe-Kaas.

“As teorias dela revolucionaram nossa compreensão sobre superfícies mínimas e outros problemas gerais de minimização em dimensões mais altas”. Esta linguagem matemática ajudou no desenvolvimento da teoria das cordas e relatividade geral.

Uhlenbeck foi informada da novidade no último dia 17 de março, e o resultado foi anunciado mundialmente no dia 19 de março. A cerimônia de entregue do prêmio acontece no dia 21 de maio, na cidade de Oslo pelo rei da Noruega, Harald V. Ela também vai receber a quantia de US$702.500.

Trajetória da carreira

Uhlenbeck nasceu em Ohio em 1942 e conquistou seu doutorado em matemática em 1968 na Universidade Brandeis em Massachusetts. Ela era uma das poucas mulheres em seu departamento. Enquanto alguns encorajavam seu trabalho, outros acreditavam que seu lugar não era na matemática. “Ouvíamos que nós não podíamos trabalhar com matemática porque éramos mulheres”, escreveu ela em uma autobiografia em 1996.

Ela trabalhou em várias universidades até escolher a Universidade de Texas em 1987, onde permaneceu até sua aposentadoria em 2014.

Por mais mulheres matemáticas

Uhlenbeck tem sido uma defensora feroz de mais mulheres na matemática, e fundou o programa Mulheres e Matemática no Instituto de Estudos Avançados em Princeton, Nova Jersey.

Ela tem sido um ótimo exemplo para as novas gerações de meninas que não têm medo de números. A matemática espera que sua premiação inspire novas gerações a seguir este caminho. [Nature, Science Alert, Bloomberg]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (9 votos, média: 4,78 de 5)

Deixe seu comentário!