Andar armado faz você pensar que todo mundo também carrega uma arma

Publicado em 21.03.2012

Uma nova pesquisa da Universidade de Notre Dame mostra que carregar uma arma faz você pensar que todo mundo carrega uma também.

O professor James Brockmole, especializado em cognição e comportamentos humanos, realizou cinco experimentos, onde imagens de pessoas eram mostradas para os voluntários, e eles deveriam determinar se a pessoa estava carregando uma arma ou um objeto comum, como uma lata ou um celular. Eles faziam isso em duas situações: segurando uma arma de brinquedo ou um objeto comum.

As pessoas que apareciam na tela também variavam – algumas vezes usavam máscaras de esqui, eram de raças diferentes, etc. Independente do caso, o estudo mostrou que os observadores tinham mais tendência a dizer que as pessoas estavam armadas quando elas pensavam estar.

“Crenças, expectativas e emoções podem influenciar a habilidade do observador em detectar objetos como armas”, afirma Brockmole. “Parece que as pessoas acham difícil separar os pensamentos entre o que percebem e o que acham que deveriam fazer”.

Os pesquisadores demonstraram que a possibilidade de agir é um fator chave nesse processo. Quando os voluntários não carregavam a “arma”, enxergar uma possível arma com alguém não alterava seus comportamentos.

“Isso é argumento para o fato das pessoas usarem as propriedades espaciais do ambiente para realizar alguma ação”, afirma Brockmole.

Por exemplo, outras pesquisas já argumentaram que pessoas com ombros mais largos tendem a perceber as portas como mais estreitas.

“Além das implicações teóricas para a percepção de eventos e identificação de objetos, nossa pesquisa tem implicações práticas de lei e na segurança pública”, finaliza Brockmole. Essa discussão leva diretamente a ideia do desarmamento. Você é a favor ou contra? [NewsInfo, Foto]

Autor: Bernardo Staut

é estudante de jornalismo e interessado por povos, culturas e artes.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

91 Comentários

  1. Quero ter o direito de me defender e e defender minha família, por isso quero ter o direito de comprar uma arma de fogo e até andar armado, já que o Estado Brasileiro não nos proporciona a devida segurança.

    Thumb up 9
  2. Gostei do debate quase épico entre Otávio Dias e o César. É isso aí, liberdade de expressão e ninguém ferido (a não ser talvez no ego).
    Quero apenas deixar registrado a minha OPINIÃO sobre a lei desarmamentista. Fere a liberdade do povo, arranca o direito de poder se defender de igual para igual com os bandidos que a polícia brasileira não tem competência ou interesse em tirar de circulação. Canadá, Suíça, Itália, Alemanha entre outros garantem este direito em diferentes graus. Armas também são feitas para garantir a paz, por isso que existem as Forças ARMADAS, se podem defender uma nação contra outra de más intenções, pode perefitamente defender um cidadão de outro “mal intencionado”. Acontece que o povo brasileiro é mal educado. Precisa crescer moralmente e ter civilidade, numa discussão idiota no trânsito, por exemplo, pode sair morte (com o que tiver à mão: chave de roda, pedaço de pau, arma de fogo, arma branca etc). Mas com os “bons exemplos” vindos dos gabinetes em Brasília, muitos pensam que ser estúpido, inconsequente, ganancioso, imoral, desonesto, corrupto e ladrão são coisas normais. É uma luta diária para não ser contaminado por tanta podridão. Amo meu país mas tem horas que dá vergonha de ser brasileiro.

    Thumb up 11
  3. não é só marido que mata mule não, ja vi casos de mulher matar o marido tambem e com golpes de machado
    por favor não façam propaganda para proibir a venda de machados pois é uma ferramenta muito util, ha casos de morte ocasionadas por um espeto de churrasco, enfim ja vi cada homicidio em que a ferramenta utilizada pelo agressor faz ate o capeta ficar d e boca aberta, homicidios sempre existiram alguem s e lenbra d e caim que matou abel hum, foi com um colt? ou uma escopeta .12, o ser humano tem seu lado bruto seu lado irracional, as armas são apenas meras desculpas, é que nem o diabetico que come feito um boi não pratica atividade fisica e chega no medico e diz douto esse remedio pra diebete que o senhor me passou não é bom…..

    Thumb up 5
    • - Armas de Fogo:

      - Que registro e porte de arma são coisas absolutamente diferentes? O registro de arma de fogo (você só retira a arma da loja depois de efetuado o registro) só permite que a pessoa tenha sua arma dentro de casa ou no seu local de trabalho, não podendo transitar com ela, nem dentro do carro.

      - Que, para se andar com uma arma, é necessário uma autorização para porte de armas (sendo necessário fazer teste de tiro, ser aprovado por um psicólogo e conhecer as leis sobre armas, além de apresentar certidões negativas de antecedentes criminais, comprovante de residência, de trabalho, RG, CPF, comprovante de voto, nas últimas eleições e certificado de reservista)?

      - Que, em todo o ano de 2002, no Rio de Janeiro, foram vendidas apenas 2 (duas) armas de fogo, para civis?

      - Que um cidadão comum não pode comprar submetralhadoras, granadas, pistolas calibre 9mm, .40 e .45, nem fuzis AR-15 (armas muito utilizadas por criminosos)?

      - Que, em Curitiba, durante todo o ano de 2003, só houve 1 (um) incidente envolvendo uma pessoa autorizada a portar armas (quando foi efetuado um disparo de advertência, para o alto), enquanto, anualmente, são expedidos cerca de 4.000 licenças para porte de armas?

      - Que, no ano de 1996, no RJ, foram expedidos apenas 102 portes de armas, para uma taxa de homicídios de 45 pessoas, por 100 mil habitantes, enquanto que, no Paraná, no mesmo ano, foram expedidos 30.000 portes, para uma taxa de apenas 9 homicídios, por 100 mil habitantes?

      - Que uma das mais exitosas campanhas de desarmamento já feitas na História se deu na Alemanha nazista, contra os judeus?

      - Que na Inglaterra, depois que foi proibida a venda de armas, em 1997, o número de crimes cometidos com armas de fogo, simplesmente, dobrou?

      - Que a Suíça tem o maior número de armas de fogo, por habitante, do mundo (proporcionalmente), e um dos menores índices de criminalidade do planeta?

