Momentos embaraçosos contam muito sobre você

Por , em 3.01.2012

Quando se vive em sociedade, convivendo com outras pessoas, sempre existe o risco de passar por uma situação individual embaraçosa. Algo como dormir durante uma palestra e roncar alto, por exemplo. Mas se você fica vermelho e se sente envergonhado quando isso acontece, não se preocupe: é um sinal de bom caráter.

Quem afirma isso são pesquisadores da Universidade da Califórnia (EUA), que conduziram um experimento com 57 estudantes universitários. Cada um deles foi filmado contando sobre um momento embaraçoso pelo qual haviam passado. A maioria contou casos como uma flatulência em público ou tropeçar no meio da rua. O foco dos pesquisadores foi observar as reações, e determinar quão envergonhados ou humilhados eles se sentiram na ocasião.

Na segunda parte do teste, os voluntários responderam a um teste que visava medir sua generosidade e vontade de ajudar o próximo. Esse procedimento, de exame prático seguido de resposta a um teste, foi repetido quatro vezes, com experimentos diferentes.

Em linhas gerais, o que se verificou foi uma relação entre embaraço e bom caráter. Quem se sente envergonhado em tais situações, basicamente, mostra que se preocupa com o bem-estar das demais pessoas à sua volta.

Os pesquisadores vão ainda mais longe, afirmando que a pessoa que se sente mal ao passar por uma gafe é mais confiável. Se você não se envergonha, por exemplo, de levar um ovo na cara, é porque a opinião alheia não significa nada para você. E isso aumenta as chances de você não se importar com os problemas alheios, ou seja, ser mais egoísta. Logo, o modo como você reage nessas situações pode traçar seu perfil psicológico. [MSN]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

24 comentários

  • Higher:

    Eu posso ser de mil maneiras diferentes, com cada situação diferente,e vocês nunca conseguirão traçar meu perfil psicológico, haha.

  • gloria:

    Essa matéria me deu novo ânimo pois eu me sinto péssima “dando bom dia à cavalo”. Ñ sou de todo ruim como eu sempre pensei… será?

  • aguiarubra:

    Quem não se envergonha nessas horas, é candidato a “psicopata”. Os psicopatas não tem nenhuma empatia com o resto da Humanidade: por isso, não se importam. Caracterizam-se por extremo narcisismo.

    • Marc F.B.:

      Bom, meia verdade. Pois algumas pessoas conseguem levar um momento embaraçoso na boa, mesmo que por dentro estejam desesperadas (geralmente rindo da própria desgraça).
      E não se esqueça de que os psicopatas (ou sociopatas) sabem contracenar muito bem, então podem facilmente por a mão na cara e fingir “querer sumir da superfície da terra”, quando na verdade só querem passar por meigos e simpáticos.

  • Junior:

    so quem criticou o post é pq faz as coisas e nao se importa, ou seja, fala q nao é, mais nao ta ligando pra opiniao do site e xingando mesmo assim. po é claro q em algumas situação nao da vergonha, pq acostuma, dãã, so questao de pensa um pouco

  • Dayanny:

    só por k eu nõ me envergonho quando peido em publico k sou mal carater, ou por arrotar, essas coisas acontecem naturalmente vc não tem k se importar, pedir desculpa ok, agora essa pessoa nõ é confiavel fala sério!

  • curioso:

    Engraçado que quando esse tipo de gafe acontece com alguém perto de mim, eu não ligo, por saber q isso pode acontecer, e até tento ajudar a pessoa de alguma forma, pra ela não se sentir tão pra baixo.

    Em casa, diante, da familia e amigos, essas coisas acontecem e não nos sentimos envergonhados. A maior parcela de culpa dessa sensação de embaraço é pelo medo das pessoas que tiram sarro dos outros, ou os usam como objeto de piadinha pro resto do dia.

    • Rafael:

      Bullying

  • Fabrício:

    Vejo que essa questão pode estar relacionada ao tanto que somos influenciados pela opinião alheia. Tipo, se tenho um corte de cabelo diferente ou algo “estranho para a sociedade”, não tenho vergonha; desse modo não sou confiável?
    Só isso, nossa reação em momentos embaraçosos, creio ser pouco para querer imaginar qualquer coisa sobre o nosso caráter.
    É isso.

