Aonde vão os escombros arrastados por um tsunami?

Publicado em 11.05.2011

As imagens do tsunami no Japão eram absolutamente espantosas – cidades inteiras varridas do planeta com as ondas gigantescas vindas do oceano. Enquanto alguns especialistas dedicam suas vidas a ajudar as pessoas a recuperar suas vidas, outros voltam sua atenção para o material que é arrastado pelas águas.

Por exemplo, para onde vão e o que pode ser feito com as coisas arrastadas por um tsunami?

Lori Dengler tem algumas ideias. “O lixo é um enorme problema tanto na terra quanto no mar”, coloca Dengler, oceanógrafa da Humboldt State University, em Arcata, Califórnia, EUA. “É um problema como você lida com ele, onde armazená-lo, e ele certamente pode ser um problema por muito tempo”.

Ela explica que a maior parte dos detritos lançados no mar eventualmente volta à terra depois de um tsunami. “É certamente um problema para a navegação já que estes resíduos ​​na água atrapalhariam as embarcações que circulam pela área”. Dengler, porém, ressalta que, como o litoral japonês é inteiro recortado, o lixo flutuante pode não representar um problema tão grande como o tsunami no Oceano Índico em 2004, por exemplo.

Uma empresa neo-zelandesa de consultoria marítima criou um website-modelo que indica para onde os destroços de um tsunami podem ser levados caso sejam carregados para o mar. Estima-se que dentro de um ou dois anos alguns dos destroços possam chegar à famigerada “mancha de lixo” no Pacífico Norte, aumentando consideravelmente a concentração de detritos marinhos antrópicos na região, o que representa uma ameaça adicional para a vida marinha.

E o que fazer quando os resíduos pós-tsunami ficam na terra firme?

“A primeira coisa é avaliar o volume dos destroços e, em seguida, tentar descobrir um lugar que possa armazená-los”, diz Dengler. “Isso vai ser um grande problema para o Japão, porque eles não têm muito espaço arável”.

O entulho deve ser classificados em vários tipos – materiais perigosos devem ser separado do material que pode ser facilmente queimado – e levado embora. Ocasionalmente, algo pode ser convertido em biocombustível.

Livrar-se de detritos também é algo importante psicologicamente para se recuperar de um desastre, Dengler lembra. No Haiti, mesmo após um ano e três meses do terremoto de 7 graus na escala Richter, mais de 50% por cento dos escombros ainda estão nas ruas – e que torna difícil para as pessoas sentir que as coisas estão melhorando. [Life’sLittleMysteries]

Autor: Bruno Calzavara

Bruno Calzavara é recém-formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e está de volta à equipe do Hype após dois anos. Adora todos os esportes, exceto futebol. Gosta de chocolate e de sorvete, mas não de sorvete de chocolate.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

6 Comentários

  1. realmente é uma boa pergunta!penso quem poderá responder a uma pergunta facil mas de resposta complexa é a U.S.A e o seu brinquedo “HAARP”…de invulgar a misterioso tornou se em algo actual e surpreendente que nos faz lembrar por onde a agua quiser andar não há nada que a impeça, mas de forma natural…brigado pelo post!

    Thumb up 0
  2. PhotpShop ou não, não interessa…a imagem é realmente de assustar…
    Sempre tive muita curiosidade,sempre me perguntava, e também
    perguntava para outras pessoas: onde será que vai todo este entulho, destroçõs, como vão limpar, isso me deixava muito angustiada, parecia que eu tinha que estar lá para ajudar a limpar de uma vez…Problema sério, que agora está bem mais claro de como é resolvido.
    Valeu Bruno!!!
    Continue a informar sobre assuntos que a maioria das pessoas tem dúvidas, mas não admitem.

    Thumb up 3
  3. Muito interessante o artigo. São curiosidades, que não pensamos em nosso cotidiano. Muito Bom!

    Thumb up 5
  4. Uau, que imagem! Da até medo de olhar ^^
    Interessante o artigo, os destroços no oceano é um caso sério para a vida marítima mesmo!

    Thumb up 5
    • PhotoShop

      Thumb up 6

Envie um comentário