      - Que, no mundo todo, milhares de crimes são evitados com o simples fato de se mostrar uma arma para o agressor, ou com um simples disparo de advertência?

      - Que existe um Código para quantificar o grau de perigo? É verdade. Com ele, cai por terra aquela história de que o marginal sempre tem o elemento-surpresa. De que se trata o Código Colorido do Perigo: um Código de estados de consciência, classificando o nível de atenção que deve ser obedecido por quem deseja usar uma arma de fogo para defesa.

      Atenção: se você fez esta opção, use este Código. A arma só o protegerá na medida em que você estiver treinado para usá-la e conseguir inverter o elemento supresa para o seu lado, e é aí que entra este Código. Quando armado, e mesmo quando, por qualquer motivo, desarmado, ande na condição Amarela. Aprenda a identificar os pontos ondem possíveis agressores possam esconder-se para surpreendê-lo: quando você chega em casa, quando sai dela, na entrada de seu trabalho, do seu banco etc.

      Aprenda a olhar para estes locais, acompanhar os retrovisores nas paradas de sinaleiro, olhar para os lados, olhar quem está na calçada antes de chegar no sinal fechado. Acompanhe as pessoas, olhe para as suas mãos, sempre, e, se identificar uma arma, antecipe-se! Faça valer o seu direito. Provavelmente, se a sua advertência verbal for proveitosa, você não precisará
      atirar.

      Quando uma arma é usada “seriamente”, ela estará sendo usada sob stress. O stress pode ser o “rubor da face” enquanto você mira sua arma em um alvo, ou a tensão de saber que um tiro no “10″ do alvo, o seu próximo e único tiro, o fará vencer o Campeonato Estadual de Tiro, mas, mais adequadamente falando, você sacou a sua arma, defensivamente, e o stress que você experimenta vem de um medo real por sua vida.

      Você vai encontrar-se indo de uma condição de atenção relaxada para a condição Laranja, um estado de ansiedade significante, e talvez para o terror de estar próximo à condição Negra: um combate mortal em progresso.

      É útil entender o “Código Colorido do Perigo”, um conceito desenvolvido primeiramente por Mariners dos Estados Unidos, durante a Guerra do Pacífico, designando cinco níveis de perigo. Naquela época, no Pacífico foi um jovem Mariner chamado Jeff Cooper, que queria desenvolver um novo conceito de uso de combate. Cooper sugeriu uma alteração, mudando os códigos para quatro, um melhoramento para uso militar, porém não muito adequado para uso como solução de problemas da polícia e civis, na minha opinião.

      Condição Branca: sem percepção de perigo. Nesta condição, uma pessoa está despreparada, e atacada, provavelmente será aniquilada.

      Condição Amarela: atenção relaxada. Se perguntada a sua localização, a qualquer momento, você poderá informá-la; se perguntado quem está atrás de você, você poderá responder, sem olhar. Você não está ativamente procurando por perigo, mas sabe que ele pode vir. Você não precisa estar armado para estar na condição Amarela, porém se estiver armado, você certamente deverá estar nesta condição. Um homem armado na condição Branca é uma arma aguardando para ser tomada. Como Cooper corretamente observou, uma pessoa bem ajustada pode passar todas as suas horas acordadas nesta condição, sem efeitos ruins.

      Condição Laranja: alerta não-especificado: Um vidro quebra embaixo das escadas às 3 da manhã: pode ser um intruso, ou somente o gatinho quebrando um vaso. Mas há uma razão para esperar um perigo, embora ainda desconhecido. Na condição Laranja, seu sensoriamento natural está alerta: você está olhando e ouvindo tudo à sua volta, concentrado. Você já localizou as coberturas que podem ser usadas por você ou por seu oponente, e as pistas de possível movimentação. Sua arma pode ou não ter sido sacada, mas certamente deve estar acessível.

      Condição Vermelha: encontro armado: você encontrou uma pessoa perigosa que lhe dá a razão de acreditar que tem a habilidade e a oportunidade para colocá-lo em maus lençóis. Você irá tomar a cobertura que você identificou quando estava na condição Laranja e irá sacar a sua arma. Dependendo das circunstâncias, um apelo verbal: (“Polícia! Não se mova!”) pode ser sua opção.

      Condição Negra: assalto (combate) letal em progresso: Uma ou mais pessoas estão tentando matá-lo. A menos que eles estejam segurando reféns em sua frente ou que você esteja desarmado, sua resposta indicada será sempre atirar.

      O sistema Cooper é diferente, pois une as condições Vermelha e Negra. Isto faz grande sentido militar, quando os soldados usualmente atiram em inimigos se aproximando, mas não é o ideal para policiais ou cidadãos armados, uma vez que 13, de 14 encontros armados tendem a não requerer tiros. Colaboração de Gustavo Augusto Druziki (texto e tradução).

      - Tiro ao Alvo:

      - Que o Tiro ao Alvo é um dos esportes mais seguros do mundo? Por acaso, você já ouviu falar de alguém que tenha se ferido, por um disparo, em uma competição? Não! E isso se deve às rigorosas normas de segurança e à responsabilidade dos atiradores.

      - Que existem modalidades de competição que utilizam desde pistolas a ar comprimido até espingardas calibre 12 e fuzis de longo alcance? Para maiores informações sobre esse Esporte, veja a seção “Tiro Esportivo”.

      - Que o Tiro ao Alvo foi o esporte que deu a primeira medalha olímpica, para o Brasil? E, também, a primeira medalha de ouro, em Olimpíadas, ao nosso País? Pois é verdade. Isso foi em 1920, nos Jogos Olímpicos de Antuérpia. Nossa primeira medalha foi conquistada com o atirador Afrânio Costa (de prata). Na mesma competição, o atirador Guilherme Paraense conquistou o ouro olímpico. Em ambos os casos, foi usado um revólver, no calibre .38 SPL. Veja mais notícias sobre o Tiro ao Alvo na seção “Notícias, pelo mundo”.

      - Que o Tiro ao Alvo é um esporte altamente desestressante, e ainda colabora para uma melhor coordenação motora, maior poder de concentração e disciplina?