  • Zeca:

    Por outro lado, pode-se dizer que a pessoa que se sente mal ao cometer uma gafe se preocupa demais com a opinião alheia, o que pode ser bem mais nocivo.

  • CASTOR:

    eu penso o seguinte …
    tente viver pra ser feliz, não pra ser normal
    e quem vive sobre as espectativas dos outros, não vive sua propria vida

    então …esquentar a cabeça com a opinião dos outros com relação a se sentir umilhado ao pagar um mico … é estupida

    • Toinho:

      Não estamos falando nisso, estamos falando de ajudar o próximo, afinal, todos temos problemas e não custa nada ajudar os outros, fora que você vai receber uma boa recompensa no futuro…

      Se sentir humilhado ao pagar mico é só um sinal do que eu falei…

      Ex.: Você se preocupa demais com a sua aparência diante de todos e começa a querer melhorá-la para satisfazer a vontade dos outros de ver uma pessoa “bonita”… Errado!

      Mas você sente total prazer e não busca nada em troca quando um colega pede algo emprestado e você, sabendo que ele está em necessidade e que você pediria emprestado se não tivesse tal coisa, pelo motivo que fosse, empresta… Certo! (tente ler com cuidado, isso ficou meio confuso, mil desculpas…)

    • helida:

      que fofo

  • Acyr:

    Tem aqueles momentos embaraçosos que dura uma semana ou menos, mas o pior são aqueles que duram anos, só de pensar da uma vergonha enorme, mas felizmente quase todo mundo ja pagou um mico

  • Fabio Dias:

    talvez não seja uma pratica egoista, más sim um processo de maturidade um pouco mais “avançado”,
    onde a pessoa pode se importar com os problemas alheios sem ter apego á concepção do proximo a respeito de sua manifestação de amor fraterno.

    digo isso por mim mesmo, as pessoas podem dizer o que penssam de mim,
    aprotar comigo, ou até me ferir moralmente. ontinuarei amando-a da mesma forma me importando com ela. E se não à reproxidade dessa minha manifestação,
    não me chatiarei, pois sou livre da autocompaixão.

  • fabio:

    talvez não seja uma pratica egoista, más sim um processo de maturidade um pouco mais “avançado”, onde a pessoa pode se importar com os problemas alheios sem ter apego á concepção do proximo a respeito de sua manifestação de amor fraterno.

    digo isso por mim mesmo, as pessoas podem dizer o que penssam de mim, aprotar comigo, ou até me ferir moralmente. ontinuarei amando-a da mesma forma me importando com ela. E se não à reproxidade dessa minha manifestação, não me chatiarei, pois sou livre da autocompaixão.

  • Eu:

    Tá tudo errado…

  • epivametal:

    Cometer gafe é mostrar o quanto somos pessoas humanas. Mas infelizmente em um mundo cada vez mais individualista, alguns ja não tão pessoas assim, usam nossos erros injustamente para fazer uma brincadeira ou uma sátira pesada e egoista. E é por isso que as pessoas com sobrepeso, as de cor, as humildes, as crianças, os velhos, os animais irracionais, os extrangeiros, os deficientes são sempre motivo de piada de seres que se acham superiores. Rir faz bem para saude é cientifico. Mas rir do outros so faz bem para o proprio ego de quem esta mostrando os dentes.

  • Angélica M.:

    Passar por gafes faz parte, todo mundo pisa nos tomates as vezes hehehe! Gostei da matéria, faz sentido. =)

  • Rafael:

    Como levar uma ovada e ficar envergonhado? Eu ficaria é aborrecido… Kkkk

    • Marc F.B.:

      Eu iria atrás do infeliz pra bater nele (só uns tapas, sem violência).

    • Marc F.B.:

      Ou compraria meia dúzia deles pra acertar em quem me jogou, com um grande sorriso na cara, claro (^_^)

  • Jonatas:

    Ooo Stephanie, fez-me rir com essa imagem. Mas todo mundo teve pelo menos uma (mil) vez na vida em que gostaria de esconder a cara que nem uma avestruz de desenho animado.

    • Elismar:

      Jonatas, Gosto demais dos seus comentários.
      Você é um rapaz super inteligente.

Deixe seu comentário!