O hoverboard finalmente chegou – mais ou menos

Por , em 5.08.2015

Como já havíamos contado em maio, a Lexus estava há mais de um ano e meio tentando realizar um sonho dos fãs de “De Volta Para o Futuro”: construir um hoverboard que funcione. Agora, a novidade está aqui e você pode ver a peça em funcionamento no vídeo abaixo:

No vídeo, isso não fica muito aparente, mas em outra produção divulgada pela empresa é possível ver a montagem do skate moderninho e também do hoverpark, espaço que aparece nessas imagens de divulgação e que foi construído em uma cidade próxima de Barcelona. Apesar de parecer que esses jovens estão se aventurando sobre cimento, na verdade, há uma pista magnética sob essa fina camada de madeira cinza.

Isso porque o hoverboard da Lexus flutua usando supercondutores resfriados com nitrogênio líquido e ímãs permanentes para suportar uma pessoa, daí a névoa saindo do skate. Essa tecnologia é chamada de levitação magnética – o que não é exatamente novidade.

Isso também significa que, na maioria avassaladora da nossa infraestrutura, o novo brinquedinho não passa de uma prancha imóvel e pesada. Ou seja, apesar destes vídeos bonitos, ele não é muito diferente de diversas demonstrações de laboratório que surgiram ao longo das últimas décadas.

Como é andar em uma hoverboard?

No vídeo parece brincadeira de criança, mas não é bem assim. Como não há atrito, a experiência com certeza é bem diferente de andar de skate ou mesmo snowboard e mesmo skatistas profissionais levaram bons tombos nos testes.

hoverboard

Sam Sheffer, repórter do portal The Verge, um dos primeiros a se aventurar no hoverpark, conta como foi a sua experiência. “Eu quase não podia acreditar no que estava vendo: a seis metros de mim uma prancha estava sendo empurrada para trás e para frente ao longo de uma pista que passava até por água. A prancha deslizava sem esforço com zero de atrito. Eles conseguiram. Eles construíram um hoverboard que funciona”.

“Eu coloquei meu pé direito na prancha (…) e imediatamente percebi algo importante: ela é muito instável. Quase me senti como se eu estivesse tentando equilibrar em uma corda bamba”, conta. “Eu empurrei com o pé de trás, como você faria em um skate tradicional, e instantaneamente raspei o fundo contra o chão. O deslizamento suave que eu esperava veio apenas em socos curtos, porque encontrar o equilíbrio provou ser um grande desafio. Eu tentei mudar meu peso e posicionar os meus pés de maneiras diferentes, mas nos mais ou menos 10 minutos com a prancha, eu consegui deslizar apenas por alguns metros sem a prancha raspar contra o piso de madeira. Meu maior deslize veio quando eu coloquei o meu pé direito diretamente sobre o centro da prancha e deixei o meu pé esquerdo fora dela”.

“Eu passei 20 anos andando de skate, mas sem atrito parece que eu tive que aprender uma habilidade totalmente nova, especialmente na postura e equilíbrio que você precisa para deslizar com o hoverboard”, afirma o skatista profissional Ross McGouran, que também testou o gadget.

Ainda não

Sheffer ainda explica do que o hoverboard é composto. “A prancha é embalada com ladrilhos cerâmicos (os supercondutores, compostos de ítrio, bário, cobre e oxigênio), os quais são esfriados a aproximadamente menos 180 graus Celsius usando nitrogênio líquido”, relata. Para alcançar a levitação, a prancha deve estar sobre um conjunto de ímãs (ou seja, a pista). Quando a prancha atinge a temperatura correta, os supercondutores interagem com os ímãs de tal forma que eles ficam “presos” dentro do campo magnético e surge essa espécie de hoverboard.

hoverboard 3

As peças produzidas são apenas protótipos e não serão comercializadas, sendo apenas parte de uma campanha da fabricante de carros japonesa para promover sua “ousadia”. Ou seja, ainda não foi dessa vez. Os cientistas têm até o dia 21 de outubro para preparar o mundo futurista que Marty McFly encontra em “De Volta Para o Futuro II” – é bom acelerar. [The Verge, Wired, The Telegraph]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

Deixe seu comentário!