      - Desarmamento:

      - Que, no Paraná (que foi o pioneiro na campanha do desarmamento), no ano de 2004, os crimes cometidos com o uso de armas de fogo aumentaram? Os dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública não mentem: latrocínios, seqüestros-relâmpago e assaltos a mão armada tiveram maior incidência em 2004 do que em 2003. Mais um resultado do desarmamento da população!

      - Que a maioria das pessoas que defendem o desarmamento andam com seguranças armados e, às vezes, elas mesmas andam armadas? Pois é. É uma verdadeira hipocrisia. “Faça o que eu falo, mas não faça o que eu faço”: essa é a política dos desarmamentistas. Eles podem andar armados e contratar seguranças armados. E o resto da população, como fica?

      - Que o custo do referendo popular de 2005, para saber se a população quer, ou não, o fim da venda de armas, será de mais de R$ 600 milhões, segundo dados do próprio TSE? Isso as ONGs e algumas emissoras de TV não dizem para a população… Será que esse dinheiro todo não poderia ser melhor utilizado, por exemplo, para o reequipamento das polícias? Ou esse dinheiro está sobrando e não fará falta aos cofres públicos, nem à população?

      - Que Jô Soares, Alexandre Garcia, Içami Tiba, Fagner, Zezé di Camargo, Hebe Camargo e Governador Roberto Requião votam “não” à proibição do comércio de armas e munições?

      - Que, se for aprovada, mediante referendo, a proibição do comércio de armas e munições, quem já tem uma arma de fogo NÃO mais poderá comprar munição para a mesma?

      - Que, em todo o ano de 2004, somente foram vendidas cerca de 1.400 armas LEGAIS para civis, no Brasil? E que, em 2005, somente foram vendidas cerca de 1.000 armas?

      Thumb up 16
  4. Falar que a maioria dos homicídios por arma de fogo são passionais é a maior forçação de barra que eu já ví, basta pegar um jornal e ler. são umas duas dezenas de homicídios por causa de briga de traficante pra um caso de marido que mata mulher. Eu trabalho no IML e é algo como 100% dos casos de homicídio com a família relatando envolvimento com tráfico, quando acontece de alguém morrer baleado em assalto ou briga de casal ou vizinho, chega a ser um estardalhaço com imprensa e tudo. É muita ingenuidade de vocês mesmo. Quem mata com arma no Brasil é traficante, quem é morto por arma de fogo no Brasil é traficante, essa é a regra, o problema são as exceções, assaltos e sequestros principalmente, que as vezes (sim, as vezes) terminam em homicídios. Vizinho que mata vizinho ou marido que mata mulher é coisa que aconteceria com ou sem arma de fogo. Bandido quer moleza, se ele sabe que tem uma chance de 80% da vítima estar armada, ele vai é procurar emprego que paga salário mínimo porque o risco não compensa. Bandido precisa de arma para o ‘exercício’ dele, então ele vai arrumar uma de qualquer jeito, seja na fronteira ou seja roubando de pessoas que as possuem cadastradas (falácia típica de desarmamentista).
    Drogas são completamente proibidas no Brasil, mas qualquer um encontra cocaína e maconha em qualquer esquina. De onde ela veio? foi roubada de um cidadão honesto que pediu autorização do governo para compra-la? claro que não, droga dá muito dinheiro, entao bandido dá um jeito de conseguir nem que seja comprando direto de outro país. Se acabassem todas as armas do Brasil vocês acham que os assaltantes e sequestradores iam virar trabalhadores? eles precisam da arma pra fazer o que fazem e vão conseguir de qualquer jeito, acorda vai…

    Thumb up 12
  5. Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) sobre o uso de armas de fogo em homicídios no Brasil está causando controvérsia entre estudiosos da questão. Feito com base nas estatísticas do Datasus – base de dados do Sistema Único de Saúde -, o estudo afirma que o uso de armas de fogo na prática de homicídios continua crescendo, mesmo com a promulgação do Estatuto do Desarmamento, em 2003.

    Fonte: http://www.comunidadesegura.org.br/pt-br/MATERIA-pesquisa-sobre-mortes-por-armas-de-fogo-causa-controversia

    Thumb up 2
    • Bandidos não compram armas em lojas. Pensem nisso.

      Seguindo a lógica estupida do estatuto do desarmamento, o próximo passo é proibir o futebol para acabar com a brigas.
      E se as brigas não pararem, proibir os bastões de metal, madeira, facas e fogos de artificio.
      Se isso também não funcionar, vão proibir todo mundo de sair de casa. Essa é a lógica estupida do desarmamento: proibir ao invés de educar.

      []‘s

      Thumb up 13
    • Tem gente dita educada, doutorada e formada desviando verba pública, negligenciando hospitais, bebendo e dirigindo e portando armas. Da no mesmo.

      Thumb up 2
    • Jonatas,
      Generalização apressada é uma falácia.
      No mais, não estou falando aqui que ter uma arma corrobora com a “cleptocracia” brasileira.
      Nada haver seu argumento.

      E outra, se você acha que o cara que efetuou os disparos nessa briga de torcida comprou a arma dele em uma loja, fez os testes, curso de tiro e tudo mais, só posso rir da sua ingenuidade…hahaha
      Quando você for assaltado (tomara que nunca seja, mas sempre existe a possibilidade) pergunta pro bandido como ele conseguiu a arma dele… Vai se surpreender.

      []‘s

      Thumb up 11
    • Só quem comete falácia é você. E não diga essas coisas pra mim, diga aos entes que perderam a pessoa pela estupides de uma política pró-armamentista que permite que pessoas armadas andem por aí. Quanto a ser assaltado, é muito mais provável você morrer estando armado do que desarmado. O bandido chega com a arma em punho sempre, está na vantagem, ele não tem nada a perder. Não há tempo de bancar herói, ele te mata e leva a tua arma.

      Thumb up 1
    • Putz cara, eu jogo a toalha.
      Estude mais sobre a lei e as infinitas restrições sobre o porte de arma no Brasil. Tenha em mente também que bandido não se importa com o que esta escrito no código penal.

      Se estivéssemos nos EUA, com os níveis de violência do Brasil, quem sabe seu argumento faria sentido. O porte, na prática, não é liberado legalmente no Brasil. Nenhuma “politica ou movimento pró-armamentista” tem poder maior que a LEI vigente (que é desarmamentista).

