Registros de religião misteriosa são identificados no fundo de lago nos Andes

Por , em 24.11.2019

Os Incas eram considerados a sociedade mais avançada das Américas, até a chegada de Colombo. No entendo, uma descoberta altera essa percepção. Muito antes dos Incas dominarem a área que se estende da Colômbia ao Chile, uma sociedade mais antiga e misteriosa habitou a região dos Andes.

Esse império mais antigo, do qual se sabe menos ainda do que sobre os Incas, é chamado estado de Tiwanaku e atingiu uma população máxima entre 10 mil e 20 mil pessoas.

➡ Não siga estes conselhos científicos que damos no Instagram @_hypescience

O pouco que se sabe sobre o estado de Tiwanaku é proveniente de achados arqueológicos, que dão pistas sobre esse povo e sua cultura há muito desaparecida. Em abril, os cientistas anunciaram a descoberta de uma nova parte importante para desvendar essa história.

Vestígios da religião

A descoberta foi realizada perto da Ilha do Sol no Lago Titicaca, na Bolívia, durante o primeiro mergulho e escavação arqueológica sistemática realizada nas águas do recife de Khoa.

Foram encontradas, pelos pesquisadores, evidências de oferendas rituais para divindades. Isso significa que existia uma religião nessa parte do mundo, muito antes do que se imaginava.

Essa pesquisa mostra que o povo Tiwanaku foi o primeiro a oferecer itens de valor para divindades religiosas na área. Eles se desenvolveram no Lago Titicaca entre os anos 500 e 1.100.

O antropólogo da Pennsylvania State University, José Capriles, e sua equipe usaram sonar e fotogrametria subaquática 3D para monitorar e mapear o recife durante estudos que duraram 19 dias, em 2013, no Lago Titicaca.

Nos sedimentos do lago foram encontrados incensários em forma de puma com fragmentos de carvão, ornamentos de ouro, conchas e pedras. Imagina-se que o puma foi um símbolo religioso importante para os Tiwanaku.

A imagem de uma face raiada encontrada em dois medalhões de ouro sugere que as oferendas deveriam ser explicitamente destinadas à principal figura mítica da iconografia religiosa, algumas vezes chamada Viracocha. Também foram encontradas placas de metal com a representação de uma criatura mítica que mistura onça com lhama.

De acordo com Capriles a presença de âncoras próximas às oferendas sugere que elas podem ter sido realizadas durantes rituais em barcos. Sendo assim, elas foram projetadas para ficar submersas. As peças datam dos séculos VIII e X.

Foram encontrados ossos de diversos animais que provavelmente se depositaram de forma natural. No entanto, foram identificados ossos de lhamas jovens nessa mistura, o que é diferente dos demais animais encontrados. Elas provavelmente eram mortas e enterradas no mar como oferenda no ritual antigo.

O papel do rito religioso

Mesmo que não se saiba exatamente o significado dessas oferendas, sua elaboração é uma indicação da sofisticação dos Tiwanaku. Os rituais em sociedade complexas emergentes podem ser um fator chave para o desenvolvimento da complexidade política.

O papel da religião e dos rituais é visto como relacionado ao controle das forças sobrenaturais, facilitador da coesão dos grupos, incentivo à solidariedade e colaboração entre os integrantes do grupo. Para os pesquisadores, além do culto, essas cerimônias dos Tiwanaku refletem uma relação complexa. [ Science Alert, PNAS]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (25 votos, média: 4,56 de 5)

Deixe seu comentário!