Esta complexa arte foi criada por um baiacu talentoso

Por , em 30.10.2018

Até onde você estaria disposto a ir para impressionar seu amor? Passaria sete dias inteiros esculpindo um design complexo, mas em última análise efêmero, na areia do fundo do mar?

O baiacu passa.

O macho de uma espécie japonesa do gênero Torquigener é um artista incrivelmente talentoso capaz de impressionar não somente suas pretendentes, mas qualquer criatura que assista ao vídeo abaixo:

Beleza e funcionalidade

O macho é capaz de ficar dias girando suas barbatanas para criar dezenas de curvas e montes meticulosamente alinhados que se irradiam do centro de sua obra de arte na areia.

Uma vez que o peixe começa a moldar seu desenho, não pode parar para descansar. Se o faz, a corrente oceânica apaga todo o seu trabalho duro, de forma que ele se aplica à missão 24 horas por dia até que sua criação esteja completa.

Da mesma forma que machos de outras espécies usam seu tamanho, cor ou apêndices extravagantes para atrair a atenção de uma parceira, o baiacu aposta na complexidade de seus talentos artísticos. No fim das contas, o padrão resultante é intrincado e preciso o suficiente para capturar o olho perspicaz de uma fêmea.

E chamar a atenção não é o único objetivo desta arte cativante. Segundo os cientistas, a fêmea utiliza a estrutura como um ninho; ela coloca seus ovos no centro, onde os melhores grãos de areia foram posicionados.

Isso porque a técnica de construção do macho incorpora grãos finos de areia no coração do desenho, enquanto os vales da estrutura retardam o fluxo de água em direção ao centro em cerca de 25%, protegendo os ovos que ali repousam.

Uma habilidade inacreditável

O vídeo acima exibe algumas imagens que foram ao ar em 2014 no canal BBC Earth, no episódio “Courtship” da série de documentários sobre natureza “Life Story”. Em agosto deste ano, a BBC compartilhou o clipe no Facebook.

Mergulhadores descobriram pela primeira vez exemplos desse tipo de arte nas águas próximas ao Japão em 1995.

Porém, mais de uma década se passou antes que identificássemos os baiacus como os enigmáticos criadores das formações.

Os caminhos interconectados que se unem em um desenho circular são muitas vezes bem maiores que o corpo do peixe. Embora o macho tenha apenas cerca de 12 centímetros de comprimento, suas esculturas podem atingir até 2 metros.

Mimos

Quando o talentoso artista se depara com conchas e outros projéteis que atrapalham seu progresso, os tira do caminho com a boca, mas não os joga fora.

Em vez disso, o peixe os utiliza como um toque final, colocando-os cuidadosamente sobre os montes de sua obra-prima, que é nada menos do que surpreendente em sua simetria e perfeição geométrica.

Não dá vontade de chorar de admiração? Confira uma prévia do episódio no site da BBC. [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (26 votos, média: 4,96 de 5)

Deixe seu comentário!