      A não ser que você prove o contrário, o cara que atirou na briga de torcida muito provavelmente andava armado na ILEGALIDADE, ou seja CONTRA A LEI vigente.
      Sobre reação armada, basta procurar por “reação armada” no Google.

      []‘s

      Thumb up 12
    • Acho que esta não é a lógica do desarmamento. Este é o espantalho que a bancada da bala inventou sobre o desarmamento. Como a falácia da faca ou do automóvel.

      Thumb up 2
    • Bancada da bala? Hahaha.
      Eu sinceramente gostaria de ser patrocinado por uma empresa de armas, ou pela lendaria “bancada da bala” para passar o dia respondendo a idiotices dos desarmamentistas, patrocinados pela Viva Rio.

      No mais, como falei anteriormente, se você acha que o cara que efetuou os disparos nessa briga de torcida comprou a arma dele em uma loja, fez os testes, curso de tiro e tudo mais, só posso rir da sua ingenuidade…hahaha
      Quando você for assaltado (tomara que nunca seja, mas sempre existe a possibilidade) pergunta pro bandido como ele conseguiu a arma dele… Vai se surpreender.

      []‘s

      Thumb up 9
  6. tudo uma questao mais politica ,que real,por norma os governos ,quando aconteçe um crime grave feito por um bandido qualquer e com uso de armas ilegais e grande parte das vezes militares,os politicos para mostrarem serviço a populaça inculta ,reprimem o cidadao de bem,com leis absurdas,e nao resolvem o problema,as actuais guerras economicas,globalizaçao economica etc,que estao gradualmente a falir as pessoas e paises,vao arrastar muitas pessoas para o crime,e consequentemente o aumento de armas ilegais,o cidadao de bem tem o direito a sua autodefesa !quanto mais miseria,desemprego houver,inevitavelmente o crime aumentara,uma arma nao passa de uma ferramenta !ridiculo culpabilizar as armas por crimes cometidos,ja os antigos diziam que a fome e ma conselheira .

    Thumb up 1
  7. Vamos colocar algumas considerações:

    1) Uma arma calibre 22lr vai disparar com energia de + ou – 100 joules, um carro médio, a 100km/h, nas mãos de um irresponsável em uma colisão frontal vai gerar uma energia de + ou – 500.000 joules.

    2) Em 2010 as mortes relacionadas a direção superaram as mortes por armas de fogo.

    3) O Japão foi desarmado totalmente porque foi vencido na segunda guerra mundial. Mas de qualquer forma homicídios não deixaram de existir no Japão.

    4) No Brasil, é uma falacia afirmar ou mesmo dar a entender que a maioria dos crimes são “brigas de marido e mulher”, “briga de vizinhos” e outros blablablas desarmamentistas. Procure por dados do Ministério da Justiça, verá que menos de 8% dos crimes de assassinatos no Brasil são esclarecidos. Os outros 92% a policia nem sabe do que se trata. Então ter qualquer conclusão sobre os 92% é besteira, a não ser que você acredite em astrologia, videntes e etc.

    5) Em teoria a Policia Federal deveria dar permissão de posse de arma para todo aquele que completar os requisitos (isto é, passar o exame técnico, psicológico, pagar taxas e não ter antecedentes), porém, isso não é realidade. Você pode muito bem passar em tudo e mesmo assim a PF negar a posse. O porte então é impossível para o cidadão comum. A PF dificulta o acesso a armas para o cidadão comum sem justificativa logica, apenas com justificativas ideológicas.

    6) Achar que o cidadão tem uma arma porque é paranoico é completamente imbecil. Eu por exemplo acho que na verdade os que acreditam que os donos de arma serão prováveis assassinos é que verdadeiramente sofrem de uma paranoia profunda.

    7) Insinuar que as pessoas devem usar facas para se defender é o máximo do absurdo. O que mais seria necessário? Treinamento ninja? Esgrima? No mais, uma briga com facas é absurdamente cruel e desumana. Um dilacerando o outro. Absurdo pensar nisso.
    Uma arma de fogo, para defesa, é algo simples, rápido e limpo. Ao contrário do que os desarmamentistas imbecis pregam, basta ter firmeza nas mãos, alinhar a alça de mira com a massa de mira, e disparar. Vale lembrar que o fundamental também é o treinamento, isto é: atirar varias vezes para perder o medo do barulho e do recuo da arma, e também para se familiarizar com o funcionamento dela em caso de pane. Aprender a fazer o saque da arma rapidamente, essas coisas. A PF, para ajudar os desarmamentistas, faz um jogo muito sujo: Se ela te autorizar (por algum milagre) a ter uma arma, mesmo assim você não vai poder treinar (paradoxal não?). Ao ter uma arma regristrada na PF, você só vai poder manter ela em casa, e se tentar treinar em casa, pode perder a arma e ser processado pelo crime de “disparo de arma de fogo”. Você não pode levar sua arma registrada para o estande de tiro.

    8 ) Creio que nem os defensores das armas defendem a liberação total. Todos concordam que testes técnicos e psicológicos devem ser feitos os pretendentes, assim como aulas de mecânica de armas e segurança. Porém tudo tem que funcionar com a mesma agilidade e eficiência do DETRAN, na emissão das carteiras de habilitação. Hoje em dia o cidadão tem que esperar de 6 meses a 1 ano apenas para a PF dizer “sim” (isso se ela disser) depois dos requisitos preenchidos, um verdadeiro absurdo.

    9) A “presunção de inocência” esta em nossa constituição. Segundo a Constituição Federal art. 5°, LVII “Ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado em sentença penal condenatória”. Então dizer que os desarmamentistas imbecis não podem acusar os donos de armas por hipotéticos homicídios que jamais acontecerão. Isso também é uma falácia suja, a famosa “generalização apressada” que resumidamente é dizer que “tudo é farinha do mesmo saco”: grande mentira.

    10) Desarmamentistas NÃO tem o direito de escolher por mim, isso não é democracia. Se o cidadão não quer ter uma arma, tudo bem, escolha é dele. Legitima defesa é uma decisão individual. Se o cara quer morrer, deixar a mulher ser estrupada, e o raio que o parta de possibilidades ruins, problema é dele. Eu tenho meus próprios problemas, escolhas e liberdades garantidas pela constituição.

