A ciência do beijo

Publicado em 25.03.2012

Não há nada como um beijo romântico. E ele é um comportamento misto: ao mesmo tempo em que temos o instinto de se conectar através do beijo, o estilo e a expressão são moldados pelas nossas experiências pessoais e culturais.

Apesar de nós não encararmos dessa maneira, pelo menos não frequentemente, os lábios são a zona erógena do corpo mais exposta. Cheios de terminações nervosas, um simples toque pode enviar uma cascata de informações para o cérebro, ajudando-nos a decidir se queremos continuar com um beijo (e relacionamento) ou não.

O contato entre lábios envolve cinco de nossos doze nervos craniais. Impulsos elétricos passam pelo cérebro, lábios, língua e pele.

Um beijo gostoso age como uma droga, fazendo que a outra pessoa agradeça pela dopamina liberada. Essa é a mesma substância envolvida em drogas como a cocaína, e por isso um romance pode ser tão viciante. A dopamina está envolvida na sensação de recompensa, podendo levar a estados de euforia, insônia e perda de apetite.

E também há as mudanças físicas. Um beijo pode fazer com que nossos vasos sanguíneos dilatem, o pulso aumente e as bochechas fiquem ruborizadas. As pupilas ficam maiores, por isso muitos têm vontade de fechar os olhos. Em outras palavras, o corpo é um espelho das reações que chamamos de “amar”.

Mas sejamos honestos: nem todo beijo nos deixa com vontade de mais. Psicólogos da Universidade Estadual de Nova York recentemente divulgaram que 59% dos homens e 66% das mulheres terminaram um relacionamento devido ao beijo.

Cheirando amor

Um órgão que está intimamente associado ao amor (mas raramente as pessoas sabem) é o nariz.

Além do problemático mau hálito e falta de higiene, cada um tem um cheiro distinto que parece nos guiar até um DNA compatível. Cientistas descobriram que as mulheres preferem o cheiro de homens com certos genes complementares ao seu sistema imunológico. O benefício viria no caso de uma criança nascer do relacionamento; ela estaria bem preparada para doenças.

Claro, muitas pessoas se preocupam que um beijo pode nos colocar muito próximos dos germes de alguém. Mas na realidade, nós temos mais chance de ficar doentes dando apertos de mãos durante o dia do que beijando.

Nós até podemos não estar totalmente conscientes das formas como nosso corpo responde a um beijo, mas uma coisa é certa, os beijos dão boas pistas para decidir o futuro de um relacionamento. [CNN, Foto de Walt Stoneburner]

Autor: Bernardo Staut

é estudante de jornalismo e interessado por povos, culturas e artes.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

20 Comentários

  1. A prata coloidal resolve o problema do mau hálito, exceto se for estomacal e, mesmo assim, dependendo da natureza da causa.
    Se for bacteriana, é fácil.
    Acquaprata, você mesmo faz em casa.

    Thumb up 1
  2. CASEOS, uma emfermidade nas cavernas da garganta é o motivo principal de ñ beijos,quem tem alergias ,e intolerancias alimentares sofre desse mal como eu sofri, ñ houve dentista, nem medico ou medicamentos q dessem jeito,um dia eu peguei um cotomete, tirei os caseos e enchi as cavernas da garganta c\ creme dental, fiz gargarejos c\ o creme até me engasgar , foi horrivel, mas notei q demorou mais tempo a formar os caseos e em quantidade bem menor então passei a fazer a gargarejo c\ o creme dental toda as vezes q escovava os dentes e encher as amidalas de creme, agora ñ tenho mais esse problema, ó creme dental ardia muito e matou as bactérias q moravam dentro das cavernas das amidalas, ñ tenho mais as massinhas fétidas q tanto me atrapalhavam, mas mesmo livre dos cáseos perdi o costume e o jeito de beijar, mesmo porque meu marido beijava outras hoje nem quero mais!

    Thumb up 4
  3. Selinho, bitoquinha ou beijo molhado tudo é muito bom. Se for com quem a gente quer :)!!!!!!

    Thumb up 7
  4. Depois dessa me deu uma vontade de beijar! Vou beijar ainda mais meu love.

    Thumb up 0
  5. Eu já tinha visto uma reportagem sobre isso no Fantástico, mas nada melhor do que aprender mais um pouquinho sobre a química do amor… Muito interessante a postagem.

    Thumb up 0
  6. Interessante o artigo, pois beijar e muito bom ,quando o beijo é dado com muita vontade a uma energia muito grande sendo liberada ; o corpo aumenta a temperatura e o sangue aumenta sua velocidade de circulação É UM DAS COISAS MAIS GOSTOSAS DE SE FAZER !!!! abraços

    Thumb up 2
    • Muito bom artigo. Eu acho que é através do beijo que descobrimos a química para continuar um relacionamento. Quando há química é tudo de bom.

      Thumb up 0
    • Realmente,quando existe quimica,o relacionamento fica bastante picante.

      Thumb up 0
    • Fique assim não… vai aparecer.

      Thumb up 1
  7. Muita frescura nessa hora só atrapalha. Se for olhar tudo bem de perto você se mata, véi.

    Thumb up 0
  8. concordo que o beijo etudo de bom,agora venha-mos e convenha-mos,o beijo e uma troca de salivas,se as pessoas antes de beijar,senti-se o cheiro da saliva do outro .ninguem beijava, porque simplismente a saliva e fedorenta,ou nao e?

    Thumb up 1
    • Se tem cheiro ruim, a pessoa está com um problema: cárie, infecção bucal, ou problema estomacal. Uma boca saudável é agradável de beijar.

      Thumb up 15
    • Gostei do comentário do Cesar:

      Thumb up 2
    • Concordo Plenamente com o Cesar…
      Uma boca bem cuidada… quando a gente beija… Dá até gosto de Quero mais!!

      Thumb up 1

Envie um comentário

Leia o post anterior:
finger-magnet-implant
Porque alguém implantaria um ímã na ponta do dedo

Já ouviu falar de im...

Fechar