Tabela periódica ganha mais três elementos

Por , em 7.11.2011

Na última sexta-feira, três novos elementos foram aprovados e nomeados pela Assembléia Geral da União Internacional de Física Pura e Aplicada. Agora, a tabela periódica conta com os elementos 110, 111 e 112, darmstádio (Ds), roentgénio (Rg) e copernício (Cn).

Eles são tão grandes e instáveis que só podem ser feitos em laboratório, e se desfazem em outros elementos muito rapidamente.

Não se sabe muito sobre eles, uma vez que não são estáveis o suficiente para fazer experiências, e não são encontrados na natureza. Eles são chamados de elementos “super pesados”, ou transuranianos.

Copernício, o novo elemento 112, foi nomeado em homenagem ao astrônomo prussiano Nicolau Copérnico (1473-1543), o primeiro a sugerir que a Terra girava em torno do sol, e não o contrário. Os cientistas criaram um único átomo deste elemento extremamente radioativo em 9 de fevereiro de 1996, por esmagamento em conjunto de zinco e chumbo. Desde então, um total de cerca de 75 átomos de copernício foram criados e detectados. 10 anos após sua descoberta e experiências múltiplas, ele foi reconhecido como elemento 112.

O elemento 111, roentgénio, foi originalmente descoberto em 1994, quando uma equipe criou três átomos do elemento, cerca de um mês após a descoberta de darmstádio, em 8 de dezembro. Ele foi nomeado após o físico alemão Wilhelm Conrad Roentgen (1845-1923).

Darmstádio, o novo elemento 110, foi sintetizado pela primeira vez em 9 de novembro de 1994, perto da cidade de Darmstadt. Foi descoberto por Peter Armbruster e Gottfried Münzenberg. Foi criado na quebra de um isótopo pesado de chumbo com o níquel-62, que resultou em quatro átomos de darmstádio. [MSN]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

17 comentários

  • Leyde:

    Que bom, por isso que gosto desse site, notícias em boa hora.

  • 3dx:

    oh velho isso hem agora já tem até o numero 118 e outras formas de abela como a “sistema solar dos elementos” digitem aí!!!!!

  • paulo:

    Não colocaram o nome do criador da tabela periódica, o russo Dmitri Ivanovich Mendeleiev em 1869.

    • Marina:

      Paulo, o Mendelévio já existe, é o que tem número atômico 101.

  • Jean Michel Baptista:

    Bem interessante essa questão! Sou bastante leigo em química, mas gosto bastante da parte dos elementos químicos.

    Obs.: Dois homenageiam cientistas alemães e o outros a uma cidade alemã … Alemanha nas exatas, rules!

    • Jonatas:

      Não é atoa que os americanos tiveram que roubar da tecnologia germânica os recursos pros motores das apollos.

  • Jorge de Melo:

    Natasha, corrige aí: União Internacional de Química Pura e Aplicada.

    • Marina:

      Será que ela passou o ensino médio sem ouvir falar da IUPAC? Como que uma futura jornalista escreve uma matéria de química e acha que algum comitê de FÍSICA decide algo sobre a tabela periódica? Mancada grande.

  • ALX:

    AINDA BEM Q ME LIVREI DESSA… NINGUEM MERECE

  • cybergirlbr:

    Pena dos que ainda tem q estudar química…

  • Robson:

    Jonatas,
    Se ele foi criado, então pode ser denominado como elemento, mesmo que seja em uma pequena fração de tempo que sua existência é consumada. Com relação “as condições permanentes”, não veja isso como necessário, pois se você coloca um átomo em algum local, por sua interação atômica, ele irá juntar-se a outro formando uma molécula ou quem sabe, se desfazer. Com a condição permanente, poderia ser que sim, que sua estadia também seria. Tudo ao nosso redor está em constante relação e tudo muda. Átomos vêm, átomos vão.

  • FB:

    Pensava que só faltava produzir o 117. Acho que até ao 118 já estavam todos, excepto o 117.

  • Hypescience:

    A única condição é ter um nº de protões diferente de todos os outros elementos.

    E que seja possivel determinar configuraçao electronica, massa e ioes

  • joão:

    OLD!

  • Jonatas:

    Quando acharem um elemento mais pesado chamar-se-a Chucknorriun… brincadeira. A atomística é daquelas ciências que podem transformar ou até mesmo criar seus objetos de estudo, não sou nenhum químico mas pra mim parece meio sem sentido considerar elemento um átomo que só existe por algum intervalo de tempo e depois se dissipa em átomos menores, entretanto pergunto a alguém mais entendido que visite o hype, se as condições que criam esses átomos fossem permanentes, eles também seriam?

    • Marte:

      Creio que não. Mas quem poderia dar uma resposta mais segura seria o Cesar, mais aprofundado nesses assuntos.

    • Jonatas:

      Obrigado, poisé estou aguardando… O César! Aparece aí Tchê! rsrsrsr

Deixe seu comentário!