    []‘s

    Thumb up 11
    • 1. Irrelevante.

      2. Irrelevante.

      3. Homicídios existem até onde todo mundo anda armado. Ou será que carregar um ferro na cintura te deixa invulnerável? De qualquer forma, qual a comparação em valores relativos, tem?

      4. Eu falo baseado em dados reais. Moro em Candelária, boa parte dos homicídios que aconteceram não foram relacionados nem a brigas de traficantes, nem a assaltos, mas em brigas de famílias e maridos cornudos matando as esposas. Em valores relativos, é dos lugares mais violentos do RS.

      5. Mentira.

      6. Quem foi que disse que quem tem arma é paranoico? O estudo que é assunto deste artigo aponta que ter uma arma altera a percepção das pessoas.

      7. Quem insinuou que devem usar facas? Eu usei de sarcasmo e ironia. O que ocorre é que quando se fala em desarmamento, os pró-queimação de pólvora vem com esta conversa ‘é, mas também dá para matar com faca, vamos então proibir as facas’, e eu respondi à altura desta afirmação idiota. Se as facas são assim tão perigosas, usem facas! De qualquer forma, obrigado, quando alguém disser que as facas são perigosas e deveriam também ser proibidas, eu vou copiar e colar a tua resposta. Com a devida atribuição.

      Sobre a arma, você tem que treinar, então o que você deve fazer é justamente ter uma rotina de treinos e manutenção da arma. Para isto, nada melhor que participar de um clube de tiro. Você vai conseguir inclusive uma autorização de trânsito para levar a arma de casa para o estande e para as competições. Claro, vai ter que ter um armário especial para guardar armas e munição, mas você não estava mesmo pensando em deixar a arma em cima da TV na sala, estava?

      8. Está viajando na maionese. Eu consegui em poucos dias. O que demorou foi marcar a consulta psicológica. Depois disso, foi feito um curso de tiro ministrado por instrutor da própria PF, e na semana seguinte já saiu o certificado do curso, e a autorização para adquirir arma de fogo. Não comprei por que ainda tenho o revólver do meu velho, e por que R$2.000 por uma pistola Taurus ainda não cabe no meu orçamento.

      9. E? Afirmar que este ou aquele assalto terminaria diferente se a vítima tivesse uma arma é o quê, exercício de adivinhação? Ou uma mentira deslavada?

      10. Que eu saiba houve um plebiscito onde inclusive foi decidido que não será proibida a venda de armas e munição no país. Isto é democracia, você pode não gostar do resultado, mas é assim que funciona, não é garantia de satisfação, é garantia de equidade. E os problemas de segurança pública não se resolve jogando isto no colo do cidadão. É fazendo o que o prefeito de Nova Iorque fez – tolerância zero ao crime. Acabe a impunidade, mesmo dos delitos mais leves, e a criminalidade vai cair.

      Thumb up 3
    • Amigão,

      1. É absolutamente relevante sim. Um carro é mais mortal e tem maior poder destrutivo que uma arma de fogo. Esse pensamento que só armas de fogo são “malignas” e podem matar é ridículo.

      2. Isso só demonstra a inversão de prioridades e falta de bom senso dos desarmamentistas.

      3. Posso comparar o seguinte: o Canadá, pais no qual o Brasil copiou o desarmamento, esse ano (2012) voltou atrás. O país viu a inutilidade do desarmamento da população civil, o enorme gasto de dinheiro publico e a ineficácia prática no controle efetivo de armas nas mãos de possíveis criminosos (creio que até você concorda que bandidos não seguem leis, nunca leram o código penal e muito menos a constituição do pais em que vivem). Fonte: http://www.forte.jor.br/2012/03/05/canada-aprova-fim-do-registro-de-armas-longas/

      4. Você fala baseado em bulhufas. Dados do Ministério da Justiça valem mais que sua experiencia isolada. Método cientifico meu caro.

      5. Mentira é o que você afirma. Você conversa aqui com um Atirador/Colecionador com Certificado de Registro emitido pelo Exército. A tempos atrás, fui comprar minha arma e registrar na Policia Federal, acabei cancelando o registro pela impossibilidade de treinar e pela demora no registro da arma.
      Do jeito que você defende a Policia Federal, e do jeito que você fala tendo “certeza” que vai poder treinar com sua arma registrada no SINARM (Policia Federal) você é um completo mentiroso, que não faz nem ideia do que está falando.
      A única forma de ter GTE (Guia de Trafego Especial) que te permite ir até o estande de tiro treinar é tendo o C.R. (Certificado de Registro no Exército).
      A Policia Federal só emite GTEs validas por curtíssimo período de tempo. E essa GTE demora alguma semanas para sair. Então, diferente da GTE do Exército que é valida por 1 ano, a GTE da PF valida por 1 dia, e só é emitida se houver previsão legal para emissão. Eu já tive GTE negada para treinar por falta “previsão legal”. Repito: você não fez nada na Policia federal coisa nenhuma. Deve ter lido o R105, mas experiencia “prática”, só deve ter no Xbox.

      6. Eu não me dirigi diretamente a você. Peguei trechos dos comentários que achei interessante comentar. Seu nome não está escrito em nenhuma parte do meu argumento anterior.

      7. A sua ironia sobre facas, mesmo sendo uma ironia, continua sendo estupida.

      8. Mentira. Exposto o porque no item 5. Vai dizer que conseguiu o porte também? haha

      9. Ninguém está supondo em assalto ou qualquer coisa. Mas já que entrou no assunto, existem diversos casos de vitimas, que usaram com sucesso armas de fogo para se defender. O que você insinua é que a vitima sempre vai perder: uma mentira. Outra mentira é dizer que o dono de arma pode ser um possível criminoso ou perder o controle, e isso é um absurdo, fere o principio constitucional da presunção de inocência.

