Porque Blob, que consegue aprender mesmo sem cérebro está intrigando os cientistas

Por , em 18.10.2019

O Jardim Zoológico de Paris colocou em exibição um organismo amarelo apelidado de Blob, que parece com um fungo, mas age como animal. Seu nome científico é Physarum polycephalum, que quer dizer bolor de várias cabeças. O organismo não tem cérebro, nem boca, mas detecta alimento e faz digestão, consegue se locomover e se curar quando cortado.

Blob tem quase 720 sexos e é classificado no Reino Protista. Esse nome foi escolhido devido ao filme de 1958 “The Blob”, no qual um ser alienígena consome tudo o que toca em uma pequena cidade da Pensilvânia.

Embora esses organismos costumem viver sozinhos, ocasionalmente se unem e formam uma estrutura ampla e ramificada chamada plasmodium, que pode ocupar vários metros quadrados. Esses organismos tem a capacidade de sentir e rapidamente se adaptar ao ambiente onde estão.

Capacidade de “aprender”

Estudos recentes mostram que esses organismos têm uma espécie de sistema de memória, que auxilia a evitar, no futuro, materiais nocivos que já tenham absorvido. Além disso, essa informação pode ser repassada para outros indivíduos quando se fundem.

O rastejar lendo desses organismos também não é aleatório. O Blob é capaz de optar pelo caminho a seguir, a partir de algoritmos ligados a sua bioquímica. [BBC, Science Alert]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (58 votos, média: 4,88 de 5)

Deixe seu comentário!