Pense em aranhas subindo pelo seu corpo… Não te deu coceira? Veja por que

Por , em 14.09.2011

Provavelmente não tem nenhuma formiga ou aranha subindo suas costas, e andando em toda a volta do seu pescoço agora. Mas não seria melhor você se coçar e atirá-las para longe de qualquer jeito?

Essa é a ideia: quando vemos, falamos, ou mesmo pensamos em insetos nojentos rastejantes, a sensação de que eles estão no nosso corpo logo vem: sentimos coceira em todo lugar.

E porque isso acontece? Os especialistas não têm certeza. A neurocientista Wenqin Luo coloca a culpa dessa coceira fantasma nas memórias de nosso passado. Pensar sobre insetos pode trazer de volta memórias de experiências anteriores; “associações de coceira”.

Mas por que, então, quando pensamos em lesões, nossos corpos não sentem prontamente dores fantasmas?

“Comparado com coceira, a dor é um mecanismo de proteção sério que desencadeia um comportamento de evitação. Assim, o limiar para desencadear uma sensação de dor pode ser muito maior do que a coceira”, explica a Dra. Luo.

Basicamente, a teoria da neurocientista é de que se nossos cérebros registrassem dor (perigo) tão facilmente quanto comichão (aborrecimento), nossos corpos seriam enviados em estados constante de falso alarme.

O neurocientista Glenn J. Giesler oferece uma teoria ligeiramente diferente sobre o culpado da coceira fantasma: talvez a nossa pele sempre experimente sensações minúsculas capazes de causar coceira, mas nós apenas observamos a situação quando tem “motivos” (pensamos nisso).

“É incrível como é fácil induzir a coceira nos outros”, diz o Dr. Giesler. “Sempre que eu dou uma palestra sobre o tema, me divirto com o percentual de pessoas na plateia que começa a se coçar. Talvez, o limiar para a sensação de coceira é reduzido por pensar nela”.

Segundo o professor de dermatologia Gil Yosipovitch, um fenômeno relacionado a coceira fantasma, “coceira contagiosa” (isto é: não sentir coceira por causa de um estímulo físico, mas porque vemos outra pessoa se coçar), é uma resposta comportamental semelhante ao bocejo contagioso. Ambos são uma forma do nosso corpo de expressar subconscientemente empatia e compaixão para com nossos semelhantes. Primatas exibem o comportamento também.[MSN]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

11 comentários

  • Safira Cris:

    A respeito da dor não sei os outros mas sempre que me imagino em uma situação que cause dor por exemplo, andando de ônibus e o ônibus bate e minha cabeça bate no vidro ou no banco, sinto uma sensação parecida com dor, como se eu já estivesse experimentado aquilo antes, se eu imaginar qualquer situação dolorosa, imagino todo o processo e meu corpo responde como se eu senti-se aquela dor, mas nada forte a ponto de me fazer sentir de verdade a ponto de incomodar, mas um situação de choque pequeno!

    • Gustavo de Almeida Carvalho:

      Isso acontece com o meu nariz, aquela sensação de quando bate o rosto numa porta de vidro. Sinto até o “cheiro” da pancada… mas tenho que me concentrar.

  • Roberto:

    Quem senti coceira é mariquinha kkk

  • felipe:

    Somos excessoes

  • ALX:

    TAMBEM NÃO… QUANDO PENSO EM CARRAPATO JA ME COÇO, SERA PQ? KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  • Milena Karla:

    Nossa,só de olhar pra essa aranha eu faço a cara igual a do Rony Weasley de Harry Potter quando ele vê uma aranha!kkkkkk

  • Pedro:

    toda vez que eu li este título eu me cocei D:

  • Alter ego:

    Devo ser uma exceção, pois não senti coceira nenhuma.

    • khfigkbyufgikb:

      Nem eu.

    • felipe:

      Nem eu q estraanho

  • Jeferson Antunes Shirokawa Fernandes:

    Cara… não senti coceira PN…

Deixe seu comentário!