      10. Eu adorei o resultado do plebiscito. Mas os desarmamentistas não respeitam a democracia. Em 2011 o Sarney e sua corja tentaram novamente. E vão tentar sempre enquanto existir uma brecha. Os desarmamentistas vendem o desarmamento como uma panaceia que cura todos os males. Eu não acredito em utopias meu amigo.
      Se uma arma ataca, infelizmente é provável que apenas utilizando outra arma você conseguirá se defender do ataque.
      No mais, se os bandidos respeitassem a lei, se a policia fosse eficiente (de um Google por “demora atendimento 190″) e onipresente – nunca será – e todos se desarmassem ao mesmo tempo, se a Bolívia e o Paraguai resolvessem o problema das fronteiras, quem sabe isso teria alguma eficiência.
      Pra mim, o desarmamento é como a viagem no tempo: muito legal, mas impraticável.

      []‘s

      Thumb up 6
    • 1. e 2. são irrelevantes, sim. Está se discutindo o estatuto do desarmamento, e não as mortes no trânsito.

      3. qual a base de comparação? O Canadá está desistindo do registro de ARMAS LONGAS e isto significa que o estatuto do desarmamento brasileiro está fadado ao fracasso? Qual a relação entre uma coisa e outra?

      4. os dados são confiáveis?

      5. Que “justificativa ideológica” é esta? Falta de previsão legal não é justificativa ideológica, nunca foi e nunca vai ser. Significa que a sua pretensão à uma GTE não encontra amparo na lei. Se ela encontra, então você não conseguiu demonstrar isto. Ideológica?

      6. whatever.

      7. a estupidez é dizer que faca também pode ser usada para cometer crimes e que pelo mesmo raciocínio deveria ser proibida. Se é assim, então use a faca para se defender, já que está liberada e é tão letal assim…

      8. Na verdade tenho. Só que só vale para armas funcionais. Não posso levar meu .38 para passear.

      9. não é assim. Eu não disse que a vítima vai sempre levar a pior, o que ocorre é exatamente o oposto, a bancada da pólvora jura que quem tem uma arma vai conseguir se defender com ela. E levantar a presunção de inocência aqui não tem nada a ver… A presunção de inocência diz respeito a quem está sendo acusado de um crime: enquanto o caso não chegar ao fim, ninguém pode ser tido como culpado. O que você poderia dizer é que eu talvez estivesse usando da falácia do “slippery slope”, mas mesmo assim não cabe, eu não disse que todo mundo que tem uma arma vai se tornar assassino.

      10. também achei interessante o resultado do desarmamento. Só que eu não acho que o desarmamento vai ajudar a diminuir a criminalidade, por que bandido não entrega arma, assim, de mão-beijada. O desarmamento deve servir para diminuir outros índices, o de crianças que mataram coleguinhas, o de cornos que mataram a esposa, o de acerto de contas de vizinhos e de famílias. Sobre o número de vítimas de assalto que se livraram por ter uma arma, tem algum dado estatístico? A gente só vê as manchetes, mas não tem os dados, tem?

      Thumb up 2
    • PS:
      Sobre Nova York, que tem taxas de criminalidade de hoje igualando as da década de 60, não tem relação com qualquer desarmamento, e sim exclusivamente pelo policiamento ostensivo e forte. Tem um artigo muito interessante na edição de novembro de 2011 (se não me engano) da Scientific American.
      Lá é explicada o método de sucesso dos nova iorquinos: Policia sendo usada nas ruas, nos lugares de maior criminalidade, para prevenir antes, e não para reprimir depois do fato consumado. Mas de qualquer forma as taxas de homicídio nunca vão chegar a 0.

      []‘s

      Thumb up 1
    • 1. e 2. Meu amigo, não sei se você é imbecil ou apenas tem déficit de atenção. Estamos debatendo aqui a origem do estupido estatuto do desarmamento: homicídios, violência e crimes. Estamos aqui debatendo o que foi vendido para população em 2003, 2004 e 2005: o desarmamento seria uma panaceia que resolveria a violência.
      O que em 2012 é absolutamente o contrário: os crimes continuam, e se alguma coisa foi efetiva em 2003, 2004 e 2005 para reduzir a criminalidade foram as propagandas na TV pedindo consciência e paz, junto com o slogan imbecil de “entregue sua arma”. Poderiam remover das propagandas o slogan imbecil e mesmo assim as campanha teriam ajudado em reduzir a criminalidade.

      3. A base de comparação é muito simples: O Canadá tem controle de armas. O Brasil tem controle de armas. O controle de armas vei de mal a pior no Canadá. O controle de armas vai de mal a pior no Brasil.

      4. O mapa da violência é algo bem revelador, e aceito por orgãos governamentais.

      5. Você é maluco? Onde está a coerência lógica na sua linha de raciocínio? Primeiro você vem e fala que a PF emite GTE para que o cidadão comum vá treinar no estande de tiro. Eu desminto essa sua mentira deslavada. Agora você muda o seu argumento para defender a PF? A Viva Rio te financia para ser do contra?

      6. Releia seus comentários. Estou começando a achar que estou debatendo com um fanático que ignora sua própria estupidez para ter a “ultima palavra” no debate, independente se ela for contraditória ou não.

      7. A faca não pode ser usada para cometer crimes? Você tem provas que confirmam essa tese?

      8. Ok.

      9. Mais uma vez: releia seus argumentos. Você entra em contradição como se fosse a coisa mais normal do mundo, incrível, coisa de psicopata. Não acho que você seria aprovado no teste psicológico para ter autorização de compra de arma de fogo.

      10. Sobre o desarmamento “reduzir” os crimes passionais (morte por briga de bar, briga de transito, traição, e outros motivos fúteis), isso não tem absolutamente nenhum sentido.
      Se um marido corno quiser matar a mulher, ele usa um martelo, uma faca, e até mesmo espera uns dias para comprar uma arma no Paraguai ou no próprio mercado “paralelo” no Brasil. Quem quer matar mata, independente da permissão do estado.

      Thumb up 5
    • 1 e 2. Até onde eu sei, a campanha do desarmamento visa diminuir o número de homicídios, não o número de atropelamentos. Para diminuir o número de atropelamentos, as medidas eficazes são outras, por que uma arma e um carro tem muitas diferenças, uma delas é que nossa sociedade depende do transporte de pessoas e mercadorias, mas não depende do porte de armas. A sociedade ainda funcionaria se todo mundo esquecesse de uma hora para outra o que é uma arma e como é usada, mas seria o caos completo se todo mundo se esquecesse o que é um veículo e como usá-lo. Arrisco a dizer que milhões morreriam no segundo caso, o que seria milhões a mais do que no primeiro caso.

      3. o Canadá está liberando (ou liberou, não lembro as datas do artigo e não sei se não se trata de algo no passado) o controle de ARMAS LONGAS. Arma longa não é arma curta. Arma curta tem poucas polegadas de cano, uma ARMA LONGA tem vários palmos de cano. O registro de ARMA LONGA está sendo abandonado no Canadá, não vi nenhuma referência na notícia sobre ARMAS CURTAS. Então o estatuto do desarmamento brasileiro, que lida com armas longas e curtas, tem pouco a ver com o registro de ARMAS LONGAS do Canadá. O registro de ARMAS LONGAS está sendo abandonado por que não está valendo a pena. E isto no Canadá. Até por que o Canadá está, até onde eu sei, mantendo a política de controle de armas: http://en.wikipedia.org/wiki/Gun_politics_in_Canada#Laws_and_regulations

      4. Você então aceita o gráfico 2.1.1, na página 19 do Mapa da Violência 2012, o gráfico da “Evolução das taxas de homicídio, Brasil, 1980/2010″? Onde o ponto máximo do gráfico se deu em 2003, ano do Desarmamento? E os pontos de máximo posteriores nunca atingiram o valor de 2003?

      5. Você realmente precisa me atacar pessoalmente? Posso parar por aqui, se te incomodo muito.

      6. Idem.

      7. Ah, ainda nesta? Parece que a falácia da faca está fundo no coração teu…

      9. Mais uma vez, atacando a minha pessoa… Será mesmo que eu entro em contradição? Talvez eu entre, mas não confundo abandonar o registro de armas longas com abandonar o registro de todas as armas.

      10. Pode ser. Mas considerando que houve uma queda no número de homicídios desde 2003 (não o número absoluto, mas o número relativo), e considerando que bandido não entrega a arma em campanhas de desarmamento, o que sobra, então? Podemos dizer que foi por puro acaso que a curva no gráfico 2.1.1 sofreu uma deflexão em 2003. Se você tiver outra teoria para explicar, sou todo ouvidos (mas eu agradeceria se você não colocasse em dúvida a minha competência intelectual, e se detivesse a argumentar. Se você não tem paciência, tudo bem, ninguém te obriga a responder).

      http://www.saf.org/lawreviews/kleckandgertz1.htm

      Thumb up 1
    • 1 e 2. Dá pra cometer até homicídio doloso com um carro, sabia? Homicídio culposo também, sabia? No mais, o transporte público é tão útil como o porte de arma para militares, agentes públicos e seguranças privados: soberania nacional, manutenção da ordem pública, segurança de carros fortes, bancos, etc.
      Já o uso de carros por civis poderia ser completamente questionado usando a lógica estupida do desarmamento: O uso de carros particulares: ocupa espaço, gera transito, mortes e acidentes. Apenas o transporte público deveria ser liberado. Porque um cidadão comum quer um carro? Porque não andar de ônibus? Metro? Bicicleta? ou até mesmo a pé?

      3. O Canadá apenas prova que seu controle de armas tem pouca utilidade efetiva. O controle de armas curtas é feito até mesmo nos EUA (“paraíso da liberdade armada”). Lá, diferente de comprar um Ar-15, você não pode comprar uma pistola e sair com ela da loja, é necessário uma verificação de antecedentes criminais, que demora uns 3 dias (diferente dos 2 a 6 meses brasileiros).
      Eu, na realidade, acho que o controle, registro, controle de compra e venda devem ser feitos, independente de ser uma arma curta, longa de alma lisa ou longa de alma raiada. Mas o procedimento deveria ser simples como uma transferência de automóvel. Toda politica de controle no Brasil leva o dono de arma de fogo a ser desestimulado pela burocracia inútil, longa e demorada.

      4. O que eu vejo é que após quase uma década de estatuto do desamamento, mais de 500 mil armas recolhidas, é que o estatuto do desarmamento não tem influencia alguma no nordeste, no sul e no norte, já que os homicídios nessas regiões só aumentaram. Estranho né?
      Alguns dados:
      Amapá, em 2003, a taxa de homicídios era de 35,5. Em 2010 era de 38,7.
      Amazonas, em 2003, a taxa de homicídios era de 18,5. Em 2010 era de 30,6.
      Pará, em 2003, a taxa de homicídios era de 21,0. Em 2010 era de 45,9.
      Tocantins, em 2003, a taxa de homicídios era de 18,3. Em 2010 era de 22,5.
      Alagoas, em 2003, a taxa de homicídios era de 35,7. Em 2010 era de 60,8.
      Bahia, em 2003, a taxa de homicídios era de 16,0. Em 2010 era de 37,7.
      Ceará, em 2003, a taxa de homicídios era de 20,1. Em 2010 era de 29,7.
      Maranhão, em 2003, a taxa de homicídios era de 13,0. Em 2010 era de 22,5.
      Paraíba, em 2003, a taxa de homicídios era de 17,6. Em 2010 era de 38,6.
      Piauí, em 2003, a taxa de homicídios era de 10,8. Em 2010 era de 13,7.
      Rio Grande do Norte, em 2003, a taxa de homicídios era de 14,2. Em 2010 era de 22,9.
      Sergipe, em 2003, a taxa de homicídios era de 25,2. Em 2010 era de 33,3.
      Goiás, em 2003, a taxa de homicídios era de 23,7. Em 2010 era de 29,4.
      Paraná (região sul), em 2003, a taxa de homicídios era de 25,5. Em 2010 era de 34,4.
      Rio Grande do Sul (região sul), em 2003, a taxa de homicídios era de 18,1. Em 2010 era de 19,3.
      Santa Catarina (região sul), em 2003, a taxa de homicídios era de 11,6. Em 2010 era de 12,9.
      Dos 27 estados da federação, 16 estados tiveram aumento na taxa de homicídios.
      Outra coisa que se pode observar é que a taxa de homicídios do Brasil inteiro no ano 2000 (antes do estatuto do desarmamento) era de 26,7, em 2009 a taxa era de 27,0, e em 2010 26,2.
      Para mim, que sou leigo em analise gráfica, independente do estatuto do desarmamento, esses números parecem manter uma certa “média”.

      5. Responderei no item 10.

      6. Idem em recursão.

      7. Apenas quero dados que comprovem que facas, martelos, espadas ninja, picaretas, e até mesmo as próprias mãos não são usadas em homicídios. Também gostaria de dados que comprovem que para um cidadão se defender de um ataque a faca, a arma de fogo não é efetiva.

      9. Não me lembro de ter confundido isso. O controle de armas do Canadá vai de mal a pior, e a liberação é um sintoma muito claro. Já falei antes isso e repito agora.

      10. Sobre sua “competência intelectual”: eu estou aqui porque a constituição brasileira garante a liberdade de expressão. Sou completamente livre para achar você imbecil ou o que mais queira achar. Você também é livre para achar o que quiser de mim.
      Se não gosta da afirmação, você pode (sendo uma pessoa com bom senso):
      1) Ignorar, pois como você mesmo disse, ninguém é obrigado a responder.
      2) Me processar e tentar provar em juízo que você não é um Imbecil (acho difícil) e pedir uma indenização.
      3) Ficar debatendo comigo recursivamente para tentar provar para todos, por vaidade, que você não é um imbecil.
      4) Se fazer de coitado.
      Se você for uma pessoa sem bom senso você também pode me ameaçar, comprar uma arma ilegal no Paraguai (muito fácil, eles passam pela fronteira com a arma desmontada, depois montam e entregam ela montada no Brasil) e tentar me matar, etc. O ser humano é imprevisível.

      []s

      Thumb up 5
  8. O debate deveria se focar na questão das liberdades individuais e em estatísticas, e não em achismos ou preconceitos. Sociedades democráticas permitem o porte de arma por cidadãos que atendam determinados requisitos. E essas sociedades são comparativamente mais seguras do que outras em que se proíbe o porte de armas. Há inúmeros estudos nesse sentido, e recentemente até mesmo a ONU teve de reconhecer esse fato. E não se trata de voltar ao Velho Oeste, em que todos deveriam estar armados, para se reduzir a criminalidade. É que existe o efeito da externalidade positiva, bem estudado na Economia, e que pode ser assim resumido: a ação de um acaba favorecendo a situação de outro. Por exemplo, alguém abre um café ao lado de uma livraria, e a livraria passa a receber mais clientes. No caso, numa sociedade em que o porte é permitido, os bandidos não saberão quem estará com uma arma de fogo, e temerão cometer crimes. No Brasil, infelizmente, o porte de arma de fogo passou a ser praticamente zero, e verifica-se um aumento substancial da criminalidade. O mesmo ocorreu em outros países que adotaram o desarmamento da população, o que autoriza concluir que se trata de um fenômeno com causa e efeito bem identificados. O pior de tudo, é que essa política é usada como panacéia para se alcançar o ideal de segurança pública, sem que se enfrentem os reais problemas, que são: legislação penal frouxa, que permite cumprir somente 1/6 da pena e ser preso somente após o trânsito em julgado; polícia desmotivada e sucateada; 80% dos homicídios sem solução; polícia técnica insuficiente e mal equipada; falta de presídios; péssimos serviços de educação e saúde; etc. Ademais, fere o bom-senso e a lógica mais elementar acreditar que desarmar a vítima contribui para diminuir a criminalidade. É exatamente o contrário. Ora, a polícia não é onipresente. E quando chega, vai apenas contar os corpos da vítimas e preservar a cena do crime. O governo não defende o cidadão, e nem o deixa se defender. Essa cultura de ser uma ovelha pacifista é tudo o que querem governos totalitários e, mais ainda, as potências estrangeiras que desrespeitam a soberania de outros países, em benefício de interesses econômicos.

    Thumb up 4
    • Eu concordo que o debate tenha que ser em cima de números. Por exemplo, quando você fala que os homicídios aumentaram onde foi implementada uma política de restrição e proibição do porte, você não citou nenhum número e nenhuma fonte dos dados. Poderia começar dando o exemplo, então?

      Thumb up 1
    • Algumas noticias para complementar:

      http://g1.globo.com/amazonas/noticia/2011/12/homicidios-no-am-cresceram-916-em-10-anos-indica-mapa-da-violencia.html

      http://jus.com.br/revista/texto/20081/falta-de-esclarecimento-dos-crimes-impede-tracar-perfil-criminal-brasileiro

      http://g1.globo.com/brasil/noticia/2011/12/mapa-da-violencia-aponta-al-es-e-pa-no-topo-da-taxa-de-homicidios.html

      —————————

      Lembrando, que em 2003 foi o ano que foi implementado o estatuto do desarmamento.
      Na ultima noticia vemos podemos ver claramente os números de homicídios em 2003: 51.043. Número de homicídios em 2009 (depois do desarmamento implementado): 51.434.

      []‘s

      Thumb up 3
    • Mapa da violência, gráfico 2.1.1 (página 19): o pico de homicídios por 100.000 habitantes se deu em 2003, 28,9. Depois esta taxa cai, e volta a subir e cair mas não volta ao patamar de 2003.

      Do texto: “Uma segunda questão que surge imediatamente é a evidente quebra na série histórica que se observa a partir de 2003. Até esse ano, as taxas de homicídio cresceram 4,4% aa. Entre 2003 e 2010 o crescimento foi negativo: 1,4% aa. Mais ainda, as quedas foram significativas só nos anos 2004 e 2005. A partir dessa data, os quantitativos apresentam oscilações, aumentando um ano, caindo outro, o que denota uma situação de equilíbrio instável. Tentar explicar esses movimentos é um dos objetivos do presente estudo. Vários fatores concomitantes e complexos parecem intervir nessa explicação dessas quebras e oscilações a partir de 2003: políticas de desarmamento, planos e recursos federais e estratégias de enfrentamento de algumas UF parecem atuar concomitantemente, como tentaremos por em evidência nos diversos capítulos do presente estudo.”

      Os artigos apontados falam que aumentaram os homicídios no Amazonas, mas ignoram ou parecem ignorar que em outros estados o número percentual de mortes CAIU.

      Não sei qual a causa da queda, ainda não li o texto (parece que são mais de 200 páginas.)

      Thumb up 1

Envie um comentário

Leia o post anterior:
comet-swan-soho-march-2012
Mais um cometa tenta mergulhar no sol

Apenas três meses ap...

Fechar